NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 323/2019 - 19/11/2019

Publicado: 19/11/2019 - 08:28h
JORNAL ESTADO DE MINAS

PORTAL G1

AGÊNCIA REUTERS

PORTAL DEFENSA.COM (ESPANHA)

JORNAL O VALE (S.J. DOS CAMPOS -SP)

JORNAL O POVO (CE)

PORTAL SPUTNIK BRASIL

PORTAL TERRA

PORTAL DEFESANET

PORTAL AIRWAY

PODER360 (DF)

OUTRAS MÍDIAS

JORNAL ESTADO DE MINAS


Embraer anuncia joint venture com Boeing para promover C-390 Millennium


Estadão Conteúdo | Publicada em 18/11/2019 07:31

A Embraer anunciou nesta segunda-feira, 18, durante o Dubai Air Show, que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

Segundo a Embraer, o C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para "estabelecer novos padrões em sua categoria", apresentando "o menor custo de ciclo de vida" no mercado.


A Embraer informou ainda a formação de uma joint venture com a Boeing para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium. A joint venture, chamada Boeing Embraer - Defense, só começará a operar quando receber todas as aprovações regulatórias, disse a empresa.

PORTAL G1


Embraer anuncia nome de joint venture com Boeing para promover avião cargueiro

Parceria visa desenvolvimento de novos mercados para KC-390, que passará a ser chamado C-390 Millennium.

Por G1 | Publicada em 18/11/2019 07:56

A Embraer e a Boeing anunciaram nesta segunda-feira (18) que a joint venture (nova empresa) criada pelas companhias para promover e desenvolver novos mercados para a aeronave C-390 Millennium será chamada "Boeing Embraer – Defense". A parceria ainda está sob análise de órgãos internacionais.

"A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos regulatórios e cumprir com as condições para a conclusão das negociações", informou a Embraer, em comunicado.

O C-390 Millennium é um cargueiro militar e até então era chamado de KC-390. Esse é o maior avião já produzido no Brasil e a companhia tem um acordo para a produção seriada de 28 aeronaves para Força Aérea Brasileira (FAB).

"A nova designação reflete maior flexibilidade e valor para os operadores que procuram uma aeronave para realizar missões de transporte aéreo e mobilidade aérea, entre outros", informou a companhia.

O cargueiro recebeu a Certificação Civil da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em 2018. Em agosto de 2019, Portugal assinou um contrato para adquirir cinco aeronaves com entregas previstas para 2023. A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu sua primeira aeronave em 4 de setembro de 2019. A entrega da segunda aeronave para a Força Aérea Brasileira está prevista para ocorrer no 4º trimestre.

"O C-390 Millennium é capaz de executar uma variedade de missões, como reabastecimento aéreo, transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de carga e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios e missões humanitárias", acrescentou.

A parceria é uma das duas joint ventures planejadas entre as empresas e anunciadas no final de 2018. A Embraer terá 51% de participação na Boeing Embraer - Defense, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes.

Já a "Boeing Brasil - Commercial" será uma joint venture composta pelas operações de aviação comercial da Embraer, com 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer.

Ambas parcerias continuam sujeitas à aprovação regulatória e às condições habituais de conclusão das negociações. "As empresas esperam que a transação seja concluída no início de 2020", destacou a Embraer.

Uma das autorizações mais aguardadas é a da Comissão Europeia. O órgão antitruste da União Europeia decidiu estender a análise da operação e, na última segunda-feira, retirou o prazo final para a investigação, à espera de informações adicionais que foram solicitadas às companhias, destaca o Valor Online.

Pedidos firmes com a Air Peace e a CIAF Leasing

A Embraer informou no domingo (17) que assinou pedidos firmes com a Air Peace e a CIAF Leasing, em contratos avaliados em US$ 374 milhões, afirmando que os novos aviões serão adicionados à carteira de pedidos (backlog) da companhia do quarto trimestre de 2019.

A Air Peace, maior companhia aérea da Nigéria e da África Ocidental, assinou pedido firme para três jatos E195-E2 adicionais. Segundo a Embraer, o contrato está avaliado em US$ 212,6 milhões, com base nos preços atuais de lista.

Já o pedido firme para três aeronaves E190 assinado com a CIAF Leasing, companhia sediada no Cairo, está avaliado em US$ 161,4 milhões, também com base nos atuais preços de lista.

Parcerias para crescer: histórico de cooperações com outras empresas geraram soluções inovadoras

De aviões elétricos a navios, gigante da aviação está envolvida em diversos empreendimentos em que conta com a colaboração de outras corporações

Embraer | Publicada em 19/11/2019 00:06

Um avião movido 100% a eletricidade. A novidade que deve ganhar os ares do Brasil nos próximos anos é fruto de uma das várias cooperações de sucesso entre a Embraer e outras empresas.

Em 2019, a fabricante assinou um acordo de cooperação tecnológica com a multinacional brasileira WEG, para desenvolvimento de pesquisa conjunta em propulsão aeronáutica elétrica. A experiência da companhia de Santa Catarina em desenvolvimento de motores para trens, navios, ônibus e caminhões, agora também poderá ajudar a decolar um demonstrador da tecnologia. Pesquisadores das duas empresas trabalham juntas nesse momento para a integração dos sistemas complexos, conforme as sofisticadas especificações aeronáuticas.

Mas o avião elétrico é entre diversos outros exemplos de cooperação. Fundada em 1969, a Embraer tem uma extensa lista de interações com outras companhias: vai da parceria com a Telebras, para desenvolvimento de satélites, a um fundo de investimento aeroespacial em novos negócios, passando pela parceria com a Uber para desenvolver veículos voadores urbanos e autônomos, além de participação no programa de construção e codesenvolvimento no Brasil do caça Gripen, projetado pela empresa sueca Saab. No ano passado, ainda anunciou uma parceria estratégica com a Boeing que irá resultar em duas joint-ventures, sendo uma para aviação comercial e outra para comercialização do avião multimissão KC-390.

