NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL R7


CONHECIMENTO CIENTÍFICO - Santos Dumont, quem foi? Vida e principais invenções do Pai da Aviação

Santos Dumont é considerado o “Pai da Aviação”. Além disso, foi um grande inventor e idealizador brasileiro, um dos precursores do avião.

Publicada em 19/11/2019 10:30

Quem nunca se impressionou com os imensos aviões que sobrevoam o céu? Ou com os enormes balões movido a ar quente? Pois bem, essas são só algumas das invenções criadas pelo mineiro Alberto Santos Dumont. Nesse sentido, Santos Dumont é conhecido como Pai da Aviação.

Assim, foi o primeiro homem a realizar um voo dentro de um avião a motor. Além disso, suas invenções são consideradas por muitos orgulho nacional. Dessa forma, Dumont é considerado um dos principais nomes da história brasileira.

Em síntese, Santos Dumont foi muito importante para a aviação e seu desenvolvimento. Além disso, também se dedicou a diversas outras criações que são utilizadas até hoje pela humanidade, como o relógio de pulso, o chuveiro de água quente e o motor portátil.

História de Santos Dumont

Santos Dumont é do estado de Minas Gerais, nascido na cidade de Palmira, no dia 20 de julho de 1873. Em síntese, ele era um garoto que tinha interesse por máquinas e como funcionava o processo de construção de cada uma. Filho de Henrique Dumont e Francisca de Paula Santos Dumont, vivia na fazenda com a família, em Ribeirão Preto.

Nesse sentido, sua diversão estava em construir pequenos aeroplanos movidos a hélice. Por incrível que pareça, Dumont começou a dirigir as locomotivas aos 7 anos de idade. Assim, com apenas 12 anos já era considerado um maquinista engenhoso.

Em síntese, todo o deslumbre com a aeronáutica aumentou quando Dumont se aventurava nas obras de Julio Verne. Assim, ele lia as histórias sobre viagens em submarinos e aventuras em balões. Dessa forma, o interesse em saber mais sobre os avanços aéreos o impulsionava a querer conhecer a França, país em que a maior parte do desenvolvimento aeronáutico acontecia.

Dessa forma, todos os estudos e vontades de Dumont eram incentivados pelo pai. Assim, começou a estudar mecânica e com 18 anos foi à Inglaterra. Logo, o intuito era aprender inglês. Em seguida, Dumont seguiu viagem para a França e sua admiração pelas alturas aumentou ainda mais ao escalar o Monte Branco.

Depois disso, o pai de Dumont lhe concedeu a emancipação e ele pode se dedicar aos estudos do automobilismo, aos estudos de ciências, engenharia, mecânica, eletricidade e aeronáutica na França. Em seguida, com a morte de seu pai, Dumont, com apenas 24 anos, retornou à França para se dedicar aos estudos do balonismo.

Santos Dumont e as máquinas de voar

Uma das primeiras criações do mineiro Dumont foi o balão “Brésil” (“Brasil”, em francês), inflado com hidrogênio. Dessa forma, esse foi o menor balão criado até aquela época. Além disso, ele se diferenciava já que não era movido à ar quente.

Em seguida, veio o dirigível N-1. Nesse sentido, o N-1 foi o primeiro balão movido à motor da história. Entretanto, Dumont não obteve sucesso com a criação do primeiro dirigível.

Porém, apesar de todo o preparo para que a operação fosse um sucesso, o balão, após o lançamento, subiu, mas não durou muito tempo nos ares. Entretanto, depois de algumas manobras que foram idealizadas, o balão caiu a uma de distância de 400 metros do chão.

Assim, como forma de aprimorar e reparar os detalhes que ficaram à desejar na primeira criação, Dumont investiu na criação do dirigível N-2. Porém, o dirigível também caiu durante a fase de testes. Dessa forma, Dumont cria o N-3 e assim, conseguiu contornar a Torre Eiffel. Logo, conseguiu aterrizar com o N-3 no mesmo local em que o N-1 havia caído.

ejamento, a estreia do voo foi feita. Isso porque, as coisas não ocorreram como deveriam na data marcada para o lançamento e o evento teve que ser adiado.

O Prêmio Deutsch

A vontade de sempre melhorar o fez participar de um prêmio que foi criado em 1900, o prêmio Deutsch. Nesse sentido, venceria o prêmio quem inventasse um dirigível que fosse capaz de contornar a Torre Eiffel em menos de trinta minutos.

