NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL R7


Combate a fogo na Serra da Mantiqueira entra no 5º dia

Como as chamas chegaram a áreas de penhasco, helicópteros da Polícia Militar e aviões são utilizados para controlar incêndio que atinge a região

Redação | Publicada em 21/07/2020 02:00

O incêndio que atinge a Serra da Mantiqueira, na divisa paulista com Minas Gerais, segue pelo quinto dia consecutivo, mobilizando dezenas de homens do Corpo de Bombeiros, helicópteros da Polícia Militar e aviões da FAB (Força Aérea Brasileira) para apagar as chamas, que alcançaram áreas de penhasco, de difícil acesso.

Desde a última sexta-feira (17), as chamas consomem uma extensa área vegetal da Serra Fina, pico mais alto de São Paulo e o quarto do Brasil, com 2.798 metros de altitude, que integra a Serra da Mantiqueira. 

Como é impossível a ação por terra, são usados os helicópteros e os aviões, com o Bambi Bucket, uma espécie de grande balde para pegar água de um lago próximo e levá-la até o incêndio.

Na manhã desta segunda-feira (20), as equipes mapearam o local para que, de forma segura, 40 bombeiros reiniciem os trabalhos de combate às chamas.

Até o momento não se sabe como o fogo começou e ninguém ficou ferido.

ORIGEM DO INCÊNDIO

O incêndio teve origem em território mineiro e na sexta-feira atingiu a área paulista. Os bombeiros instalaram um posto de comando na cidade de Cruzeiro, no campo da Faculdade de Educação Física.

A partir de lá, as equipes são transportadas no helicóptero Águia da Polícia Militar  até a região do incêndio. O acesso por terra só é possível a partir do território mineiro e leva cerca de dois dias de caminhada, segundo a corporação.

Com o aumento do efetivo em operação, foram disponibilizados dois helicópteros em tempo integral para apoio: um Águia e um Augusta destinado ao transporte da tropa.

AEROFLAP


Aeronave C-130 Hércules da FAB apoia combate a incêndio na Serra da Mantiqueira


Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 10:11

A aeronave C-130 Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), decolou, no domingo (19) e na segunda (20), da Ala 11 – Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), para apoiar as ações de combate ao incêndio na Serra Fina, que fica na Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo. A região da Serra Fina fica a cerca de 2.700 metros acima do nível do mar, onde está localizado o 4° maior pico brasileiro e maior do Estado de São Paulo, o Pico da Pedra da Mina.

O C-130 Hércules, operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, utiliza o Sistema de Combate a Incêndio Modular Airborne Fire Fighting System (MAFFS).  O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião, a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros). A aeronave tem capacidade de lançamento de até 12 mil litros de água. Além disso, o reservatório em solo tem capacidade para 22 mil litros de água.

Capitão Aviador Guilherme Guimarães Neto, é uma honra cumprir a missão de grande relevância. “Atuamos em missões no gelo, busca e salvamento, lançamento de paraquedista, transporte de carga, reabastecimento em voo e, hoje, temos a oportunidade de apoiar os esforços dos órgãos de combate a incêndio, de modo a minimizar os danos na Serra da Mantiqueira “, disse.

O Sargento Especialista em Mecânica de Aeronaves Rodrigo Jorge Vieira Lima Faria, também fez parte da tripulação que participou da operação no domingo. “É difícil descrever a honra de participar dessa missão, por saber que a Força Aérea, mais uma vez, demonstra sua disponibilidade à população brasileira”, disse.

Nesta segunda (20), integrou a equipe de solo o Sargento Marcos Paulo Siqueira de Souza. Ele participou da missão com a responsabilidade de abastecer a aeronave com água. Para ele, pela urgência da missão, é um orgulho fazer parte da ação. “É uma emoção imensa poder contribuir com esta equipe”, disse.

Acionamento

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira responsável pela missão, realizou a coordenação junto ao Ministério da Defesa. Também participam da operação helicópteros da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.

O Ministério da Defesa foi acionado, neste sábado (18), com o objetivo de realizar o transporte de brigadistas. O apoio das aeronaves das Forças Armadas foi solicitado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Em função das grandes altitudes nas quais o combate ao incêndio está ocorrendo, as aeronaves militares, de maior potência operacional, possuem especial importância. Além do ICMBio, diversas instituições dos estados de São Paulo e de Minas Gerais também atuam na operação, com o emprego de brigadistas e aeronaves.

Preparo

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

Tripulação do KC-390 recebe treinamento para Evacuação Aeromédica


Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 23:14

No dia 16 de julho, tripulantes do Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1° GTT) – Esquadrão Zeus e profissionais de saúde do Esquadrão de Saúde da Ala 2 – Base Aérea de Anápolis, situada em Goiás, deslocaram-se para a Ala 5 – Base Aérea de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, para realizar workshop sobre Evacuação Aeromédica (EVAM). 

O treinamento buscou capacitar equipes médicas para atuarem em cuidados críticos em voo e realizar o transporte de pacientes, com diferentes níveis de gravidade, além de desenvolver, doutrinariamente, a forma de emprego da aeronave KC-390 Millennium. 

Durante a capacitação, foram apresentadas as configurações da aeronave com postes e fitas, além de infraestrutura elétrica e de oxigenioterapia. Além disso, foram treinadas as dinâmicas de embarque e desembarque de macas pela rampa da aeronave e embarque de macas de pacientes críticos.

O Brasil faz parte de um grupo seleto de nações capazes de prestar assistência, tanto no campo militar quanto civil, em situações de catástrofes naturais, conflitos e grandes acidentes.

