NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Reforma da Previdência avança com protestos limitados


Laís Alegretti

A reforma da Previdência tem pontos polêmicos que afetam diversas categorias, mas, ainda assim, o governo Michel Temer espera a aprovação pela Câmara dos Deputados e pelo Senado ainda no primeiro semestre deste ano.

Após a aprovação do teto de gastos, integrantes do governo têm defendido a necessidade da reforma com o argumento de que o aumento dos gastos previdenciários vai tirar verbas de outras áreas.

O PMDB, partido de Temer, chegou a veicular em rede social uma campanha que condiciona a existência de programas sociais à aprovação da reforma. "Se a reforma da Previdência não sair, tchau Bolsa Família", diz o texto.

Na comissão especial da Câmara que analisa a proposta, o relator do texto, deputado Arthur Oliveira Maia (PPS-BA), pretende apresentar o parecer –em que deverá propor alterações ao texto do governo– no fim de março.

Ele adiou a previsão, que chegou a ser 16 de março, depois de a comissão que trata da reforma ter aumentado a quantidade de audiências previstas para discutir pontos específicos da PEC.

Depois da comissão, o texto ainda tem de ser aprovado em dois turnos nos plenários da Câmara e do Senado.

Ao aplicar uma regra comum a todos os segurados do INSS e servidores públicos, a reforma afeta os interesses de diversos grupos que hoje têm condições diferenciadas, como aposentados rurais, policiais, mulheres e professores.

A comissão realizou 4 das 14 audiências previstas, nas quais ouviu representantes do governo e discutiu o regime dos servidores, o regime geral e o BPC (benefício assistencial pago a idosos e pessoas com deficiência pobres).

POUCO BARULHO

Apesar de a proposta envolver muitos interesses, as audiências têm acontecido sem manifestações, já que o presidente do colegiado, Carlos Marun (PMDB-MS), fez com que o acesso à sala ficasse limitado e controlado pela Polícia Legislativa.

O relator tem evitado antecipar os principais pontos do parecer, mas defendeu uma regra de transição em formato proporcional ao tempo que falta para a aposentadoria do trabalhador.

Também falou em regra diferenciada para policiais que exercem atividade de risco, levantou a possibilidade de endurecer regras para empresas e municípios que possuem dívidas com o INSS, e tem mencionado, desde o ano passado, a necessidade de rever as isenções previdenciárias.

A não inclusão dos militares na proposta é um dos poucos pontos que o relator trata com veemência. Incorporar as Forças Armadas nessa PEC, segundo ele, está descartado. O argumento é que o governo enviará um projeto específico para isso.

 

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


De volta à realidade

Seis meses após os Jogos do Rio, medalhistas são demitidos, perdem parcerias e investimentos

Gonçalo Junior E Nathalia Garcia

Seis meses após os Jogos Olímpicos do Rio, medalhistas sofrem com queda nos investimentos federais, dificuldades para atrair novos patrocinadores e até demissão pura e simples, como o técnico da seleção de futebol, Rogério Micale, que perdeu o emprego depois da conquista inédita do ouro. "Até parece que estamos sendo punidos pelo bom resultado", lamenta Felipe Wu, prata no tiro esportivo e que ficou sem treinador, psicólogo e fisioterapeuta por corte de verbas da confederação. 

A lista de decepções – foi essa a palavra que Wu utilizou – engloba várias modalidades. Maicon Andrade, medalha de bronze no tae-kwon-do, demorou mais de dois meses para receber o prêmio de R$ 12,5 mil pela conquista. De acordo com um de seus técnicos, Reginaldo dos Santos, o próximo ciclo olímpico já está comprometido por causa da demora e do escândalo de corrupção na confederação, que está sendo gerida por um interventor. "Ele perdeu cinco torneios importantes e não temos planos para o segundo semestre."

Até Arthur Zanetti, estrela da ginástica artística, está em baixa. Suas dez fontes de rendimento antes dos Jogos foram reduzidas para apenas três até agora. Bem humorada, Poliana Okimoto – a primeira mulher brasileira a conquistar uma medalha olímpica nos esportes aquáticos – deu um jeito de contornar a crise depois de perder seu maior patrocinador, os Correios. “Ainda bem que meu marido é meu técnico. Assim, ele trabalha de graça”, brinca.

