NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Embraer de São José dos Campos vai afastar até 1.080 operários


Vanessa Sarzedas

Os metalúrgicos da Embraer de São José dos Campos (97 km de SP) aprovaram, em assembleia, a realização de lay-off para 1.080 funcionários. A suspensão temporária dos contratos poderá ser adotada de janeiro de 2017 a dezembro de 2018.

De acordo com o sindicato, os afastamentos serão em grupos e atingirão apenas o pessoal da produção, sendo 600 trabalhadores da área de aviação comercial e 480 de montagem da aviação executiva.

Os funcionários poderão ficar em lay-off por até cinco meses e, durante esse período, o salário será pago parte pela Embraer e parte pelo governo federal, que dará uma bolsa de R$ 1.573. Os metalúrgicos ainda terão que fazer um curso durante o afastamento.

Segundo o sindicato, durante esse período, os trabalhadores não poderão ser demitidos e, quando retornarem à fábrica, terão mais três meses de estabilidade. A previsão é que o programa comece a ser aplicado a partir
de janeiro.

A proposta de lay-off foi apresentada pela Embraer em novembro e atingiria 2.000 funcionários. Após negociação com o sindicato, no último dia 14, uma nova proposta foi apresentada, com 920 trabalhadores a menos. A Embraer emprega 13 mil trabalhadores em São José.

Afastamento temporário

Os funcionários da Embraer aceitaram a suspensão temporária dos contratos para 1.080 trabalhadores

SETORES ATINGIDOS

>> 600 trabalhadores serão da área de aviação comercial

>> 438 serão do setor de montagem da aviação executiva

REGRAS

>> O chamado lay-off será dividido em grupos e poderá ser adotado no período de dois anos

>> Cada grupo poderá ficar afastado da fábrica por até cinco meses

>> Durante esse período, eles receberão uma bolsa de R$ 1.573 do governo federal

 

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


MP transfere recurso de cadeia para polícia e amplia uso do Exército

Ideia é usar verba extra para ‘redução da criminalidade’; medida ainda altera distribuição do dinheiro de loterias

Felipe Resk

SÃO PAULO - O presidente Michel Temer baixou nesta terça-feira, 20, medida provisória que transfere parte de recursos destinados ao Fundo Penitenciário Nacional (Funpen), verba prevista para construir e reformar unidades prisionais, para a Segurança Pública. De forma abrangente, o texto informa que será possível usar recursos para políticas de “redução da criminalidade e da população carcerária”, além de “atividades preventivas, até de inteligência policial”.

A MP também permite que militares temporários do Exército integrem a Força Nacional, tropa que age nos Estados em situações de emergência e atuará no combate a homicídios, conforme vai prever o Plano Nacional de Segurança, que ainda será lançado pelo Ministério da Justiça e Cidadania. Coordenada pela pasta, a Força Nacional era, até então, composta só por policiais militares, civis, bombeiros e peritos.

A medida ainda alterou a distribuição do dinheiro arrecadado em loterias, principal fonte do Funpen. Antes, 3% da verba ia para o fundo, cujo saldo era de R$ 3,3 bilhões em outubro, segundo levantamento da ONG Contas Abertas. Agora, o repasse será de 2,1%, enquanto 0,9% vai para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP).

Outra mudança é que poderá ser feita transferência direta do dinheiro do Funpen a Estados e municípios, sem necessidade de estabelecer convênios. “É uma demanda antiga de vários setores”, afirma Renato Sérgio de Lima, vice-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. “O problema é que autoriza a transferência fundo a fundo, mas não fixa critério de controle e de transparência. Isso ficou para ser feito em decreto, o que torna mais frágil.”