Participaram do evento militares de Operações Aeromédica da Ala 5, Médicos dos Esquadrões da Ala 2 e Oficiais de Doutrina do 1° GTT. O curso atendeu a padrões internacionais da Organização das Nações Unidas (ONU) em missões de paz.

O Major Médico Mauro Pascale de Camargo Leite, um dos instrutores, enfatizou a importância do treinamento para que sejam instituídas as equipagens de voo aeromédico necessárias ao emprego efetivo do KC-390 Millennium nos cuidados em voo.

“As equipagens de voo aeromédico do KC-390 poderão ser empregadas, por exemplo, quando houver uma demanda médica durante situações de calamidades públicas, como desastres, pandemias, e evacuação de refugiados ou feridos em teatros de operações militares”, explicou.

Durante a capacitação, foram simulados cenários para cuidados críticos de atendimentos múltiplos. O Major Aviador Daniel  Elias Souza, um dos pilotos da aeronave KC-390 Millennium durante o workshop, observou que são inesperados os eventos que necessitam de cuidados críticos em voo.

“O incêndio ocorrido na boate Kiss, em 2013, e o terremoto no Chile, em 2010, foram momentos em que aeronaves da FAB foram empregadas para auxiliar no transporte das vítimas com rapidez. Por esse motivo, o 1° GTT deve atender às expectativas da FAB em preparar o KC-390 dentro das demandas nacionais e internacionais de capacidades”, afirmou.

O Capitão Médico David Lima Pedrosa, também do 1° GTT, complementou. “É notável o crescimento da curva de aprendizado após o treinamento. Representa um grande salto no projeto de implantação de uma unidade de EVAM na plataforma KC-390”, disse. Segundo o Oficial, o conhecimento operacional trouxe maior consciência situacional de forma complementar ao transporte aeromédico. “A grande capacidade de carga, velocidade, autonomia e, sobretudo, espaço disponível para cuidados críticos em voo, facilita sobremaneira a vida do operador aeromédico, com maior segurança no transporte de doentes críticos e eficiência no atendimento a múltiplas vítimas em grandes catástrofes, por exemplo”, ressaltou.

Para o Tenente Médico Diogo Yudi Kamimura Hashimoto, um dos participantes, “conhecer uma aeronave e configurá-la para a realização do transporte de pacientes críticos é uma oportunidade para poucos e, certamente, foi muito válida. O treinamento me permitiu entender que somos totalmente capazes de realizar missões de alta complexidade e isso me trouxe orgulho de pertencer a esta Instituição”, concluiu o Tenente.

PORTAL DEFESANET


Operação Covid-19 completa quatro meses em apoio à população brasileira de todos os recantos do País


Margareth Lourenço E André Pinto | Publicada em 21/07/2020 12:12

O ano de 2020 iniciou com cenário adverso devido à pandemia provocada pelo novo coronavírus. No Brasil, assim que surgiram os primeiros casos de infectados, o governo federal acionou um gabinete de crise. As Forças Armadas, por meio do Ministério da Defesa, estão inseridas neste contexto.

Hoje, segunda-feira (20), a Operação Covid-19 completa quatro meses de emprego dos militares em apoio à população de todos os recantos do País. Os integrantes da Defesa contribuem com transporte aéreo de materiais de saúde, distribuição de cestas básicas, doação de sangue, desinfecção de espaços públicos, entre outras necessidades.

As ações são coordenadas pelo Centro de Operações Conjuntas, que planeja as atividades com 10 Comandos Conjuntos ativados para essa finalidade. Esses Comandos cobrem todo o território nacional. A essa estrutura soma-se o Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente.

Nesses 120 dias de guerra contra um “inimigo invisível, feroz, dedicado”, como comparou o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo, assim que a Operação foi deflagrada, em 18 de março, os brasileiros têm ao seu lado, como sempre estiveram, as Forças Armadas.

A atuação dos militares já atingiu o efetivo de 34 mil homens e mulheres das Forças de Defesa, o emprego de 107 embarcações, 85 aeronaves e 1.802 viaturas no apoio ao desempenho das atividades.

Os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica distribuíram 806.874 kits de mantimentos, também doaram 454.068 alimentos prontos para consumo e 300.485 materiais de higiene. A medida é essencial no apoio às famílias em situação de vulnerabilidade social. Da mesma forma, o auxílio foi prestado a aldeias indígenas. Em diversas oficinas das Forças foram produzidas 566.480 máscaras de proteção e 13.150 protetores faciais, tipo face shield.

Outra parcela atendida com kits alimentação é composta pelas famílias dos alunos do Programa Forças no Esporte (PROFESP). A iniciativa, voltada para crianças e adolescentes de baixa renda foi suspensa em decorrência da pandemia. As atividades esportivas, cívicas e de reforço escolar são oferecidas no contraturno escolar.

Para amparar os beneficiários que ficaram sem as refeições oferecidas nas organizações militares, são distribuídos os kits de alimentos.Esse auxílio foi possível com os recursos passados pelo Ministério da Cidadania, parceiro do programa. A capilaridade das Forças Armadas possibilita a distribuição, inclusive para comunidades quilombolas e indígenas.

Entre as inúmeras atividades desenvolvidas incansavelmente pelos militares está a desinfecção de áreas de grande circulação. Um total de 3.971 locais públicos foram higienizados, tais como terminais rodoviários, estações de metrô, órgãos públicos civis e militares.

Para multiplicar esse conhecimento e possibilitar que outros agentes, militares e civis, deem continuidade às limpezas, 13.666 pessoas foram capacitadas.Para manter equilibrados os estoques de bancos de sangue nos 26 estados e no Distrito Federal, 22.981 militares realizaram doações. Ações de conscientização para a população saber como evitar a contaminação pelo novo patógeno e os cuidados a serem observados, somaram 2.463 campanhas.

