NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


DEFESA AÉREA & NAVAL


Conheça o CINDACTA IV


Luiz Padilha | Publicada em 15/06/2021 11:08

O Quarto Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA IV) é a unidade do Comando da Aeronáutica, subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), responsável pela execução de todas as atividades operacionais e técnicas relacionadas ao controle aéreo de uma região correspondente a 5,2 milhões de km2.

Essa área, que compreende mais da metade do espaço aéreo sobre o Brasil, é delimitada a oeste por uma extensa faixa de de fronteira internacional e abrange os estados do Amazonas, Pará, Roraima, Amapá, Rondônia, Acre além de porções do Mato Grosso, Tocantins e Maranhão.

Sediado em Manaus, no coração da Amazônia, cabe ao CINDACTA IV garantir a segurança, fluidez e regularidade da circulação aérea geral e as operações relativas à defesa aérea do Norte do país.

Absorvendo cerca de 300 mil movimentos aéreos por ano, a unidade incorpora um complexo de atribuições estratégicas que se revelam nos serviços prestados aos usuários, como: Controle de Tráfego Aéreo, Meteorologia Aeronáutica, Informações Aeronáuticas, Telecomunicações Aeronáuticas, Informações de Voo e Alerta, Navegação Aérea e Busca e Salvamento.

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL


Polícia Federal, Força Aérea Brasileira, Adidância da Polícia Federal na Guiana e a CTIU do Suriname realizaram operação internacional de enfrentamento ao tráfico de drogas

Nesta ação conjunta, após trocas de informações interagências, as forças de segurança do Suriname apreenderam 490 kg de cocaína

Comunicação Social Da Polícia Federal | Publicada em 15/06/2021 13:28

Na segunda-feira (14/6), a Polícia Federal, Força Aérea Brasileira, Adidância da Polícia Federal na Guiana e a CTIU do Suriname realizaram uma operação internacional de enfrentamento ao tráfico de drogas pelo modal aéreo.

Nesta ação conjunta, após trocas de informações interagências, as forças de segurança do Suriname lograram êxito em apreender, na região de Kaaimangrasi/Suriname, 490 kg de cocaína, abandonados na pista de pouso clandestina, e uma aeronave EMB 810D “SENECA”, queimada.

A operação foi deflagrada com o objetivo de combater organização criminosa envolvida com tráfico internacional de drogas realizado por via aérea.

Essa atividade faz parte de esforço conjunto e integrado das forças envolvidas para a repressão a voos ilícitos de pequenas aeronaves carregadas com drogas oriundas dos países produtores vizinhos. Diligências continuam para desarticulação de toda organização criminosa.

PORTAL AEROFLAP


Filhote de peixe-boi é transportado pela FAB no nordeste


Agência Força Aérea Brasileira | Publicada em 15/06/2021

Na última sexta-feira (11), a Força Aérea Brasileira, através do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA) realizou o transporte de um filhote de peixe-boi de São Luís (MA) para Natal (RN). O animal, que segundo a FAB está em extinção, foi resgatado na localidade Guarapiranga, no município de São José de Ribamar (MA), no dia 25 de abril. 

A FAB empregou uma aeronave C-98A Caravan no transporte do animal em aproveitamento à uma missão. O Diretor do CLA, Coronel Aviador Marcello Corrêa de Souza, enfatizou a importância do apoio no translado aéreo. “Contribuimos para a preservação da vida do animal, cuja a espécie está em extinção. Atentamos para a preocupação de toda a equipe de profissionais envolvidos e da tripulação, para garantir o bem estar do animal durante o transporte.”

O filhote de peixe-boi ficou aos cuidados da bióloga Laura Moreira de Andrade Reis e da veterinária Fernanda Loffler Niemeyer Attademo, ambas do ICMBio/MA, que possibilitaram as condições mínimas necessárias para que ele estivesse apto para o transporte.

A veterinária Fernanda acompanhou o animal até a cidade de Natal, garantindo que os protocolos de segurança para a saúde do mamífero fossem preservados até o destino final. “Foi adaptado um suporte na aeronave para receber o filhote de peixe-boi, possibilitando que o mesmo recebesse hidratação durante o translado”, explicou.

Por volta das 11h58 (horário de Brasília), a aeronave pousou na Base Aérea de Natal, sendo recebido pela equipe do ICMBio local. O animal será estabilizado por 24 horas na base do Projeto Cetáceos da Costa Branca da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (PCCB/UERN).

Após esse procedimento, o peixe-boi será transportado, por meio terrestre, até a Ilha de Itamaracá (PE), para ser reabilitado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio/CMA). Posteriomente, o filhote integrará o Programa de Soltura de Peixes-bois Marinhos do Brasil, retornando à natureza e contribuindo para a conservação do País. 

Em maio, a FAB realizou o transporte de uma harpia e seis macacos de três espécies diferentes, empregando uma aeronave C-130M Hércules na operação.

FAB transportou cinco pacientes de Campo Grande para São Paulo entre domingo e segunda


Gabriel Centeno | Publicada em 15/06/2021

Nos dias 13 e 14 desta semana, o Esquadrão Onça (1º/15º GAv) da Força Aérea Brasileira realizou o transporte de cinco pacientes com Covid-19 de Campo Grande (MS) para São Paulo (SP), empregando aeronaves Casa C-105 Amazonas nas operações. Foram dois enfermos no domingo e três na segunda-feira. 

Segundo a Secretaria de Estado de Saúde do Mato Grosso do Sul, 34 pacientes já foram transferidos pela FAB, sendo 27 para São Paulo e sete para Porto Velho (RO). Destes, quatro acabaram por vir a óbito: uma paciente de 52 anos de Dourados faleceu no dia 07 em Porto Velho; um homem de 53 anos do município de Maracaju morreu no dia 08 no Estado de São Paulo; a terceira morte é um homem de 66 anos que integrava o grupo de cinco pacientes que foram transferidos para São Paulo também no dia 08; o quarto óbito é de um homem de 76 anos de Campo Grande que havia sido transferido com Covid-19 para o Hospital Geral Vila Penteado em São Paulo.

A Secretaria também informa que uma paciente de 29 anos que estava internada em Porto Velho desde 4 de junho retornou para a cidade de Dourados em 11 de junho. 

Por conta do colapso do sistema de saúde do Estado da Região Centro-Oeste, o Esquadrão Onça está realizado a transferência de pacientes desde o dia 04 de junho. A unidade tem como sede a Ala 5, em Campo Grande. 

Os voos fazem parte da Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa. Durante a crise no Amazonas, a FAB empregou aeronaves Embraer C-99 do Esquadrão Condor (1º/2º GT), transportando múltiplos enfermos de Manaus para outras localidades. 

MINISTÉRIO DA DEFESA


Capacitação prepara instrutores para uso do Sistema de Planejamento Operacional Militar (SIPLOM)


Da Redação | Publicada em 15/06/2021 10:39

Rio de Janeiro (RJ), 14/06/2021 – A atualização de conhecimentos e a padronização de procedimentos para o emprego do Sistema de Planejamento Operacional Militar, o SIPLOM, contemplaram as atividades do 1º Estágio de Capacitação de Instrutores das Escolas de Altos Estudos Militares para Emprego desse Sistema. A cargo da Chefia de Operações Conjuntas do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas do Ministério da Defesa, a capacitação ocorreu de 7 a 11 de junho e contou com a participação de Oficiais instrutores da Escola de Guerra Naval (EGN), da Escola de Comando e Estado-Maior do Exército (ECEME) e da Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR).

O evento, conduzido pela Subchefia de Comando e Controle do Ministério da Defesa, propiciou condições necessárias para que os Corpos Docentes das Escolas de Altos Estudos Militares atuem como núcleos multiplicadores dos conhecimentos referentes à utilização do SIPLOM. A capacitação também assegurou conhecimentos necessários para que os instrutores utilizem o Sistema em favor das disciplinas relacionadas às Operações Conjuntas, nos correspondentes cursos de altos estudos.

O Estágio foi sediado nas dependências da ECEME e contou com o apoio do Centro de Análises de Sistemas Navais (CASNAV). Esse Centro é responsável pelo desenvolvimento do Sistema e deu início ao conjunto de medidas para a sua divulgação no âmbito do Ministério da Defesa e das Forças Singulares.

OUTRAS MÍDIAS


CAVOK – Há quatro anos, o primeiro Gripen E realizava seu voo inaugural


Fernando Valduga | Publicada em 15/06/2021 21:14

Hoje faz exatos quatro anos que o primeiro Gripen E decolou para seu voo inaugural, em Linköping, junto a sede da fabricante Saab.

O protótipo 39-8 do caça Gripen E decolou às 10h32 (hora local) para seu primeiro voo, poucos dias antes da abertura do Paris Air Show 2017, que começou no dia 19 de junho.

O voo durou no total 40 minutos e serviu para testar uma série de componentes da aeronave, inclusive o trem de pouso, que geralmente não é acionado durante o primeiro voo.

O piloto de testes da Saab, Marcus Wandt, responsável também por pilotar o Gripen E neste primeiro voo, relatou que “o desempenho da aeronave foi como o esperado, e já ensaiado no simulador”.

Três anos antes, em outubro de 2014, o Brasil assinava um contrato de US$ 5,4 bilhões para a compra de 36 caças Gripen E/F, dentro do programa F-X2.

O primeiro caça brasileiro Gripen E completou seu voo inaugural do campo de aviação da Saab em Linköping, na Suécia, em 26 de agosto, durando 65 minutos.

Com o número de série 39-6001, o primeiro Gripen E brasileiro tinha nos controles o piloto de testes da Saab, Richard Ljungberg.

Este mês a Saab deve entregar seis aeronaves Gripen E, sendo quatro para Força Aérea Brasileira e dois para administração de material de defesa da Suécia.

CAVOK – VÍDEO: Entenda como funciona o reabastecimento em voo no Gripen

Neste vídeo você poderá conferir mais sobre as missões de reabastecimento em voo do Gripen e como esse sistema fará com que o caça alcance qualquer ponto do território brasileiro, além de cumprir com outros requisitos primordiais da Força Aérea Brasileira.

Diego Alves | Publicada em 15/06/2021 17:00

Em um país com dimensões continentais como o Brasil, com mais de 8 milhões km² de territórios, o reabastecimento em voo (REVO) é praticamente obrigatório.

Isso porque o REVO aumenta, de maneira significativa, a distância e o tempo de voo de uma aeronave. Um relatório publicado pela Força Aérea Sueca explica como isso acontece.

O REVO é uma atividade que requer paciência, eficiência e precisão das partes envolvidas. Em primeiro lugar, é necessário um local de eficiência tática para que aeronave de reabastecimento conduza a de caça. Depois, a aeronave envolvida deve manter a proximidade, já que tudo é coordenado através de comandos que respeitam as regras e os procedimentos estabelecidos internacionalmente.

Durante a missão, o responsável por todas as ações e a coordenação com o controle de tráfego aéreo é um dos pilotos da aeronave de reabastecimento. No momento do REVO, a aeronave abastecedora solta uma sonda com uma cesta na sua ponta para conectar-se ao probe, que é a haste que recebe o combustível. Quando o piloto do caça aproxima e conecta o probe na cesta, roletes móveis prendem por pressão ambos os mecanismos.

“A partir do momento que é realizado o reabastecimento da aeronave em voo, você tem a aeronave disponível por mais tempo, minimizando assim o tempo de exposição dessa aeronave no solo e atingindo a distância que você almejava”, explicou o Major Aviador Ramon Fórneas, chefe da Seção de Avaliação e Doutrina da Ala 2.

No Brasil, o par Gripen e Embraer KC-390 Millennium será de crucial importância para a Força Aérea Brasileira (FAB). Através das missões de reabastecimento em voo, o Gripen terá a capacidade de alcançar qualquer ponto do território nacional, bem como terá um incremento na sua capacidade de permanência em combate, sem a necessidade de incluir outras aeronaves para cobrir o espaço aéreo.