NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Com policiais parados, Réveillon no RN terá segurança de forças federais e PMs em curso


Carlos Madeiro Publicado Em 31/12 - 04h00

Com a maioria dos policiais militares se negando a deixar os quartéis para patrulhamento, o governo do Rio Grande do Norte vai usar 270 cabos que começaram na sexta-feira (29) o curso de formação de sargentos para garantir a segurança nos principais pontos de festa do Réveillon. Além disso, o Estado conta com homens das Forças Armadas e Nacional de Segurança Pública.

O Rio Grande do Norte vive uma crise de segurança pública. Os policiais militares entraram neste domingo (1º) no 13º dia de aquartelamento para reivindicar melhores condições de trabalho e pagamento de salários atrasados. Desde lá, o Estado tem vivido um rotina de assaltos, mortes e arrastões.

Segundo o comandante da PM (Polícia Militar) do Rio Grande do Norte, coronel José Osmar Maciel de Oliveira, o efetivo será usado em vários locais onde há rotineira concentração de pessoas e realização de festas no Estado. "Nós estamos com essa tropa de 270 homens distribuído em pólos como Caicó, Natal, Mossoró, São Miguel do Gostoso, Nova Cruz. Estamos contando com esse efetivo", afirmou.

Além dos policiais, o patrulhamento das ruas para evitar novos arrombamentos e roubos será feito por homens da 190 homens da Força Nacional de Segurança Pública e 2.800 das Forças Armadas -- esses últimos que chegaram nos dias de sexta e sábado. Esses homens, porém, devem ficar espalhados para substituir o efetivo que garantiria a segurança normal e atenderia as ocorrências e chamados da população.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, chegou em Natal na manhã do sábado e informou que decidiu passar a virada do ano em Natal para acompanhar o trabalho da tropa. De acordo com o ministro, as Forças armadas ficarão no Estado por ao menos por 15 dias.

Com o aquartelamento dos policiais, a Secretaria e Segurança Pública e Defesa Social adiou o início da tradicional operação Verão, que visa dar segurança aos turistas que lotam as praias potiguares no final de dezembro e janeiro.

"Nos outros anos, sem crise, a gente já iniciava essa operação a partir do dia 30, envolvendo o Réveillon. Mas hoje estamos numa situação diferente, e optamos por garantir primeiro o Réveillon. Pedimos reforço também da Força Nacional e já conseguimos renovar por mais seis meses", explicou a secretária Sheila Freitas.

Segundo a secretária, nem todos os policiais militares e civis aderiram à paralisação, mas ela não soube informar qual efetivo estava indo às ruas.

Viagens suspensas

Mesmo com a promessa de reforço, o clima de medo afasta turistas. Na noite dessa sexta-feira (29), a jornalista Shirley Nascimento, 39, foi até a rodoviária de Maceió cancelar a passagem que tinha marcada para Natal, onde passaria Réveillon com a família.

"Meu tio me ligou e disse que achava melhor que não fosse. Tive que vir cancelar duas passagens, a primeira de Maceió ao Recife, e a outra do Recife até Natal", explicou, citando que iria ficar até terça-feira (2) em Nísia Floresta, na Grande Natal.

"Lá já estava complicado antes da greve. Fui visitar meu avô no hospital há dois meses, e quando voltei meu carro estava arrombada. O sítio onde meus avós moravam foi roubado duas vezes. Se estava assim com polícia, imagina agora?", questionou.

Em Parnamirim, também na Grande Natal, a prefeitura decidiu cancelar os shows e a tradicional queima de fogos na praia de Pirangi.

Segundo a seccional potiguar da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis), a expectativa é que quase todos os hotéis estejam lotados para a virada do ano nos principais polos turísticos, como Natal e a praia de Pipa, em Tibau do Sul.

Até a quinta-feira (28), a entidade informou que três pacotes foram cancelados por visitantes para a virada do ano.

Pedido de recursos

O governo do Rio Grande do Norte afirma que enfrenta uma grave crise financeira e por isso atrasa salários de policiais e servidores. O Estado pediu ajuda ao governo federal para pagar débitos com servidores. O valor pedido para aliviar os cofres e pagar o salário de novembro dos servidores que ganham acima de R$ 2.000 e o 13º salário do funcionalismo foi de R$ 600 milhões.

Na segunda-feira (25), o Ministério da Fazenda informou que, com base em decisão do TCU (Tribunal de Contas da União), negou o repasse que tinha sido acordado entre os governos.

Na terça-feira (26), o governo do Rio Grande do Norte protocolou no Ministério da Fazenda um Recurso Hierárquico Próprio --que é dirigido diretamente ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. O governo defende a edição de uma MP (Medida Provisória) que prestaria auxílio financeiro ao Estado.

O documento pede que o governo federal "reforme a decisão, afastando todo e qualquer impedimento ao trâmite administrativo da Medida Provisória a ser editada em socorro ao Rio Grande do Norte". Ainda não há posição oficial sobre esse recurso.