Os militares ainda realizaram 2.027 patrulhas fluviais e 18 navais, apoiaram os órgãos de segurança pública no controle de circulação na fronteira em 6.084 postos, montaram 2.562 barreiras sanitárias e 1.771 postos de triagem. Órgãos de saúde por todo o Brasil contaram com o auxílio dos homens e mulheres da Defesa em 1.874 ações.

E o total de carga transportada, tanto por aeronaves da Força Aérea Brasileira quanto em voos fretados ou por meio terrestre chegara a 19.305 toneladas.

Em outra frente de atuação, foi lançada a campanha “Produtos ao Alcance de Todos”, com o cadastro de empresas e produtos para o combate à Covid-19. As informações são atualizadas diariamente e estão disponíveis para o Ministério da Saúde, Forças Armadas, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (CONASEMS) e Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). Atualmente, há mais de 1020 produtos ofertados por mais de 530 empresas.

Em parceria com a Confederação Nacional da Indústria (CNI), com os Ministérios da Economia e da Saúde, com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) e com empresas do setor automotivo, o Ministério da Defesa atua para viabilizar o reparo de respiradores danificados. A ação compreende todo o território nacional. Até sexta-feira (17), 1850 aparelhos foram reparados e entregues para diversas instituições de saúde em todo o País.

O trabalho do Ministério da Defesa é focado, principalmente, no transporte dos equipamentos em regiões remotas. Conforme levantamento da CNI, 3.919 respiradores foram recolhidos para conserto em unidades do SENAI.

Operação Covid-19

O Ministério da Defesa ativou, em 20 de março, o Centro de Operações Conjuntas, para atuar na coordenação e no planejamento do emprego das Forças Armadas no combate ao novo coronavírus. Nesse contexto, foram ativados dez Comandos Conjuntos, que cobrem todo o território nacional, além do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), de funcionamento permanente.

A iniciativa integra o esforço do governo federal no enfrentamento à pandemia.As demandas recebidas pelo Ministério da Defesa, de apoio a órgãos estaduais, municipais e outros, são analisadas e direcionadas aos Comandos Conjuntos para avaliarem a possibilidade de atendimento. De acordo com a complexidade da solicitação, tais demandas podem ser encaminhadas ao Gabinete de Crise, que determina a melhor forma de atendimento.

Aeronave C-130 Hércules da FAB apoia combate a incêndio na Serra da Mantiqueira

Avião conta com o Sistema de Combate a Incêndio (MAFFS) com capacidade de lançar até 12 mil litros de água por decolagem

Por Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 11:35

A aeronave C-130 Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), decolou, no domingo (19) e na segunda (20), da Ala 11 - Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), para apoiar as ações de combate ao incêndio na Serra Fina, que fica na Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo. A região da Serra Fina fica a cerca de 2.700 metros acima do nível do mar, onde está localizado o 4° maior pico brasileiro e maior do Estado de São Paulo, o Pico da Pedra da Mina.

O C-130 Hércules, operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, utiliza o Sistema de Combate a Incêndio Modular Airborne Fire Fighting System (MAFFS).  O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião, a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros). A aeronave tem capacidade de lançamento de até 12 mil litros de água. Além disso, o reservatório em solo tem capacidade para 22 mil litros de água.

De acordo com o Comandante da aeronave do domingo (19), Capitão Aviador Guilherme Guimarães Neto, é uma honra cumprir a missão de grande relevância. "Atuamos em missões no gelo, busca e salvamento, lançamento de paraquedista, transporte de carga, reabastecimento em voo e, hoje, temos a oportunidade de apoiar os esforços dos órgãos de combate a incêndio, de modo a minimizar os danos na Serra da Mantiqueira ", disse.

O Sargento Especialista em Mecânica de Aeronaves Rodrigo Jorge Vieira Lima Faria, também fez parte da tripulação que participou da operação no domingo. “É difícil descrever a honra de participar dessa missão, por saber que a Força Aérea, mais uma vez, demonstra sua disponibilidade à população brasileira”, disse.

Nesta segunda (20), integrou a equipe de solo o Sargento Marcos Paulo Siqueira de Souza. Ele participou da missão com a responsabilidade de abastecer a aeronave com água. Para ele, pela urgência da missão, é um orgulho fazer parte da ação. “É uma emoção imensa poder contribuir com esta equipe”, disse.

Acionamento

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira responsável pela missão, realizou a coordenação junto ao Ministério da Defesa. Também participam da operação helicópteros da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.

O Ministério da Defesa foi acionado, neste sábado (18), com o objetivo de realizar o transporte de brigadistas. O apoio das aeronaves das Forças Armadas foi solicitado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Em função das grandes altitudes nas quais o combate ao incêndio está ocorrendo, as aeronaves militares, de maior potência operacional, possuem especial importância. Além do ICMBio, diversas instituições dos estados de São Paulo e de Minas Gerais também atuam na operação, com o emprego de brigadistas e aeronaves.

Preparo

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. 

Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

Alunos da EPCAR retornam às aulas


Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 12:00

Os 505 Alunos da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), sediada em Barbacena (MG), iniciaram o retorno à instituição, no dia 12 de julho, após o período de recesso escolar. A apresentação dos Alunos está sendo realizada em etapas e, até o dia 26, todos terão chegado à Escola.

Inicialmente, aqueles alunos que apresentaram resultado negativo para a COVID-19, nos testes realizados em maio, passaram por uma primeira triagem, por meio de Telemedicina, quando médicos do Esquadrão de Saúde entraram em contato telefônico com esses alunos ainda em suas residências. Aqueles considerados casos suspeitos pela equipe médica só retornarão à Escola após cumprirem isolamento domiciliar por 14 dias.

