NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


CNN BRASIL


Coração de Dom Pedro I é escoltado por “Dragões” e tem show da esquadrilha

Relíquia chegou de Rolls-Royce ao Palácio do Planalto

Por Luciana Amaral E Juliiana Lopes | Publicada em 23/08/2022 20:13

O coração de Dom Pedro I andou de Rolls-Royce presidencial, foi escoltado pelos Dragões da Independência, subiu a rampa do Palácio do Planalto e contou com um show da Esquadrilha da Fumaça ao ser recebido com honrarias de chefe de Estado em solenidades nesta terça-feira (23), em Brasília.

O órgão embalsamado desde a morte de Dom Pedro I, em 1834, responsável por declarar a independência do Brasil, chegou ao Planalto por volta das 17h. Subiu a rampa do palácio dentro de uma urna dourada carregada pelo chefe de polícia do Porto para ser recebido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro, e pelo ministro das Relações Exteriores, Carlos França.

Foram tocados o Hino Nacional e o Hino da Independência, cuja melodia foi escrita por Dom Pedro I, houve salvas de tiros de canhão e um show da Esquadrilha da Fumaça. O grupo de acrobacias aéreas voou pela Esplanada dos Ministérios, bem próximo aos prédios no local, e fez uma série de manobras. Em determinado momento, fez um coração no céu com fumaça.

Dentro do Planalto, houve uma breve cerimônia. Bolsonaro disse que Brasil e Portugal estão “unidos pela história” e celebrou os 200 anos de independência.

Além de ministros, estavam presentes crianças e adolescentes de escolas militar e pública do Distrito Federal.

Quem também estava no evento no Planalto era a médica Nise Yamaguchi, que se notabilizou por defender a cloroquina para pacientes com covid-19 ao longo da pandemia, mesmo sem comprovação de eficácia. Segundo relatou à reportagem, foi ideia dela de trazer o coração de Dom Pedro I para as comemorações. Ela conversou com o deputado federal Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PL-SP), contou. Bolsonaro gostou da ideia e pediu que o governo federal viabilizasse a vinda do coração, completou.

Após o evento no Planalto, o coração foi levado ao Itamaraty, a cerca de 750 metros de distância, escoltado pela cavalaria dos Dragões da Independência. O meio de transporte escolhido foi o Rolls-Royce conversível que os presidentes da República costumam usar nas cerimônias de posse e de 7 de setembro. Havia duas bandeiras hasteadas no carro: uma do Brasil República e outra do Brasil Império.

A chegada ao Itamaraty foi acompanhada pelo encarregado pela segurança do coração, o ministro das Relações Exteriores, Carlos França, e Dom Bertrand de Orléans e Bragança, herdeiro da Casa Imperial.

O coração foi levado ao salão principal do palácio, onde aguardavam autoridades brasileiras, diplomatas brasileiros e integrantes do corpo diplomático estrangeiro residente em Brasília.

Em rápido discurso, o ministro Carlos França exaltou Dom Pedro ao dizer que ele foi o primeiro fundador do Estado brasileiro e que a amizade entre os povos brasileiro e português é um legado de seu trabalho.

“Para isso [comemoração do bicentenário da independência], nada mais simbólico do que recebermos o coração da figura mais representativa para todos os brasileiros naqueles dias que culminaram com a proclamação de nossa independência”, declarou o chanceler.

“Dom Pedro I foi um homem de seu tempo, destemido, arrojado e generoso. Incorporou os caminhos que a busca de liberdade abria aos povos em sua época. Com genuíno altruísmo, separou-se da terra natal, Portugal, para entregar-se à construção de uma nova pátria. Pouco mais tarde, com o mesmo altruísmo deixou aqui seu filho infante aos cuidados dos brasileiros”, completou.

A solenidade no Itamaraty contou ainda com a Orquestra Sinfônica da Força Aérea Brasileira (FAB), que tocou canções compostas por Dom Pedro I. No final do evento, a urna com o coração foi levada para o local da exposição para apreciação dos convidados.

Nos dias de semana, a exposição ficará aberta à visitação de estudantes, sobretudo da rede pública de ensino do Distrito Federal. Nos fins de semana, será aberta ao público em geral, mas é necessário agendamento prévio. Instruções devem ser disponibilizadas no portal do Itamaraty. O coração decola de volta a Portugal em 8 de setembro.

PORTAL AEROIN


Força Aérea publica um vídeo sobre como foi trazer o coração de Dom Pedro I ao Brasil


Murilo Basseto | Publicada em 23/08/2022

Depois de ter sido responsável por trazer, de Portugal ao Brasil, o coração do primeiro Imperador do Brasil Dom Pedro I, a Força Aérea Brasileira (FAB) agora mostra muitos detalhes sobre como foi a operação e os cuidados envolvidos com um item de tão alto valor histórico.