 

REVISTA VEJA


Com greve de policiais, RN tem 87 homicídios em 11 dias

Em dia mais violento desde a paralisação, 17 pessoas foram assassinadas. Entre elas, um idoso de 66 anos, vítima de latrocínio

Publicado Em 31/12 - 22h11

Em 12 dias de paralisação dos trabalhos de policiais civis e militares no Rio Grande do Norte, a média diária de homicídios subiu de 4,83 para 7,25. Do dia 19 de dezembro até este sábado, 30, o número de crimes violentos letais intencionais (categoria que engloba casos de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte) chegou a 87 — aumento de 40,32% em comparação com o mesmo período do ano passado. Os dados são do Observatório da Violência Letal Intencional (Obvio/RN). A Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social (Sesed/RN) não divulgou dados sobre homicídios até o momento.

O dia mais violento registrado pelo Obvio/RN foi esta sexta-feira, 29. Em todo o Estado, 17 pessoas foram assassinadas incluindo um idoso de 66 anos, vítima de latrocínio na zona Oeste de Natal. “É preciso estudar o problema macro, as Forças Armadas nas ruas inibirão roubos e furtos nas áreas de atuação, mas os expulsarão para as áreas sensíveis e sem sua presença massiva. Contudo, o combate aos homicídios necessita de ação de investigação”, avalia Ivênio Hermes, pesquisador do Obvio/RN.

Neste sábado, 30, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, lançou em Natal a “Operação Potiguar III”. Ele anunciou o reforço no policiamento ostensivo com 2.800 homens do Exército, Marinha e Aeronáutica. Destes, 2.500 se distribuirão em Natal e região metropolitana e 300 irão para Mossoró, a segunda maior cidade do estado, na região oeste. Jungmann criticou os policiais que estão fora do serviço e destacou que todas as medidas para reduzir os índices de criminalidade serão adotadas.

“A operação terá duração inicial prevista de 15 dias, podendo ser prorrogada ou não, visando restabelecer a ordem e a segurança. Podemos afirmar que a virada de ano no RN será tranquila, e podemos assegurar também aos turistas que podem vir aproveitar todas as belezas e cultura que o Estado oferece”, disse Jungmann.

Na quinta-feira, 28, um casal de turistas da Argentina foi vítima de assalto na Via Costeira, onde estão localizados os maiores e mais movimentados hotéis da capital. Os bandidos esfaquearam os turistas. O homem teve um dedo amputado e, a mulher, corre o risco de perder o movimento do pescoço. Ambos estão hospitalizados no Pronto Socorro Clóvis Sarinho, em Natal.

Em Pirangi, praia do litoral Sul do estado, a festa de Réveillon promovida pela Prefeitura de Parnamirim foi cancelada por causa da falta de policiais nas ruas. Em São Miguel do Gostoso, no litoral Norte do estado, e onde será realizado um dos eventos mais badalados do Nordeste, criminosos realizaram um arrastão nesta sexta-feira, 29. Turistas e comerciantes foram alvos dos bandidos. Muitos visitantes desistiram da festa em decorrência da falta de segurança.

 

PORTAL G-1


Aeronáutica notifica interdição do Aeroclube da Paraíba por três meses

Notificação foi publicada no site do Serviço de Informação da Aeronáutica. Interdição vale entre 5 de janeiro e 4 de abril.

Por G1 Pb Publicado Em 30/12 - 13h14

ImagemAeronáutica notificou a interdição de pousos e decolagens no Aeroclube da Paraíba, em João Pessoa, por um período de quatro meses a contar a partir de sexta-feira (5). De acordo com a notificação, publicada no site do Serviço de Informação da Aeronáutica na quinta-feira (28), a interdição se deve à presença de obstáculos violando a zona de proteção do aeroclube.

O G1 procurou a diretoria do Aeroclube, que informou que só vai se pronunciar sobre o caso quando for comunicada oficialmente da notificação.

Segundo a notificação, publicada na forma de aviso aos aeronavegantes (NOTAM), o Aeroclube deve ser interditado entre as 0h01 (horário de Brasília) da sexta-feira (5) às 23h59 do dia 4 de abril de 2018.

De acordo com Dema Macedo, presidente da Associação de Moradores do bairro do Bessa, a associação entrou com uma representação na Aeronáutica contra irregularidades no local. Dema explicou que o Aeroclube não apresentou o plano da zona de proteção na data correta e o que foi apresentado ao órgão não está de acordo com a portaria da Aeronáutica.

A associação pede o cumprimento das novas normas estabelecidas pela Aeronáutica por questão de segurança tanto para os pilotos quanto para os moradores. Entre os pedidos está a diminuição do tamanho da pista.