Os alunos foram divididos em três grupos, que retornam à Escola em três momentos distintos. O primeiro grupo é composto pelos alunos que não haviam sido infectados pela COVID-19 e foram liberados na primeira triagem (Telemedicina).

No exato momento em que chegaram à Escola, esses alunos foram submetidos à segunda triagem, uma análise clínica presencial pelos médicos do Esquadrão de Saúde, a fim de identificarem os sintomáticos.

Logo em seguida, foram submetidos à terceira triagem, que consistiu na realização do teste (RT-PCR) para a COVID-19. Dos 244 testes realizados até o momento, 9 alunos, de 3 estados distintos (4 de Minas Gerais, 4 do Rio de Janeiro e 1 de São Paulo), testaram positivo para a COVID-19. Todos os alunos estão assintomáticos e permanecem isolados desde o momento em que chegaram à Escola, bem como aqueles que com eles tiveram qualquer contato. Esses dois grupos cumprem isolamento em ambientes separados.

Dois dias após o retorno desse primeiro grupo, houve o retorno do segundo grupo, aqueles alunos que já haviam testado positivo para a COVID-19, comprovados por testes realizados em maio na EPCAR ou em seus municípios, e que já tinham cumprido o protocolo de isolamento. O terceiro e último grupo será dos alunos que foram identificados como casos suspeitos durante a primeira triagem, após cumprirem os 14 dias de isolamento em suas residências. Este grupo retornará no dia 26 de julho,  os alunos serão testados e seguirão os protocolos preconizados pelos órgãos de saúde, conforme o resultado do teste.

Para receber o seu corpo discente, a EPCAR montou uma grande estrutura. Logo na chegada, todos os alunos passaram por tapetes sanitários para higienização dos seus calçados. Em seguida, receberam um kit com máscaras de pano e um frasco individual de álcool em gel 70%, além de terem todas as suas bagagens desinfectadas com produto antisséptico.

Para garantir a segurança de todos os envolvidos e minimizar as possibilidades de contaminação, o protocolo de retorno elaborado pela EPCAR foi aprovado pelo Ministério da Saúde. “A EPCAR está cumprindo todas as medidas de proteção preconizadas, além de ter submetido ao Ministério da Saúde seu protocolo de retorno e de segurança específico, o qual foi aprovado e está sendo rigorosamente cumprido”, ressalta o Comandante da EPCAR, Brigadeiro do Ar Paulo Ricardo da Silva Mendes.

Exemplo disso é que as aulas presenciais permanecem suspensas. Além das aulas on line em tempo real, os alunos ainda fazem uso do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), implantado na EPCAR durante a pandemia, que contempla todas as disciplinas com atividades que podem ser desenvolvidas de maneira assíncrona, com a mediação remota do professor ou instrutor.

Outras medidas de prevenção

Além das aulas on line, várias medidas de segurança foram implantadas:

- Os alunos isolados recebem as seis refeições diárias em seus próprios apartamentos.

- Toda a área interna da unidade foi mapeada, criando itinerários específicos para o trânsito dos alunos e dos demais integrantes do efetivo, a fim de impedir que transitem pelos mesmos corredores, calçadas, escadas, pátios e áreas afins;

- Todos os alunos fazem seus deslocamentos no interior da Escola Preparatória em fila indiana, mantendo o distanciamento mínimo de 2 metros entre eles;

- A prática de esportes coletivos e de contato continuará suspensa. Foram adquiridas 50.000 (cinquenta mil) máscaras descartáveis, mais leves, a fim de que os alunos realizem a prática esportiva, de forma individual, protegidos;

- Foram adquiridos 2.000 (dois mil) frascos individuais de álcool em gel 70%, já distribuídos para todos os alunos e demais integrantes do efetivo da EPCAR;

- Foram instalados pontos de recarga dos frascos individuais em locais estratégicos da Escola;

- Foram adquiridos 10 dispensers de álcool em gel, do tipo token, com acionamento por meio dos pés, a fim de evitar o toque das mãos nos fracos;

- Foram distribuídas 50.000 (cinquenta mil) luvas descartáveis para serem utilizadas pelos alunos ao se servirem no refeitório;

- Foram adquiridos 395 (trezentos e noventa e cinco) tapetes sanitários para higienização dos calçados, sendo instalados em todas as portas de entrada das diversas salas e setores da EPCAR, além dos dormitórios dos alunos;

- As mesas do refeitório dos alunos estão sendo ocupadas por no máximo três alunos, a fim de aumentar o espaçamento, sendo um aluno que não tenha sido contaminado pelo vírus e os outros dois que já superaram a doença, criando assim a “barreira sanitária” preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Foram adquiridas para essas mesas placas de acrílico, a fim de criar, além da “barreira sanitária” a barreira física entre os alunos;

- Uma empresa especializada faz limpeza do tipo hospitalar 4 (quatro) vezes ao dia nos dormitórios designados para isolamento;

- Foram adquiridas capas plásticas de forma a revestir os colchões utilizados pelos alunos em isolamento, de forma a facilitar a limpeza desses itens;

- Foram intensificados os serviços de limpeza, três vezes ao dia, com utilização de álcool em gel nas superfícies das salas, mesas, cadeiras, materiais e utensílios de todos os setores da Escola;

- Nas salas de aula on line os alunos sentarão em locais previamente definidos, mantendo o distanciamento recomendado. Cada turma respeitará uma sequência de entrada e saída das salas de um mesmo setor, de modo a evitarem aglomerações nos corredores; e

- Equipes médicas e psicólogas, bem como de vigilância e apoio, foram designadas para, assim como acontecia antes da liberação, atuarem prontamente no atendimento a quaisquer necessidades dos alunos em prol da manutenção da saúde física e mental, e do bem-estar.