Assim, Santos Dumont começou a investir em outros modelos de dirigíveis com o intuito de melhorar a velocidade de suas invenções. Dessa forma, criou os dirigíveis N-4, N-5 e N-6. Logo, Dumont venceu o prêmio Deutsch com sua última invenção e arrecadou um total de 129 mil francos.

A partir desse feito, Santos Dumont foi merecidamente reconhecido como o maior aeronauta do mundo por ter inventado o dirigível. Além disso, o presidente do Brasil o homenageou, Dumont recebeu convites vindos dos Estados Unidos e outros países.

O começo da grande criação

Após ter vencido o prêmio Deutsch, Santos Dumont estava de olho em outros prêmios que circulavam na França de 1904. Assim, três prêmios estavam em vigor, sendo eles o Prêmio Archdeacon, o Prêmio do Aeroclube da França e o Prêmio Deutsch-Archdeacon. Dessa forma, o que mais interessava Dumont era o Prêmio Deutsch-Archdeacon.

O interesse era maior devido à dificuldade e ao prêmio em dinheiro, no valor de 50.000 francos, concedido ao ganhador. Assim, quem inventasse uma aeronave que voasse 1.000 metros em circuito fechado seria o campeão. Dessa forma, a aeronave não poderia ter o auxílio de balões e nem de catapultas para a decolagem.

Em seguida, Dumont deu início à sua maior criação, o 14-Bis. Assim, o 14-Bis também era reconhecido como “Oiseau de Proie” (“Ave de Rapina”, em francês). Nesse sentido, a criação foi inspirada num molde inventado há 100 anos por George Cayley, cientista inglês. Assim, com o exemplo, Dumont conseguiu produzir uma espécie de aeroplano híbrido. Ou seja, a ideia era a junção de um avião junto à um balão de hidrogênio.

14-bis, a ave de rapina

Entretanto, a primeira versão criada por Santos Dumont foi descartada. Isso porque, os amigos de Dumont e o próprio aviador consideravam a versão impura. Porém, a insatisfação com a primeira versão fez com o que Dumont focasse em uma versão em que o uso de balões para sustentar a aeronave não fosse necessário.

Nesse sentido, foi criado o 14-Bis com 10 metros de comprimento, 4 metros de altura e 12 metros de envergadura. Além disso, atingia 30km/h, pesava 205 quilos, possuía as asas fixas a uma viga e o motor era de 24 cavalos. Um ponto interessante é que o piloto conduzia a aeronave em pé.

Dessa forma, no dia 23 de outubro de 1906 no campo de Bagatelle, em Paris, Dumont realizou o lançamento do 14-Bis para um público de 1.000 pessoas e na presença da Comissão Oficial do Aeroclube da França. Assim, a criação de Santos Dumont conseguiu percorrer 60 metros em 7 segundos, a uma altura de 3 metros. Foi após vencer o grande prêmio que almejava que Santos Dumont ficou conhecido como o Pai da Aviação.

Além dos ares, outras invenções

Santos Dumont possuía outras habilidades além da criação de aeroplanos. Nesse sentido, como havia criado vários modelos de máquinas voadoras, Dumont construiu, em 1900, o primeiro hangar – construção semelhante a um galpão destinada a abrigar materiais e mercadorias diversas. Além disso, criou portões com rolamentos para facilitar a movimentação e o deslocamento das aeronaves.

Além disso, Dumont também fez parte da criação, junto com o amigo Louis Cartier, do primeiro relógio de pulso. Assim, a criação servia para controlar o tempo dos vôos dos aeroplanos que Dumont criava.

Por último, também inventou o primeiro chuveiro de água quente. Assim, foi no chalé em que vivia em Petrópolis que a ideia surgiu. Logo, a invenção tinha efeito com o uso de um balde perfurado e dividido ao meio, que levava água quente de um lado e fria do outro.

A guerra e o fim de um sonho

Ao criar as esplendorosas aeronaves, Santos Dumont não imaginava que um dia poderiam ser usadas para causar destruição. Assim, com a chegada da I Guerra Mundial em 1914, Dumont viu suas invenções sendo usadas para combates violentos durante os conflitos.

