NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 336/2017 - 01/12/2017

Publicado: 01/12/2017 - 09:05h
JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Marinha da Argentina encerra busca por sobreviventes de submarino


Publicado Em 30/11 - 20h02

Após 15 dias sem notícias do submarino ARA San Juan, a Marinha argentina anunciou nesta quinta-feira (30) que deu por finalizada a etapa de resgate de "pessoas". A embarcação levava 44 tripulantes quando desapareceu.

"Não haverá salvamento de pessoas", afirmou o porta-voz da Marinha, Enrique Balbi.

Balbi afirmou, no entanto, que as operações de buscas pelo submarino continuam no fundo do mar.

Enquanto Balbi lia o comunicado na sede da Marinha em Buenos Aires, familiares dos tripulantes se retiravam da Base Naval de Mar del Plata entre lágrimas e em silêncio.

Socorrista e perito naval ouvido pela Folha na quarta-feira (29) havia dito que encontrar os tripulantes com vida era uma questão de "milagre" e não uma situação razoável.

"O Ministério da Defesa e a Marinha da Argentina informam que hoje, quinta-feira, se declara finalizada o casa SAR, mudando a fase de busca", disse Balbi, esclarecendo que o plano SAR tinha como missão o "salvamento de pessoas, com o fim de preservar a vida humana".

"Não se encontrou evidência alguma do naufrágio nas áreas exploradas, nem contato com o submarino nem com suas balsas", afirmou.

Balbi explicou que "foi estendido a mais do que o dobro a quantidade de dias que determinavam as possibilidade de resgate da tripulação".

Apenas dias atrás, Balbi havia dito que os tripulantes podiam estar em uma situação de "sobrevivência extrema", sem explicar como isso seria possível.

O submarino desapareceu no dia 15 de novembro quando fazia patrulhamento entre Ushuaia e Mar del Plata.

Nesta segunda-feira, um canal de TV argentino vazou o conteúdo da última comunicação do comandante do submarino antes de sumir.

A mensagem, assinada pelo comandante do navio, Claudio Javier Villamilde, foi enviada na manhã de 15 de novembro ao Comando da Força de Submarinos, que a reenviou ao Comando de Isolamento e Adestramento por radiofrequência.

"Entrada de água do mar pelo sistema de ventilação ao tanque de baterias número 3 ocasionou curto-circuito e princípio de incêndio no balcão de baterias. Baterias de proa fora de serviço no momento de imersão propulsando com circuito dividido. Sem novidades de pessoal. Manterei informado", dizia a mensagem revelada pelo canal A24.

Já na quinta-feira passada (23), a Marinha argentina havia revelado que uma "anomalia hidroacústica havia sido detectada em um ponto próximo da última localização do submarino. Segundo Balbi, ocorreu um "evento anômalo, singular, curto, violento e não nuclear, consistente com uma explosão".

TENSÃO ENTRE FAMILIARES

A questão da sobrevivência ou não dos tripulantes vinha causando enorme tensão entre os familiares dos tripulantes.

Uma delas, Itatí Leguizamón, quase foi agredida pelos outros, na base em Mar del Plata, porque vinha dizendo que os submarinistas estavam mortos. Os demais, fiando-se nas informações dadas pela Marinha, preferiam manter as esperanças.

Marta Vellejos, irmã de um dos submarinistas, chegou a começar no domingo um jejum em "homenagem a Deus" e que duraria até que fossem encontrados.

Nesta semana, oito famílias decidiram se unir em processo contra a Marinha por causa do desaparecimento do submarino.

"Ocultaram coisas de nós e mentiram para nós", disse Luis Tagliapietra, pai de Alejandro Tagliapietra, um dos tripulantes. "Entendi que se não houver uma intervenção ativa, dificilmente saberemos a verdade."

O processo está a cargo da juíza federal Marta Yánez, de Caleta Olivia. Ela pediu um depoimento por escrito do ministro da Defesa, Oscar Aguad, como testemunha, e que seja levantado o segredo de Estado que pesa sobre as informações que cercam o caso.

 

Consultoria recomenda privatização


Diogo Bercito - De Madri Publicado Em: 01/12/2017

Estudo da consultoria Roland Berger, contratada para fazer a avaliação da infraero, recomenda a uma "privatização gradual" da estatal, segundo a Folha apurou.

A proposta ê que sócios privados assumam de 30% a 40% da estatal e ampliem gradativamen-te essa fatia. A sugestão leva em consideração, em parte, o modelo de concessão da Aena (aeroportos Espanhóis e Navegação Aérea), criada em 1991 durante uma reestruturação do setor na Espanha.

Foi o estudo da mesma Roland Berger que concluiu a inviabilidade financeira do aporte da Infraero no Galeão. No entanto, a consultoria diz que faria sentido a União fazer o investimento. Em 30 anos, o Estado receberia em outorga e impostos mais de R$ 16 bilhões em valores de hoje.