Além dos alunos, os cuidados com os demais integrantes do efetivo da Escola também estão sendo observados, como barreiras físicas e divisores de fluxo, a fim de evitar aglomerações, horários de rancho estendidos e diferenciados, manutenção de apenas 1/3 do efetivo durante o expediente, dentre outras medidas.

O Comandante da EPCAR reforça o compromisso de todo o efetivo da Nascente do Poder Aéreo neste momento de pandemia. “Reafirmo o compromisso de todo o efetivo da Escola com a saúde, a proteção à vida e o bem-estar de todos os alunos e demais integrantes da EPCAR”, concluiu o oficial-general.

A Escola

A EPCAR é a Organização Militar que tem a missão de preparar os alunos para ingresso no Curso de Oficiais Aviadores, realizado na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga-SP.

OUTRAS MÍDIAS


BRASIL ESCOLA - ITA (SP) aumenta vagas do Vestibular 2021 em 25%

Processo seletivo terá o aumento de 25% nas vagas oferecidas para as Engenharias.

Giullya Franco | Publicada em 21/07/2020 08:53

Na segunda-feira, 20 de julho, o Ministério da Educação (MEC) informou que o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos/SP, vai aumentar em 25% o número de vagas oferecidos em todos os cursos a partir do Vestibular 2021.

Conheça o ITA

No total, os 25% correspondem a 30 vagas e, neste caso, o vestibular que oferecia 120 vagas passará a oferecer 150 oportunidades. Das vagas, 119 serão destinadas para os que decidirem cursar a graduação como civis e 31 para aqueles que optarem por realizar o curso seguindo a carreira militar no Quadro de Oficiais Engenheiros (QOEng).

O aumento no número de vagas do ITA se deu devido ao estímulo do Governo Federal para formar mais engenheiros com o objetivo de atender a demanda por mão de obra qualificada no setor produtivo nacional.

Segundo o Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), Major-Brigadeiro do Ar Hudson Costa Potiguara, as vagas são importantes para que os novos profissionais possam atender o desenvolvimento de projetos no país. “Como referência mundial na área de ciência e tecnologia, é extremamente importante que o ITA tenha esse aumento de engenheiros qualificados para atender as demandas nacionais e para o desenvolvimento de projetos espaciais”, destacou.

PODER AEREO - Santos-Dumont: Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira


Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 15:46

O mês de julho é simbólico para a Força Aérea Brasileira (FAB). Comemora-se o nascimento do precursor daquela que seria considerada uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade e que impulsionou a indústria aeronáutica: o avião. Alberto Santos-Dumont, brasileiro, nascido em 20 de julho de 1873, inventor do avião, é motivo de orgulho para o País.

O Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira deixou para a humanidade a certeza de que todo sonho pode ser realizado, basta possuir vontade para conquistar feitos tidos como impossíveis. Santos-Dumont dedicou sua vida à aviação. Foi o primeiro aeronauta a alcançar, definitivamente, a dirigibilidade dos balões e a voar num aparelho mais pesado que o ar com propulsão própria.

Devido ao período da pandemia do novo Coronavírus, as comemorações do nascimento do Patrono da Aeronáutica estão suspensas. Porém, o Museu Aeroespacial (MUSAL) disponibilizou uma viagem ao tempo, de forma virtual. A Exposição Santos-Dumont apresenta sua história permeando a vida pessoal, inventos e curiosidades.

No acervo, a maquete com formato de asa delta, feita por Santos-Dumont no início do século, permite uma comparação com a atual configuração dos modernos jatos, além de valiosa coleção fotográfica retratando, com detalhes, sua obra e sua vida social. O coração do inventor encontra-se preservado numa redoma de metal. Para visualizar a exposição, acesse o site do Musal, e clique na aba exposições, localizada na lateral esquerda.

HOMENAGEM EM PARIS

Santos-Dumont morou por 22 anos em Paris. Desde a sua primeira ida, aos 19 anos de idade, o brasileiro impressionou a França ao construir e pilotar vários balões dirigíveis. O apartamento onde morou, na famosa avenida parisiense Champs-Élysées, nº 114, está identificado com uma placa afixada, em 2006, pelo então Adido na França, Coronel Aviador Antonio Carlos Moretti Bermudez, atual Comandante da Aeronáutica.

AGORA VALE - Aeronave C-130 Hércules da FAB apoia combate a incêndio na Serra da Mantiqueira

Avião conta com o Sistema de Combate a Incêndio (MAFFS) com capacidade de lançar até 12 mil litros de água por decolagem

Por Agência Força Aérea | Publicada em 21/07/2020 12:07

A aeronave C-130 Hércules, da Força Aérea Brasileira (FAB), decolou, no domingo (19) e na segunda (20), da Ala 11 - Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro (RJ), para apoiar as ações de combate ao incêndio na Serra Fina, que fica na Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira, na divisa dos estados de Minas Gerais e São Paulo. A região da Serra Fina fica a cerca de 2.700 metros acima do nível do mar, onde está localizado o 4° maior pico brasileiro e maior do Estado de São Paulo, o Pico da Pedra da Mina.

O C-130 Hércules, operado pelo Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) - Esquadrão Gordo, utiliza o Sistema de Combate a Incêndio Modular Airborne Fire Fighting System (MAFFS).  O equipamento conta com dois tubos que projetam água pela porta traseira do avião, a uma altura aproximada de 150 pés (cerca de 46 metros). A aeronave tem capacidade de lançamento de até 12 mil litros de água. Além disso, o reservatório em solo tem capacidade para 22 mil litros de água.

