NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Drone identifica movimentação estranha em casa e transmite imagens ao celular


Olhar Digital

Mais novidades desta edição da CES (Consumer Electronics Show): a empresa Alarm.com, focada na segurança doméstica, quer usar a Internet das Coisas e os drones, duas das tecnologias mais comentadas recentemente, para aumentar a segurança das casas.

Imagem

Ao ouvir um barulho do lado de fora durante a noite, por exemplo, não é preciso ir até o local. Basta pegar o smartphone e assistir à transmissão, em tempo real, feita pelo drone, que vai verificar o que está acontecendo no lugar do dono da casa.

Em conjunto com sensores de movimento e outros sistemas do tipo, o aparelho consegue identificar atividades incomuns, dentro ou fora de casa, e voa até o local para averiguar e filmar o movimento. O drone, que ainda não possui um nome, usa a plataforma Snapdragon voltada para o setor.

REVISTA VEJA.COM


“Carro voador” de Israel está perto de chegar ao mercado

Veículo para uso militar, que está em desenvolvimento desde 2001, pode começar a ser vendido em 2020, segundo a fabricante

Após quinze anos de desenvolvimento, a Urban Aeronautics, uma empresa de tecnologia israelense, acredita que, finalmente, conseguirá colocar no mercado seu drone de passageiro de 1,5 tonelada. O início das vendas está programado para ocorrer até 2020.

Batizado de Cormorant, o “carro voador” pode transportar 500 quilos e viajar a 185 quilômetros por hora. Ele completou seu primeiro voo solo automatizado em novembro. Seu preço total é estimado Imagemem 14 milhões de dólares.

Os desenvolvedores da Urban Aeronautics acreditam que o drone verde-escuro, que usa rotores internos em vez de hélices de helicóptero, poderia retirar pessoas de ambientes hostis ou permitir acesso seguro a forças militares.

“Basta imaginar uma bomba suja em uma cidade (…) Este veículo pode entrar roboticamente em uma rua, pilotado de forma remota, e descontaminar uma área”, disse Rafi Yoeli, fundador e presidente da Urban Aeronautics.

Yoeli fundou a empresa em 2001 para criar o drone. Ele afirma que o equipamento é mais seguro que um helicóptero, já que pode voar entre edifícios e abaixo das linhas de energia sem o risco de uma hélice bater nessas estruturas.

Mas ainda há muito trabalho a ser feito antes que o veículo autônomo chegue ao mercado. O Cormorant, do tamanho de um carro de passeio e que já foi chamado de “Air Mule”, ainda não cumpriu todas as normas da Federal Aviation Administration, a agência de aviação israelense. Em um teste realizado em novembro, foram registrados pequenos problemas com dados conflitantes enviados por sensores de bordo.

De qualquer forma, observadores externos estão otimistas com o veículo. “Ele poderia revolucionar vários aspectos da guerra, incluindo a retirada de soldados feridos em campo de batalha”, diz Tal Inbar, chefe do centro de pesquisa do Fisher Institute for Air and Space Strategic Studies.

 

PORTAL G-1


Forças Armadas realizaram cerca de 3.900 ações durante "Operação Leão do Norte"

Ao longo de 26 dias, efetivo esteve no comando da segurança do Grande Recife com 3.500 homens do Exército, Marinha e Aeronáutica. Operação foi encerrada terça (3).

Um dia após as tropas da "Operação Leão do Norte" deixarem a Região Metropolitana do Recife, o Comando Militar do Nordeste divulgou o balanço das ações. Ao todo, foram, aproximadamente 3.900 operações entre patrulhamento ostensivo de áreas terrestres, revista de pessoas e de veículos, reconhecimentos aéreos, escoltas e controle de pontos estáticos.

Ao longo de 26 dias, as Forças Armadas estiveram no comando da segurança do Grande Recife com 3.500 homens do Exército, Marinha e Aeronáutica. A intenção era garantir a lei e a ordem durante o período de trabalho reduzido da Polícia Militar, a chamada operação padrão da categoria.

De acordo com o Comando Militar do Nordeste, as tropas percorreram 150 mil quilômetros durante as atividades nos 14 municípios. A operação teve início no dia 9 de dezembro de 2016 e foi prorrogada até o dia 3 de janeiro de 2017.

