NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL R7


Avião da FAB joga 12 mil litros de água na Serra da Mantiqueira

Como as chamas chegaram a áreas de penhasco, helicópteros da Polícia Militar e aviões são utilizados para controlar incêndio que atinge a região

Da Redação | Publicada em 20/07/2020 20:41

Após quatro dias de incêndio que na Serra da Mantiqueira, na divisa paulista com Minas Gerais, o avião Hércules, da FAB (Força Aérea Brasileira), foi acionado para apagar as chamas, que alcançaram áreas de penhasco, de difícil acesso. Segundo o Corpo de Bombeiros, o avião já descarregou mais de 12 mil litros de água na área atingida. 

Na noite deste domingo (19), 37 bombeiros pernoitaram no acampamento próximo ao Pico da Pedra da Mina, trabalhando para conter o fogo, segundo informações do Corpo de Bombeiros

Desde a última sexta-feira (17), as chamas consomem uma extensa área vegetal da Serra Fina, pico mais alto de São Paulo e o quarto mais alto do Brasil, que tem 2.798 metros de altitude e integra a Serra da Mantiqueira. O fogo já atingiu uma área correspondente a 500 campos de futebol.

Como é impossível a ação por terra, são usados os helicópteros e os aviões, com o Bambi Bucket, uma espécie de grande balde para pegar água de um lago próximo e levá-la até o incêndio.

Origem do Incêndio

O incêndio começou em território mineiro na quinta-feira (16) e na sexta atingiu a área paulista. Os bombeiros instalaram um posto de comando na cidade de Cruzeiro, no campo da Faculdade de Educação Física.

A partir de lá, as equipes são transportadas no helicóptero Águia da Polícia Militar  até a região do incêndio. O acesso por terra só é possível a partir do território mineiro e leva cerca de dois dias de caminhada, segundo a corporação.

Com o aumento do efetivo em operação, foram disponibilizados dois helicópteros em tempo integral para apoio: um Águia e um Augusta destinado ao transporte da tropa.

TV BRASIL


Brasil recebe mais um carregamento de máscaras


Da Redação | Publicada em 20/07/2020 09:45

Chegou ontem a noite ao Brasil o último voo da China com equipamentos de proteção individual. A megaoperação do Ministério da Infraestrutura trouxe ao país 240 milhões de máscaras.

E 55 mil anestésicos e sedativos também foram entregues no fim de semana para hospitais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. A ação faz parte da Operação Covid-19. 

PORTAL DO GOVERNO DO BRASIL


Brasil recebe 240 milhões de máscaras compradas da China

Foram realizados 39 voos para o material chegar ao País

Da Redação | Publicada em 20/07/2020 15:07

O Brasil recebeu, na noite desse domingo (19), o último voo da operação conjunta entre o Ministério da Infraestrutura e a Latam para trazer da China máscaras cirúrgicas e N95 usadas por profissionais que atuam no combate à Covid-19. Foram 39 voos realizados desde maio que trouxeram ao País 240 milhões de máscaras adquiridas pelo Governo Federal.

O primeiro voo com máscaras chegou a Guarulhos em 6 de maio. Os equipamentos de proteção são distribuídos aos profissionais de saúde nas 27 unidades da federação. As máscaras N95 são as mais indicadas para proteger profissionais expostos ao novo coronavírus.

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, afirmou que a operação foi encerrada com sucesso. “Essa operação foi fundamental para que a gente pudesse enfrentar a pandemia com segurança. A operação de proporções gigantescas, uma verdadeira operação de guerra, trouxe máscaras para os profissionais de saúde que estão enfrentando a crise nos diversos cantos do Brasil. Sem isso, nossos profissionais de saúde, nossos bravos heróis, não teriam segurança”, disse.

“As máscaras estão abastecendo unidades de saúde de todo o Brasil. A medida que elas chegam do exterior, dão entrada em Guarulhos, elas são distribuídas para e região Norte, Nordeste, Sul, Sudeste, Centro-Oeste, ou seja, profissionais de saúde do Brasil inteiro estão recebendo os equipamentos a partir dessa operação”, ressaltou Tarcísio Gomes de Freitas.

O último voo

A aeronave que chegou ao Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, na noite deste domingo, estava carregada com 3,7 milhões de máscaras modelo N95. Além do porão da aeronave, a cabine de passageiros foi adaptada para receber as 5.880 caixas com o produto.

Ao entrar no espaço aéreo brasileiro, a tripulação da aeronave foi saudada pela Força Aérea Brasileira (FAB). “A FAB dá as boas-vindas à tripulação Latam em seu retorno dessa nobre missão interministerial. Unidos no combate ao novo coronavírus, a FAB se sente orgulhosa de controlar esse voo cuja valorosa contribuição tem seu justo reconhecimento. Bem-vindos e obrigada”.

A operação em números

Para trazer 240 milhões de máscaras ao Brasil, as aeronaves percorreram, ao longo de três meses, cerca de 1,9 milhão de quilômetros, cinco vezes a distância entre a Terra e a Lua.

Foram necessárias 2.550 horas de voo, o equivalente a 106 dias inteiros no ar. No total, foram transportadas 1,2 mil toneladas de insumos dispostos em 146.661 caixas. Esse volume poderia preencher, até a borda, cinco piscinas olímpicas.

