NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


TV GLOBO - FANTÁSTICO


Tripulação sabia da falta de combustível, aponta relatório final sobre voo da Chapecoense

Convidado pelo programa, o comandante Raul Francé analisou as conversas entre o piloto e o copiloto que estão no laudo final

Publicado Em 29/04 - 21h32

Uma tragédia anunciada. Esta é a conclusão do relatório final sobre a queda do avião da Chapecoense. Pela internet, o Fantástico conversou com o chefe da investigação e convidou o comandante Raul France para analisar as conversas entre o piloto e copiloto que estão no laudo final.

Matéria completa e vídeo disponível em:  http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2018/04/tripulacao-sabia-da-falta-de-combustivel-aponta-relatorio-final-sobre-voo-da-chapecoense.html

 

PORTAL G1


Avião que caiu e pegou fogo após decolagem em MT tocou em fio de alta tensão, dizem bombeiros

Acidente foi registrado em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, no sábado (28). Duas pessoas que estavam na aeronave morreram, segundo os bombeiros.

Lorena Segala Publicado Em 29/04 - 13h07

A aeronave de pequeno porte que caiu e pegou fogo no sábado (28), em Primavera do Leste, a 239 km de Cuiabá, encostou num fio de alta tensão antes da queda, segundo o Corpo de Bombeiros. Duas pessoas que estavam no avião morreram. As identidades das vítimas não foram divulgadas. O acidente é investigado.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, a aeronave vinha do município de Sorriso, a 420 km de Cuiabá, e havia parado para abastecer. Os passageiros seguiriam viagem para Querência, a 912 km da capital.

Testemunhas do acidente relataram aos bombeiros que o piloto da aeronave tentava fazer uma manobra com o intuito de voltar para a pista.

“Disseram que ele tentou voltar porque a aeronave não tinha atingido velocidade suficiente. Nessa manobra, ele tocou no fio e caiu já de bico”, contou o tenente dos bombeiros, Alan Victor de Farias.

Com a queda, uma das vítimas foi lançada para fora da aeronave e a outra ficou presa aos destroços.

Técnicos do Centro de Investigação do Centro de Investigação e Prevenção de Acidente Aeronáuticos (Cenipa), da Força Aérea Brasileira (FAB) foram enviados ao município e devem ajudar nos trabalhos.

 

JORNAL DCI


Embraer espera alta nas entregas de aviões no ano


Julio Ottoboni Publicado Em 30/04 - 05h08

As entregas da Embraer tanto para a aviação comercial quanto para aviação executiva devem crescer nos próximos meses. A previsão foi feita na última sexta-feira (27) pela empresa, que espera melhorar os resultados obtidos no primeiro trimestre.

A fabricante mantém previsão de entregar de 85 a 95 jatos comerciais e de 105 a 125 jatos executivos no ano.

Nos três primeiros meses do ano foram entregues 14 aeronaves comerciais e 11 executivas, sendo 8 jatos leves e 3 jatos grandes, ante os 18 comerciais e 15 executivas, sendo 11 jatos leves e 4 jatos grandes do no ano anterior.

Segundo a Embraer, geralmente as entregas do primeiro trimestre tendem a ser menores em relação aos demais trimestres do ano, por questão de sazonalidade. No período, a empresa registrou prejuízo de R$ 40 milhões, ante lucro líquido de R$ 168,5 milhões em igual período de 2017, mas espera reverter o resultado ao longo do ano. Nos últimos 10 anos, a Embraer mantém média de 220 a 230 aviões vendidos e entregues por ano.

Conforme novas normas contábeis, os pedidos firmes passaram de US$ 19,2 bilhões no primeiro trimestre de 2017 para US$ 19,5 bilhões. Desde 2008 a companhia vem se mantendo na casa de US$ 6 bilhões de receita. Nesse período surgiu a aviação executiva com maior vigor dentro do mercado, mas diminuíram as entregas de aviões comerciais. Para a Embraer, considerando o cenário de crise que o mercado passou, é um resultado bom. Mas o crescimento estagnou.