ARTHUR ZANETTI

NA OLIMPÍADA

PRATA
NA GINÁSTICA ARTÍSTICA

2016: Contava com dez fontes de renda, sendo sete delas de patrocinadores até os Jogos Olímpicos.
2017: Teve o orçamento reduzido a três receitas: Bolsa Pódio, Força Aérea Brasileira e Adidas.

POLIANA OKIMOTO

NA OLIMPÍADA

PRATA
NA MARATONA AQUÁTICA

2016: Atleta da Uni-santa "bancada" por Speedo e Correios e recebia Bolsa Atleta das Forças Armadas.
2017: Paga do bolso o preparador físico e fisioterapeuta após perda do maior investidor (Correios).

FELIPE WU

NA OLIMPÍADA

PRATA
NO TIRO ESPORTIVO

2016: Bolsa pódio, parceiro (empresa de chumbinho) e salário das Forças Armadas.
2017: Não atraiu novos parceiros e perdeu o treinador por corte de verba da confederação.

 

PORTAL G-1


Militares da Força Tarefa Conjunta começam a deixar o ES

A operação acaba no dia 8 de março. Comando da Força Tarefa Conjunta agradeceu o apoio da população.

Após 31 dias de atuação no Espírito Santo, os militares da Força Tarefa Conjunta Capixaba começam a deixar o estado, neste sábado (4). A operação acaba no dia 8 de março.

Em nota, a Força Tarefa informou que “devido à volta à normalidade das atividades de policiamento, e mediante planejamento detalhado e minucioso, já se encontra em transição o retorno completo do controle operacional da segurança pública para o Governo do Estado do Espírito Santo, o que inclui uma redução gradativa do efetivo das tropas. No entanto, a missão atribuída à Força Tarefa permanecerá sendo exercida até o final com a mesma atenção recebida até o momento”.

A Força Nacional de Segurança Pública ainda continuará atuando no estado após o dia 8 de março, garantindo a transição gradual e segura da volta à normalidade da segurança do Estado.

O Comando da Força Tarefa Conjunta Capixaba agradeceu, em nota, o apoio da população.

O Espírito Santo ficou sem polícia militar nas ruas por 7 dias por causa do protesto de familiares, na porta de batalhões, que impedia a saída dos PMs. O policial militar não pode fazer greve porque é proibido pela constituição.

Nas ocupações, as mulheres sempre alegavam que são elas que estavam no comando da paralisação. Mas, para as autoridades, essa foi uma tentativa de encobrir o que, na verdade, seria um motim dos PMs.

 

OUTRAS MÍDIAS


JORNAL CRUZEIRO DO SUL (SP)


Brigadeiro Cherubim é homenageado no Instituto Histórico

Ex-presidente do Superior Tribunal Militar (STM), o tenente-brigadeiro do ar Cherubim Rosa Filho, foi homenageado ontem durante cerimônia no Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba (IHGGS), que na mesma oportunidade comemorou a passagem de seus 63 anos de fundação.

Sorocabano de nascimento, o homenageado, que tem 91 anos, recebeu do presidente da entidade, Adilson Cezar, a Medalha Cultural Aluísio de Almeida. Antes, à parte, no Paço Municipal, Rosa Filho acompanhou, no Paço, a solenidade de assinatura do decreto do prefeito José Crespo (DEM) que o declarou visitante ilustre.

Cherubim Rosa Filho ingressou em 1945, ainda durante a 2ª Guerra Mundial, na antiga Escola de Aeronáutica do Campo dos Afonsos. Declarado aspirante-a-oficial aviador em 1948, foi qualificado para o 1º Grupo de Aviação de Caça na Base Aérea de Santa Cruz (o famoso Senta Púa). Foi eleito presidente do STM e esteve à frente da Corte no biênio 1993/1995.

As atividades, parte da programação do IHGGS para o mês de março, aconteceram na data em que se celebrou mais um aniversário da elevação de Sorocaba à categoria de Vila (1661). Na mesma oportunidade, ele foi empossado como sócio do Instituto Maurício Kirilos.