MODELO

A Aena foi concedida a iniciativa privada em 2015. O governo aprovou a entrada de 49% de capital privado — as ações subiram mais de 20% só no primeiro dia, batendo o recorde europeu de 2011 e o espanhol de 1998. As ações, que foram vendidas por € 58, hoje são negociadas a € 160. Quase o triplo.

Com a privatização, o Estado manteve o controle de 51% da empresa e, ao mesmo tempo, arrecadou € 4,2 bilhões (na cotação atual, cerca de R$ 16 bilhões).

O principal acionista depois do governo espanhol ê o fundo britânico TCI (The Children"s Investment Fund), seguido pelo bilionário húngaro-americano George Soros, além de fundos soberanos como o de Abu Dhabi, dos Emirados Árabes.

Somada à sua atuação na Espanha, a Aena tem hoje participação nos aeroportos de países como o México, os Estados Unidos e a Suécia.

 

PORTAL UOL


Congresso quer fim do foro atrelado a abuso de autoridade


Valter Campanato/ Agência Brasil Publicado Em 30/11 - 12h06

Líderes partidários na Câmara articulam para que a proposta que restringe o foro privilegiado tramite em paralelo ao projeto que trata do abuso de autoridade. Com isso, eles querem aprofundar na Proposta de Emenda à Constituição (PEC) do fim do foro a discussão sobre novas regras para a aplicação de medidas cautelares, como afastamento do mandato, a deputados e senadores, destaca o jornal "O Estado de S. Paulo".

A avaliação de parlamentares é de que nos últimos anos houve uma "banalização" da autorização judicial para prisões, busca e apreensão e quebra de sigilo. E agora, com a PEC do foro, é possível incluir mudanças na Constituição para coibir a ação monocrática de juízes que, segundo eles, fazem "perseguição política". "Medida cautelar é uma coisa que banalizou no Brasil", criticou o líder do PP, Arthur Lira (AL).

A posição do líder do PP encontra eco na Câmara. Uma das propostas avaliadas é submeter ao crivo de um colegiado de magistrados a decisão sobre a concessão de medida cautelar contra parlamentares. "Precisamos sim discutir isso, mas sem dar privilégios", afirmou o líder do PSD, Marcos Montes (MG). O deputado é favorável ao fim irrestrito do foro mas disse que é preciso proteger autoridades da "banalização" das medidas cautelares. "Há um abuso nestas questões (cautelares)", disse o líder do PTB, Jovair Arantes (GO).

Líderes das dez maiores bancadas da Casa ouvidos pelo Estadão/Broadcast adotaram o discurso de defesa do fim irrestrito do foro como forma de acabar com o "privilégio" da classe política. Já o líder petista Carlos Zarattini (SP) avalia que a manutenção do foro para algumas autoridades dos três Poderes é importante para ter "alguma proteção".

Salvaguarda

Se a PEC que restringe o foro privilegiado for aprovada, parlamentares e membros do Executivo (com exceção dos presidentes dos três Poderes) passariam a ser processados e julgados na primeira instância da Justiça. Por isso, deputados querem aprovar o projeto que trata do abuso de autoridade como recurso legal para quem se sentir perseguido por juízes e promotores.

O projeto do Senado altera a definição dos crimes de abuso de autoridade. O texto estabelece que o crime pode ser cometido por servidores públicos e membros dos três Poderes da República, do Ministério Público, de tribunais e conselhos de contas e das Forças Armadas. A proposta prevê mais de 30 ações que podem ser consideradas abuso de autoridade, com penas que variam de seis meses e quatro anos de prisão.

Além disso, as autoridades condenadas teriam que indenizar a vítima. Em caso de reincidência, pode haver a inabilitação para exercício da função pública e até a perda do cargo. "Concordo que seja (votação) casada, as duas coisas (foro e abuso de autoridade)", disse o líder do PR, José Rocha (BA). "É importante que prosperem (as duas propostas). O abuso de poder está se tornando repetitivo", emendou Jovair.

Para avançar na Câmara, a PEC do fim do foro aguarda a criação da comissão especial para analisar seu mérito. Até o momento, nenhum partido fechou proposta sugerindo mudanças no texto. As emendas só devem ser apresentadas quando o colegiado for instalado. Já proposta sobre o abuso de autoridade tem comissão autorizada para iniciar os trabalhos, mas ainda não começou a funcionar.

Ex-presidentes

A concessão de foro privilegiado para ex-presidentes da República divide os líderes partidários. Deputados do PT e PMDB defendem abertamente que o benefício seja concedido aos ex-mandatários. Se a proposta avançar na Casa, os ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff e, a partir de 2019, o atual presidente Michel Temer, serão beneficiados. "Um ex-presidente precisa ser tratado ainda como chefe de Estado", disse Jovair.