A Polícia Militar segue em regime de trabalho reduzido. Entretanto, o comandante-geral da PMPE, coronel Carlos D"Albuquerque, afirmou, na manhã da terça-feira (3), que não seria necessário solicitar a permanência das tropas. Segundo ele, a corporação está preparada para a manutenção da segurança.

Como os PMs abandonaram a jornada extra e reduziram o efetivo nas ruas, às vésperas do Natal, no dia 19 de dezembro, o governador Paulo Câmara (PSB) solicitou a permanência das topas até a terça (3). No entanto, o decreto de prorrogação, assinado pelo presidente da República Michel Temer (PMDB), reduziu o efetivo para 500 pessoas. Ou seja, 14% do efetivo inicial continuou na operação.

Diálogo

Ainda segundo D"Albuquerque, o estado começa a tratar efetivamente de reajuste salarial para os PMs nesta quarta-feira (4). Ele adiantou que os números já serão discutidos e que, até a primeira quinzena de fevereiro, o governo deve enviar para a Assembleia Legislativa de Pernambuco todos os projetos de reajuste. O comandante-geral da PM salientou que o governo aguarda a volta de todos os PMs.

 

Tenente da reserva da PM morre após ser atropelado por sargento da FAB

Acidente aconteceu no km 41 da Rodovia Deputado Cyro de Albuquerque. Sargento está internado em Pirassununga e estado é considerado grave.

G1 São Carlos E Araraquara

Um tenente da reserva da Polícia Militar morreu após ser atropelado na Rodovia Deputado Cyro de Albuquerque (SP-225), que liga Aguaí a Pirassununga, na terça-feira (3).

Luís da Silva Almeida, de 75 anos, costumava pescar em duas lagoas que ficam próximas à estrada e foi atingido no km 41 pela Yamaha Fazer 250 de um sargento da Força Aérea Brasileira de 26 anos.

Equipes do Corpo de Bombeiros e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram acionadas e os dois foram levados para o pronto-socorro da Santa Casa de Pirassununga, mas Almeida não resistiu aos ferimentos.

O sargento continua internado e seu estado de saúde é considerado grave.

 

Suposta entrega de armas com drone causa tumulto em presídio de MS

Presos ficaram com medo de uma possível entrega de armas para rivais. Princípio de rebelião foi controlado, e a polícia faz pente-fino no local.

Um princípio de rebelião foi registrado na noite de terça-feira (3), na Penitenciária Estadual de Dourados, a 214 quilômetros de Campo Grande. De acordo com a Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário (Agepen), a confusão começou porque presos disseram ter visto um drone levando um objeto para dentro do presídio e ficaram com medo de armas estarem sendo entregues a grupos rivais.

Os detentos quebraram portas das celas e ocuparam o pátio da penitenciária. Segundo o presidente da Agepen, Ailton Stropa Garcia, as câmeras de segurança registraram o drone sobrevoando o presídio, mas não deu tempo de os policiais, que estavam monitorando o local, fazerem algo para abater o objeto. As imagens não foram divulgadas.

Ainda de acordo com a Agepen, a situação foi controlada nas primeiras horas do dia. Os presos foram convencidos a voltar às celas. O Batalhão de Choque da Polícia Militar (Bpchoque) faz operação pente-fino no presídio, para tentar encontrar o drone.

Investigações

A polícia fez rondas na região e prendeu uma mulher perto da penitenciária. No carro dela foi encontrada uma arma dentro de uma embalagem de presentes.

A suspeita disse aos policiais que o marido dela está preso e quando ficou sabendo do princípio de rebelião teve medo e foi ao local para conseguir informações, mas que não sabia da arma no veículo.

 

Piloto sobrevive após queda de avião agrícola em fazenda de Goiás

Ele foi resgatado por funcionários da propriedade e levado ao hospital. Paciente teve várias lesões pelo corpo, mas tem quadro estável, diz médico.