Dessa forma, um pouco antes da guerra, Dumont já havia se aposentado por conta de uma doença que o impedia de continuar com as invenções, a esclerose múltipla. Assim, não sentia que poderia competir com os novos inventores que surgiam. Nesse sentido, a astronomia passou a ser o ramo de estudos de Dumont.

Em depressão e totalmente desmotivado em ver suas invenções sendo usadas para a destruição, Dumont pediu à Liga das Nações para que os aviões não fossem usados como armas de guerra. Além disso, o Pai da Aviação chegou a oferecer 10 mil francos para que parassem os desastres aéreos.

Por fim, Dumont passou por diversos centros de saúde na Europa e já muito debilitado, retornou ao Brasil com seu sobrinho. Por consequência da depressão e da doença que sofria, Santos Dumont suicidou-se no quarto do Grand Hôtel La Plage, no Guarujá, onde vivia. Assim, o Pai da Aviação se foi aos 59 anos de idade, em 1932.

Santos Dumont e as homenagens

Em síntese, Santos Dumont foi reconhecidamente um inventor genial. Assim, muitas de suas criações fazem parte da vida de pessoas todos os dias ao redor do mundo. Além disso, ele foi o pioneiro da aviação e um amante das alturas.

Assim, como forma de homenagear o ilustre inventor brasileiro, alguns lugares fizeram estátuas em sua honra. Dessa forma, podemos citar a estátua do campo de Bagatelle, local onde Dumont realizou o primeiro voo com sua maior criação, o 14-bis. Além disso, a cidade onde nasceu, em Palmeira, agora possuí seu nome e o governo brasileiro o declarou herói nacional, em 2006. Além disso, ruas e praças foram batizadas com seu nome nas cidades do Brasil. Logo, o primeiro aeroporto do Rio de Janeiro também o homenageou com o nome, Aeroporto Internacional Santos Dumont. Por fim, o chalé que existe em Petrópolis agora é um museu e abriga suas principais invenções, sendo expostas ao público.

PORTAL DEFENSA.COM (Espanha)


El KC-390 estrella del Dubai Air Show pasa por Canarias


Julio Maíz Sanz | Publicada em 20/11/2019 07:46

El primero de los aparatos de transporte militar de la firma Embraer entregado a la Força Aérea Brasileira (FAB), ha pasado por el aeropuerto de Gran Canaria, camino de Dubai, donde llegaba tras otra escala en Malta, para convertirse en una de las principales atracciones del evento.

El aparato, matriculado FAB 2853, está participando en el salón aeronáutico que tiene lugar en la ciudad de los Emiratos Árabes Unidos entre los días 17 y 21 de noviembre.  Destaca el apoyo que da la FAB a esta iniciativa de presentación comercial del aparato de la empresa brasileña Embraer en el mercado de Oriente Medio, aportando el citado aparato que recibió el pasado 4 de septiembre de este año y su tripulación.

Como en la ocasión en que uno de los prototipos del KC-390 participó en el París Air Show de 2017, se ha elegido el aeropuerto de Gran Canaria para realizar una escala para repostar durante el siempre complejo salto del Atlántico, como ya informó defensa.com. Curiosamente en sendas ocasiones se han utilizado para repostar las instalaciones aeroportuarias civiles, y no las militares de la anexa base aérea de Gando del Ejército del Aire español. Igualmente se espera que el avión de transporte táctico vuelva a pasar por el archipiélago canario a final de mes, tras finalizar su participación en el Dubai Air Show, camino de vuelta a la base aérea de Anápolis en Goiás, sede del Primer Grupo de Transporte de Tropas (1er GTT) de la FAB que encuadrará los 28 encargados en 2014.

Actualmente además de los aparatos encargados por la FAB, el otro cliente en firme del KC-390 es Portugal, que ha pedido 5 unidades, su apoyo logístico y un sistema de simulación de vuelo, como ya informó defensa.com. En ambos casos los modernos aparatos de Embraer permitirán dar de baja sus flotas de aparatos Lockheed Martin C-130H Hercules, una decena en el caso de la FAB y 5 en el caso de la Força Aérea Portuguesa (FAP). (Julio Maíz Sanz).

JORNAL DO SENADO


Programa espacial brasileiro e o acordo com os EUA


Publicada em 19/11/2019 19:00

O Brasil firmou acordo com os Estados Unidos para uso do Centro Espacial de Alcântara, a base de lançamento de foguetes e satélites mais bem localizada do mundo devido à proximidade com a linha do equador. O astronauta Marcos Pontes, ministro da Ciência e Tecnologia, explica as vantagens do acordo.