Parcerias no DNA da empresa

A abertura para cooperação com outras empresas é uma postura histórica. Apenas dois anos depois da sua fundação, saia dos hangares da Embraer o primeiro EMB-326 Xavante, jato de treinamento militar, ataque e foto-reconhecimento montado pela empresa sob licença da italiana Aermacchi. Unidades do Xavante foram entregues à Força Aérea Brasileira (FAB) e utilizadas por 36 anos.

No início dos anos 1980, a relação com os italianos se estreitou ainda mais com a fabricação do Aeritalia Macchi Experimental (AMX), outro caça a jato, este especializado em ataque ao solo. A partir daí, criou-se a empresa AMX International, com participação da Embraer e das italianas Aermacchi e Alenia.

O DNA cooperativo atravessou décadas e desembarcou no efervescente momento atual. Além das colaborações com Uber, Saab, Telebras e Boeing, há uma série de outros empreendimentos em que a Embraer conta com parcerias importantes.

Uma delas permitirá à empresa “mergulhar” dos ares para a água. Formado pela ThyssenKrupp Marine Systems, Embraer Defesa & Segurança e Atech, subsidiária do Grupo Embraer, o Consórcio Águas Azuis foi selecionado pela Marinha do Brasil para construir quatro navios de defesa. As embarcações fazem parte do Programa Corvetas Classe Tamandaré, mas a cooperação deve ir além, buscando novas soluções tecnológicas para futuros projetos estratégicos de defesa no Brasil.

As parcerias da Embraer também possibilitam sua atuação além das fronteiras brasileiras. Para fabricar o A-29 Super Tucano, modelo produzido nos Estados Unidos e entregue à Força Aérea dos Estados Unidos (USAF, na sigla em inglês), a empresa se uniu à americana Sierra Nevada Corporation (SNC). “A SNC, como principal contratante, está orgulhosamente servindo ao nosso país por meio desta parceria estratégica com a Embraer, ao fornecer uma aeronave superior, treinamento excepcional e manutenção e suporte especializados para esse programa da Força Aérea dos Estados Unidos”, disse o CEO da Sierra Nevada Corporation, Fatih Ozmen, na ocasião da apresentação do A-29 Super Tucano.

Seja para criar ferramentas inovadoras, construir projetos que miram o futuro ou aumentar as áreas de atuação e até o território impactado pela empresa, buscar parcerias é um movimento cada vez mais importante. Uma constatação que a Embraer já havia incorporado a sua gestão desde seus primeiros passos e que carregou consigo para percorrer com excelência as próximas etapas de sua caminhada.

AGÊNCIA REUTERS


Joint venture Boeing Embraer – Defense buscará desenvolver novos mercados para C-390 Millennium, diz fabricante brasileira


Peter Frontini | Publicada em 18/11/2019 10:04

A Embraer informou nesta segunda-feira que sua joint venture com a Boeing, que pretende desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium, será chamada Boeing Embraer-Defense.

“A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos e cumprir com as condições para a conclusão das negociações”, afirmou a Embraer, em comunicado.

A fabricante brasileira de aviões terá 51% de participação na joint venture, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes.

PORTAL DEFENSA.COM (Espanha)


C-390 Millenium: El nombre comercial del avión de transporte multipropósito de Embraer


Javier Bonilla | Publicada em 18/11/2019 09:52

Embraer anuncia en el salón Dubai Air Show el nombre y designación de su avión de transporte multipropósito, el Embraer C-390 Millennium. Fue en  2009 cuando la Fuerza Aérea Brasileña (FAB) contrató a Embraer para diseñar, desarrollar y fabricar el avión para reemplazar su flota C-130. Las entregas a la FAB comenzaron en septiembre pasado.

El C-390 Millennium es un avión de transporte táctico  que busca establecer nuevos estándares en su clase y  el costo de ciclo de vida más bajo. Algunas de las características clave de la aeronave son su movilidad, diseño robusto, flexibilidad, tecnología de punta probada y fácil mantenimiento. Además, el C-390 Millennium puede realizar una variedad de misiones, tales como transporte de carga y tropas, lanzamiento aéreo y de paracaídas, búsqueda y rescate, lucha contra incendios aéreos, evacuación médica y misiones humanitarias. La designación KC-390 se mantendrá para los clientes que hayan optado por la capacidad de reabastecimiento aéreo.  Además, la denominación C-390 abre la puerta a su uso por parte de operadores privados de carga, como se pensaba años atrás cuando el Correo brasileño se estimaba su primer cliente comercial para un proyecto de Courier internacional.

"Con el C-390 Millennium, podremos ofrecer la solución adecuada a nuestros clientes de acuerdo con sus necesidades específicas", dijo Jackson Schneider, presidente y CEO de Embraer Defence & Security. “El C-390 es un avión altamente capaz. Su combinación inigualable de velocidad, carga útil y reconfiguración rápida para operaciones de varias misiones son los pilares de su notable productividad ".

Semanas atrás, a nivel periodístico se lo había comenzado a denominar informalmente “Zeus”, ya que se observó esa identificación en los distintivos de los primeros pilotos de la FAB que recibieron el ejemplar inicial de los encomendados, observando en el caso que Zeus era precisamente el padre de Hércules, ironizando, en parte acerca de la rivalidad entre ambos modelos.