Sílvio Túlio

Um avião agrícola caiu nesta quarta-feira (4) enquanto fazia aplicação de defensivos agrícolas numa fazenda de Montividiu, região sudoeste de Goiás. O piloto, de 35 anos, único ocupante da aeronave, conseguiu sobreviver. Com lesões variadas, ele foi socorrido e levado ao Hospital Municipal da cidade.

De acordo com o médico Ruan Gabriel Reinaldo, que atendeu a vítima, disse que ele está fora de perigo. "O quadro dele é estável, está consciente e orientado. Apresentou ferimentos na coxa, joelho e ombro direitos, além de ter quebrado o nariz", informou ao G1.

Imagem

Os próprios funcionários da fazenda socorreram o piloto e o levaram ao hospital. Ruan informou que o piloto deu alguns detalhes de como ocorreu o acidente.

"Ele relatou que decolou e que o vento estava muito forte. Quando tentou retornar, já próximo de pousar, a aeronave se desestabilizou e caiu", destacou.

A assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB) disse ao G1, por telefone, que o avião é do modelo Cessna 188, matrícula PR-RUY, e se acidentou quando tentava pousar. Uma equipe do Sexto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VI) está a caminho do local para investigar o acidente.

 

No Ceará, paciente recebe órgão transportado pela FAB

Doador de Maceió teve fígado transportado para Fortaleza para cirurgia. Paciente de Boa Vista estava na fila de espera desde outubro em Fortaleza.

G1 Ce

Uma paciente que se encontrava em estado crítico recebeu nesta quarta-feira (4) um transplante de fígado de um doador da cidade de Maceió, em Alagoas. Conforme Huygens Garcia, chefe do setor de transplante do Hospital Universitário Walter Cantídio, o procedimento só foi possível após decreto presidencial que disponibilizou uma aeronave da Força Aérea para o serviço.

O órgão, ainda segundo o médico, era de um jovem de 17 anos que morreu após uma hemorragia cerebral ocasionada por um aneurisma. Após autorização da família e por não haver transplante de fígado em Maceió, o Sistema Nacional de Transplantes, do Ministério da Saúde, abriu o ranking de registros mais graves e identificou a paciente internada no Ceará. No entanto, um voo comercial poderia inviabilizar o procedimento. "Se fosse necessário esperar por um voo comercial, o transporte seria prejudicado e o transplante não seria possível", relata Huygens Garcia.

O médico terminou o procedimento na paciente de 40 anos por volta das 21 horas. Ela é de Boa Vista, Roraima, e estava internada desde de outubro de 2016 no hospital aguardando um transplante.

"Antes esses aviões só transportavam políticos e muitos ficavam parados lá em Brasília. Agora eles vão salvar vidas, como nesse caso de hoje em Fortaleza, uma vida salva", afirma o médico Huygens Garcia.

Decreto presidencial

Em junho o presidente, Michel Temer, anunciou decreto ordenando que a Aeronáutica mantenha permanentemente à disposição um jato da FAB para atuar no transporte de órgãos e tecidos para transplantes.

No mesmo mês o Ceará recebeu o primeiro órgão transportado pela FAB.

 

AGÊNCIA SENADO


PEC muda regras para concursos públicos


Da Redação

O número de vagas a serem preenchidas por meio do concurso público pode passar a ser igual ao quantitativo dos respectivos cargos ou empregos públicos vagos no órgão ou entidade. É o que prevê a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 29/2016, que aguarda votação na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Caso a regra estivesse em vigor, o próximo concurso do Senado Federal, por exemplo, deveria abrir 1008 vagas, total de posições ociosas hoje na Casa, conforme dados do Portal da Transparência.

Apresentado pelo senador Paulo Paim (PT-RS), o texto também assegura a nomeação de todos os aprovados em concursos públicos dentro do número de vagas previsto no edital do certame. Assim, propõe que seja explicitada na Constituição o entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), que em 2011 reconheceu direito subjetivo à nomeação aos candidatos aprovados dentro do número de vagas previstas no edital.

A PEC ainda determina que o número de vagas para formação de cadastro de reserva não pode exceder a 20% dos cargos ou empregos públicos a serem preenchidos por meio do concurso público.

Outra regra trazida pelo texto se refere à abertura do concurso. A PEC veda novo certame enquanto houver candidatos aprovados em seleção anterior. Da mesma forma, veda concurso exclusivo para cadastro de reserva.