Ante à crise financeira dos Estados, com ameaça de greve policial no Rio e em Pernambuco, por exemplo, as mudanças autorizadas dão mais margem para execução do Plano Nacional de Segurança. Para o especialista, no entanto, o repasse destinado à Segurança Pública só resolve o problema de fonte de recursos a curto prazo. “A partir de 2018, quando entrar para valer o teto de gastos, essa verba estará sujeita ao limite. Então, a médio e longo prazo, terá menos dinheiro disponível”, diz.

Para Renato Sérgio de Lima, a MP significa que a relação entre “prisão e polícia está mais íntima”. Ele avalia, contudo, que ainda é cedo para saber os impactos reais da mudança. “Quem vai definir isso é a regulamentação”, afirma.

Na minuta, por exemplo, falava-se em usar o Funpen “para pagamento de diárias especiais de jornada extra e horas extras para policiais militares, civis ou de peritos oficiais”. Esse trecho, porém, não consta da última versão da MP, que usa frases mais gerais. “Foi uma adaptação que deixa para depois a negociação sobre em que pode ou não ser aplicado o recurso”, diz.

Força Nacional. Na visão de Lima, a inclusão de militares temporários do Exército, os R2, na Força Nacional, é o “ponto mais sensível” da MP. Isso porque o tipo de formação dado a um policial é diferente do que recebe um profissional das Forças Armadas. “Não é desmerecer, mas o papel é diferente. As Forças Armadas lidam com o inimigo. A polícia, com a repressão. Há uma contradição.”

Criada para atender situações de crise, a tropa nacional já atuou neste ano no Rio Grande do Sul e no Rio Grande do Norte, após ondas de violência. Ela também deve ser usada no combate ao crime organizado.

 

TV GLOBO - JORNAL NACIONAL


Marinha retira parte das grades do Boulevard Olímpico no Rio

Grades na orla ficaram para segurança, diz Marinha. Para prefeitura, elas descaracterizam projeto original.

A Marinha tirou na manhã desta quarta-feira (21) parte das grades que restringiam a circulação de cariocas e turistas pelo Boulevard Olímpico, na Zona Portuária do Rio.

Mas ficaram as grades perto da orla e a prefeitura diz que elas descaracterizam o projeto urbanístico da região.

O trabalho começou logo cedo. Os soldados da Marinha retiraram as grades que cercavam uma parte do Boulevard Olímpico e o espaço ficou livre novamente, à disposição do público, que gostou.

“É uma atitude boa da parte deles, reconhecer que isso aqui é da população, né? É uma benfeitoria para a população”.

“Eu acho ótimo ter espaço, né? E nós precisamos disso, né? De espaço para as pessoas. É área de lazer isso aqui”.

A colocação das grades pela Marinha bloqueava uma parte do Boulevard Olímpico. Isso provocou uma forte reação dos autores do projeto, da prefeitura e da população. Mas na noite de terça-feira (20), depois da polêmica, a Marinha anunciou a decisão de retirar parte das grades. Houve um entendimento com o prefeito eleito.

Marcelo Crivella disse que fez um pedido diretamente ao comandante da Marinha do Brasil, almirante Leal Ferreira para que a área fosse liberada.

Em nota, o 1º Distrito Naval informou que seriam retiradas as grades que circundam a área prevista para o estacionamento, mas que o gradil junto ao mar seria mantido por uma questão de segurança.

Uma grande parte do Boulevard Olímpico é sem grades junto ao mar. A prefeitura diz que esse pé o projeto original. A grande polêmica são as grades que a Marinha vai manter por toda a extensão do quartel cercando a orla.

A Marinha disse que instalou as grades desde o segundo o dia da Olimpíada e que procurou a prefeitura para estudar uma proteção mais adequada junto ao mar, mas não teve resposta.

“A Marinha, após um período de observação durante a Olimpíada, oficializou a preocupação dela com aquela situação e convidou a prefeitura, em nome da Riotur, da Secretaria de Segurança e da própria prefeitura, a conversar com a Marinha para achar solução definitiva para aquelas grades, que fosse integrada à arquitetura local. Até agora a prefeitura não nos procurou para negociar”, explicou o almirante Fernando Cozzolino.

