NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Vitória recebe 18 pacientes de Manaus; total de transferidos chega a 215


Da Redação | Publicada em 22/01/2021 12:42

Mais 18 pacientes infectados com o novo coronavírus foram transferidos de Manaus — agora, com destino a Vitória, onde receberão assistência médica no Hospital Universitário da capital capixaba, segundo o governo do Amazonas.

Dois dos transferidos estavam internados no SPA São Raimundo, enquanto os outros 16 estavam hospitalizados no Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto.

A aeronave da FAB (Força Aérea Brasileira) com os pacientes decolou do Aeroporto Ponta Pelada, na zona sul de Manaus, às 20h (horário de Brasília) de ontem.

A transferência de pacientes do AM para outros estados faz parte de um plano feito pelo governo estadual em parceria com o governo federal para diminuir a pressão no sistema de saúde amazonense, sobrecarregado pela alta de casos e internações de pessoas infectadas pela covid-19.

Ontem, o governo amazonense transferiu 14 pacientes de Manaus para Maceió, onde foram atendidos pelos hospitais da Mulher e Metropolitano.

Agora, segundo o governo do AM, com a chegada dos pacientes em Vitória, chegou a 215 o número de pessoas hospitalizadas com a covid-19 transferidas de Manaus para outros estados.

A meta de transferências para fora do Amazonas é de 235 pacientes, segundo o governo do AM. Alguns dos já levados para outros estados já receberam alta — foram os casos de, por exemplo, duas mulheres hospitalizadas em Teresina.

REDE TV


Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado

Os 2 milhões de doses serão enviadas amanhã aos estados

Agência Brasil | Publicada em 22/01/2021 14:37

Os 2 milhões de doses da AstraZeneca contra a covid-19 que devem chegar da Índia nesta sexta-feira (22) serão distribuídas aos estados a partir da tarde de sábado (23). Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a Força Aérea Brasileira está à disposição para agilizar a distribuição da vacina pelo país.

“Pode ter certeza que a Aeronáutica está aí para servir o Brasil e essa vacina, se chegar hoje à noite, amanhã começa a chegar a seus destinos”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro falou com a imprensa ao deixar o Palácio da Alvorada, após café da manhã com parlamentares na residência oficial. Ele reafirmou que a vacinação não será obrigatória e recomendou que as pessoas leiam os estudos dos imunizantes.

“Ela tem que ser voluntária, afinal de contas não está nada comprovado cientificamente com essa vacina ainda. E peço que o pessoal leia o contrato com a empresa para tomar pé de onde chegaram as pesquisa e porque não se concluiu ainda dizendo que uma vacina é perfeitamente eficaz. Pelo que tudo indica, segundo a Anvisa, ela vai ajudar que casos graves não ocorram no Brasil, para quem for vacinado”, afirmou.

AstraZeneca

As vacinas devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira, no fim da tarde. A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o Aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de janeiro.

De acordo com a Fiocruz, assim que chegarem à instituição, as vacinas passarão por checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. A previsão é que esse processo seja realizado até manhã de sábado (23) por equipes treinadas em boas práticas de produção. As vacinas devem ser liberadas para distribuição no período da tarde.

“Ao longo de todo o trajeto até Bio-Manguinhos/Fiocruz, as vacinas estarão armazenadas em seis caixas do tipo pallets, que serão acondicionadas em envirotainers, pequenos containers utilizados para transportes de carga que necessita de controle de temperatura. Nesses envirotainers, as vacinas serão mantidas na temperatura entre 2 a 8ºC”, informou a Fiocruz.

PORTAL G1


ES recebe 36 pacientes com Covid-19 transferidos de Manaus

Pacientes do Amazonas ficarão internados no Hospital Dr. Jayme dos Santos Neves, na Serra. Manaus enfrenta colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio nos hospitais.

Da Redação | Publicada em 22/01/2021 08:55

O Espírito Santo recebeu 36 pacientes com Covid-19 transferidos de Manaus entre a noite desta quinta-feira (21) e a madrugada desta sexta (22). Com as transferências, a capital do Amazonas já mandou 188 pacientes a outros estados.

O grupo mais recente que chegou ao Espírito Santo, com 18 pacientes, sendo 14 homens e quatro mulheres, chegou por volta de 1h45, em voo da Força Aérea Brasileira (FAB), no Aeroporto Eurico Aguiar Salles, em Vitória.

O primeiro grupo, também com 18 pacientes, chegou por volta das 20h20 de quinta na capital capixaba.