El C-390 Millenium obtuvo la certificación civil de la Agencia Nacional Brasileña de Aviación (ANAC) el pasado año 2018 y está ya en producción. En agosto de 2019 Portugal firmó un pedido de cinco aparatos que serán entregados a partir de 2023, mientras que la Fuerza Aérea de Brasil (FAB) recibió su primer aparato el 4 de septiembre de 2019, estando previsto que el segundo sea entregado antes de que acabe el año. (Javier Bonilla, corresponsal del Grupo Edefa en Brasil)

JORNAL O VALE (S.J. DOS  CAMPOS -SP)


Embraer muda nome de avião em nova parceria com Boeing

KC-390 passa a se chamar Embraer C-390 Millennium na Boeing Embraer - Defense

Publicada em 18/11/2019 08:30

A Embraer anunciou nesta segunda-feira (18) no Dubai Air Show o nome e a designação de sua aeronave de transporte multimissão, o Embraer C-390 Millennium, antes chamada de KC-390.

“A nova designação reflete maior flexibilidade e valor para os operadores que procuram uma aeronave para realizar missões de transporte aéreo e mobilidade aérea, entre outros”, informou a fabricante.

A Embraer e a Boeing também anunciaram o nome da segunda joint venture que farão, esta para promover a venda do C-390 Millennium. A empresa vai se chamar Boeing Embraer – Defense.

A Embraer terá 51% de participação na Boeing Embraer - Defense, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes.

JORNAL O POVO (CE)


Embraer anuncia joint venture com Boeing para promover C-390 Millennium


Agência Estado | Publicada em 18/11/2019 07:59

A Embraer anunciou nesta segunda-feira, 18, durante o Dubai Air Show, que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

Segundo a Embraer, o C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para "estabelecer novos padrões em sua categoria", apresentando "o menor custo de ciclo de vida" no mercado.

A Embraer informou ainda a formação de uma joint venture com a Boeing para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium. A joint venture, chamada Boeing Embraer - Defense, só começará a operar quando receber todas as aprovações regulatórias, disse a empresa.

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Embraer anuncia novo nome do KC-390 após acordo com a Boeing


Publicada em 18/11/2019 10:39 | Atualizado em 18/11/2019 12:01

A Embraer e a Boeing anunciaram nesta segunda-feira (18) durante o Dubai Air Show o novo nome e a designação de sua aeronave de transporte multimissão, antigo KC-390.

A partir da fusão com a estadunidense a aeronave passará a se chamar C-390 Millennium.

O KC-390 era o maior avião já produzido no Brasil e a companhia vai manter a produção das aeronaves que já estavam negociadas. Além disso existirá a opção de manter a designação KC-390 para quem optou por comprar a aeronave com capacidade de reabastecimento aéreo.

"O C-390 Millennium pode executar uma variedade de missões, como transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de cargas e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios, evacuação médica e missões humanitárias. A designação KC-390 será mantida para os clientes que optaram pela capacidade de reabastecimento aéreo", escreveu a Embraer em um comunicado.

Em agosto deste ano, Portugal assinou um contrato para adquirir cinco aeronaves com entregas previstas para 2023. A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu sua primeira aeronave em 4 de setembro de 2019.

A joint venture criada pelas companhias para promover novos mercados para a aeronave C-390 Millennium se chamará "Boeing Embraer – Defense". Órgãos internacionais ainda precisarão aprovar a parceria.

A Embraer terá 51% de participação na Boeing Embraer - Defense, enquanto a Boeing vai ficar com os 49% restantes.

PORTAL TERRA


Embraer anuncia joint venture com Boeing para promover C-390 Millennium

A Embraer anunciou nesta segunda-feira, 18, durante o Dubai Air Show, que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium.

Estadão Conteúdo | Publicada em 18/11/2019 08:43

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

Segundo a Embraer, o C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para "estabelecer novos padrões em sua categoria", apresentando "o menor custo de ciclo de vida" no mercado.

A Embraer informou ainda a formação de uma joint venture com a Boeing para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium. A joint venture, chamada Boeing Embraer - Defense, só começará a operar quando receber todas as aprovações regulatórias, disse a empresa.

Joint venture Boeing Embraer - Defense buscará desenvolver novos mercados para C-390 Millennium, diz fabricante brasileira


Peter Frontini | Publicada em 18/11/2019 10:07

A Embraer informou nesta segunda-feira que sua joint venture com a Boeing, que pretende desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium, será chamada Boeing Embraer-Defense.

"A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos e cumprir com as condições para a conclusão das negociações", afirmou a Embraer, em comunicado.

A fabricante brasileira de aviões terá 51% de participação na joint venture, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes.

Cargueiro militar da Embraer agora se chama Millennium

Nova marca dá início a parceria com Boeing

Roberto Godoy | Publicada em 19/11/2019 04:11

O gigante da Embraer mudou de nome. Agora atende por C-390 Millennium. E tem novas habilidades: entre elas, um sistema de defesa contra fogo pesado que aumenta a capacidade em missões de deslocamento de forças especiais. O cargueiro militar pode levar até 26 toneladas. Os recursos para desembarque rápido em condições críticas permitem uma redução da exposição ao inimigo.

O desenvolvimento da aeronave foi iniciado em 2009, sob contrato da Força Aérea Brasileira (FAB) para fornecimento de 28 KC-390, por US$ 7,2 bilhões. A fase de pesquisa e projeto consumiu US$ 2 bilhões. A aviação militar de Portugal, primeiro cliente externo, comprou cinco aviões por cerca de US$ 1 bilhão.

A demanda mundial para essa classe de cargueiro é estimada em 700 unidades nos próximos 12 anos - um mercado da ordem de US$ 50 bilhões. Como concorrente, o C-390 tem o Hércules C-130J, dos Estados Unidos, um robusto quadrimotor turboélice em uso por 17 países, e que fez seu primeiro voo há 65 anos, em 1954.

O modelo brasileiro, produzido em Gavião Peixoto (SP), é um jato de duas turbinas, opera em pistas sem pavimentação, leva mais carga e tem múltipla destinação - recebe 80 soldados ou 64 paraquedistas, faz busca e salvamento, combate incêndios e cumpre tarefas humanitárias.