A 7.500 quilômetros da capital brasileira fica uma das relíquias da história nacional: o coração de Dom Pedro I. Pela primeira vez, após 187 anos, o tesouro deixou a Igreja Irmandade de Nossa Senhora da Lapa, localizada na cidade de Porto, em Portugal. O destino foi o Brasil e o motivo de sua vinda é muito simbólico: ele vai integrar as comemorações do Bicentenário da Independência.

Emprestado pelo Governo Português, o coração do primeiro Imperador do Brasil é conservado em formol e protegido a cinco chaves em uma urna. Por isso, a liberação para a viagem só ocorreu depois que uma equipe avaliou as condições do órgão e garantiu que não haveria riscos.

O coração do Imperador  foi embarcado em ambiente pressurizado, ou seja, controlado, conforme as orientações do Instituto de Medicina Legal (IML), feitas à Prefeitura de Porto. Toda a estrutura de exposição do material foi desmontada para o transporte, em um processo que inspirou muitos cuidados e um planejamento detalhado da logística.

O Superintendente da Polícia de Segurança Pública de Portugal, Antônio Leitão da Silva, explicou que, apesar de ter sido um processo complexo devido ao ineditismo, o traslado foi planejado de forma minuciosa com a Força Aérea Brasileira (FAB).

“Foi feita a articulação com as autoridades brasileiras, que desde o primeiro momento, se revelaram extraordinariamente dedicadas, profissionais e profundamente empenhadas para que a operação ocorresse particularmente bem, disponibilizando, inclusive, uma aeronave da FAB para fazer o traslado do coração de Dom Pedro I”, informou.

Cerimônia em Brasília

Foi a bordo da aeronave VC-99 Legacy, escoltada por dois caças F-5M, que o coração chegou à Capital Federal nesta segunda-feira, dia 22 de agosto, sendo recebido com todas as honras de chefe de Estado pelo Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira; pelo Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior; pelo Embaixador de Portugal no Brasil, Luís Filipe Melo e Faro Ramos; e demais autoridades civis e militares.

“Hoje, regressa ao solo pátrio, pelas Asas da Força Aérea, o coração deste herói nacional, primeiro imperador do Brasil, chamado de ‘O libertador’. Esse legítimo ícone da Independência Brasileira foi um governante muito à frente do seu tempo. Um líder visionário e destemido, que atuou em prol dos interesses do Brasil”, discursou o Ministro Paulo Sérgio Nogueira durante a cerimônia.

Para o Embaixador de Portugal no Brasil, Luis Filipe Melo e Faro Ramos, a associação de Portugal às comemorações do Bicentenário mostra, mais uma vez, a boa relação construída entre as duas nações. “Para nós é sempre motivo de grande satisfação verificar que da parte brasileira houve esse pedido e esse carinho pela relíquia que une Portugal e Brasil”, destacou.

Celebrando a recepção calorosa, o Presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Moreira, falou que o momento é uma oportunidade de valorizar o papel do Porto na relação entre Portugal e Brasil. “Ao ceder temporariamente este bem cultural, o município do Porto está não apenas homenageando o Brasil, mas também promovendo o aprofundamento e a dinamização entre esses dois países irmãos”, destacou.

O órgão será levado de volta a Portugal no dia 9 de setembro, depois das comemorações dos duzentos anos da Independência do Brasil. A relíquia ainda vai ficar exposta por mais dois dias na cidade do Porto antes de ser guardada novamente no cofre.

História

O “Rei Soldado”, como ficou conhecido Dom Pedro I, desejou que seus ossos ficassem no Brasil, país onde foi imperador de 1822 a 1831, na cripta do Monumento à Independência, em São Paulo, mas ordenou que o seu coração permanecesse no Porto, cidade que o tem como herói devido às batalhas travadas com seu irmão Dom Miguel.

A Irmandade de Nossa Senhora da Lapa foi escolhida por vontade de Dona Maria II, rainha de Portugal e filha de Dom Pedro, pois era nessa igreja que o pai assistia às missas militares.

 

 

 

OUTRAS MÍDIAS


A CIDADE ON - Missão especial: Avião da FAB transporta órgão para Ribeirão Pedro

Aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) fez o transporte de um fígado de Palmas (TO), para ser transplantado em paciente no Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto

Marcius Ariel Alves | Publicada em 23/08/2022 14:29

Uma aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou o transporte de um fígado de Palmas, capital do Tocantins, para ser transplantado em um paciente do Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto. A missão especial foi compartilhada no Twitter oficial da FAB, na última quinta-feira (18). 

O transporte foi feito em uma aeronave modelo U-100 Phenom. Em nota ao portal acidadeon, a FAB explica que tripulações dos Esquadrões de Transporte da FAB ficam de sobreaviso em tempo integral e em todo o país, para cumprimento desse tipo de missão.

"A FAB mantém permanentemente disponíveis aeronaves para o Transporte de Órgãos, Tecidos e Equipes (TOTEQ) para atender às solicitações do Ministério da Saúde. Em 2022, até o mês de julho, as aeronaves da FAB conduziram 181 órgãos. Desde 2016, já foram transportados mais de 1.400 órgãos em todos o país", disse em nota.