Dos 36 pacientes amazonenses que chegaram ao Espírito Santo, 29 estão em leitos de UTI e sete em leitos de enfermaria.

Os pacientes foram acompanhados por médicos e enfermeiros até pousarem em solo capixaba. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde(Sesa), todos ficarão internados em isolamento no Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, na Serra.

Oferta de leitos

A oferta de leitos por parte do governo do Espírito Santo foi feita após a capital amazonense enfrentar um colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio nos hospitais. A demanda pelo produto cresceu após o recorde de internações.

A transferência de pacientes para outros estados foi uma alternativa para desafogar a demanda na região.

A meta do governo do Amazonas é transferir 235 pacientes para outros estados e 188 já foram transferidos.

Além do Espírito Santo, também já receberam pacientes do Amazonas unidades hospitalares localizadas no Acre, Maranhão, Piauí, Paraíba, Rio Grande do Norte, Pará, Goiás, Distrito Federal e Alagoas.

Desde o anúncio da oferta de leitos, o secretário de Saúde do Espírito Santo, Nésio Fernandes, garantiu que a medida não iria comprometer o atendimento dos capixabas que precisarem de internação e nem aumentaria o risco de contaminação pela doença no estado.

Covid-19: seis pacientes vindos de Manaus recebem alta do Hospital Universitário de Brasília

Moradores da capital amazonense deixaram unidade de saúde nesta sexta-feira (22). Outros seis continuam internados na unidade, dois estão em leitos de UTI no Hospital da PM, e uma morreu.

G1 Df E Tv Globo | Publicada em 22/01/2021 20:22

Médicos do Hospital Universitário de Brasília (HUB) deram alta, nesta sexta-feira (22), a seis pacientes de Manaus (AM) diagnosticados com a Covid-19. Eles chegaram ao Distrito Federal em 17 de janeiro, devido à falta da capacidade de atendimento hospitalar na capital amazonense.

O HUB recebeu 15 moradores de Manaus com a doença. Todos foram internados na enfermaria exclusiva para o tratamento da doença. Apenas quatro permanecem em tratamento no local, mas sem gravidade.

Do total, dois pacientes apresentaram melhora e foram transferidos para a clínica geral, dois foram para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital da Polícia Militar, e uma faleceu.

Os pacientes foram transferidos ao DF em uma operação coordenada pelo Ministério da Saúde e pela Força Aérea Brasileira (FAB). Com apoio do Ministério da Educação e da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh/MEC), 205 leitos em nove hospitais universitários federais foram disponibilizados pelo país.

Comoção

A técnica em enfermagem Neila Meireles, de 45 anos, se emocionou ao receber alta. "Viemos atrás de oxigênio. De repente, Manaus ficou sem ar e a gente não consegue entender porquê isso está acontecendo", disse.

Neila, que é profissional da saúde, diz que volta à terra natal para ajudar os outros pacientes da Covid-19. "Como é bom respirar", afirmou.

O taxista Márcio André Santos da Silva, de 45 anos, disse que estava com medo no momento em que foi transferido para o DF. "Foi desesperadora essa grande falta de ar, cansaço e tudo mais. Graças a Deus, só tenho a agradecer e poder retornar bem de saúde", comentou.

Transferência

O Amazonas sofre com a falta de leitos para tratar pacientes com a Covid-19, além de insumos, como oxigênio. Devido à crise, pacientes graves têm sido transferidos para outras unidades da federação. Além do DF, Piauí, Maranhão, Paraíba e Rio Grande do Norte tratam essas pessoas.

Na capital, o HUB disponibilizou 20 leitos para receber pacientes de Manaus. A infraestrutura e os insumos necessários foram preparados no pronto-socorro, onde já funcionavam 10 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19.

Ao todo, 140 profissionais, entre médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, psicólogos, assistente sociais e nutricionistas são responsáveis por cuidar do setor onde foram alocados os pacientes.

PORTAL R7


Covid-19: 27 pacientes de Manaus transferidos para o ES estão na UTI; quatro foram entubados

Eles estão recebendo os cuidados no Hospital Estadual Jayme Santos Neves, na Serra, referência para o tratamento do coronavírus no Espírito Santo

Por Folha Vitória | Publicada em 22/01/2021 22:56

Dos 36 pacientes do Amazonas infectados com o novo coronavírus que chegaram ao Espírito Santo entre a noite de quinta (21) e a madrugada desta sexta-feira (22), 27 estão internados na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Estadual Jayme Santos Neves, na Serra, principal referência para o tratamento da covid-19 no estado. Quatro desses pacientes precisaram ser entubados após a viagem.