Cinco aeronaves modelo Boeing 777-300ER foram adaptadas e equipes preparadas para a megaoperação que cruzou 11 fusos horários diferentes. Mais de 300 colaboradores da companhia aérea participaram dos trabalhos.

Ações integradas

O plano de logística de transporte e distribuição foi desenvolvido pelo Ministério da Infraestrutura em março para apoiar o Ministério da Saúde e aos governos estaduais e municipais. O plano contempla ações para viabilizar a chegada do material importado, articulação com órgãos governamentais para que fosse priorizado o desembaraço aduaneiro do material e apoio na distribuição das máscaras nos estados.

PORTAL DEFESANET


Santos-Dumont: Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira


Agência Força Aérea | Publicada em 20/07/2020 13:40

O mês de julho é simbólico para a Força Aérea Brasileira (FAB). Comemora-se o nascimento do precursor daquela que seria considerada uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade e que impulsionou a indústria aeronáutica: o avião. Alberto Santos-Dumont, brasileiro, nascido em 20 de julho de 1873, inventor do avião, é motivo de orgulho para o País.

O Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira deixou para a humanidade a certeza de que todo sonho pode ser realizado, basta possuir vontade para conquistar feitos tidos como impossíveis. Santos-Dumont dedicou sua vida à aviação. Foi o primeiro aeronauta a alcançar, definitivamente, a dirigibilidade dos balões e a voar num aparelho mais pesado que o ar com propulsão própria.

Devido ao período da pandemia do novo Coronavírus, as comemorações do nascimento do Patrono da Aeronáutica estão suspensas. Porém, o Museu Aeroespacial (MUSAL) disponibilizou uma viagem ao tempo, de forma virtual. A Exposição Santos-Dumont apresenta sua história permeando a vida pessoal, inventos e curiosidades.

No acervo, a maquete com formato de asa delta, feita por Santos-Dumont no início do século, permite uma comparação com a atual configuração dos modernos jatos, além de valiosa coleção fotográfica retratando, com detalhes, sua obra e sua vida social. O coração do inventor encontra-se preservado numa redoma de metal. Para visualizar a exposição, acesse o site do Musal (https://www2.fab.mil.br/ musal), e clique na aba exposições, localizada na lateral esquerda.

Homenagem em Paris

Santos-Dumont morou por 22 anos em Paris. Desde a sua primeira ida, aos 19 anos de idade, o brasileiro impressionou a França ao construir e pilotar vários balões dirigíveis. O apartamento onde morou, na famosa avenida parisiense Champs-Élysées, nº 114, está identificado com uma placa afixada, em 2006, pelo então Adido na França, Coronel Aviador Antonio Carlos Moretti Bermudez, atual Comandante da Aeronáutica.

Assista à homenagem ao Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira

Vídeo celebra, no dia 20 de julho, o aniversário de Alberto Santos-Dumont, brasileiro pioneiro na aeronáutica mundial.

PORTAL AEROFLAP


Com Vídeo: Aniversário de Santos-Dumont, O Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira


André Magalhães | Publicada em 20/07/2020 11:25

O mês de julho é simbólico para a Força Aérea Brasileira (FAB). Comemora-se o nascimento do precursor daquela que seria considerada uma das invenções mais extraordinárias da história da humanidade e que impulsionou a indústria aeronáutica: o avião. Alberto Santos-Dumont, brasileiro, nascido em 20 de julho de 1873, inventor do avião, é motivo de orgulho para o País.

O Pai da Aviação e Patrono da Aeronáutica Brasileira deixou para a humanidade a certeza de que todo sonho pode ser realizado, basta possuir vontade para conquistar feitos tidos como impossíveis. Santos-Dumont dedicou sua vida à aviação. Foi o primeiro aeronauta a alcançar, definitivamente, a dirigibilidade dos balões e a voar num aparelho mais pesado que o ar com propulsão própria.

Devido ao período da pandemia do novo Coronavírus, as comemorações do nascimento do Patrono da Aeronáutica estão suspensas. Porém, o Museu Aeroespacial (MUSAL) disponibilizou uma viagem ao tempo, de forma virtual. A Exposição Santos-Dumont apresenta sua história permeando a vida pessoal, inventos e curiosidades.

No acervo, a maquete com formato de asa delta, feita por Santos-Dumont no início do século, permite uma comparação com a atual configuração dos modernos jatos, além de valiosa coleção fotográfica retratando, com detalhes, sua obra e sua vida social. O coração do inventor encontra-se preservado numa redoma de metal. Para visualizar a exposição, acesse o site do Musal (https://www2.fab.mil.br/ musal), e clique na aba exposições, localizada na lateral esquerda.

HOMENAGEM EM PARIS

Santos-Dumont morou por 22 anos em Paris. Desde a sua primeira ida, aos 19 anos de idade, o brasileiro impressionou a França ao construir e pilotar vários balões dirigíveis. O apartamento onde morou, na famosa avenida parisiense Champs-Élysées, nº 114, está identificado com uma placa afixada, em 2006, pelo então Adido na França, Coronel Aviador Antonio Carlos Moretti Bermudez, atual Comandante da Aeronáutica