“Não raro, há brasileiros que se deslocam de outros estados para prestarem concursos públicos, despendendo recursos com cursos, inscrições, passagens e hospedagens, mas acabam não sendo nomeados no cargo ou emprego público que almejam, ainda que haja cargos não ocupados", justifica Paim.

O relator da PEC na CCJ é o senador Ivo Cassol (PP-RO), que ainda não apresentou seu parecer.

 

PORTAL GLOBO.COM


Documento revela que voo da LaMia foi autorizado pela DGAC da Bolívia

Ofício coincide com argumento da comissária de voo Celia Monasterio, acusada de negligência e que alegou não ter autoridade para autorizar ou impedir decolagem

Sportv

O voo da LaMia, que levava a delegação da Chapecoense para a Colômbia, foi autorizado pela Direção Geral de Aeronáutica Civil (DGAC) da Bolívia, conforme mostra documento obtido com exclusiva pela reportagem do SporTV.

No ofício, de número 187/2016, com a data de 25 de novembro e assinado por um engenheiro da DGAC, consta que a aeronave faria o "transporte de passageiros / jogadores Copa Sul-Americana". E que a aeronave AVRP - RJ 86 estaria com 41.800 kg.

O documento mostra a rota original solicitada pela LaMia, que desejava sair do Brasil diretamente para a Colômbia. Com possíveis escalas em São Paulo, Rio de Janeiro, Foz de Iguaçu, Bogotá, Rio Negro (Medellín) e Chapecó.

O que foi vetado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil), que seguiu o determinado no Código Brasileiro de Aeronáutica e na Convenção de Chicago, que impedem que uma companhia faça voos fretados com saída de um país e chegada em outro, sem que um deles seja a sua base de operação. No caso, a boliviana LaMia não poderia realizar um voo com saída de São Paulo e chegada em Medellín (Colômbia).

 Diante da proibição da Anac, a delegação da Chapecoense embarcou em voo de carreira para Santa Cruz de la Sierra, de onde a aeronave da LaMia decolou.

O documento coincide com o depoimento de Celia Castedo Monasterio, funcionária da Administração de Aeroportos e Serviços Auxiliares de Navegação Aérea da Bolívia (Aasana). Em entrevista exclusiva ao SporTV, Celia argumentou que não tinha poder de impedir a decolagem do avião e que a DGAC é que teria esta responsabilidade.

- Não a Aasana. Um funcionário nosso não. Quero esclarecer que nós recebemos esse plano de voo como uma formalidade, um documento de voo. Antes de apresentar isso, a linha aérea ou o piloto que queria realizar um voo não regular, se dirige aos escritórios da DGAC, e eles são os que solicitam a autorização, a empresa ou o piloto. Isso é o que eu queria esclarecer, que a DGAC é a única autoridade que pode impedir a decolagem de uma aeronave - disse.

No dia 3 de dezembro, quatro dias após a queda do avião, que causou a morte de 71 pessoas, a Promotoria da Bolívia denunciou a funcionária por não ter reportado a tempo as observações do plano de voo. Acusada de negligência, ela pode responder por homicídio culposo, quando não há a intenção de provocar o crime.

Celia Monasterio assegura que fez cinco observações sobre o plano de voo apresentado pela LaMia. Incluindo a ressalva sobre a autonomia de voo direto entre Santa Cruz de la Sierra e Medellín

- Das cinco observações, a que me chamou mais atenção e a qual reforcei três vezes foi a autonomia do voo. O combustível era exatamente para o tempo da rota. Mas, é claro, a parte de informação suplementar é de conhecimento unicamente da empresa aérea, a parte operacional. E o comando é do piloto ou do despachante do voo. Essa parte, a linha aérea é a única que pode fazer alguma modificação. Nós, como Aasana, como "airways", não podemos realizar um pedido de modificação direta, que eles mudem a informação, porque somente eles sabem qual é o peso, o combustível que está na aeronave, peso e balanceamento que fazem.

A Direção Geral de Aeronáutica Civil foi procurada pela reportagem do SporTV, mas não quis se manifestar.