A prefeitura diz que as grades durante a Olimpíada garantiam a segurança dos visitantes na área devido ao grande volume de público e que agora a remoção dessa barreira com a Baia de Guanabara é importante para que o projeto de urbanismo do Porto Maravilha seja mantido, uma vez que o fluxo normal de visitantes não oferece riscos.

“É uma área segura, existe um limite visual claro, não existe o risco de queda, não existe. Por essa lógica, a gente deveria gradear todas as ruas porque as pessoas não poderiam cair no meio fio, então, é um raciocínio que a gente espera que a Marinha reflita e a gente sabe que eles vão entender o valor maior desse espaço, que é de paisagem do espaço público”, disse Washington Fajardo, presidente do Instituto Rio Patrimônio da Humanidade.

 

JORNAL ESTADO DE MINAS


Quadrilha que aplicou mais de 500 golpes em militares é presa em MG e no ES

Os alvos do grupo criminoso são policiais militares e militares das forças armadas, da reserva e pensionistas, idosos e portadores de doença graves

Investigações do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), resultaram na prisão de uma quadrilha por aplicar mais de 500 golpes em militares, geralmente idosos e portadores de doença graves, para extorquir dinheiro. Na operação Monte di Pietà, deflagrada na manhã desta quarta-feira, foram cumpridos 14 mandados de busca e apreensão e 15 mandados de prisão preventiva.

As ordens judiciais autorizaram a entrada em estabelecimentos comerciais e residências em cinco municípios de Minas e em dois municípios do Espírito Santo. A maioria dos locais das buscas é na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Além dos crimes de estelionato, os suspeitos são investigadas por lavagem de dinheiro, segundo análise dos elementos de prova colhidos pela equipe de promotores de justiça responsável por conduzir a operação.

Segundo apurações do MPMG, o grupo criminoso atuava, em sua maioria, contra policiais militares e militares das forças armadas da reserva e pensionistas, geralmente pessoas vulneráveis. Os investigados atuavam ludibriando as vítimas com falsas promessas de ganhar dinheiro em ações judiciais exitosas contra entidades de previdência privada ou de seguros de vida.

Ainda de acordo com o órgão, as falsas histórias eram bem arquitetadas e as vítimas eram convencidas pelos criminosos a depositar grandes valores em dinheiro referentes a falsos honorários ou custas processuais em contas bancárias informadas pelo grupo. Eles alegavam que os depósitos deveriam ser feitos para obter a liberação do dinheiro. Os criminosos utilizavam, ainda, nomes de autoridades do alto comando da Polícia Militar para dar mais credibilidade aos engôdos do grupo.

Dinâmica

A operação contou com a participação de dois promotores de justiça, um delegado de Polícia Civil e 92 policiais militares de Minas Gerais, além de um promotor de justiça e 18 policiais militares do Espírito Santo. A ação contou ainda com o apoio de policiais do Batalhão Rotam.

 

AGÊNCIA BRASIL


Reforma da Previdência é prioridade para governo no próximo ano, diz Meirelles


Daniel Lima E Wellton Máximo

Após a aprovação do teto para os gastos públicos, as mudanças na Previdência Social passam a ser prioridade do governo em 2017, nesta quarta-feira (21) o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Em café da manhã com jornalistas, ele declarou que este será o principal item da agenda do governo no próximo ano.

“A priorização é fundamental em qualquer atividade, inclusive na atividade legislativa, não há dúvida. A prioridade número 1, certamente, é a reforma da Previdência”, disse Meirelles. Ele também destacou as medidas microeconômicas que pretendem aumentar a produtividade do país, as mudanças tecnológicas que facilitam a vida dos cidadãos e das empresas, como a simplificação do pagamento de impostos e de obrigações trabalhistas.

