NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G1


Sexto satélite feito em parceria entre Brasil e China, Cbers-4A é lançado ao espaço

Equipamento foi colocado em órbita a partir da base em Taiyuan, na China. Novo aparelho vai substituir o Cbers-4 e terá como foco o monitoramento da Amazônia.

Publicada em 20/12/2019 01:57

O satélite Cbers-4A, sexto projeto feito em parceria entre Brasil e China, foi lançado ao espaço na madrugada desta sexta-feira (20). O equipamento foi colocado em órbita pelo foguete longa marcha 4B, a partir da base de lançamento em Taiyuan, na China.

Inicialmente previsto para 0h20, o lançamento foi adiado em dois minutos e o sucesso da operação foi confirmado 0h37, quando o aparelho entrou em órbita e iniciou o processo de abertura do painel solar.

O processo foi acompanhado por técnicos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em São José dos Campos (SP), via conexão telefônica. A transmissão foi acompanhada por uma plateia de convidados e autoridades.

“Cinco anos após o bem sucedido lançamento do satélite Cbers-4, junta-se a ele mais um satélite sino-brasileiro. Continuamos, portanto, assegurando o monitoramento do território brasileiro, com aplicações em alerta e desmatamento, monitoramento da vegetação e agricultura e estudos de hidrologia e meio ambiente. O Inpe tem orgulho em participar de mais um caso de sucesso do programa espacial brasileiro”, disse Ronald Buss de Souza, diretor substituto do Inpe.

O ministro da ciência, tecnologia, inovação e comunicações, Marcos Pontes, acompanhou o lançamento na China acompanhado de uma comitiva.

A construção do equipamento começou em 2015 e custou cerca de R$ 190 milhões - metade do valor foi custeado pelo Brasil. Duzentos cientistas trabalharam no projeto.

O Cbers-4A vai substituir o Cbers-4, que está no limite da vida útil, e terá como foco a Amazônia. Segundo o Inpe, o satélite foi programado para dar 14 voltas por dia em torno da Terra. O foco será o mapeamento de queimadas e o fornecimento dados à agricultura. O Cbers 4-A deverá operar por ao menos cinco anos.

Ainda no Brasil, a revisão foi feita por especialistas do Inpe com cientistas da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial - foram reunidos quase 60 profissionais nesta etapa.

Antes do embarque, testes foram feitos em abril. O equipamento chegou à base chinesa em novembro.

O prazo original de lançamento do Cbers-4A era para dezembro de 2018, mas a data foi revista devido à redução dos repasses ao Inpe acabou adiando o lançamento. O programa Cbers existe desde 1998.

PORTAL METROPOLES (DF)


FAB abre 156 vagas de estágio de adaptação para sargentos

Candidatos de ambos os sexos, com idades entre 17 e 25 anos, podem participar

Leticia Carvalho | Publicada em 19/12/2019 15:21

A Força Aérea Brasileira (FAB) divulgou no Diário Oficial da União desta quinta-feira (19/12/2019) a abertura do concurso de Exame de Admissão ao Estágio de Adaptação à Graduação de Sargentos (EA EAGS), com oferta de 156 vagas em 10 especialidades. As inscrições vão do dia 13 de janeiro a 12 de fevereiro.

As oportunidades de ingresso são para homens e mulheres com idade entre 17 e 25 anos desde que tenham o curso técnico de nível médio relativo à especialização desejada. As 156 vagas estão distribuídas entre eletrônica (26 vagas), administração (40 vagas), enfermagem (42 vagas), eletricidade (10 vagas), informática (16 vagas), laboratório (5 vagas), obras (6 vagas), pavimentação (3 vagas), radiologia (5 vagas) e topografia (3 vagas).

Além das provas de conhecimentos básico e específicos, os inscritos também passam por inspeção de saúde, exame de aptidão psicológica, avaliação de condicionamento físico e prova prática. Após o processo seletivo, os aprovados estão habilitados a realizarem a matrícula no estágio de adaptação.

O curso é realizado em regime de internato na Escola de Especialistas da Aeronáutica, localizada em Guaratinguetá, interior de São Paulo, e tem duração de 24 semanas, distribuídas ao longo de um ano. Os alunos têm direito à remuneração mensal de R$ 1.066, além de alojamento, alimentação, fardamento e assistência médico-hospitalar e odontológica. Ao se formarem, aqueles que tiverem melhor desempenho são graduados a terceiro sargento, com soldo de R$ 3.825.