 

AGÊNCIA FOLHA


Governador do AM diz que "não tinha nenhum santo" entre presos mortos


O governador do Amazonas, José Melo (Pros), afirmou na manhã desta quarta-feira (4) que "não tinha nenhum santo" entre os 56 presos mortos durante uma rebelião que durou cerca de 17 horas, entre domingo (1º) e segunda (2), no Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus.

"Não tinha nenhum santo. Eram estupradores, matadores (...) e pessoas ligadas a outra facção, que é minoria aqui no Estado do Amazonas. Ontem, como medida de segurança, nós retiramos todos [os ameaçados] quem ainda restavam e segregamos a outro presídio para evitar que continuasse acontecendo o pior", afirmou o governador à rádio CBN, ao ser questionado sobre a ligação de facções no massacre.

O massacre é apontado como resultado de uma disputa entre a FDN (Famílias do Norte) e o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Além do massacre no Compaj, outros quatro presos foram mortos na UPP (Unidade Prisional de Puraquequara) e 184 fugiram do Compaj e do Ipat (Instituto Penal Antônio Trindade), sendo que 56 tinha sido recapturados até a noite de terça (3).

O governador culpou o tráfico de drogas e superlotações pela situação do sistema carcerário. "[A superlotação] é um problema comum a todos os Estados. Os recursos para a construção de novas prisões não foram na mesma velocidade que as secretarias de segurança agiram prendendo as pessoas. Então resultou nessa situação".

"No caso do Amazonas, esse caso é mais grave, já que em dois anos de governo, nós já apreendemos 21 toneladas de drogas, o que representa o quantitativo apreendido por todos os outros governos que me antecederam, e praticamente dobramos a população carcerária com prisões voltadas sobretudo para essa questão de tráfico de drogas".

Melo defendeu ainda a criação de um fundo nacional para financiar o trabalho das Forças Armadas no combate a entrada de entorpecentes no país. "Eu estou disposto a tirar dinheiro do meu Estado e colocar em um fundo, porque as forças armadas têm capacidade, querem fazer, com toda certeza, mas não têm dinheiro", disse.

Como a Folha mostrou nesta quarta, o governo federal reduziu em dois anos 85% dos repasses aos Estados para a construção de novas penitenciárias e diminuiu também os recursos para reestruturar e modernizar as já existentes, apesar de o sistema penitenciário acumular um deficit de 250 mil vagas, pelo último balanço federal.
 

OUTRAS MÍDIAS


GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ


Inscrições para a turma II do mestrado do ITA no Ceará seguem até sexta-feira (6)

O mestrado é uma iniciativa do Governo do Estado do Ceará, através da Secitece e da Funcap, em parceria com o ITA e UFC

Os interessados em ingressar na turma 2ª do mestrado profissional MP-Safety do Instituto de Tecnologia da Aeronáutica (ITA), que será ofertado em Fortaleza, têm até sexta-feira (6) para realizar suas inscrições.

As 32 vagas disponíveis são destinadas a profissionais com ensino superior completo que atuem ou pretendem atuar no setor de aviação, ampliando seus conhecimentos relacionados à Segurança de Aviação, à Aeronavegabilidade Continuada, Tecnologia da Informação e Energias Renováveis em nível de Mestrado Profissional.

O exame de seleção dos candidatos constará de três etapas: avaliação de currículo (feita a partir do recebimento da documentação do candidato e da carta de apresentação pessoal), prova escrita de inglês e redação em português; e entrevista.

O mestrado profissional MP-Safety é uma iniciativa do Governo do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), em parceria com o ITA e com a Universidade Federal do Ceará (UFC).