“O governo federal não está de mãos atadas. Tem adotado ações positivas para o crescimento. Este governo não adotará práticas artificialistas, que levaram a grandes fracassos no passado. Não há ideias iluminadas para que a economia comece a crescer rapidamente. A economia tem sua dinâmica”, enfatizou.

 

AGÊNCIA EFE


Embraer entrega 11 aviões para sul-africana Airlink

Empresa já havia pedido 19 aparelhos do mesmo modelo à fabricante brasileira.

A companhia aérea sul-africana Airlink encomendou outros 11 aviões ERJ-140 da fabricante brasileira de aeronaves Embraer, ampliando um contrato pelo qual já tinha solicitado 19 aparelhos do mesmo modelo, informou nesta quarta-feira (21) a companhia.

A empresa sul-africana também estendeu por oito anos a mais o contrato entre as duas partes para a reposição de peças destas aeronaves bimotores com capacidade para cobrir distâncias regionais, segundo um comunicado da Embraer.

"É um modelo que requer um baixo investimento e oferece um alto retorno em disponibilidade e custos dando a flexibilidade que necessitamos para continuar crescendo", disse o diretor-executivo da Airlink, Rodger Foster, citado na nota.

Por sua vez, o vice-presidente da Embraer Aviação Comercial para a África, América Latina e Portugal, Simon Newitt, afirmou que a ampliação do convênio é um "grande voto de confiança" para a companhia em seus planos de expansão com o continente africano.

A Airlink é uma das maiores companhias aéreas para voos regionais na África do Sul, pois conecta 36 destinos de nove países da África e transporta mais de 1,3 milhão de passageiros por ano em 44,8 mil voos.

A Embraer fabrica desde sua fundação em 1969 aviões comerciais de até 130 assentos e também aeronaves privadas, de defesa e para transporte agrícola.

 

PORTAL JANES (Inglaterra)


Brazil to receive fewer C295 aircraft than planned


Victor Barreira, Istanbul

The Brazilian Air Force (FAB) will only receive two of the three Airbus Defence and Space C295 search-and-rescue (SAR) aircraft, which were ordered to complement 12 other C925s acquired through Brazil s CL-X2 programme.

The aircraft, locally designated as the SC-105 Amazonas, will conduct SAR missions over the country s vast maritime domain with the Pelicano Squadron based at Campo Grande Air Base.

Three aircraft were ordered on 30 April 2014 for EUR191.2 million, the FAB told IHS Jane s previously. Airbus later said the contract included the aircraft and a five-year service support package.

It is yet unclear why the FAB will buy one fewer aircraft, but budget limitations could have been a factor.

 

Boeing and Saab fly their new T-X aircraft


Gareth Jennings, London

Boeing and Saab announced on 20 December the first flight of the new aircraft they have co-developed for the US Air Force s (USAF s) T-X training requirement.

The twin-seat single-engined aircraft made its 55-minute maiden sortie out of Boeing s St Louis facility in Missouri on the same day as the announcement, marking a major milestone in the joint development programme that is aiming to secure a potential USAF order for up to 350 new trainer aircraft to replace the service s ageing Northrop Grumman T-38 Talons.

Concurrent to this milestone, a second aircraft is undergoing ground trials ahead of its expected first flight in early 2017.

The Boeing-Saab aircraft, which was first revealed in September, features a single General Electric Aviation GE 404 engine, a glass cockpit, and open systems architecture. While the president of Boeing s Phantom Works, Darryl Davis, has declined to provide details of the work split between Boeing and Saab, he has noted that features from both the Boeing F/A-18E/F Super Hornet and the Saab Gripen combat aircraft influenced the new design.

Beyond Boeing-Saab, the USAF s T-X requirement is also being contested by Lockheed Martin-Korean Aerospace Industries with the T-50A; by Raytheon-Leonardo with the T-100 (a T-X-specific variant of the M-346); and by Northrop Grumman with a clean-sheet design. It was reported earlier in December that Sierra Nevada Corporation and Turkish Aerospace Industries are also planning to offer a clean sheet design, although a request for confirmation and details from IHS Jane s went unanswered.