Nesses últimos 10 anos foram investidos US$ 5 bilhões no desenvolvimento dos aviões executivos, comerciais e defesas, além de soluções para a área de serviços. O 190-E2 acabou de ser certificado e o KC-390 chega ao mercado no fim do ano.

A empresa anunciou em dezembro que negocia parceria com a Boeing e confirmou que o acordo pode envolver nova companhia para produção de jatos comerciais, excluindo as operações de defesa da empresa brasileira e, talvez, sua unidade de aviões executivos.

 

JORNAL CORREIO DO ESTADO (MS)


"Combate ao tráfico aéreo"


Publicado Em 30/04 - 03h00

Nos últimos dias, tivemos dois episódios relacionados ao tráfico de drogas por via área. Em São Paulo, Rogério Almeida Antunes, piloto de helicóptero, foi detido pela polícia daquele estado, sob suspeita de atuar no transporte de entorpecentes para a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Mais recentemente, na semana passada, avião bimotor foi interceptado pela Força Aérea Brasileira (FAB) no município de Corumbá. O aparelho transportava 500 quilos de cocaína.

No caso do piloto de helicóptero, este já foi preso, em 2013, com 450 quilos de cocaína, em aeronave que pertencia, na época, ao ex-deputado estadual por Minas Gerais Gustavo Perrela. Conforme a polícia do Estado de São Paulo, Antunes era uma espécie de “professor” da escola de aviação do PCC. Ele dava dicas a outros pilotos envolvidos com o tráfico de como levar a droga da Bolívia ou de municípios fronteiriços, como Corumbá, por exemplo, para grandes centros consumidores do Brasil e também para outros continentes.

Por sua vez, a apreensão de 500 quilos de cocaína na semana passada, em pleno Pantanal, demonstra que o tráfego de aviões a serviço do tráfico é cada vez mais intenso e que é necessário reforço e, sobretudo, uma atuação cada vez mais incisiva por parte das autoridades do plano federal. A notícia da interceptação deve ser recebida de maneira positiva. A julgar pelo histórico dos últimos meses, a Polícia Federal e a FAB estão, finalmente, trabalhando em conjunto. A Lei do Abate está em vigor desde 2004, mas só agora que os caças Super Tucano (muitos deles baseados em Campo Grande) estão fazendo o trabalho que lhes cabe: patrulhar o espaço aéreo brasileiro.

Entre os traficantes, é sabido que o transporte de entorpecentes por via área proporciona um risco menor de perda da carga e, conforme informações das polícias, um custo inferior com logística, pois envolve um número mais baixo de pessoas. É preciso que o trabalho da FAB e da Polícia Federal seja intensificado.

Se nas rodovias federais de Mato Grosso do Sul, conforme reportagem publicada no mês passado, o volume de cocaína apreendida é seis vezes maior que o do ano passado, faz sentido deduzir que os 500 quilos que estavam no avião interceptado no Pantanal sejam somente a “ponta” de um iceberg de pó.

O trabalho que está sendo feito no espaço aéreo deveria servir de exemplo para a atuação das autoridades federais responsáveis pela estratégia de combate ao tráfico de entorpecentes nas vias terrestres. Quando isso acontecer, os criminosos que usam Mato Grosso do Sul como rota de escoamento de cocaína receberão um duríssimo golpe.

 

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Força Aérea Brasileira realiza transporte de 230 voluntários para Salvador


Publicado Em 29/04

Na tarde deste sábado (28), o Boeing 767 do Esquadrão Corsário (2º/2º GT), sediado na Ala 11, no Rio de Janeiro (RJ), realizou o transporte de um grupo de 230 voluntários para Salvador (BA). Os passageiros fazem parte da Organização Voluntários do Sertão. O destino final do grupo é a cidade de Santaluz, a 288 quilômetros da capital baiana, onde se juntarão a outros 120 profissionais, totalizando, assim, 350 pessoas.