Acesse a página do mestrado: http://www.aer.ita.br/node/1820

 

RÁDIO JORNAL - PE


Ministro da Defesa promete ampliar formação técnica para soldados

Raul Jungmann declarou em entrevista à Rádio Jornal que vai pedir apoio à Fiep e o Senac e Senai para ampliar programa "Soldado Cidadão" de capacitação dos militares

Ismaela Silva

Em entrevista ao quadro Passando a Limpo desta quarta-feira (04) sobre o novo serviço de alistamento pela internet, o Ministro da Defesa Raul Jungmann declarou que um dos focos dele este ano é ampliar o serviço de formação militares Soldado Cidadão. "Hoje temos um programa chamado Soldado Cidadão em que o jovem presta o serviço militar e ao mesmo tempo é capacitado para sair de lá com uma profissão técnica. Temos aprioximadamente 20 mil jovens nas três forças, o que eu acho pouco, por isso eu procurei a Fiesp e vou procurar também a Fiep e o Senac e Senai, porque elas são as grandes beneficiárias de um programa como esse. Esse programa é uma menina dos olhos que eu espero conseguir expandir nesse ano de 2017".

O ministro detalha que um universo de cerca de 1,7 milhão de jovens que se alistam hoje num período de um ano, apenas uma faixa de 80 a 90 mil chegam a prestar o servico militar. O que corresponde a um aproveitamento de menos de meio porcento. Para o ministro, o serviço de alistamento pela internet pode ajudar a agilizar esse procedimento ou pelo menos democratizar o acesso de mais interessados em se alistar.

Questionado se o cadastramento pela internet pode ajudar a aumentar esse contingente de baixo aproveitamento, o ministro alega que a dificuldade de aproveitar mais jovens é de ordem financeira. "O único fator para que sejam descartados tantos alistados e que haja esse baixo aproveitamento em grande medida se deve às limitações orçamentarias, mas eu gostaria que houvesse mais", lamenta.

 

DIÁRIO DO GRANDE ABC (SP)


Marinho deixa o Paço engavetando as promessas do aeroporto de cargas e fábrica para produção de caças

Leandro Baldini

No dia 31 de dezembro, Luiz Marinho (PT) encerrou seu mandato à frente da Prefeitura de São Bernardo sem tirar do papel os dois projetos mais audaciosos de sua gestão e que foram altamente propagados nos decorrer de seus oito anos de governo: o aeroporto de cargas e instauração da SBTA (São Bernardo Tecnologias Aeronáuticas), que iria gerenciar a cadeia de suprimentos e produzir partes estruturais do caça Gripen NG pela empresa sueca Saab em parceria com grupo Inbra-Filtro, de Mauá, que produz estruturas metálicas para o setor de Defesa e Segurança.

Para ambos os projetos, Marinho se esquivou da responsabilidade direta para execução da metas, detalhando que a iniciativa privada estava à frente das diretrizes. Culpou a crise econômica pelo não andamento das propostas.

No caso do aeroporto, Marinho anunciou há quatro anos que havia discussão a respeito de construção de aeroporto em São Bernardo. Disse que a ideia era ter um terminal de cargas, para aliviar os aeroportos de São Paulo. A Secretaria de Aviação Civil, no entanto, apontou que jamais foi pleiteado projeto para construção de um terminal no município do Grande ABC.

“Isso é mentira de que não foi apresentado projeto, mas tudo bem. Não vou discutir sobre isso. Foi uma iniciativa para provocar os setores com um objetivo de trazer o projeto (aeroporto) para a cidade. Uma proposta vinculada ao setor privado, mas que, devido aos circunstâncias econômicas no País, levaram eles (empresas) a congelar as ações. Trata-se de um belo projeto, mas a cidade não tinha como tomar para si esta responsabilidade (de financiamento), então fomos atrás dos privados”, rebateu o petista.

Já em relação à SBTA, Marinho começou a se envolver no caso em 2010, quando viajou à Suécia a convite da empresa Saab, que concorria com outros dois modelos a preferência do governo de Luz Inácio Lula da Silva (PT) para compra de 36 aviões. Na época, o petista negou que a viagem tinha relação com a escolha do Planalto e que poderia interferir na concorrência. Marinho chegou a posar para fotos com roupa de piloto de caça.

“Este é um projeto 100% feito com recursos privados. A cidade entra apenas com saltadora de investimentos. As partes envolvidas, a Saab e a Inbra, deixaram como informação que vão cumprir o compromisso com o município de fazer a unidade aqui. Não deixei de ir atrás, mas diante da crise econômica, eles postergaram os investimentos. Minha participação neste projeto foi mais em apresentar a cidade e ter apoiado o debate público e político”, pontuou o petista.