Seleções da FAB

Assim como ocorre com as demais Forças Armadas, a Aeronáutica tem um calendário anual de seleções para formação militar e técnico-especializado. Além da EA EAGS, quem tem o ensino médio completo regular pode se candidatar ao Curso de Formação de Sargentos (CFS) e nos cursos de formação de Oficiais Intendentes (CFOINT), Aviadores (CFOAV) e de Infantaria (CFOINF), apenas o último é exclusivo aos homens. Os jovens de 14 a 18 anos com nível fundamental completo têm oportunidades no Curso Preparatório de Cadetes do Ar (EPCAR).

Os graduados têm um leque maior de possibilidades nos cursos e estágios de adaptação, desde que respeitada a idade máxima limite considerando o último dia do ano de matrícula. Os oficiais de apoio – em várias especialidades de graduação – deve ter até 32 anos. Dentistas, farmacêuticos e engenheiros, até 36 anos, e médicos, um ano menos. Os capelães precisam ter no mínimo 30 anos e, no máximo, 40.

Em todos os casos, os selecionados recebem remuneração durante a formação, estágio ou adaptação e, ao se graduarem com bom desempenho tem a possibilidade de continuar na carreira militar.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Aeronave P-3AM da FAB participa de buscas ao C-130 da Força Aérea Chilena


Anne Flores | Publicada em 19/12/2019 15:37

A aeronave da Força Aérea Brasileira (FAB) P-3AM Orion, operada pelo Esquadrão Orungan (1º/7º Grupo de Aviação), sediado na Ala 12, em Santa Cruz (RJ), realizou, desde quarta-feira (11/12), missões de busca ao avião C-130 Hércules da Força Aérea Chilena.

As tripulações da FAB atuaram junto ao Centro Coordenador de Salvamento Punta Arenas, em uma área de 700X250 km, sobre o Mar de Drake.

O Capitão Aviador Kaê Miranda Silva, do efetivo do Esquadrão Orungan, envolvido nas buscas, falou sobre as missões realizadas. “O perfil dos voos era definido em conjunto com  a equipe do Centro Coordenador”, descreveu.

O P-3AM operou a partir da Base Aérea Chabunco, em Punta Arenas, e realizou seis missões, contabilizando aproximadamente 46h de voo na área de busca, totalizando cerca de 62 horas de missão. Ao todo, 26 militares da FAB estiveram envolvidos nas atividades, entre tripulantes e pessoal de apoio de solo – cada missão envolveu 14 militares a bordo da aeronave.

“A palavra busca SAR é mergulhar, profundamente, numa das missões mais nobres que o nosso Esquadrão realiza”, disse o Sargento Wesley Lemos Nascimento, Observador SAR.

Participaram da busca aeronaves e embarcações do Chile, Brasil, Argentina, Estados Unidos, Reino Unido e Uruguai, além de satélites chilenos e internacionais.

P-3AM Orion

A aeronave – um quadrimotor que utiliza diversos recursos eletrônicos – possui um dos mais modernos sistemas para identificação por radar e dispõe do mecanismo Forward Looking Infra-Red (FLIR), que complementa as informações dos tráfegos marítimos, fornecendo imagens nítidas e claras, mesmo no período noturno.

Redes Sociais

A Força Aérea do Chile (FACH), por meio da sua página no Twitter, agradeceu a participação da Força Aérea Brasileira na Operação “Paso Drake”, nas buscas à aeronave C-130 acidentada.

DEFESA.COM.BR - Operação Gota leva vacinas a indígenas e moradores de áreas rurais e ribeirinhas da região Norte


Lane Barreto/md | Publicada em 19/12/2019 22:38

O Ministério da Defesa (MD) apoia campanha para garantir que comunidades de áreas de difícil acesso da região Norte possam receber as vacinas do calendário básico do Ministério da Saúde.

Iniciada em novembro deste ano, a ação de vacinação já atendeu populações ribeirinhas do Médio Rio Purus (AM) e de localidades isoladas próximas à cidade de Altamira (PA). A atual fase da ação ocorre, até o dia 22 de dezembro, em áreas rurais e ribeirinhas do município do Oiapoque e do Distrito Sanitário Indígena do Amapá, ambos localizados no estado do Amapá.

Essa é a terceira fase da Operação Gota que ocorre neste ano. As duas primeiras etapas foram realizadas em novembro e imunizaram mais de mil pessoas. Na atual fase, existe a previsão de que cerca de 600 doses sejam aplicadas.

“Colocamos à disposição do Ministério da Saúde nossos meios, que são helicópteros e aeronaves, para fazer o transporte, não só das equipes e das vacinas, mas também de todo o apoio logístico necessário para a Operação”, esclarece o assessor da Subchefia de Operações do MD, Coronel da Força Aérea Brasileira Juraci Muniz de Santana.