"Como é uma viagem um pouco prolongada, ela pode ter contribuído para a descompensação de alguns pacientes. Mas o fato é que agora eles estão com seus tratamentos intensivos e sob cuidados médicos de nossa equipe, que está completamente preparada e que foi treinada para prestar esse tipo de atendimento", destacou o subsecretário de Estado de Regulação, Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa.

A operação de transferência dos pacientes de Manaus para o Espírito Santo começou na tarde de quinta-feira. Na porta do Hospital 28 de Agosto, na capital amazonense, Antônio Carlos Brito aguardava apreensivo pela retirada da esposa, Zizelda Brito.

"Tenho muita esperança que ela vá se recuperar. Ela é uma profissional da saúde e esteve à frente no combate à covid-19. Infelizmente agora, há uns 10 dias, ela se contaminou, mas a gente está lutando pela vida dela", desabafou.

Na entrada da ambulância, a voz da gerente de hospitais e fundações da Secretaria Estadual de Saúde do Amazonas, Fabiana Maciel, tentava tranquilizar os pacientes.

"O senhor vai voltar para sua família, tá bom? O tempo que você precisar, o atendimento especializado o senhor vai ter lá, e a gente vai estar aqui, de braços abertos, para comemorar a sua vitória, tá bom? Já deu certo", disse a um dos pacientes levados a Vitória.

Já no aeroporto de Manaus, os irmãos Jéssica e Abrahim Said tentavam avistar o embarque da mãe, Maria Said, entre as grades que cercam a base aérea. "Quantas pessoas queriam estar aqui felizes, gratos pelos seus familiares irem? Todas as pessoas que estão ali dentro é só gratidão. Não tenho nem explicação. Deus colocou tantos anjos nas nossas vidas esses dias, porque o sofrimento é muito grande", disse Jéssica. "A gente fica apreensivo, mas nunca perdemos a fé", completou Abrahim.

Em Vitória, a primeira aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) pousou com 18 pacientes, por volta de 20h20 de quinta-feira. A primeira mulher a desembarcar precisou ser amparada pela equipe médica. Ela foi colocada numa maca e levada para a ambulância. 

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), a paciente teve uma intercorrência durante a escala em Palmas, no Tocantins. Ao chegar ao Espírito Santo, precisou ser entubada.

"A paciente começou a ter mais necessidade de oxigênio. É um quadro que a gente observa muito no paciente covid, que ele pode ter essa necessidade. Mas eles tinham condições de oferecer e, assim, acolheram o paciente bem, dentro do avião", afirmou o médico assessor da Subsecretaria de Regulação da Sesa, Mayke Armani.

Os pacientes desembarcavam usando máscaras de oxigênio e, um a um, eram colocados em macas e encaminhados às ambulâncias. Um comboio de cinco ambulâncias saiu do aeroporto por volta das 21 horas. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) realizou a escolta até o hospital.

O voo com o segundo grupo de pacientes desembarcou durante a madrugada, por volta das 2 horas desta sexta-feira. De acordo com a Sesa, todos estão em um bloco isolado para tratamento da covid-19. 

A previsão é de que os pacientes fiquem pelo menos sete dias no Espírito Santo. Após a alta, devem voltar para casa em voos comerciais. "Nós vamos comunicar ao Ministério da Saúde, em Manaus, a alta, com antecedência de 48 horas, desses pacientes. E aí o custo vai ficar para Manaus, para levar esse paciente até seu domicílio, para sua recuperação e reabilitação", ressaltou Gleikson Barbosa.

Pelo menos 15 estados disponibilizam leitos de UTI para pacientes do Amazonas, onde o sistema de saúde entrou em colapso e faltou até oxigênio nos hospitais. O governo amazonense prevê transferir até 700 pessoas com covid-19 nos próximos dias. Por enquanto, segundo a Sesa, não houve mais nenhum pedido de transferência para o Espírito Santo.

Com informações da jornalista Andressa Missio, da TV Vitória/Record TV

AGÊNCIA BRASIL


Distribuição de vacinas da AstraZeneca devem começar neste sábado

Os 2 milhões de doses serão enviadas amanhã aos estados

Andreia Verdelio E Heloisa Cristaldo | Publicada em 22/01/2021 11:58

Os 2 milhões de doses da AstraZeneca contra a covid-19 que devem chegar da Índia nesta sexta-feira (22) serão distribuídas aos estados a partir da tarde de sábado (23). Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a Força Aérea Brasileira está à disposição para agilizar a distribuição da vacina pelo país.

