NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


REDE GLOBO


Esquadrilha da fumaça de Pirassununga doa sangue no hemocentro

Equipe viajou até Ribeirão Preto para fazer doação.

Jornal Da Eptv 1ª Edição - São Carlos/ Araraquara | Publicada em 26/06/2020 13:00

AEROFLAP


Universidade da Força Aérea abre Processo Seletivo para Mestrado e Doutorado


Agência Força Aérea | Publicada em 26/06/2020 11:42

Já estão abertas as inscrições para o Processo Seletivo dos Cursos de Mestrado e de Doutorado do Programa de Pós-Graduação em Ciências Aeroespaciais (PPGCA), ambos na modalidade Profissional, da Universidade Força Aérea (UNIFA). São oferecidas até 23 vagas para o Curso de Mestrado e até dez vagas para o Curso de Doutorado. Os interessados podem realizar a inscrição até o dia 23 de agosto de 2020.

O Programa tem como objetivo capacitar pessoal em áreas de interesse do Comando da Aeronáutica e fomentar pesquisas demandadas pela Instituição, que contribuam para a solução de problemas complexos e questões político-estratégicas relacionadas ao Poder Aeroespacial, com foco na Segurança e na Defesa Nacional.

De acordo com o Chefe da Coordenadoria do PPGCA, Coronel Nelson Augusto Bacellar Gonçalves, esta é a primeira vez que são ofertadas vagas para o Curso de Doutorado sob a aprovação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), do Ministério da Educação. “O Programa nota 4 pela CAPES, em uma escala de 0 a 5, já funciona com o Mestrado Profissional, desde 2012, e está em seu nono Processo Seletivo”, explica. 

Podem participar do Processo Seletivo profissionais (oficiais e civis) que possuam diploma de Graduação (para concorrer ao Mestrado) e de Mestrado (para concorrer ao Doutorado) em qualquer área de conhecimento e que apresentem projetos de pesquisa nas áreas de Ciência Política e Relações Internacionais, Estudos de Defesa Nacional e Segurança Internacional, com ênfase no Poder Aeroespacial.

Processo Seletivo – A seleção será composta por quatro etapas: Análise da Documentação Relativa à Inscrição; Análise e Avaliação do Projeto Preliminar de Pesquisa; Prova de Compreensão em Língua Inglesa; e Entrevista.

Dia da Aviação de Busca e Salvamento- Para que outros possam viver


Agência Força Aérea | Publicada em 26/06/2020 10:05

Um acidente de avião, um naufrágio ou um desastre natural. Não importa a hora ou o local. Salvar vidas é a principal tarefa de uma elite de militares que têm na sua essência a superação dos próprios limites. Pronto para cumprir missões 24 horas por dia, o Segundo Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação – Esquadrão Pelicano (2°/10° GAV), especializado em missões SAR (sigla que se origina do inglês Search and Rescue) e CSAR (SAR em ambiente hostil), comemora o Dia da Aviação de Busca e Salvamento – 26 de junho – com recursos cada vez mais avançados.

Segundo o Comandante do 2°/10° GAV, Tenente-Coronel Aviador Leonardo Machado Guimarães, atualmente, o Esquadrão Pelicano, sediado na Ala 5 – Base Aérea de Campo Grande (MS), conta com vetores aéreos de vanguarda e tripulação cada vez mais capacitada para cumprir missões em toda a área de responsabilidade brasileira (22 milhões de km²). Para isso, utiliza, entre outras, as capacidades do Radar de Busca Sintética, das câmeras com sistema eletro-óptico infravermelho (FLIR, sigla em inglês para Forward Looking Infra-Red) e de óculos de visão noturna nas aeronaves SC-105 Amazonas e H-60L Black Hawk. “Além disso, o Esquadrão destaca-se pela capacidade de realizar missões de Evacuação Aeromédicas (EVAM) e Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea, com o uso, inclusive, de equipamentos de Defesa contra Agentes Químicos, Biológicos, Radiológicos e Nucleares (DQBRN)”, afirma o Tenente-Coronel Machado.

SC-105 SAR: Atuação também em DQBRN

O Esquadrão Pelicano é um dos pioneiros, juntamente com o Instituto de Medicina Aeroespacial Brigadeiro Médico Roberto Teixeira (IMAE), na realização da atividade de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear – DQBRN, na Força Aérea Brasileira, pois possui todos os equipamentos necessários para operar neste cenário. O SC-105 SAR está de alerta 24h por dia, caso haja necessidade de uma Evacuação Aeromédica (EVAM).

“Para que outros possam viver…”

Para ampliar o poder de busca e salvamento do Esquadrão Pelicano, está prevista uma série de novidades até o fim deste ano, como a entrega do terceiro avião SC-105 SAR, FAB 6552, a campanha de Reabastecimento em Voo (REVO) e o curso para pilotos do Esquadrão, na Espanha.