 

AGÊNCIA BRASIL


Rio Grande do Norte passa para o Exército o controle da segurança no estado


Paulo Victor Chagas Publicado Em 30/12 - 15h15

O governo do Rio Grande do Norte transferiu o controle dos órgãos de segurança pública do estado para o Exército. A medida ocorre em meio à paralisação de policiais militares e civis devido ao atraso no pagamento dos salários, e após a autorização do governo federal para uso das Forças Armadas no estado.

Em decreto publicado neste sábado (30) no Diário Oficial do estado, o governador Robinson Faria formaliza o general de brigada Ridauto Lúcio Fernandes como o comandante encarregado das operações militares nas regiões metropolitanas de Natal e de Mossoró, as duas maiores cidades do Rio Grande do Norte. A ação de Garantia da Lei e da Ordem começou sexta-feira (29) e, caso não seja prorrogada, se encerra no dia 12 de janeiro.

Os primeiros 500 integrantes do Exército, da Marinha e da Aeronáutica já estão no estado desde sexta-feira (29), e nas próximas 48 horas mais 1,5 mil militares serão deslocados para o estado.

Desde o último dia 19, membros das polícias militar e civil e do Corpo de Bombeiros paralisaram parcialmente as atividades em protesto contra o atraso no pagamento do décimo terceiro e de salários atrasados.

OUTRAS MÍDIAS


INFOBAE - El gobierno brasileño se opone a ceder el control de Embraer a Boeing

El interés de Boeing por Embraer se verá condicionado por las decisiones que tome el gobierno de Brasil

Publicado Em 30/12

 Imagem
Michel Temer aseguró que le dará la bienvenida a una inyección de capital extranjero pero se opone a ceder el control de Embraer a manos de Boeing

El ministro de Defensa brasileño Raul Jungmann hizo pública su oposición a la venta de la aeronáutica nacional Embraer S.A. al gigante norteamericano Boeing Co, alegando que las operaciones militares del constructor de aviones brasileño no pueden separarse del negocio comercial.

Tanto Boeing como Embraer confirmaron la semana pasada que se encontraban discutiendo "una potencial combinación", dentro de una estrategia de consolidación que reforzaría la posición del poderoso grupo estadounidense como una de las dos firmas, junto con el conglomerado europeo Airbus, que integran el duopolio mundial de la industria de la aviación comercial.

Imagem
La división comercial de Embraer resulta atractiva para Boeing dado que sumaría aeronaves pequeñas y medianas a la cartera de productos para la región, pero expertos aseguran que es la rama de defensa la que imposibilitaría la venta para la firma norteamericana

Pero cualquier tipo de operación de venta deberá contar con la aprobación del gobierno brasileño, algo que expertos aseguran será difícil de conseguir sobre todo luego de que Jungmann se mostrara preocupado por las negociaciones que tuvieron lugar entre ambas firmas, con el absoluto desconocimiento de las autoridades brasileñas.

"Ningún país en el mundo cedería el control sobre una compañía como Embraer", dijo el ministro de Defensa Jungmann. "Posee un núcleo de defensa que resulta inalienable. El momento en el que el control de Embraer pase a otro país, también lo harán las decisiones estratégicas", agregó ante los reporteros presentes en una conferencia que tuvo lugar en Brasilia.

Imagem
El ministro de defensa Raul Jungmann dijo que se encuentra a favor de una posible alianza con Boeing, pero se opone a ceder el control de Embraer por preocupaciones sobre futuras decisiones estratégicas

Jungmann agregó que su ministerio veía con buenos ojos cualquier tipo de acuerdo que mantuviera el control local de la firma, algo sobre lo que tienen la última palabra dado que el gobierno de Temer posee lo que se conoce como el "poder de veto" sobre cualquier movimiento estratégico de Embraer.

El mismo presidente Michel Temer también hizo referencia a la venta y aseguró que se opone a la toma de control de Embraer por parte de Boeing, algo que llegado el caso espera bloquear gracias al poder que le otorgan las acciones privilegiadas del gobierno sobre la empresa aeronáutica de marcado crecimiento a nivel regional.

Imagem
Los mercados reaccionaron favorablemente a los rumores de venta, pero será el gobierno de Temer el que tenga la decisión final

Más allá de la evidente reacción negativa del gobierno ante la posible venta, Temer no dudó en destacar que de cualquier manera Embraer se encuentra abierta a recibir una inyección de capital extranjero. Por su parte, Phil Musser, vicepresidente senior de Boing dijo que la firma se encuentra satisfecha por "la multitud de voces prominentes que se expresaron a favor de la combinación de valor que se crearía para Brasil, Embraer y nuestros clientes".

El gobierno brasileño accedió en los noventa a la privatización de Embraer bajo la condición de mantener sus "acciones de oro", lo que al día de hoy le permite vetar cualquier tipo de cambios significativos en lo que hace a la venta de una firma que cuenta con un incalculable valor estratégico.