De acordo com o Comandante da aeronave do domingo (19), Capitão Aviador Guilherme Guimarães Neto, é uma honra cumprir a missão de grande relevância. "Atuamos em missões no gelo, busca e salvamento, lançamento de paraquedista, transporte de carga, reabastecimento em voo e, hoje, temos a oportunidade de apoiar os esforços dos órgãos de combate a incêndio, de modo a minimizar os danos na Serra da Mantiqueira ", disse.

O Sargento Especialista em Mecânica de Aeronaves Rodrigo Jorge Vieira Lima Faria, também fez parte da tripulação que participou da operação no domingo. "É difícil descrever a honra de participar dessa missão, por saber que a Força Aérea, mais uma vez, demonstra sua disponibilidade à população brasileira", disse.

Nesta segunda (20), integrou a equipe de solo o Sargento Marcos Paulo Siqueira de Souza. Ele participou da missão com a responsabilidade de abastecer a aeronave com água. Para ele, pela urgência da missão, é um orgulho fazer parte da ação. "É uma emoção imensa poder contribuir com esta equipe", disse.

Acionamento

O Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), organização da Força Aérea Brasileira responsável pela missão, realizou a coordenação junto ao Ministério da Defesa. Também participam da operação helicópteros da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro.

O Ministério da Defesa foi acionado, neste sábado (18), com o objetivo de realizar o transporte de brigadistas. O apoio das aeronaves das Forças Armadas foi solicitado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Em função das grandes altitudes nas quais o combate ao incêndio está ocorrendo, as aeronaves militares, de maior potência operacional, possuem especial importância. Além do ICMBio, diversas instituições dos estados de São Paulo e de Minas Gerais também atuam na operação, com o emprego de brigadistas e aeronaves.

Preparo

Um dos fatores fundamentais para o sucesso de qualquer missão é o preparo operacional das tripulações. Para atingir alto nível técnico e doutrinário, agindo com a pronta-resposta requerida na execução das ações, os Esquadrões da Força Aérea realizam treinamentos regulares. Neste contexto, o Comando de Preparo (COMPREP) tem papel relevante. Como Comando Operacional encarregado de fixar os padrões de eficiência, planejar o treinamento e avaliar o desempenho das unidades subordinadas, a partir das capacidades definidas pelo Comandante da Aeronáutica, também coordena a formulação da Doutrina Aeroespacial, em consonância com as experiências adquiridas e os sistemas de armas incorporados à FAB.

BARBACENA MAIS - Protocolos de retorno e medidas de prevenção foram implantados para a retomada das atividades na EPCAR

Mediante os casos de alunos contaminados pela Covid-19, EPCAr retoma as atividades com uma série de protocolos e ações para cuidar de seus 506 alunos.

Kátia-cilene | Publicada em 21/07/2020 15:58

No último dia 12 de julho (domingo), os 505 alunos do Curso Preparatório de Cadetes do Ar (CPCAR) iniciaram seu retorno às atividades na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), em Barbacena-MG, Organização Militar que tem a missão de preparar os alunos para ingresso no Curso de Oficiais Aviadores, realizado na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga-SP.

Inicialmente, aqueles alunos que apresentaram resultado negativo para a COVID-19, nos testes realizados em maio, passaram por uma primeira triagem, por meio de Telemedicina, quando médicos do Esquadrão de Saúde entraram em contato telefônico com esses alunos ainda em suas residências. Aqueles considerados casos suspeitos pela equipe médica só retornarão à Escola após cumprirem isolamento domiciliar por 14 dias.

Os alunos foram divididos em três grupos, que retornam à Escola em três momentos distintos. O primeiro grupo é composto pelos alunos que não haviam sido infectados pela COVID19 e foram liberados na primeira triagem (Telemedicina). No exato momento em que chegaram à Escola, esses alunos foram submetidos à segunda triagem, uma análise clínica presencial pelos médicos do Esquadrão de Saúde, a fim de identificarem os sintomáticos. Logo em seguida, foram submetidos à terceira triagem, que consistiu na realização do teste (RT-PCR) para a COVID-19. Dos 244 testes realizados até o momento, 9 alunos, de 3 estados distintos (4 de Minas Gerais, 4 do Rio de Janeiro e 1 de São Paulo), testaram positivo para a COVID-19. Todos os alunos estão assintomáticos e permanecem isolados desde o momento em que chegaram à Escola, bem como aqueles que com eles tiveram qualquer contato. Esses dois grupos cumprem isolamento em ambientes separados.

Dois dias após o retorno desse primeiro grupo, houve o retorno do segundo grupo, aqueles alunos que já haviam testado positivo para a COVID-19, comprovados por testes realizados em maio na EPCAR ou em seus municípios, e que já tinham cumprido o protocolo de isolamento. O terceiro e último grupo será dos alunos que foram identificados como casos suspeitos durante a primeira triagem, após cumprirem os 14 dias de isolamento em suas residências. Este grupo retornará no dia 26 de julho, os alunos serão testados e seguirão os protocolos preconizados pelos órgãos de saúde, conforme o resultado do teste.

Para receber o seu corpo discente, a EPCAR montou uma grande estrutura. Logo na chegada, todos os alunos passaram por tapetes sanitários para higienização dos seus calçados. Em seguida, receberam um kit com máscaras de pano e um frasco individual de álcool em gel 70%, além de terem todas as suas bagagens desinfectadas com produto antisséptico.

Para garantir a segurança de todos os envolvidos e minimizar as possibilidades de contaminação, o protocolo de retorno elaborado pela EPCAR foi aprovado pelo Ministério da Saúde. “A EPCAR está cumprindo todas as medidas de proteção preconizadas, além de ter submetido ao Ministério da Saúde seu protocolo de retorno e de segurança específico, o qual foi aprovado e está sendo rigorosamente cumprido”, ressalta o Comandante da EPCAR, Brigadeiro do Ar Paulo Ricardo da Silva Mendes.