Initial operating capability for the T-X platform is planned for 2024.

 

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL ACHE CONCURSOS


Aeronáutica abre concurso com 128 vagas para Sargento de Tráfego Aéreo em 2017

São 358 oportunidades no total, envolvendo ainda especialidades de Aeronavegantes, Não-Aeronavegantes e Controle de Tráfego Aéreo. As inscrições começam no dia 19 de janeiro e a remuneração será de R$ 3.584,00.

Adrien Carlos Duarte

Saiu o novo edital. A Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR), Subdivisão de Admissão e Seleção, informa da abertura do novo concurso para Admissão no Curso de Formação de Sargentos (CFS) para o primeiro semestre do ano de 2018 nas áreas de Aeronavegantes, não-Aeronavegantes e Controle de Tráfego Aéreo. A seleção abrirá inscrições já no dia 19 de janeiro.

São 358 vagas abertas na Força Aérea Brasileira, sendo 87 delas para Aeronavegantes nas especialidades de Mecânica de Aeronaves, Material Bélico, Comunicações e Foto Inteligência; 143 vagas para não-Aeronavegantes nas especialidades de Guarda e Segurança, Eletricidade e Instrumentos, Equipamento de Voo, Meteorologia, Suprimento, Informações Aeronáuticas, Cartografia, Desenho, Estrutura e Pintura, Eletromecânica, Metalurgia e Bombeiro; e 128 vagas para a área de Controle de Tráfego Aéreo.

Aeronáutica abre 358 vagas para Sargentos no CFSAs especialidades de Mecânica de Aeronaves, Material Bélico e Guarda e Segurança são exclusivas para candidatos do sexo masculino, já as demais áreas estão abertas a candidatos de ambos os sexos.

Para concorrer, os candidatos devem ter escolaridade de nível médio completo e idade entre 17 e 25 anos até dia 31 de dezembro de 2018. Após a aprovação no curso de formação e promoção à graduação de Terceiro-sargento, a remuneração do militar será de R$ 3.584,00. Veja o edital

Inscrições

O período de inscrições para o concurso da FAB se inicia no dia 19 de janeiro e se estende até 17 de fevereiro de 2017, nos endereços eletrônicos www.fab.mil.br e www.eear.aer.mil.br. A taxa de participação será de R$ 60,00 para todos os candidatos. Caso o interessado tenha menos de 18 anos no ato da inscrição, deve estar autorizado por seu responsável legal para realizar os Exames e, se convocado para prosseguimento no certame, estar autorizado a participar das fases seguintes (INSPSAU, EAP, TACF e matrícula no curso).

A seleção dos inscritos será feita por meio de prova escrita; inspeção de saúde; exame de aptidão psicológica; e teste de avaliação do condicionamento físico. As provas escritas terão questões objetivas sobre língua portuguesa, língua inglesa, matemática e física e serão aplicadas no dia 14 de maio de 2017 nas cidades de Belém (PA), Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Santa Maria (RS), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Canoas (RS), Brasília (DF), Manaus (AM), Fortaleza (CE), Salvador (BA), São José dos Campos (SP), Campo Grande (MS), Curitiba-PR e Porto Velho (RO). Os gabaritos referentes a esta primeira etapa, serão divulgados nos sites já citados, no dia 16 de maio de 2017.

O curso de formação de Sargentos da Aeronáutica (CFS) é ministrado sob regime de internato militar na EEAR, em Guaratinguetá-SP, com duração aproximada de dois anos e abrange instruções nos Campos Geral, Militar e Técnico-Especializado. Durante o curso, além da remuneração pertinente ao nível hierárquico do estudante, a Aeronáutica oferecerá alimentação, alojamento, fardamento e assistência médico-hospitalar e dentária.