Parceria

O anúncio das mudanças foi feito ontem no Dubai Air Show, pelo presidente da Embraer Defesa e Segurança (EDS), Jackson Schneider, e serviu para apresentar a joint venture com a Boeing na área de defesa, destinada a desenvolver novos mercados para o C-390. A Embraer terá 51% de participação na joint venture, e a Boeing ficará com os 49% restantes.

Embraer e Boeing também aguardam conclusão do acordo que criará uma parceria em jatos comerciais, na qual o grupo americano deterá 80% e o brasileiro, 20%. O acordo, fechado em julho de 2018, está na fase de aprovações regulatórias e deve ser concluído no primeiro trimestre de 2020.

PORTAL DEFESANET


Projetos estratégicos das Forças Armadas são cruciais para a proteção da Amazônia


Publicada em 18/11/2019 09:40

No último dia do Seminário Internacional de Defesa e Segurança da Amazônia (Amazon Security & Defense Exhibition - ASDX), os militares do Ministério da Defesa, da Marinha, do Exército e da Aeronáutica chegaram à conclusão de que os projetos estratégicos das Forças Armadas são fundamentais para a proteção da Região Amazônica.

De acordo com o Subchefe de Política e Estratégia do Ministério da Defesa, General de Divisão Ricardo Canhaci, o Ministério da Defesa está desenvolvendo um plano estratégico de defesa, ou seja, uma projeção do que as Forças Armadas deveriam obter e ser nos próximos 20 anos.

“Poucos países no mundo têm Plano Estratégico de Defesa porque é complexo de se estruturar. Mas o governo atual deseja ter um plano até 2040. Ele está de acordo com o artigo 142 da Constituição Federal e com a Lei Complementar 97. No próximo dia 30 de novembro, de forma antecipada, vamos encaminhar para a Casa Covil, de forma que o Presidente da República possa assiná-lo”, adiantou.

Para o Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Braga Netto, duas ferramentas são cruciais para a proteção da Região Norte: a Amazônia Protegida e o Sistema Integrado de Monitoramento da Fronteira (SISFRON). O programa Amazônia Protegida visa ampliar a capacidade operativa da Força Terrestre e das agências na Amazônia.

Por isso, o Exército está passando por uma reestruturação para ter logística sustentável, segurança energética e uma Amazônia conectada. Já o SISFRON dota as Forças Armadas dos meios necessários para garantir a efetiva presença do Estado nas áreas de interesse do território nacional, em particular, na faixa de fronteira.

 “O SISFRON é importante para o sensoriamento, apoio à decisão e apoio à operação. O Sistema garante o monitoramento, o controle e a presença do Exército em toda extensão de fronteira. Ele oferecerá mobilidade para as Forças de segurança e defesa, capacitação tecnológica e autonomia industrial”, disse o General.

O Comandante do 4º Distrito Naval, Vice-Almirante Newton Costa Neto, destacou dois projetos estratégicos em especial, da Marinha do Brasil: o Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e o Sistema de Gerenciamento da Amazônia Azul (SisGAAz).

O primeiro inclui a construção de quatro submarinos convencionais e um submarino com propulsão nuclear, ao passo que o segundo visa aumentar a eficiência na fiscalização e nas patrulhas navais nas Águas Jurisdicionais Brasileiras (AJB). “Devemos fazer a negação do uso do mar e ter o controle da área marítima da Amazônia Legal, de acordo com a Estratégia Nacional de Defesa”, lembrou o Almirante.

Por outro lado, o Chefe do Escritório de Governança Executiva do Estado-Maior da Aeronáutica, Brigadeiro do Ar Paulo Ricardo Laux, elencou os principais desafios para a Força Aérea implementar seus projetos estratégicos. “Temos que garantir a soberania nacional, prestar ajuda humanitária, combater os crimes transfronteiriços, estar preparados para os decretos de Garantia da Lei e da Ordem (GLO) e também ser capazes de atuar nos conflitos regionais”, ponderou o Brigadeiro.

Além de incorporar o I Seminário de Defesa e Proteção da Amazônia e o III Seminário Internacional de Operações na Selva, a Amazon Security & Defense Exhibition teve o propósito de exibir produtos, tecnologias, sistemas e serviços de defesa. A mostra de materiais e tecnologias de defesa serve de incentivo para a indústria de defesa nacional e internacional. Possibilita a integração entre as Forças Armadas, Organizações de Segurança Pública, Órgãos e Agências de Estado e a indústria.

Segunda aeronave SC-105 da FAB é entregue em Sevilha, na Espanha


Publicada em 18/11/2019 11:30

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez recebeu, nesta quinta-feira (14), em Sevilha, na Espanha, a segunda aeronave SC-105, de Busca e Salvamento, do Projeto CLX-2, em cerimônia de entrega realizada pela empresa Airbus.

O evento contou com a presença do Embaixador do Brasil na Espanha, Pompeu Andreucci Neto; do Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro Engenheiro Fernando Cesar Pereira Santos; do Presidente da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC), Brigadeiro do Ar Valter Borges Malta; do Diretor de Programas da Airbus Madri, Felipe Steinmetz; de representantes do GAC-Sevilha e da Gerência do Projeto, de uma tripulação do Esquadrão Pelicano e de integrantes da Airbus.

O FAB 6551 é a primeira aeronave do projeto a ser entregue com o sistema de reabastecimento em voo, o que permitirá à mesma ser reabastecida em pleno voo e ampliar a sua capacidade operacional. Em seu discurso, o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro Bermudez, enalteceu o desempenho operacional do SC-105, com equipamentos de alta tecnologia, proporcionando, assim, maior eficácia no cumprimento de Missões de Busca e Salvamento.

"A inclusão desse vetor no acervo da FAB corrobora com nosso compromisso de Controlar, Defender e Integrar os 22 milhões de quilômetros quadrados sob a responsabilidade do Comando da Aeronáutica (COMAER)", ressaltou. Emprego O emprego da nova aeronave potencializa a operacionalidade da Aviação de Busca e Salvamento da FAB, seja nas Missões de Ajuda Humanitária ou na busca a uma aeronave acidentada, nas quais a participação do vetor é de grande relevância. Dotado de um sistema eletro-óptico, o SC-105 utiliza o espectro infravermelho, podendo detectar, por exemplo, uma aeronave encoberta pela vegetação ou até mesmo uma pessoa no mar.

 

 

PORTAL AIRWAY


KC-390 é rebatizado como C-390 Millennium

Nova denominação já é reflexo da joint venture Boing Embraer - Defense, também revelada no Dubai Air Show

Ricardo Meier | Publicada em 18/11/2019 08:53

A Embraer e a Boeing anunciaram nesta segunda-feira (18) no Dubai Air Show que a joint venture para promover e desenvolver novos mercados para o jato de transporte multimissão KC-390 se chamará “Boeing Embraer – Defense“, que tera 51% de participação da fabricante brasileira.

As duas empresas também rebatizaram o KC-390 que agora passa a ser chamado C-390 Millennium – a designação anterior será usada apenas pela Força Aérea Brasileira (FAB).

Assim como a outra joint venture, Boeing Brasil Commercial, e que assumirá a divisão de aviões comerciais, a Boeing Embraer – Defense também depende das aprovações dos órgãos regulatórios assim como de detalhes comerciais entre as duas empresas. A previsão é que o início de operação ocorra durante o primeiro semestre de 2020.

“A Boeing Embraer – Defense irá se basear no histórico de colaboração entre nossas empresas, no setor aeroespacial comercial e de defesa, para agregar maior valor ao C-390 Millennium, à medida que o avião está entrando em serviço e irá liderar a próxima geração de aeronaves de transporte e mobilidade aérea”, disse Marc Allen, presidente da Boeing para a Parceria com a Embraer e Operações do Grupo.

“O nome da nossa joint venture representa a forte parceria entre a Embraer e a Boeing que reforçará a competitividade global e ampliará os mercados potenciais para essa incrível aeronave , desenvolvendo e gerando maior valor para que o programa C-390 ofereça o melhor para nossos futuros clientes”, afirmou Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

Rival para o C-130 Hercules

O C-390 é a maior aeronave militar já desenvolvida no Brasil. O projeto surgiu da necessidade da FAB de substituir o turbo-hélice de transporte C-130 Hercules por um jato que oferecesse um desempenho superior em todos os sentidos.

Revelado em 2007, o programa do C-390 foi iniciado em 2009 e o primeiro protótipo voou em 2015. A FAB encomendou 28 unidades do cargueiro tático e recebeu o primeiro avião em setembro – a segunda aeronave será entregue até o final do ano. Em agosto, Portugal anunciou a compra de cinco C-390 que serão entregues em 2023.

A parceria com a Boeing pretende ampliar o mercado de atuação do C-390 Millennium para fazer frente ao famoso turbo-hélice da Lockheed Martin que, a despeito da idade, ainda domina essa categoria de aeronaves.

PODER360 (DF)


Boeing e Embraer anunciam aliança para vendas do novo cargueiro militar

Foi batizado de C-390 Millennium

Publicada em 18/11/2019 11:39

A Embraer e a Boeing anunciaram nesta 2ª feira (18.nov.2019) que uma joint venture entre as empresas venderá em conjunto o avião militar cargueiro KC-390, rebatizado de C-390 Millennium. O acordo será chamado Boeing Embraer – Defense.

C-390 Millennium é uma aeronave militar transporte tático capaz de realizar missões como reabastecimento aéreo, transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de carga e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios e missões humanitárias.

Esse é o maior avião já produzido pela Embraer, e foi 1 projeto conjunto entre a empresa e a FAB (Força Aérea Brasileira).

A Embraer terá 51% de participação no acordo, e a Boeing ficará com os 49% restantes. A nova parceria é uma entre as duas joint ventures planejadas pelas empresas. A outra aliança é a Boeing Brasil – Commercial que terá 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer.

As 2 joint ventures aguardam aprovação regulatória e conclusão de negociações. A conclusão da transação está prevista para o início de 2020.

OUTRAS MÍDIAS


DEFENSE NEWS - Embraer’s multimission plane gets a new name, and so does its partnership with Boeing


Valerie Insinna | Publicada em 18/11/2019 08:48

DUBAI, United Arab Emirates — Embraer is rebranding its multimission aircraft as the C-390 Millennium and will sell that plane and its KC-390 aerial refueling variant through a joint venture known as Boeing-Embraer Defense, the companies announced on Nov. 18.

Although the companies have established multiple partnerships over the years and announced the joint venture last December, Boeing and Embraer executives characterized the establishment of Boeing-Embraer Defense as a significant step forward that would set up a separate arm of the firms specifically to sell the C-390.

“There is now a company, so we share equity,” said Marc Allen, Boeing’s president of Embraer partnership and group operations, during a briefing at Dubai Airshow. “That company will have a staff of senior leaders. Already we are working through the process of identifying the senior leadership for that company. That company will then take on this operationalized responsibility for the C-390 program.”

Click here for more from the 2019 Dubai Airshow.

Allen noted that Boeing and Embraer are still waiting on regulatory approvals to set up a joint venture, though a majority of countries with jurisdiction over the process have signed off. Once established, Embraer will have 51 percent ownership of the venture, with Boeing holding the remainder.

That paradigm significantly increases Boeing’s involvement in the C-390’s future. Under past partnerships, Boeing would work with Embraer to sell the KC-390 globally based on interest from potential international customers. In contrast, the joint venture will be fully responsible for “100 percent of the sales of the C-390 program,” said Jackson Schneider, president and CEO of Embraer Defense and Security.

For Boeing, it also fills a gap in its own portfolio, giving the company a platform to market against Lockheed Martin’s C-130.

“As this airplane becomes a part of [the] Boeing-Embraer Defense company, it becomes a Boeing airplane, just as it’s also an Embraer airplane,” Allen said. “That’s a very exciting milestone for us. We don’t have a medium military airlift airplane for cargo transport.”

While Embraer formerly called its multimission aircraft the KC-390, that name will now be used for a specific variant configured for aerial refueling missions, said Schneider, who did not elaborate on how each variant would be different.

Boeing-Embraer Defense could also market a commercial version of the C-390 in the future, he added.

“We don’t have any plan specifically now,” Schneider said. “Later on, yes, why not? … I think there are [interested] parties there. I think the customer will be more than delighted to have this kind of plane in use.”

The KC-390 has hit several milestones this year. In August, Portugal became the first international customer to commit to the aircraft, inking a contract with Embraer to purchase five KC-390s, a flight simulator and support. A month later, the company delivered the first KC-390 to the Brazilian air force, and a second aircraft is set to be delivered to the service in December, Schneider said.

AEROFLAP - Joint venture Boeing Embraer – Defense desenvolverá novos mercados para o C-390 Millennium


Publicada em 18/11/2019 07:14

A Embraer e a Boeing anunciaram hoje (18/11) que sua joint venture para promover e desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium será chamada Boeing Embraer – Defense. A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos regulatórios e cumprir com as condições para a conclusão das negociações.

“A Boeing Embraer – Defense irá se basear no histórico de colaboração entre nossas empresas, no setor aeroespacial comercial e de defesa, para agregar maior valor ao C-390 Millennium, à medida que o avião está entrando em serviço e irá liderar a próxima geração de aeronaves de transporte e mobilidade aérea”, disse Marc Allen, presidente da Boeing para a Parceria com a Embraer e Operações do Grupo.

O C-390 Millennium é uma aeronave de transporte tático desenvolvida para estabelecer novos padrões na sua categoria, apresentando ao mesmo tempo o menor custo do ciclo de vida do mercado.

A aeronave oferece as vantagens dos motores a jato para desempenhar missões de transporte aéreo e de carga, com maior mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia comprovada de ponta e manutenção mais fácil e eficiente.

O C-390 Millennium é capaz de executar uma variedade de missões, como reabastecimento aéreo, transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de carga e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios e missões humanitárias.

“O nome da nossa joint venture representa a forte parceria entre a Embraer e a Boeing que reforçará a competitividade global e ampliará os mercados potenciais para essa incrível aeronave , desenvolvendo e gerando maior valor para que o programa C-390 ofereça o melhor para nossos futuros clientes”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

O C-390 Millennium recebeu a Certificação Civil da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em 2018 e agora está em plena produção. Em agosto de 2019, Portugal assinou um contrato para adquirir cinco aeronaves com entregas previstas para 2023. A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu sua primeira aeronave em 4 de setembro de 2019. A entrega da segunda aeronave para a Força Aérea Brasileira está prevista para ocorrer no 4T19.

A Embraer terá 51% de participação na Boeing Embraer – Defense, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes. A parceria do C-390 Millennium é uma das duas joint ventures planejadas entre as empresas.

A Boeing Brasil – Commercial será uma joint venture composta pelas operações de aviação comercial da Embraer, com 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer.

Ambas as joint ventures continuam sujeitas à aprovação regulatória e às condições habituais de conclusão das negociações. As empresas esperam que a transação seja concluída no início de 2020.

JE ONLINE - Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) é a mais recente parceria da FACENS

A assinatura do protocolo de intenções foi feita nesta segunda-feira (11) por representantes do órgão militar e do centro universitário

Publicada em 18/11/2019 15:11

O Centro Universitário Facens conta agora com mais uma importante parceria, com foco em pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica. Trata-se do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), que integra a Força Aérea Brasileira (FAB).

O protocolo de intenções que firmou a parceria foi assinado em uma cerimônia realizada nesta semana, com a participação do vice-diretor Geral do DCTA Major Brigadeiro Potiguara e do reitor da Facens engenheiro Paulo Roberto Freitas de Carvalho.

O DCTA é uma organização militar e instituição científica e tecnológica do Comando da Aeronáutica à qual compete planejar, gerenciar, realizar e controlar atividades relacionadas às áreas de ciência, tecnologia e inovação, no âmbito da Força Aérea Brasileira. Estão sob o comando do DCTA organizações militares voltadas à pesquisa e ao ensino, além de dois centros de lançamento:
- ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica)
- IEAv (Instituto de Estudos Avançados)
- IAE (Instituto de Aeronáutica e Espaço)
- CLBI (Centro de Lançamento Barreira do Inferno)
- CLA (Centro de Lançamento de Alcântara)

A partir de agora a Facens terá tanto a oportunidade de contribuir para o desenvolvimento de projetos relevantes do órgão militar, como a C4ISR (Divisão de Sensoriamento Remoto e Apoio à Decisão) do IEAV (Instituto de Estudos Avançados), bem como obter cooperação no desenvolvimento de novas soluções para projetos do Smart Campus Facens.
 
“O DCTA é o órgão máximo de tecnologia na Força Aérea Brasileira (FAB), que é reconhecidamente uma área de muita tecnologia e inovação. Então para nós é muito importante, pois esse contato abre portas para a troca de colaboração com outras instituições, como o ITA, o IEAV, e há agora uma possibilidade muito grande de que nossos alunos e professores desenvolvam projetos em conjunto com essas entidades. É um marco para a Facens e para Sorocaba poder ter esse convênio assinado com o DCTA”, afirma o reitor Paulo Carvalho.

O Major Brigadeiro Potiguara, vice-diretor do DCTA, também elogiou a iniciativa. “Para nós que somos de uma instituição de ciência e tecnologia, temos que compartilhar conhecimentos e reduzir as dificuldades. Quando a gente faz uma parceria dessa, o único objetivo é oferecer um bom produto ao nosso país. Que esse produto seja comum e nós todos possamos compartilhar tecnologia nossa, desenvolvendo algo cada vez melhor. Queremos trabalhar conjuntamente com a Facens em pesquisa, desenvolvimento, aplicação imediata. Eu acho que isso aqui é somente o início de uma gran de parce ria. Aqui em Sorocaba é a primeira que firmamos e estou certo de que o Parque Tecnológico de Sorocaba também pode trabalhar muito afinado com o de São José dos Campos.”

AGORA VALE - Avião cargueiro da Embraer é rebatizado com o nome de C-390 Millennium

O C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria

Publicada em 18/11/2019 12:13

Durante o evento Dubai Air Show, a Embraer e a Boeing anunciaram nesta segunda-feira (18) que o avião cargueiro multimissão produzido pela joint venture (nova empresa) foi rebatizado. A aeronave será chamada C-390 Millennium . A parceria entre as duas empresas ainda está sob análise de órgãos internacionais.

De acordo com a Embraer, a nova designação reflete maior flexibilidade e valor para os operadores que procuram uma aeronave para realizar missões de transporte aéreo e mobilidade aérea, entre outros. O jato cargueiro C-390 Millennium é uma aeronave de transporte tático projetada para estabelecer novos padrões em sua categoria, apresentando o menor custo de ciclo de vida no mercado.

O projeto do gigante avião da Embraer passou a ser desenvolvido a partir de 2009, quando a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB começaram em setembro passado.

"Com o C-390 Millennium, poderemos oferecer a solução adequada para nossos clientes, de acordo com suas necessidades específicas", disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. "O C-390 é uma aeronave altamente capaz. Sua combinação incomparável de velocidade, carga útil e rápida reconfiguração para operações multimissão são os pilares de sua produtividade notável".

Entre as principais características da aeronave estão: maior mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia de ponta comprovada e fácil manutenção. Além disso, o C-390 Millennium pode executar uma variedade de missões, como transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de cargas e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios, evacuação médica e missões humanitárias.

A designação KC-390 será mantida para os clientes que optaram pela capacidade de reabastecimento aéreo.

PORTAL MEON - Embraer anuncia joint venture com Boeing para promover C-390 Millennium

Embraer terá 51% de participação na joint-venture, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes

Estadão Conteúdo | Publicada em 18/11/2019 07:09

A Embraer anunciou nesta segunda-feira (18), durante o Dubai Air Show, que sua aeronave de transporte multimissão se chamará Embraer C-390 Millennium. A aeronave deverá ser vendida em conjunto com a Boeing, por meio de uma joint-venture.

Segundo a Embraer, o C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para "estabelecer novos padrões em sua categoria", apresentando "o menor custo de ciclo de vida" no mercado. 

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave, em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB tiveram início em setembro.

Durante o evento, a Embraer informou ainda a formação de uma joint venture com a Boeing para promover e desenvolver novos mercados para o C-390 Millennium. A nova empresa, chamada Boeing Embraer - Defense, só começará a operar quando receber todas as aprovações regulatórias.

Pelo acordo, a fabricante de aeronaves brasileira terá 51% de participação na Boeing Embraer - Defense, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes. 

AEROFLAP - Embraer lança o C-390 Millennium, um avião de transporte militar multimissão


Publicada em 18/11/2019 06:41

A Embraer anunciou hoje no Dubai Air Show o nome e a designação de sua aeronave de transporte multimissão, o Embraer C-390 Millennium. A nova designação reflete maior flexibilidade e valor para os operadores que procuram uma aeronave para realizar missões de transporte aéreo e mobilidade aérea, entre outros.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB começaram em setembro passado.

O C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria, apresentando o menor custo de ciclo de vida no mercado. Algumas das principais características da aeronave são: maior mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia de ponta comprovada e fácil manutenção.

Além disso, o C-390 Millennium pode executar uma variedade de missões, como transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de cargas e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios, evacuação médica e missões humanitárias. A designação KC-390 será mantida para os clientes que optaram pela capacidade de reabastecimento aéreo.

“Com o C-390 Millennium, poderemos oferecer a solução adequada para nossos clientes, de acordo com suas necessidades específicas”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “O C-390 é uma aeronave altamente capaz. Sua combinação incomparável de velocidade, carga útil e rápida reconfiguração para operações multimissão são os pilares de sua produtividade notável”.

Voando mais rápido e agregando mais valor, o Millennium é a plataforma ideal para os principais cenários de utilização de uma aeronave de transporte aéreo. Um número minimizado de inspeções e uma filosofia de manutenção sob demanda, combinados com sistemas e componentes altamente confiáveis, reduzem o tempo da aeronave no solo e os custos totais da operação, contribuindo para níveis de disponibilidade excelentes e baixo custo do ciclo de vida

EMBRAER - Embraer divulga nome e designação de seu avião de transporte multimissão: C-390 Millennium


Publicada em 18/11/2019 10:00

Dubai, EAU, 18 de novembro de 2019 – A Embraer anunciou hoje no Dubai Air Show o nome e a designação de sua aeronave de transporte multimissão, o Embraer C-390 Millennium. A nova designação reflete maior flexibilidade e valor para os operadores que procuram uma aeronave para realizar missões de transporte aéreo e mobilidade aérea, entre outros.

Em 2009, a Força Aérea Brasileira (FAB) contratou a Embraer para projetar, desenvolver e fabricar a aeronave em substituição à sua frota de C-130. As entregas para a FAB começaram em setembro passado.


O C-390 Millennium é um jato de transporte tático projetado para estabelecer novos padrões em sua categoria, apresentando o menor custo de ciclo de vida no mercado. Algumas das principais características da aeronave são: maior mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia de ponta comprovada e fácil manutenção. Além disso, o C-390 Millennium pode executar uma variedade de missões, como transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de cargas e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios, evacuação médica e missões humanitárias. A designação KC-390 será mantida para os clientes que optaram pela capacidade de reabastecimento aéreo.

“Com o C-390 Millennium, poderemos oferecer a solução adequada para nossos clientes, de acordo com suas necessidades específicas”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança. “O C-390 é uma aeronave altamente capaz. Sua combinação incomparável de velocidade, carga útil e rápida reconfiguração para operações multimissão são os pilares de sua produtividade notável”.

Voando mais rápido e agregando mais valor, o Millennium é a plataforma ideal para os principais cenários de utilização de uma aeronave de transporte aéreo. Um número minimizado de inspeções e uma filosofia de manutenção sob demanda, combinados com sistemas e componentes altamente confiáveis, reduzem o tempo da aeronave no solo e os custos totais da operação, contribuindo para níveis de disponibilidade excelentes e baixo custo do ciclo de vida.

EMBRAER - Joint venture Boeing Embraer – Defense desenvolverá novos mercados para o C-390 Millennium


Publicada em 18/11/2019 11:00

Dubai, EAU, 18 de novembro de 2019 — A Embraer [B3: EMBR3, NYSE: ERJ] e a Boeing [NYSE: BA] anunciaram hoje que sua joint venture para promover e desenvolver novos mercados para a aeronave multimissão C-390 Millennium será chamada Boeing Embraer – Defense. A organização estará operacional somente depois que a joint venture das empresas receber as aprovações dos órgãos regulatórios e cumprir com as condições para a conclusão das negociações.

“A Boeing Embraer – Defense irá se basear no histórico de colaboração entre nossas empresas, no setor aeroespacial comercial e de defesa, para agregar maior valor ao C-390 Millennium, à medida que o avião está entrando em serviço e irá liderar a próxima geração de aeronaves de transporte e mobilidade aérea”, disse Marc Allen, presidente da Boeing para a Parceria com a Embraer e Operações do Grupo.


O C-390 Millennium é uma aeronave de transporte tático desenvolvida para estabelecer novos padrões na sua categoria, apresentando ao mesmo tempo o menor custo do ciclo de vida do mercado. A aeronave oferece as vantagens dos motores a jato para desempenhar missões de transporte aéreo e de carga, com maior mobilidade, design robusto, maior flexibilidade, tecnologia comprovada de ponta e manutenção mais fácil e eficiente. O C-390 Millennium é capaz de executar uma variedade de missões, como reabastecimento aéreo, transporte de carga e tropas, lançamento aéreo de carga e paraquedistas, busca e salvamento, combate aéreo a incêndios e missões humanitárias.

“O nome da nossa joint venture representa a forte parceria entre a Embraer e a Boeing que reforçará a competitividade global e ampliará os mercados potenciais para essa incrível aeronave , desenvolvendo e gerando maior valor para que o programa C-390 ofereça o melhor para nossos futuros clientes”, disse Jackson Schneider, Presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança.

O C-390 Millennium recebeu a Certificação Civil da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) em 2018 e agora está em plena produção. Em agosto de 2019, Portugal assinou um contrato para adquirir cinco aeronaves com entregas previstas para 2023. A Força Aérea Brasileira (FAB) recebeu sua primeira aeronave em 4 de setembro de 2019. A entrega da segunda aeronave para a Força Aérea Brasileira está prevista para ocorrer no 4T19.

A Embraer terá 51% de participação na Boeing Embraer - Defense, enquanto a Boeing deterá os 49% restantes. A parceria do C-390 Millennium é uma das duas joint ventures planejadas entre as empresas. A Boeing Brasil - Commercial será uma joint venture composta pelas operações de aviação comercial da Embraer, com 80% de participação da Boeing e 20% da Embraer. Ambas as joint ventures continuam sujeitas à aprovação regulatória e às condições habituais de conclusão das negociações. As empresas esperam que a transação seja concluída no início de 2020.

Informações prospectivas estão sujeitas a riscos e incertezas Certas declarações neste comunicado podem ser “prospectivas” dentro do significado da Lei de Reforma de Litígios de Títulos Privados de 1995, incluindo declarações relativas aos termos propostos da operação, a capacidade das partes cumprirem as condições para celebração ou consumação da operação e o respectivo prazo, bem como acerca dos benefícios e sinergias decorrentes da operação, e qualquer outra declaração que não se refira diretamente a qualquer fato histórico ou atual. As declarações prospectivas são baseadas em suposições atuais sobre eventos futuros que podem não ser precisos. Estas declarações não são garantias e estão sujeitas a riscos, incertezas e mudanças em circunstâncias difíceis de prever. Muitos fatores podem fazer com que os resultados reais sejam concretamente diferentes das declarações prospectivas. Como resultado, essas declarações são válidas somente a partir da data em que forem feitas e nenhuma das partes assume a obrigação de atualizar ou revisar qualquer declaração prospectiva, exceto conforme exigido por lei. Fatores específicos que podem fazer com que os resultados reais sejam concretamente diferentes dessas declarações prospectivas incluem o efeito das condições econômicas globais, a capacidade das partes de chegar a um acordo final sobre uma transação, consumar tal transação e obter sinergias antecipadas e outros fatores importantes divulgados anteriormente e periodicamente nos registros da The Boeing Company e/ou da Embraer junto à Securities and Exchange Commission.