Exemplo disso é que as aulas presenciais permanecem suspensas. Além das aulas on line em tempo real, os alunos ainda fazem uso do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), implantado na EPCAR durante a pandemia, que contempla todas as disciplinas com atividades que podem ser desenvolvidas de maneira assíncrona, com a mediação remota do professor ou instrutor.

Outras medidas de prevenção Além das aulas on line, várias medidas de segurança foram implantadas:

- Os alunos isolados recebem as seis refeições diárias em seus próprios apartamentos.

- Toda a área interna da unidade foi mapeada, criando itinerários específicos para o trânsito dos alunos e dos demais integrantes do efetivo, a fim de impedir que transitem pelos mesmos corredores, calçadas, escadas, pátios e áreas afins;

- Todos os alunos fazem seus deslocamentos no interior da Escola Preparatória em fila indiana, mantendo o distanciamento mínimo de 2 metros entre eles;

- A prática de esportes coletivos e de contato continuará suspensa. Foram adquiridas 50.000 (cinquenta mil) máscaras descartáveis, mais leves, a fim de que os alunos realizem a prática esportiva, de forma individual, protegidos;

- Foram adquiridos 2.000 (dois mil) frascos individuais de álcool em gel 70%, já distribuídos para todos os alunos e demais integrantes do efetivo da EPCAR;

- Foram instalados pontos de recarga dos frascos individuais em locais estratégicos da Escola;

- Foram adquiridos 10 dispensers de álcool em gel, do tipo token, com acionamento por meio dos pés, a fim de evitar o toque das mãos nos fracos;

- Foram distribuídas 50.000 (cinquenta mil) luvas descartáveis para serem utilizadas pelos alunos ao se servirem no refeitório;

- Foram adquiridos 395 (trezentos e noventa e cinco) tapetes sanitários para higienização dos calçados, sendo instalados em todas as portas de entrada das diversas salas e setores da EPCAR, além dos dormitórios dos alunos;

- As mesas do refeitório dos alunos estão sendo ocupadas por no máximo três alunos, a fim de aumentar o espaçamento, sendo um aluno que não tenha sido contaminado pelo vírus e os outros dois que já superaram a doença, criando assim a “barreira sanitária” preconizada pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Foram adquiridas para essas mesas placas de acrílico, a fim de criar, além da “barreira sanitária” a barreira física entre os alunos; - Uma empresa especializada faz limpeza do tipo hospitalar 4 (quatro) vezes ao dia nos dormitórios designados para isolamento;

- Foram adquiridas capas plásticas de forma a revestir os colchões utilizados pelos alunos em isolamento, de forma a facilitar a limpeza desses itens;

- Foram intensificados os serviços de limpeza, três vezes ao dia, com utilização de álcool em gel nas superfícies das salas, mesas, cadeiras, materiais e utensílios de todos os setores da Escola;

- Nas salas de aula on line os alunos sentarão em locais previamente definidos, mantendo o distanciamento recomendado. Cada turma respeitará uma sequência de entrada e saída das salas de um mesmo setor, de modo a evitarem aglomerações nos corredores; e

- Equipes médicas e psicólogas, bem como de vigilância e apoio, foram designadas para, assim como acontecia antes da liberação, atuarem prontamente no atendimento a quaisquer necessidades dos alunos em prol da manutenção da saúde física e mental, e do bem-estar.

Além dos alunos, os cuidados com os demais integrantes do efetivo da Escola também estão sendo observados, como barreiras físicas e divisores de fluxo, a fim de evitar aglomerações, horários de rancho estendidos e diferenciados, manutenção de apenas 1/3 do efetivo durante o expediente, dentre outras medidas.

O Comandante da EPCAR reforça o compromisso de todo o efetivo da Nascente do Poder Aéreo neste momento de pandemia. “Reafirmo o compromisso de todo o efetivo da Escola com a saúde, a proteção à vida e o bem-estar de todos os alunos e demais integrantes da EPCAR”, concluiu o oficial-general.

CORREIO DE MINAS - Mais de 500 alunos retornam as atividades na EPCAR, divididos em 3 grupos, com testes rigorosos e aulas on line


Redação | Publicada em 22/07/2020 17:54

No último dia 12 de julho (domingo), os 505 alunos do Curso Preparatório de Cadetes do Ar (CPCAR) iniciaram seu retorno às atividades na Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), em Barbacena, Organização Militar que tem a missão de preparar os alunos para ingresso no Curso de Oficiais Aviadores, realizado na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga-SP.

Inicialmente, aqueles alunos que apresentaram resultado negativo para a COVID-19, nos testes realizados em maio, passaram por uma primeira triagem, por meio de Telemedicina, quando médicos do Esquadrão de Saúde entraram em contato telefônico com esses alunos ainda em suas residências. Aqueles considerados casos suspeitos pela equipe médica só retornarão à Escola após cumprirem isolamento domiciliar por 14 dias.

Os alunos foram divididos em três grupos, que retornam à Escola em três momentos distintos. O primeiro grupo é composto pelos alunos que não haviam sido infectados pela COVID19 e foram liberados na primeira triagem (Telemedicina).

No exato momento em que chegaram à Escola, esses alunos foram submetidos à segunda triagem, uma análise clínica presencial pelos médicos do Esquadrão de Saúde, a fim de identificarem os sintomáticos. Logo em seguida, foram submetidos à terceira triagem, que consistiu na realização do teste (RT-PCR) para a COVID-19. Dos 244 testes realizados até o momento, 9 alunos, de 3 estados distintos (4 de Minas Gerais, 4 do Rio de Janeiro e 1 de São Paulo), testaram positivo para a COVID-19. Todos os alunos estão assintomáticos e permanecem isolados desde o momento em que chegaram à Escola, bem como aqueles que com eles tiveram qualquer contato. Esses dois grupos cumprem isolamento em ambientes separados.