Além do apoio da Aeronáutica, com o emprego de cerca de 200 militares e de seis aeronaves, a Operação Gota conta com as parcerias das secretarias estaduais e municipais de Saúde e dos Distritos Sanitários Indígenas (DSEIs) das localidades envolvidas nas atividades de imunização.

Richardson Alex de Moura Oliveira é médico na comunidade de Sucuriju, localizada a 310 km da capital Macapá (AP). Ele relata a mobilidade que os helicópteros da FAB proporcionam neste período do ano, denominado inverno amazônico.

“Principalmente agora, quando começa o inverno, se não fosse pelo helicóptero, seria difícil ir de barco, por causa das marés. O barco não é considerado um meio tão seguro”, explicou o profissional de saúde.

Para 2020, seis missões da Operação Gota estão programadas para serem realizadas entre os meses de janeiro e março. A previsão é de que ocorram etapas nos Distritos Sanitários Especiais Indígenas no Alto do Rio Purus e no Alto do Rio Juruá, no Acre; no Médio Rio Solimões, no Vale do Javari e no Alto do Rio Negro, no estado do Amazonas; e em Santarém e na localidade de Oriximiná, no estado do Pará.

Há 26 anos a Operação Gota contribui para a qualidade de vida das populações ribeirinhas, rurais e indígenas da Amazônia. A ação teve início em 1993, após informação de surtos de sarampo em populações indígenas nas regiões do Purus, Juruá e Solimões.

PODER AÉREO - Novas fotos do Saab JAS 39E Gripen 6002


Publicada em 19/12/2019 23:59

Este é o primeiro Gripen E sueco com o display panorâmico, os dois primeiros voaram com os três displays antigos.

Agora são cinco caças Gripen E no programa de testes de voo, incluindo um avião da Força Aérea Brasileira.

A aeronave 6002 apresenta uma nova camuflagem splinter, em três tons de cinza.

CAVOK - FAB apoia Embraer no desenvolvimento conceitual de nova aeronave de transporte leve


Fernando Valduga | Publicada em 19/12/2019 23:59

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, recebeu, nesta quinta-feira (19/12), o Presidente da Embraer Defesa e Segurança, Jackson Schneider, para celebrar um Memorando de Entendimentos com o objetivo de formalizar a intenção da Embraer em desenvolver uma aeronave leve para transporte de carga e passageiros.

O programa vai contar com a contribuição da Força Aérea Brasileira (FAB) no que tange ao compartilhamento de expertises e necessidades militares globais para aeronaves dessa classe.

De acordo com o Tenente-Brigadeiro Bermudez, a contribuição da FAB no projeto será na área de desenvolvimento conceitual. “O objetivo desse memorando foi formalizar a intenção da Embraer em desenvolver uma aeronave leve para transporte de carga e pessoal. Esse projeto conta com a participação da Força Aérea no que tange, principalmente, ao compartilhamento de expertises, do que nós já desenvolvemos em parceria, em atendimento às necessidades operacionais da Força Aérea”, afirmou.

Também estiveram presentes na ocasião o Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Augusto Amaral Oliveira, o Vice-Chefe do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues, o Chefe da Sexta Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida e o Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic. O Presidente da Embraer Defesa e Segurança falou sobre o projeto a ser desenvolvido em cooperação com a FAB. “É mais um passo nessa longa história de relacionamento fraterno entre a FAB e a Embraer, que nasceu dentro da FAB e continua extremamente ligada à FAB. Essa assinatura de hoje é extremamente importante para a Embraer”, disse.

Características do projeto a ser desenvolvido pela Embraer

Voltado para servir localidades remotas com pistas curtas, estreitas e não pavimentadas, o novo vetor levará em consideração diversas necessidades operacionais, como transporte de carga e pessoal em áreas de selva, alcance a principais aeroportos da América do Sul, lançamento de paraquedistas, extração de pallets e transporte de enfermos. Algumas características da aeronave são a capacidade de decolar com carga máxima útil de ao menos 3 mil quilos, a partir de uma pista de até 1,2 mil metros, e operar em ambiente amazônico.

A aeronave é conceitualmente híbrida incorporando motores de características turboélice e elétricos, deve ser resistente, econômico e vanguarda tecnológica.

Aeronave híbrida

Um dos conceitos a serem implantados no desenvolvimento da aeronave é o da sustentabilidade, como explica o Tenente-Brigadeiro Amaral. “Será um produto moderno, disruptivo, uma vez que se pretende utilizar dessas tecnologias de sustentabilidade, que hoje estão tão em voga, trabalharmos com o meio ambiente. Uma aeronave que atenda a operação nesses diversos ambientes que temos no nosso país, desde pistas não preparadas até pistas totalmente equipadas.”