O objetivo da Organização Voluntários do Sertão é promover assistência social, saúde, segurança alimentar, nutricional e promover o voluntariado com acompanhamento dos indicadores de transformação social. Atualmente, o programa realiza atendimento médico, odontológico, pequenas cirurgias e palestras. A equipe é formada por médicos, dentistas, enfermeiros, psicólogos, cozinheiros, motoristas, auxiliares administrativos, dentre outros.

O grupo é oriundo de várias regiões do Brasil, mas o embarque aconteceu em Campinas e no Rio de Janeiro. Para o Comandante da Aeronave, Major Aviador André Luís Zanchettin, uma missão como essa é sempre gratificante e complementou: “Em algumas regiões brasileiras, o acesso é difícil e essa é uma ferramenta para ser utilizada em prol da população” disse.

O projeto teve início em 2000, pela iniciativa do empresário Doreedson Pereira, conhecido como Dorinho, com a distribuição de brinquedos e cestas básicas em Condeúba, sua cidade natal, no sertão da Bahia. Desde então, já mobilizou cerca de três mil voluntários e realizou mais de 300 mil atendimentos às pessoas carentes.

O empresário falou da importância do apoio da Força Aérea Brasileira (FAB). “É essencial este apoio da FAB porque são pessoas voluntárias, que estão se doando, e nós não teríamos condições de pagar passagens aéreas. Se não tivéssemos esse apoio, viríamos de ônibus e levaríamos entre dois e três dias para chegarmos. Seria muito desgastante para os profissionais. Temos só a agradecer por este apoio que faz benefício a tantas pessoas”, explica Doreedson Pereira.

A cada ano, uma cidade do Sertão do Brasil recebe o atendimento dos voluntários. A médica gastroenterologista Patrícia Marinho Costa de Oliveira participa do projeto desde 2012. Ela explica que se considera “uma pessoa com muitas oportunidades na vida e se sente alegre em poder retribuir, de alguma forma, a um país com tanta desigualdade social”, afirma. Ao ser perguntada sobre o que a faz participar da ação todos os anos, ela diz de maneira emocionada: “Não tem como dizer não. É muito forte”.

Para Marina Stevaux Nascimento, médica dermatologista, que está participando pela primeira vez, trata-se de uma importante experiência de vida. “Espero aprender bastante e ajudar em tudo que tiver ao meu alcance”.

 

MIDIA NEWS (MT) - FAB envia equipe para investigar causas de acidente aéreo

Avião de pequeno porte caiu na tarde deste sábado em Primavera do Leste, deixando dois mortos

Publicado Em 29/04 - 09h30

A Força Aérea Brasileira informou que já enviou investigadores Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa VI) para apurar as causas do acidente aéreo que matou duas pessoas na tarde deste sábado (28) em Primavera do Leste.

O Seripa VI é o órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

Conforme a FAB, os técnicos vão fazer a chamada Ação Inicial da ocorrência envolvendo a aeronave de matrícula PU-JYZ. “A Ação Inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos”, diz a FAB em nota.

Ainda segundo a FAB, a investigação tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram.

O acidente aconteceu por volta das 14 horas, quando o monomotor – que saiu de Sorriso com destino a Querência - havia acabado de decolar, depois de uma parada para abastecimento.

Segundo testemunhas, logo após a decolagem o avião perdeu sustentação e bateu em uma rede de alta tensão, atingindo o chão em seguida.

O avião caiu no pátio do posto de combustíveis Locatelli, no Distrito Industrial de Primavera do Leste.

Até a manhã deste domingo, a Polícia havia confirmado apenas a identidade do piloto. Trata-se de Evandro Bolsolaro, de 35 anos, morador de Sorriso, onde administrava postos de combustível da família.

Seu corpo será velado no salão da Igreja Santa Rita de Cássia, em Sorriso.

A reportagem tentou contato com a Politec de Primavera na manhã deste domingo, mas as chamadas não foram atendidas. A delegacia e o Batalhão da PM na cidade também não tinham a identificação do segundo ocupante.