H-60L Black Hawk operacional no 2°/10° GAV

Com a desativação do helicóptero H-1H, após mais de 50 anos de operação na FAB, o Esquadrão Pelicano incorporou em dezembro de 2018, o H-60L Black Hawk. Com um ano e meio de incorporação, a aeronave participou de importantes missões. Uma delas foi a Operação Regresso à Pátria Amada Brasil, ação interministerial realizada em fevereiro deste ano, com objetivo de repatriar os brasileiros que estavam na China, devido ao surto à pandemia do novo Coronavírus.

A aeronave H-60L Black Hawk esteve a postos para fazer o transporte dos envolvidos na Operação, que estavam em quarentena na Ala 2 – Base Aérea de Anápolis (GO), caso algum deles apresentasse sintomas da doença e precisasse ser transportado até o Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília (DF). No ano passado, o H-60L Black Hawk participou da Operação Verde Brasil, que teve por objetivo combater crimes ambientais na Região Amazônica, e atuou em missões de vacinação, nas regiões de Macapá (AP) e Altamira (PA).

A bordo do helicóptero H-36 Caracal, a tripulação do Esquadrão Falcão (1º/8º GAV), sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), cumpriu recentemente a missão de resgate de um jovem que sofreu acidente em um navio estrangeiro que navegava na Costa brasileira. A missão marcou a história da Aviação de Busca e Salvamento e da Força Aérea Brasileira em razão da longa distância que o navio estava, a 470 quilômetros. Para o sucesso de uma missão dessa envergadura, o tempo é fator primordial. De acordo com o Comandante do Esquadrão Falcão, Tenente-Coronel Aviador Délcio Cláudio Santarem Júnior, quanto menor o tempo-resposta – entre a notificação da ocorrência e a entrega da vítima para suporte avançado de vida – maiores serão as chances de sobrevivência e de mitigação de sequelas. “Nesse recente resgate, tivemos vários momentos desafiadores, sendo o principal a necessidade de socorrer a vítima antes do período noturno, o que aumentaria a complexidade do resgate”, lembra.

Busca e Salvamento na FAB

Localizar, socorrer e resgatar. As missões de Busca e Salvamento da FAB acontecem sobre todo o território nacional, no mar territorial e ainda em uma ampla área de águas internacionais do Atlântico. São realizadas por diversos Esquadrões, apoiados pelo SALVAERO e pelo Centro Brasileiro de Controle de Missão (BRMCC), do inglês Brazilian Mission Control Center, por meio dos Centros de Coordenação de Salvamento.

FAB se mobiliza para reconstrução de Aeroporto na Amazônia


Agência Força Aérea | Publicada em 26/06/2020 09:58

Uma equipe da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica (COMARA), da Força Aérea Brasileira, está mobilizada para executar as obras de reconstrução do Aeroporto Regional de Coari, no Amazonas.

O aeroporto, que será adequado à operação de jatos, pretende facilitar a conectividade entre as cidades da região, além de beneficiar a economia local.

Uma balsa, que percorrerá cerca de 400 quilômetros pelo Rio Amazonas, saiu de Manaus (AM) na quarta-feira (24), com previsão de chegada em Coari no dia 1º de julho, levando equipamentos, caminhões e insumos para a primeira etapa das obras.

As ações envolvem a elaboração de estudos e projetos, além da execução de melhorias em diversos aeroportos regionais da Amazônia. Já foram entregues obras realizadas em Oiapoque (AP) e Barcelos (AM), além das melhorias em andamento em Estirão do Equador (AM), Iauaretê (AM) e Oriximiná (PA).

Segundo o Chefe da Divisão de Planejamento e Coordenação da COMARA, Tenente-Coronel Aviador Mário Jorge Siqueira Oliveira, juntamente com o Ministério da Infraestrutura e a Secretaria de Aviação Civil, a mobilização da Comissão de Aeroportos da Região Amazônica visa contribuir para o progresso do Brasil.

“Com a missão de projetar, construir e recuperar aeroportos em regiões inóspitas e de difícil acesso na Amazônia Legal, a COMARA vem contribuindo com a missão da Força Aérea de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional”, destacou.

A mobilização

A mobilização da COMARA para a obra do aeroporto de Coari (AM) iniciou no dia 14 de junho, quando uma aeronave C-105, pertencente ao Primeiro Esquadrão do Nono Grupo de Aviação (1º/9º GAV), Esquadrão Arara, realizou o transporte de sete militares, dois servidores civis e 1600 quilos de carga.

A essa equipe foram integrados mais cinco militares e três servidores civis, que partiram na balsa da COMARA no dia 24 de junho, transportando aproximadamente 450 toneladas de insumos, equipamentos e viaturas que darão início a obra propriamente dita.

Com os investimentos em andamento, será possível ampliar a operação do aeroporto, que poderá receber jatos comerciais de médio porte, como o Embraer 190 E2 e o A319, além de turbo-hélices como o ATR42 e ATR72, comuns na região.

O terminal de Coari, administrado pelo município, chegou a operar em 2008 mais de 70 mil passageiros por ano.

Cronograma

As obras em Coari têm previsão de conclusão em 2023, considerando as etapas de infraestrutura e edificações.

O cronograma leva em conta as dificuldades logísticas da região Amazônica e a complexidade da obra, que exige demolição e reconstrução de toda a estrutura dos pavimentos existentes.