Dois dias após o retorno desse primeiro grupo, houve o retorno do segundo grupo, aqueles alunos que já haviam testado positivo para a COVID-19, comprovados por testes realizados em maio na EPCAR ou em seus municípios, e que já tinham cumprido o protocolo de isolamento.

O terceiro e último grupo será dos alunos que foram identificados como casos suspeitos durante a primeira triagem, após cumprirem os 14 dias de isolamento em suas residências. Este grupo retornará no dia 26 de julho, os alunos serão testados e seguirão os protocolos preconizados pelos
órgãos de saúde, conforme o resultado do teste.

Para receber o seu corpo discente, a EPCAR montou uma grande estrutura. Logo na chegada, todos os alunos passaram por tapetes sanitários para higienização dos seus calçados. Em seguida, receberam um kit com máscaras de pano e um frasco individual de álcool em gel 70%, além de terem todas as suas bagagens desinfectadas com produto antisséptico.

Para garantir a segurança de todos os envolvidos e minimizar as possibilidades de contaminação, o protocolo de retorno elaborado pela EPCAR foi aprovado pelo Ministério da Saúde. “A EPCAR está cumprindo todas as medidas de proteção preconizadas, além de ter submetido ao Ministério da Saúde seu protocolo de retorno e de segurança específico, o qual foi aprovado e está sendo rigorosamente cumprido”, ressalta o Comandante da EPCAR, Brigadeiro do Ar Paulo Ricardo da Silva Mendes.

Exemplo disso é que as aulas presenciais permanecem suspensas. Além das aulas on line em tempo real, os alunos ainda fazem uso do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), implantado na EPCAR durante a pandemia, que contempla todas as disciplinas com atividades que podem ser desenvolvidas de maneira assíncrona, com a mediação remota do professor ou instrutor.

Outras medidas de prevenção Além das aulas on line, várias medidas de segurança foram implantadas:

– Os alunos isolados recebem as seis refeições diárias em seus próprios apartamentos.
– Toda a área interna da unidade foi mapeada, criando itinerários específicos para o trânsito dos alunos e dos demais integrantes do efetivo, a fim de impedir que transitem pelos mesmos corredores, calçadas, escadas, pátios e áreas afins;
– Todos os alunos fazem seus deslocamentos no interior da Escola Preparatória em fila indiana, mantendo o distanciamento mínimo de 2 metros entre eles;
– A prática de esportes coletivos e de contato continuará suspensa. Foram adquiridas 50.000 (cinquenta mil) máscaras descartáveis, mais leves, a fim de que os alunos realizem a prática esportiva, de forma individual, protegidos;
– Foram adquiridos 2.000 (dois mil) frascos individuais de álcool em gel 70%, já distribuídos para todos os alunos e demais integrantes do efetivo da EPCAR;
– Foram instalados pontos de recarga dos frascos individuais em locais estratégicos da Escola;
– Foram adquiridos 10 dispensers de álcool em gel, do tipo token, com acionamento por meio dos pés, a fim de evitar o toque das mãos nos fracos;
– Foram distribuídas 50.000 (cinquenta mil) luvas descartáveis para serem utilizadas pelos alunos ao se servirem no refeitório;
– Foram adquiridos 395 (trezentos e noventa e cinco) tapetes sanitários para higienização dos calçados, sendo instalados em todas as portas de entrada das diversas salas e setores da EPCAR, além dos dormitórios dos alunos;
– As mesas do refeitório dos alunos estão sendo ocupadas por no máximo três alunos, a fim de aumentar o espaçamento, sendo um aluno que não tenha sido contaminado pelo vírus e os outros dois que já superaram a doença, criando assim a “barreira sanitária” preconizada pela Organização
Mundial de Saúde (OMS). Foram adquiridas para essas mesas placas de acrílico, a fim de criar, além da “barreira sanitária” a barreira física entre os alunos;
– Uma empresa especializada faz limpeza do tipo hospitalar 4 (quatro) vezes ao dia nos dormitórios designados para isolamento;
– Foram adquiridas capas plásticas de forma a revestir os colchões utilizados pelos alunos em isolamento, de forma a facilitar a limpeza desses itens;
– Foram intensificados os serviços de limpeza, três vezes ao dia, com utilização de álcool em gel nas superfícies das salas, mesas, cadeiras, materiais e utensílios de todos os setores da Escola;

– Nas salas de aula on line os alunos sentarão em locais previamente definidos, mantendo o distanciamento recomendado. Cada turma respeitará uma sequência de entrada e saída das salas de um mesmo setor, de modo a evitarem aglomerações nos corredores; e
– Equipes médicas e psicólogas, bem como de vigilância e apoio, foram designadas para, assim como acontecia antes da liberação, atuarem prontamente no atendimento a quaisquer necessidades dos alunos em prol da manutenção da saúde física e mental, e do bem-estar. Além dos alunos, os cuidados com os demais integrantes do efetivo da Escola também estão sendo observados, como barreiras físicas e divisores de fluxo, a fim de evitar aglomerações, horários de rancho estendidos e diferenciados, manutenção de apenas 1/3 do efetivo durante o expediente, dentre outras medidas.

O Comandante da EPCAR reforça o compromisso de todo o efetivo da Nascente do Poder Aéreo neste momento de pandemia. “Reafirmo o compromisso de todo o efetivo da Escola com a saúde, a proteção à vida e o bem-estar de todos os alunos e demais integrantes da EPCAR”, concluiu o oficial-general.