 

REVISTA VEJA


Equipe de Temer leva susto em voo para São Paulo

Alta turbulência em viagem a Limeira

Gabriel Mascarenhas Publuicado Em 30/11 - 22h25

Dias antes de qualquer viagem do presidente da República, segue para o destino uma equipe do Palácio do Planalto encarregada de inspecionar os lugares onde o chefe passará.

Eles verificam a qualidade das instalações, se há segurança, eventuais riscos e etc…

Os integrantes do chamado Escalão Avançado nunca mais se esquecerão da missão para Limeira, onde Temer se encontrará com Geraldo Alckmin no sábado.

O avião da FAB que transportava a equipe, ontem, sacolejou fortemente durante uma turbulência. Passageiros que estavam sem cinto foram ao chão e alimentos ao teto.

Mas foi só um baita susto. Ninguém se feriu.

 

REVISTA ÉPOCA


A história dos conflitos armados no Brasil é levada a público por uma nova mostra

As imagens – algumas raras – são dos séculos XIX e XX

Simonetta Persichetti* Publicado Em 30/11 - 10h09

Não é um momento fácil o que vivemos, a que assistimos, talvez, e de que muitas vezes participamos. Para podermos pensar no futuro, por vezes é conveniente nos lembrarmos do passado. A exposição Conflitos: fotografia e violência política no Brasil 1889-1964, no Instituto Moreira Salles, no Rio de Janeiro, nos faz lembrar que a história do país é prolífica em rupturas, conflitos, golpes e conchavos. Uma história que merece ser contada e relembrada. Entender o Brasil dos séculos XIX e XX nos ajuda, por comparação, a compreender o momento pelo qual passamos e situá-lo melhor.

A coletânea de imagens concentra-se nas revoltas internas, episódios como a Guerra de Canudos, a Revolução Federalista e a tentativa de golpe militar de Jacareacanga, em 1956, episódios que nos mostram como nossa trajetória foi, por vezes, institucionalmente atribulada e violenta. Planejada há quatro anos, a pesquisa começou pelo material fotográfico captado no acervo do IMS, conhecido por sua riqueza iconográfica: imagens da Guerra de Canudos (1897), da Revolta Armada (1893), das revoluções de 1924, 1930 e 1932. Imagens ricas, mas ainda assim muito esparsas. Em 2015, o projeto tomou corpo. Com uma equipe que contava com a cientista política Angela Alonso, as historiadoras Heloisa Starling e Angela Castro Gomes e o pesquisador Vladimir Sacchetta, a busca foi estendida a mais de 30 instituições.

Ao contar uma parte da história do Brasil, a exposição conta também uma história da fotografia. Mostra, por exemplo, como o fotojornalismo se criou por aqui. “Apresentamos um desenvolvimento da fotografia das imagens de albumina, dos cartões-postais, nos negativos de vidro e de que forma o fotojornalismo cresceu”, diz a curadora Heloisa Spada. Percebe-se como no final do século XIX e no começo do século XX os fotógrafos de estúdio, habituados a produzir retratos, são chamados a registrar os tumultos pelo interior do país após os acontecimentos. A partir dos anos 1940, nota-se o surgimento do fotojornalista. Com equipamentos portáteis, mais leves e fáceis de manusear, o fotógrafo passa a ter maior mobilidade e maior desenvoltura para registrar o que vê.

Depois do Rio, a exposição vai a São Paulo em maio de 2018. No momento que vivemos, é uma boa oportunidade de conhecer a história, refletir sobre o país e adquirir um conhecimento que ajuda a pensar no futuro.

* Jornalista, crítica de fotografia e professora da Fundação Cásper Líbero, é pós-doutorada em jornalismo pela Universidade de São Paulo com a pesquisa A imagem e o presidente, apresentada em 2016

 

REVISTA ISTO É


Depois de 155 anos, Diário Oficial da União deixa de ter versão impressa


Estadão Conteúdo Publicado Em 30/11 - 13h12

Após 155 anos de existência da versão em papel do Diário Oficial da União (DOU), o governo decidiu suspender a impressão do documento a partir de 1º de dezembro. O acesso passará a ser feito exclusivamente pela internet, o que é um marco de modernidade para o governo, disse nesta quinta-feira, 30, o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, que participou da cerimônia que marca o fim da versão impressa do DOU.

Segundo dados do governo, a maioria dos leitores da imprensa oficial já acessa o conteúdo pela internet. São 700 mil acessos online ao mês, enquanto a versão impressa circula com tiragem de 6 mil exemplares por dia.

Padilha destacou que a medida vai trazer economia para o País e também impacto positivo para o meio ambiente. Isso porque o governo deixará de consumir 60 toneladas de papel por mês ou 720 toneladas por ano, a um custo estimado de cerca de R$ 204 mil mensais ou R$ 2,5 milhões anuais. