NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G1


Vítimas de explosão de barco no Acre chegam a Brasília para tratamento em hospital

Embarcação transportava pessoas, mercadorias e gasolina, segunda polícia. Duas pessoas morreram e 16 ficaram feridas; 4 queimados vão ser tratados no DF.

Por G1 Df | Publicada em 13/06/2019 11:26

Pelo menos quatro pessoas que sofreram queimaduras graves após a explosão de um barco no estado do Acre chegam a Brasília, nesta quinta-feira (13), para tratamento no Hospital Regional da Asa Norte (Hran). A unidade de saúde pública é referência na recuperação de queimados.

O primeiro paciente chegou ao DF por volta das 9h, os outros três deverão desembarcar na capital às 20h. O transporte dos feridos está sendo feito por um avião UTI da Força Aérea Brasileira (FAB).

A previsão é de que as vítimas do acidente fiquem internadas, em tratamento, por um período de quatro a seis meses. A direção do Hran informou que os quatro bancos de tecidos do país e o Serviço Nacional de Transplantes foram acionados em busca de peles com células compatíveis com a dos pacientes.

A explosão do barco ocorreu na última sexta-feira (7), no Rio Juruá, em Cruzeiro do Sul, e deixou dois mortos e 16 pessoas gravemente feridas. Segundo a polícia e o Corpo de Bombeiros do Acre, o veículo transportava mercadorias, pessoas e combustível para municípios do interior do estado (veja detalhes abaixo).

Transporte e tratamento

O transporte dos pacientes queimados mobilizou órgãos de diversos estados. Na segunda-feira (10), duas vítimas – uma criança de 4 anos e um rapaz de 38 –, foram transferidas para hospital de Belo Horizonte. O menino sofreu queimaduras no rosto, e o adulto ficou com 80% do corpo queimados.

Em Brasília, os pacientes vão ficar internados na Unidade de Queimados do Hran. O grupo vai ser acompanhado por médicos e enfermeiros especialistas em queimaduras.

O ambulatório atende 250 pacientes por semana. Dos internados ao longo de um ano, quase metade (de 40% a 50%) é formada por crianças. A maioria das ocorrências, segundo a Secretaria de Saúde do DF, é em decorrência de acidentes domésticos com água quente, produtos inflamáveis e choque elétrico.

Explosão no Acre

A explosão da embarcação deixou duas pessoas mortas e 16 gravemente feridas. O acidente aconteceu quando o dono do barco decidiu abastecer clandestinamente direto de um caminhão pipa. As embarcações só podem ser abastecidas por balsas autorizadas.

“Segundo alguns relatos, após esse abastecimento, alguém estava manuseando uma bateria e, provavelmente, com o acúmulo de gases no local, pode ter ocorrido alguma faísca e a explosão”, diz o sargento do Corpo de Bombeiros Iranilson Neri.

Segundo grupo de refugiados venezuelanos chega a Belo Horizonte nesta quinta-feira

As 45 pessoas saíram de Boa Vista (RR). A iniciativa faz parte do projeto ‘Acolhe Minas’, do Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados da capital.

Por G1 Minas — Belo Horizonte | Publicada em 13/06/2019 17:45

Um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) trouxe nesta quinta-feira (13) a Belo Horizonte um grupo de 45 venezuelanos vindos de Boa Vista (RR). Eles fazem parte do projeto “Acolhe, Minas”, coordenado pelo Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados (SJMR), com apoio do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (Acnur) e da Arquidiocese de Belo Horizonte.

Esta é a segunda vez que refugiados da Venezuela chegam a capital mineira. O primeiro grupo, formado por 37 pessoas, veio em fevereiro deste ano. Eles foram levados para duas casas de acolhimento em Belo Horizonte e uma em Montes Claros, no Norte do estado. De acordo com o SJMR, a maioria destes refugiados conseguiu emprego e já deixou os locais.

Novo começo

Os 45 venezuelanos recém-chegados serão levados para uma paróquia em Montes Claros, para uma residência jesuíta no bairro Campo Alegre, na Região Norte da capital, e para Casa do Migrante da Arquidiocese de Belo Horizonte, no bairro Funcionários, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Uma homenagem aos refugiados está prevista para este domingo (16) na Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem.

Crise

A Venezuela vive uma longa crise econômica e política, com desabastecimento, hiperinflação, aumento nos indicadores de violências, entre outros problemas graves.

O Brasil apoiou a iniciativa de Juan Guaidó de se autodeclarar presidente interino em substituição a Nicolás Maduro, que a oposição passou a considerar um usurpador após uma reeleição de lisura amplamente questionada. No entanto, os chavistas não aceitam deixar o poder e denunciam o movimento liderado por Guaidó como uma forma de interferência estrangeira.

O país tem se posicionado a favor de uma solução diplomática para o problema, sem intervenção militar, inclusive compartilha do posicionamento do Grupo de Lima, que reúne países que defendem uma redemocratização da Venezuela, a favor de uma saída pacífica.

Segundo a ONU, o Brasil já recebeu 96 mil refugiados da Venezuela. O país é o sexto em número de imigrantes. A Colômbia recebeu 1,1 milhão, seguido do Peru (506 mil), Chile (288 mil), Equador (221 mil) e Argentina (130 mil).

PORTAL R7


Vítimas de acidente em barco no Acre começam a chegar ao ao Hran

Pacientes devem ficar internados de quatro a seis meses

Jornal De Brasília | Publicada em 13/06/2019 13:38

A Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran) recebe, nesta quinta-feira (13), quatro pacientes adultos, vítimas da explosão de um barco em Cruzeiro do Sul, no Acre, com queimaduras graves. O primeiro paciente chegou a Brasília logo após as 9h. Os outros três deverão desembarcar no Distrito Federal por volta das 20h. A previsão é de que eles fiquem internados no Hran, em tratamento, por um período de quatro a seis meses. O transporte dos pacientes está sendo feito por avião UTI da Força Aérea Brasileira (FAB).

A explosão do barco aconteceu no final da tarde da última sexta-feira (7). “Se não houvesse essa mobilização, os prognósticos deles seriam bem pior”, avalia o chefe da Unidade de Queimados do Hran, José Adorno. “Nosso propósito é resgatar essas vítimas com queimaduras graves e oferecer tratamento o mais precocemente possível, dadas as condições em que ocorreu o acidente”, esclarece José Adorno. Ele afirma: “Acionamos os quatro bancos de tecidos do país e solicitamos o apoio do Serviço Nacional de Transplantes, via centrais de regulação”.

Cooperação

A logística de transporte dos pacientes mobilizou diversos órgãos de governo. Os pacientes começaram a ser transportados ainda na manhã desta segunda-feira (10), numa operação logística articulada e colaborativa, envolvendo a Unidade de Queimados do Hran, a Sociedade Brasileira de Queimados (SBQ), a Presidência da República, o governo do Acre, a Força Aérea Brasileira, a Unidade de Queimados de Belo Horizonte, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e toda a rede integrada do Sistema Único de Saúde.

Existem, no Brasil, 46 centros de tratamento especializado em queimaduras, a maioria pertencente ao SUS. “E qualquer unidade de queimados tem a responsabilidade territorial de atender todas as demandas nesse sentido”, enfatiza Adorno. Ele explica que a Secretaria de Saúde do DF concentrou esforços para viabilizar as vagas e atender às vítimas do Acre.

Serviço

O pronto-socorro da Unidade de Queimados do Hran funciona 24 horas por dia, com a presença de médico e enfermeiro especialistas em queimaduras. O serviço realiza de dez a 15 atendimentos por dia. Quem chega pelas portas do Ambulatório, é internado, se necessário, ou encaminhado para a continuidade do cuidado, como é o caso dos pequenos queimados. O Ambulatório atende 250 pacientes por semana, funciona de segunda a sexta-feira, com agenda aberta, pela manhã e à tarde.

Os pacientes internados no terceiro andar são classificados como grandes queimados ou queimados especiais (queimadura química, de face, mão, genitália, ou grandes queimados – adultos, acima de 20% do corpo, e crianças com mais de 10% de área corporal queimada).

Por ano, a unidade atende de 250 a 300 pacientes internados. Eles recebem cuidados de equipe multiprofissional, formada por médicos clínicos, cirurgiões, anestesistas, enfermeiros, fisioterapeutas, nutricionistas, psicólogos, assistente social, terapeuta ocupacional, além de psiquiatra, quando necessário.

Vítimas

Dos internados ao longo de um ano, as crianças representam de 40% a 50%. Os traumas decorrem de acidentes domésticos com líquidos quentes (água quente), inflamáveis (álcool, gasolina), choque elétrico, produtos químicos.

“Aqui, na unidade do DF, além de atender queimados, acolhemos também pessoas com a síndrome da necrose epidérmica toxica, vítimas de reações alérgicas a medicamentos que atingem o corpo todo.Somos, inclusive, referência para os acidentes químicos, biológicos e radionucleares, o que coloca a Unidade de Queimados do Hran como estratégica para receber múltiplas vítimas, inclusive as decorrentes de ataques terroristas”, enumera José Adrono.

*Com informações da Agência Brasília

PORTAL DEFESANET


Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas visita CIASC


Publicada em 13/06/2019 06:20

Uma delegação do Ministério da Defesa, incluindo o Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (CEMCFA), Tenente-brigadeiro do Ar Raul Botelho, visitou o Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC), no mês de maio.

Durante o evento, o CEMCFA visitou diversos setores do Centro e assistiu a uma palestra sobre o Corpo de Fuzileiros Navais (CFN) na sala de aula do Curso de Aperfeiçoamento Avançado para Oficiais do CFN (C-ApA-CFN).

Em seguida, visitou o Centro de Simulação do CFN e, também, a Escola de Operações de Paz de Caráter Naval (EsOpPazNav), a qual realizou uma Demonstração Operativa. Logo após, deslocou-se para apresentação da Pista de Liderança e da Pista de Container, ambas realizadas pela EsOpPazNav, encerrando a sua visita no Programa Forças no Esporte.

O evento no CIASC foi presidido pelo Comandante do Pessoal de Fuzileiros Navais, Vice-Almirante (FN) Cesar Lopes Loureiro, e contou com a presença do Chefe de Logística e Mobilização do Estado-Maior Conjunto das Forças, General de Exército Laerte de Souza Santos; do Comandante de Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (FN) Paulo Martino Zuccaro; do Chefe do Estado-Maior do Comando de Operações Navais, Vice-Almirante Flavio Macedo Brasil; do Chefe do Gabinete do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Major-Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros; dos Comandantes das organizações militares subordinadas à Força de Fuzileiros da Esquadra e demais autoridades.

PORTAL AIRWAY


Primeiro Embraer KC-390 da FAB será exibido no Paris Air Show

KC-390 “004”: o primeiro modelo de série será entregue à FAB nas próximas semanas

Thiago Vinholes | Publicada em 13/06/2019 12:27

Já apresentado nas grandes feiras aeronáuticas pelo mundo como protótipo, o KC-390 agora será apresentado ao mercado como um produto concluído e preparado para receber pedidos. A primeira aeronave de série produzida pela Embraer tem presença confirmada no Paris Air Show, na próxima semana. Após o evento na França, esse mesmo modelo será entregue à Força Aérea Brasileira (FAB), marcando a estreia operacional do maior avião desenvolvido no Brasil.

De acordo com a fabricante, o KC-390 número 004 fará demonstrações aéreas nos dois primeiros dias da feira, que acontece entre os dias 17 e 23 de junho. A Embraer explicou que a aeronave será exibida em Le Bourget com permissão da FAB e após o evento será iniciado o processo de entrega.

Ainda não há uma data definida para a entrega do primeira aeronave da FAB. “Quem vai decidir isso é o cliente. Normalmente, por ser um marco importante, o cliente pode escolher uma data especial”, disse Jackson Schneider, presidente e CEO da Embraer Defesa & Segurança, no início deste mês na sede da Embraer em São José dos Campos.

“A produção da primeira aeronave que será entregue à FAB marca uma importante mudança na dinâmica da Embraer no mercado. O KC-390 é um avião multimissão que tem despertado grande interesse internacional e o Paris Air Show é o evento ideal para exibir a aeronave na configuração que será operada pela FAB, comprovando sua flexibilidade, desempenho e produtividade superiores”, disse Schneider

A FAB encomendou um total de 28 exemplares do KC-390 e a previsão é que todas as aeronaves sejam entregues até 2024. O novo avião multimissão da Embraer vai substituir os antigos C-130 Hercules, em serviço no Brasil desde 1964. O próximo cliente do jato militar brasileiro pode ser a força aérea de Portugal, que negocia a compra de cinco unidades.

“A expectativa para a entrada em serviço é enorme pelo fato da aeronave ser um marco na aviação militar, onde sua modernidade trará uma implementação e aperfeiçoamento na doutrina de emprego desse vetor multimissão, contribuindo sobremaneira para o cumprimento da missão da FAB de controlar, defender e integrar”, concluiu o Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, Comandante da Aeronáutica.

Produção em dia

A fábrica da Embraer em Gavião Peixoto (SP) trabalha atualmente com uma capacidade para produzir 18 aeronaves por ano. Neste momento, sete unidades correm pelas linhas de montagem, algumas em estágio avançado de montagem e já pintadas com as cores da FAB, como o Airway conferiu no começo de junho.

A unidade em Gavião Peixoto é a linha de montagem final e o centro de testes do KC-390, de onde os aviões finalizados decolam a partir de uma das maiores pistas do mundo, com quase 5 km de comprimento. No passado, o local era uma das opções para pousos alternados do ônibus espacial da NASA e também sediou eventos com carros superesportivos.

A planta no interior de São Paulo produz uma série de componentes do KC-390, mas também recebe outros itens importados da fábrica da Embraer em Évora, em Portugal, e de fabricantes da Argentina (FAdeA) e República Tcheca (Aero Vodochody), países que participam do programa.

O KC-390 recebeu o “Certificado de Tipo” da ANAC em outubro de 2018. A liberação do certificado permite o início da comercialização e início das operações da aeronave no território brasileiro. A aeronave ainda segue em testes com a Embraer e a FAB rumo a “Certificação Militar Final”, que atesta todas as missões militares e capacidades propostas no programa.

Parceria com a Boeing

O KC-390 foi outra parte da fabricante brasileira que entrou no acordo de joint-venture com a Boeing. Além de assumir 80% da Embraer Aviação Comercial e criar a Boeing Brasil Commercial, a empresa norte-americana e a Embraer vão criar uma segunda divisão para promover o jato militar. Nessa parceria, o grupo Boeing fica com 49% do programa e a Embraer, 51%.

Para o CEO da Embraer Defesa & Segurança, a parceria com a Boeing é positiva para impulsionar o KC-390 no mercado. “A aliança com a Boeing nos dá um diferente perfil de negociação para oferecer o produto no mercado e aumentar nossa presença em alguns países e algumas forças aéreas”, comentou o executivo da Embraer no início de junho.

As ambições da Embraer para o KC-390 são grandes para os próximos anos. Projetado para substituir os Hercules da FAB, o avião fabricado no Brasil também pode ocupar o lugar do antigo cargueiro norte-americano e outros modelos semelhantes em forças aéreas estrangeiras.

Um estudo de mercado da Embraer sobre o KC-390 mostrou que o segmento mundial de aviões militares multimissão com capacidade para transportar entre 10 e 30 toneladas é composto atualmente por mais de 2.700 aeronaves. Ainda de acordo com a pesquisa, a idade média dessa frota passa dos 30 anos.

“Já o temos de longe o melhor produto da categoria. Ele é mais rápido, tem maior capacidade, menores custos de operação e manutenção, é multimissão, o mesmo avião pode cumprir uma série de missões”, contou Schneider, em relação ao segmento da aviação militar hoje dominado pela Lockheed Martin com o incansável Hercules.

Nota do editor: Uma boa data para celebrar a entrega do KC-390 pode ser o 20 de julho, dia do nascimento de Alberto Santos Dumont.

PORTAL METROPOLES (DF)


Feridos em explosão de barco no Acre farão tratamento no DF

Quatro das 15 vítimas serão transferidas para o Hospital Regional da Asa Norte, referência no atendimento de queimados

Victor Fuzeira | Publicada em 13/06/2019 13:33

As vítimas que sofreram queimaduras graves em decorrência da explosão de um barco em Cruzeiro do Sul, no Acre, serão transferidas, nesta quinta-feira (13/06/2019), para a Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte (Hran), referência no tratamento.

A previsão é de que o Hran receba quatro das vítimas do acidente, que matou duas pessoas e feriu outras 15, na Região Norte do país.

De acordo com a Secretária de Saúde do Distrito Federal, os feridos ficarão internados na unidade pública, em tratamento, por um período de quatro a seis meses. O transporte dos pacientes está sendo feito por avião UTI da Força Aérea Brasileira (FAB).

Explosão

O barco que levava passageiros e galões de combustível pelo Rio Juruá, no Acre, explodiu na última sexta-feira (07/06/2019) A Polícia Civil acredita que o barco era utilizado para o transporte irregular de combustível.

Conforme o delegado Lindomar Ventura, da Delegacia Central de Cruzeiro do Sul, o barco estava ancorado e fazia o abastecimento de cinco galões de combustível quando houve a explosão.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Embraer terá exposição histórica no Paris Air Show para celebrar seus 50 anos


Pedro Viana | Publicada em 13/06/2019 12:12

A Embraer terá uma participação histórica na 53ª edição do Paris Air Show International (www.paris-air-show.com) no ano da celebração dos 50 anos da Companhia, criada em 19 de agosto de 1969.

No evento que acontece de 17 a 23 de junho no aeroporto de Le Bourget, nos arredores de Paris, na França, a Embraer contará com uma ampla área de exposição que inclui as aeronaves de última geração em demonstração estática e aérea, além de um pavilhão dedicado à história da Embraer ao longo de meio século na indústria da aviação.

A Embraer terá como destaques na área de demonstração o novo E195-E2, maior aeronave da segunda geração da família de jatos comerciais da Companhia; a aeronave militar multimissão de transporte e reabastecimento em voo KC-390; a aeronave de treinamento de ataque leve A-29 Super Tucano; e o Praetor 600, o melhor jato executivo da categoria super-midsize já desenvolvido.

Os fatos memoráveis das cinco décadas da Embraer serão relembrados em um pavilhão dedicado a expor informações e imagens dos produtos da Companhia que fizeram história na indústria aeronáutica global.

O público que for ao espaço, que ocupa uma área total de 300m², poderá assistir ao vídeo que apresenta, dentro de uma linha do tempo, os momentos mais marcantes da Empresa brasileira, exibido em um painel de LED com 14 metros de largura.