“Pode ter certeza que a Aeronáutica está aí para servir o Brasil e essa vacina, se chegar hoje à noite, amanhã começa a chegar a seus destinos”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro falou com a imprensa ao deixar o Palácio da Alvorada, após café da manhã com parlamentares na residência oficial. Ele reafirmou que a vacinação não será obrigatória e recomendou que as pessoas leiam os estudos dos imunizantes.

“Ela tem que ser voluntária, afinal de contas não está nada comprovado cientificamente com essa vacina ainda. E peço que o pessoal leia o contrato com a empresa para tomar pé de onde chegaram as pesquisa e porque não se concluiu ainda dizendo que uma vacina é perfeitamente eficaz. Pelo que tudo indica, segundo a Anvisa, ela vai ajudar que casos graves não ocorram no Brasil, para quem for vacinado”, afirmou.

AstraZeneca

As vacinas devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira, no fim da tarde. A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o Aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de janeiro.

De acordo com a Fiocruz, assim que chegarem à instituição, as vacinas passarão por checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. A previsão é que esse processo seja realizado até manhã de sábado (23) por equipes treinadas em boas práticas de produção. As vacinas devem ser liberadas para distribuição no período da tarde.

“Ao longo de todo o trajeto até Bio-Manguinhos/Fiocruz, as vacinas estarão armazenadas em seis caixas do tipo pallets, que serão acondicionadas em envirotainers, pequenos containers utilizados para transportes de carga que necessita de controle de temperatura. Nesses envirotainers, as vacinas serão mantidas na temperatura entre 2 a 8ºC”, informou a Fiocruz.

PORTAL TECNOLOGIA E DEFESA


Pilotos da FAB iniciam curso operacional no Gripen


Da Redação | Publicada em 22/01/2021

Em 18 de janeiro, quatro pilotos do Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1º GDA), o “Esquadrão Jaguar”, iniciaram a formação operacional da aeronave Gripen no F7 Wing, unidade responsável pela formação dos pilotos de JAS-39 Gripen C/D da Força Aérea Sueca, na localidade de Såtenäs.

Ao longo de 2021, um total de dez pilotos da Força Aérea Brasileira (FAB) realizarão a formação operacional, o Convertion Training (Treinamento de Conversão) e o Combat Readiness Training (Treinamento de Prontidão para Combate), nas aeronaves JAS-39 C/D da Força Aérea Sueca. Após a capacitação, retornarão para o 1° GDA, situado na Ala 2, em Anápolis (GO), para dar continuidade à implantação operacional do F-39 Gripen, que tem data de recebimento prevista para outubro desse ano.

O comandante do 1° GDA, tenente-coronel aviador Leandro Vinicius Coelho, destaca que o início da formação operacional de pilotos de F-39 Gripen é um marco importante e decisivo no processo de implantação dessa aeronave na FAB: “Esses pilotos de caça foram previamente selecionados e preparados para este momento. Estão prontos para iniciarem o curso e, certamente, irão representar bem o nosso País e a Força Aérea Brasileira nesta nobre missão.

Futuro piloto do F-39E Gripen e integrante da primeira turma da capacitação, o major aviador Vítor Cabral Bombonato, sintetizou o momento: “O início do curso significa mais um passo importante no processo de implantação. A aeronave está cada vez mais próxima da atividade-fim da Força: o emprego operacional. Para nós, esse momento é motivo de muito orgulho.

O comandante da Ala 2, coronel aviador Gustavo Pestana Garcez, complementou: “Esse momento é de suma importância não apenas para nossos quatro oficiais aviadores, mas para toda uma equipe que trabalhou e ainda trabalha na capacitação de nossos profissionais e na implementação da infraestrutura necessária para o recebimento dos novos aviões F-39E Gripen”.

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL


CASA CIVIL - Forças Armadas completam duas semanas de atuação no Amazonas

Operação Covid-19 presta apoio logístico na remoção de pacientes e no transporte de cilindros de oxigênio e vacinas

Da Redação | Publicada em 22/01/2021 13:08

A Operação Covid-19 completou 14 dias de prestação de apoio ao estado do Amazonas. Em parceria com o Ministério da Saúde e o Governo do Estado, o Ministério da Defesa (MD), por meio das Forças Singulares, atua no transporte de pacientes infectados, no transporte de cilindros de oxigênio e de vacinas.