RADIO AGENCIA NACIONAL


Militares embarcam no Rio de Janeiro rumo à Roraima para integrar Operação Acolhida


Cynthia Cruz | Publicada em 19/11/2019 11:22

Aproximadamente 70 militares da área do Comando Militar do Leste embarcam do Rio de Janeiro para Roraima nesta quarta-feira (20), para contribuir com a Força-Tarefa Logística Humanitária da Operação Acolhida.

Este é o primeiro grupo de oito que serão transportados pela Força Aérea Brasileira para formar o Sétimo Contingente da Operação no Norte do país.

Os cerca de 600 integrantes do Exército passaram por duas semanas intensivas de preparação para atuarem na operação humanitária que acolhe e interioriza refugiados venezuelanos na área de fronteira do estado de Roraima e na cidade de Manaus.

Esse processo de interiorização permite que essas pessoas possam viver em outros estados brasileiros, com o apoio do governo federal. 

Os integrantes do Exército irão atuar em conjunto com militares da Marinha e da Força Aérea Brasileira, com integrantes de Ministérios do Governo Federal, do ACNUR - Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados, de Organizações Não Governamentais, além de agências civis, secretarias estaduais e municipais, entre outros, sob coordenação do Ministério da Defesa.

A Operação Acolhida começou no dia 21 de março de 2018, nas cidades de Boa Vista e Pacaraima, fronteira com a Venezuela, com o objetivo de receber imigrantes em situação de vulnerabilidade, provocada pela crise humanitária, naquele país. Até o momento, foram acolhidos mais de 14 mil refugiados em abrigos.

Só na capital de Roraima foram instalados 11 abrigos com capacidade para seis mil pessoas.

Recentemente, Manaus também recebeu um posto de triagem para facilitar a interiorização dos refugiados para outras cidades brasileiras.

OUTRAS MÍDIAS


TECNOLOGIA E DEFESA - Embraer C390 Millennium recebe o Laureate Awards na categoria “Best New Product” (Aviation Week Network)


Roberto Caiafa | Publicada em 19/11/2019 15:04

O Embraer C390 Millennium recebeu o Laureate Awards na categoria “Best New Product”, por ser a maior e mais sofisticada aeronave de defesa já produzida pela Embraer. O prêmio reconhece conquistas extraordinárias no cenário global aeroespacial.

A Aviation Week Network anunciou os vencedores do seu 63º Prêmio Laureate, honrando conquistas extraordinárias na arena aeroespacial global.

Os vencedores do Laureate Awards 2020 serão homenageados em 12 de março de 2020 no National Building Museum em Washington, DC, onde um Grand Laureate em cada uma das quatro categorias será nomeado dentre os vencedores.

“Esses vencedores, selecionados pelos editores da Aviation Week Network que revisaram dezenas de indicações, incorporam o espírito de exploração, inovação e visão que inspirará outras pessoas a se esforçarem por um amplo progresso na aviação, aeroespacial e defesa”, disse o Editor-chefe de Aviation Week & Space Technology, Joseph C. Anselmo. “Estamos ansiosos para honrá-los e anunciar os vencedores do Grand Laureate em março.”

As categorias de prêmios são Aviação Executiva, Aviação Comercial, Defesa e Espaço.
Além disso, a Semana da Aviação concederá o Prêmio Philip J. Klass de Realização ao Longo da Vida.

Quatro cadetes novatos das academias militares dos EUA serão reconhecidos como Líderes do Amanhã, homenageando jovens homens e mulheres que escolheram carreiras nas forças armadas.

Além do Prêmio Laureate, a Semana da Aviação reconhecerá os “20 Anos 20” em parceria com o Instituto Americano de Aeronáutica e Astronáutica (AIAA).

Este programa reconhece as realizações e a motivação de 20 estudantes de ciências, tecnologia, engenharia e matemática na faixa dos 20 anos e atualmente matriculados em um programa de mestrado ou bacharelado.

A Embraer venceu na categoria Melhor Novo Produto – Embraer C-390 Millennium – O primeiro avião-tanque / transporte C-390 Millennium, o maior e mais sofisticado avião já desenvolvido pela Embraer, foi entregue à Força Aérea Brasileira em 2019.