O objetivo é prestar apoio logístico e diminuir os impactos da doença no sistema de saúde do estado. Até essa quinta-feira (21), as Forças Armadas já realizaram a transferência de 156 pacientes para unidades de saúde de outros estados.

Oxigênio

Para suprir a demanda por oxigênio, o insumo está sendo transportado por via aérea e marítima. Os municípios de Parintins, Tefé, Coari e Manaus receberam 1.150 cilindros de oxigênio por balsas. Outros 2.827 cilindros foram transportados por aviões, juntamente com 13 usinas para a produção de oxigênio.

Nessa terça-feira (19), desatracou de Santos (SP) o Navio-Patrulha Oceânico APA com destino à Belém (PA). A embarcação da Marinha leva um tanque de 54 toneladas que receberá 90 mil m³ de oxigênio líquido e seguirá por balsa até Manaus.

Vacinas

Nesta semana, as Forças Armadas também contribuíram com a distribuição da vacina contra a Covid-19 para 12 municípios brasileiros. Uma das últimas missões, levou 156 doses do imunizante para Uiramutã, em Roraima. Entre os dias 18 e 19 de janeiro, a Força Aérea Brasileira (FAB) transportou o correspondente a 44 toneladas de caixas com vacinas, completando a entrega dos carregamentos na terça-feira (19).

De acordo com o Ministério da Saúde, terão prioridade na imunização as pessoas de grupos de risco como indígenas, idosos e profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19.

PORTAL METROPÓLES (DF)


Seis pacientes de Manaus recebem alta do Hospital Universitário de Brasília

Estes são alguns dos doentes que vieram para a capital federal na madrugada do último domingo

Celimar De Meneses | Publicada em 22/01/2021 21:37

Seis pacientes vindos de Manaus (AM) que estavam internados no Hospital Universitário de Brasília (HB-UnB) desde o último domingo (17/1) receberam alta na tarde desta sexta-feira (22/1).

“Só tenho a agradecer, porque fomos muito bem tratados e hoje estou viva para contar essa história. Gratidão eterna à equipe e gratidão pelo dom da vida”, disse a técnica de enfermagem Neila Meireles, de 45 anos.

Para a autônoma Milena França Goulart, de 50 anos, a decisão de deixar Manaus e fazer o tratamento em Brasília não foi fácil. “Tive medo, porque não conhecia ninguém aqui, mas hoje sinto como se tivesse acertado na Mega Sena sozinha”, relatou.

“Seis pessoas estão tendo uma nova chance graças ao hospital, que nos recebeu muito bem. O povo do Amazonas está muito feliz por tudo isso que estão fazendo por nós”, afirmou Marcelo Santos da Silva, que veio para a capital federal acompanhar o irmão Márcio André Santos da Silva, que passou cinco dias internado.

A chefe da Unidade de Clínica Geral, Amália Faria Gomes, comemora as seis altas que, segunda ela, refletem o trabalho em equipe. “É gratificante para nós ver como como eles chegaram cinco dias atrás, precisando de oxigênio, e como saem hoje. Ver que o trabalho do HUB está sendo efetivo nos traz muita alegria e satisfação”, declarou.

Ajuda a Manaus

Na madrugada do último domingo, o HUB recebeu 15 pacientes com Covid-19 vindos da capital amazonense. Eles foram internados na enfermaria exclusiva para pacientes com Covid-19, que foi preparada na Unidade de Pronto-Socorro do hospital.

A estrutura conta com 20 leitos, suporte de oxigênio e sete respiradores, além de uma equipe formada por cerca de 140 profissionais.A transferência desses pacientes faz parte de uma operação coordenada pelo Ministério da Saúde e pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Dos 15 pacientes de Manaus, quatro permanecem em tratamento na enfermaria Covid-19 do HUB. Do total, dois melhoraram e foram transferidos para a enfermaria da Clínica Geral, outros dois foram transferidos para leitos de UTI do Hospital da Polícia Militar. Um morreu e seis tiveram alta.

PORTAL DEFESANET


Batalhão apoia transporte de usina de oxigênio para Manaus


Da Redação | Publicada em 22/01/2021 10:45

No dia 17 de janeiro, o 5º Batalhão de Infantaria Leve (5º BIL) da 12ª Brigada de Infantaria Leve Aeromóvel (12ª Bda Inf L AMV) apoiou a Força Aérea Brasileira no embarque de uma usina de oxigênio para Manaus-AM. A iniciativa integra o esforço nacional de ajuda às vítimas da Covid-19 na capital amazonense.    

O equipamento, que produz oxigênio concentrado, foi disponibilizado pela Escola de Especialistas da Aeronáutica e foi transportado para o local de embarque sob coordenação do 5º BIL. Para o cumprimento da missão, foram utilizados equipamentos da 2º Companhia de Transportes (2ª Cia Trnp).

Voluntários da FAB doam sangue em Belém (PA)

Guarnição de Aeronáutica de Belém (GUARNAE-BE) realizou parceria com a Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (HEMOPA)

Asp Wanessa Liz E Capitão Oliveira Lima | Publicada em 22/01/2021 10:15

Nos dias 08 a 14 de janeiro, a Guarnição de Aeronáutica de Belém (GUARNAE-BE) realizou parceria com a Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Pará (HEMOPA). Esta é a primeira campanha de captação de sangue do HEMOPA com a GUARNAE-BE no ano de 2021. A ação ocorreu no Hospital de Aeronáutica de Belém (HABE), que recebeu uma Unidade Móvel do Hemocentro. Foram realizadas 356 coletas, que poderão ser fracionadas em 1.416 bolsas de sangue. 

O Diretor do HABE, Coronel Médico Jorge Antonio Carvalho Feijó, falou da importância da ação. "Doar sangue é um ato de amor ao próximo e os militares da GUARNAE-BE procuram contribuir para manter o estoque do banco de sangue do HEMOPA abastecido”, enfatizou. 

A Gerência de Captação de Doadores (GCAD) da Fundação Hemopa realizará outras campanhas no decorrer do ano, sendo que a segunda está marcada para o mês de junho. "A Fundação Hemopa agradece a permanente parceria das Forças Armadas, que sempre souberam honrar sua força e amor à pátria, doando sangue e salvando tantas vidas", destacou a assistente social Juciara Farias.

Cerimônia em Brasília (DF) celebra os 80 anos do Comando da Aeronáutica

Presidente da República, Jair Bolsonaro, presidiu a solenidade, que foi realizada nesta quarta-feira (20)

Tenente Flávia Rocha E Capitão Oliveira Lima | Publicada em 22/01/2021 10:10

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesta quarta-feira (20), na Ala 1, em Brasília (DF), a cerimônia militar alusiva aos 80 anos do Comando da Aeronáutica. O Presidente da República, Jair Bolsonaro, presidiu a solenidade, acompanhado do Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

Participaram, ainda, do evento o Vice-Presidente da República Federativa do Brasil; Ministros de Estado do Governo Federal; os Comandantes da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro; entre outras autoridades civis e militares. 

Em seu discurso, o Presidente Jair Bolsonaro destacou a importância da Força Aérea Brasileira para o País. “A nossa Força Aérea, nessa primeira parte da entrega de vacinas no Brasil, cumpriu a sua missão. Isso é motivo de orgulho, tendo em vista o seu planejamento e a sua organização, o seu patriotismo e o seu sentimento de defesa dos direitos humanos, que vem da alma, vem do coração de cada militar da nossa Força Aérea”, enfatizou.

O Tenente-Brigadeiro Bermudez falou sobre o significado da data para os militares: “Hoje é dia para também externarmos o orgulho da Força Aérea Brasileira, que, desde a sua criação, de sua gênese, são as asas que protegem o País”, reforçou. Na ocasião, o Comandante da Aeronáutica também comentou sobre o trabalho realizado pela FAB em prol de todo o Brasil no enfrentamento à COVID-19.

“Nesta madrugada, nós tivemos um C-130 e um KC-390 transportando oxigênio líquido e gasoso do Rio de Janeiro para Manaus; um C-99 transportou pacientes evacuados de Manaus para São Luís; um C-105 Amazonas transportou oxigênio gasoso para Tabatinga e Tefé; e um C-97 Brasília transportou médicos de Boa Vista para Manaus. Neste momento, nós temos um C-95 Bandeirante transportando um fígado entre Campo Grande e Belo Horizonte; um U-100 Phenom transportando um coração entre Campo Grande e São Paulo, um C-105 transportando oxigênio entre Manaus e Tefé;  e um C-105 realizando UTI Aérea entre Manaus e Brasília com pacientes com COVID-19”, declarou.

A solenidade foi marcada por uma homenagem especial a um dos precursores do Comando da Aeronáutica, o Tenente-Brigadeiro do Ar Rodopiano de Azevedo Barbalho, quem ingressou na FAB em 02 de março de 1942, compondo a primeira turma de Oficiais Aviadores da recém-criada Força Aérea Brasileira. Mais tarde, chefiou a Comissão de Aeroportos da Região Amazônica e chegou a voar nas asas do Correio Aéreo Nacional.

Marca alusiva aos 80 anos

A fim de dar relevo a este momento histórico, as aeronaves da Força Aérea Brasileira receberam em sua pintura a marca alusiva aos 80 anos do Comando da Aeronáutica. Durante a cerimônia, o Presidente da República, acompanhado pelo Ministro da Defesa e pelo Comandante da Aeronáutica, fizeram o descerramento da bolacha do helicóptero VH-35.

 

Selo Personalizado e Carimbo Comemorativo

Como parte das comemorações, o Ministério das Comunicações e a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos lançaram, durante o evento, o Selo Personalizado e o Carimbo Comemorativo alusivos ao octogésimo aniversário do Comando da Aeronáutica.

O Selo Personalizado descreve em sua arte a marca dos 80 anos do Comando da Aeronáutica, o Gládio Alado, o Cruzeiro do Sul e um vetor que representa todas as aeronaves constantes do acervo da FAB e as que atualmente equipam uma Força Aérea moderna e engajada em sua missão de controlar, defender e integrar o território nacional.

Criação

Aos 20 dias de janeiro do ano de 1941 foi criado o Ministério da Aeronáutica, órgão que precedeu o Comando da Aeronáutica, e cujas atribuições iniciais eram estudar e despachar todos os assuntos relativos à atividade da aviação nacional, dirigindo-a técnica e administrativamente.

Com o tempo, passou a gerir os assuntos ligados à política aeroespacial, à indústria aeronáutica, à infraestrutura aeroportuária, à aviação civil e ao gerenciamento da Força Aérea Brasileira – seu braço armado. Ao celebrar seus 80 anos e no pleno exercício de suas atribuições constitucionais, a Força Aérea Brasileira atua, ininterruptamente, em terra e nos céus, na edificação de um Brasil mais forte e mais justo.

OUTRAS MÍDIAS


DEFESA AGÊNCIA DE NOTÍCIAS - FAB entrega medalhas a militares com mais de 40 anos de serviço


Da Redação | Publicada em 22/01/2021 16:44

A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesta quinta-feira (21), em Brasília (DF), a cerimônia de imposição da Medalha Militar de ouro com passador de platina a 12 militares. A solenidade foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

No evento, o Comandante da Aeronáutica parabenizou os agraciados e ressaltou a relevância do bom trabalho prestado pelos militares para o País. “A Força Aérea comemora 80 anos, e acredito que os nossos agraciados ostentam, com muito orgulho, ter o seu trabalho, a sua dedicação e o seu desempenho reconhecido em prol da FAB e do nosso País. Parabenizo a todos por tudo que fizeram e continuarão fazendo”, pontuou.

As Medalhas Militares de ouro com passador de platina são outorgadas como reconhecimento pelos bons serviços prestados por mais de 40 anos. Um dos agraciados foi o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo, Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues. “É uma satisfação, uma honra, receber essa medalha de 40 anos de serviços prestados à FAB. É uma Força Aérea jovem, que completa 80 anos de idade. Saber que eu tive o privilégio de participar desse processo de crescimento, de evolução da Força, me deixa muito orgulhoso e feliz”, sublinhou.

Medalha Militar

Criada em 15 de novembro de 1901, e regulamentada pelo Decreto nº 39.207, de 22 de maio de 1956, a Medalha Militar destina-se a recompensar os bons serviços prestados pelos oficiais e praças, do serviço ativo, da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira. A condecoração é concedida àqueles que, com competência e honradez, devotaram-se em prol dos objetivos e interesses maiores da Instituição.

FOLHA VITÓRIA - Mais 18 pacientes de Manaus chegam ao Espírito Santo

São 36 pacientes amazonenses que seguirão o tratamento contra a doença no Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra

Da Redação | Publicada em 22/01/2021 08:00

O segundo grupo com 18 pacientes infectados com covid-19, vindos de Manaus, já está no Espírito Santo. Eles chegaram durante a madrugada desta sexta-feira (22). São 36 pacientes amazonenses que seguirão o tratamento contra a doença no Hospital Jayme dos Santos Neves, na Serra.

Imagens divulgadas pela Força Aérea Brasileira (FAB) mostram o momento em que os pacientes embarcavam em um avião com destino ao Espírito Santo. A chegada ao estado capixaba ocorreu por volta das 2 horas desta sexta.

O primeiro grupo chegou na noite desta quinta-feira (21). Foram 18 pacientes, sendo 10 homens e 08 mulheres, acolhidos por conta da atual situação de grave crise sanitária na cidade de Manaus.

Todos os pacientes foram encaminhados para uma das unidades de referência no tratamento da doença no Espírito Santo, o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, onde devem ficar em uma ala isolada, por terem vindo de outro estado. Cada um deles passou por uma avaliação médica, para a definição se serão encaminhados para leitos de UTI ou enfermaria.

A chegada dos primeiros pacientes ocorreu por volta das 20h30, quando um avião da FAB pousou no Aeroporto de Vitória. Os dois mais graves foram levados primeiros por ambulâncias que já estavam no local. Ao todo, seis viaturas da PRF fizeram a escolta e saíram em comboio, fechando a pista para ajudar a passagem das ambulâncias.

Na semana passada, o governador Renato Casagrande, disponibilizou 30 leitos de UTI para pacientes de Manaus que precisassem ser transferidos. A Secretaria de Estado da Saúde disse que o Espírito Santo possui 150 leitos de UTI para o tratamento contra a covid-19 e que a chegada dos pacientes manauaras não vai comprometer o atendimento aos capixabas.

NOTÍCIAS CONCURSOS - Concurso da Aeronáutica 2021 abre 231 vagas de nível médio! Até R$3.825,00

Concurso da Aeronáutica é destinado ao Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (EAGS); Vagas para ambos os sexos

Saulo Moreira | Publicada em 22/01/2021 07:40

As inscrições do edital de concurso Aeronáutica para a EAGS visando o preenchimento de 231 vagas para o Estágio de Adaptação à Graduação de Sargento (EAGS) já estão abertas em todo o país. As oportunidades são para candidatos de ambos os sexos com nível médio que desejam iniciar a formação de sargentos para o ano de 2022. O prazo de inscrição ficará aberto até 10 de fevereiro.

Para o ano de 2022, as vagas foram distribuídas entre as áreas de Eletrônica (BET) – 32 vagas; Administração (SAD) – 60 vagas; Enfermagem (SEF) – 48 vagas; Eletricidade (SEL) – 20 vagas; Informática (SIN) – 38 vagas; Laboratório (SLB) – oito vagas; Obras (SOB) – 12 vagas; Pavimentação (SPV) – 04 vagas; Radiologia (SRD) – 05 vagas; e Topografia (STP) – 04 vagas.

Para concorrer ao concurso EAGS, o candidato deverá ter nível médio/t'écnico na respectiva área de interesse. Além disso, é necessário, também, não ter menos de 17 e não completar 25 anos de idade até 31 de dezembro do ano da matrícula no EAGS 2022.

Na matrícula do curso, o aluno receberá o soldo de aproximadamente de R$1.066. Concluído o estágio, haverá a promoção à graduação de terceiro-sargento, passando o soldo para R$3.825.

Inscrição Concurso Aeronáutica EAGS 2021

Os interessados em concorrer a uma das vagas poderão se inscrever até 10 de fevereiro de 2021, no  site de ingresso da Aeronáutica.

De acordo com o edital, é necessário, inicialmente, pesquisar a área destinada ao concurso EAGS e, em seguida, preencher o formulário com os principais dados para cadastro. A taxa de inscrição custará R$60, devendo ser paga até 19 de fevereiro.

Provas Concurso Aeronáutica EAGS 2021

A prova do concurso Aeronáutica EAGS está marcada para ser aplicada no dia 25 de abril de 2021, para todas as especialidades, em todo o país. A etapa será de caráter eliminatório e classificatório.

Os exames serão aplicados na parte da manhã, com início às 9h40 e portões sendo fechado às 9h.

Os candidatos vão responder questões de Língua Portuguesa e Conhecimentos Especializados (relativos à especialidade a que concorre o candidato).

A Aeronáutica vai realizar as provas nas Organizações Militares de Apoio, sendo elas: Belém-PA, Recife- PE, Natal- RN, Rio de Janeiro- RJ, Belo Horizonte- MG, São Paulo- SP, São José dos Campos- SP, Campo Grande- MS, Canoas- RS, Santa Maria- RS, Curitiba- PR, Brasília- DF, Manaus- AM, Porto Velho- RO, Boa Vista- RR.

Além da prova objetiva, o concurso vai contar com inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, teste de avaliação do condicionamento físico, prova prática da especialidade, procedimento de heteroidentificação complementar e validação documental.

Os aprovados em todas as etapas poderá se apresentar na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), em Guaratinguetá (SP), em 2021, para habilitação à matrícula no curso, que terá duração de aproximadamente um ano.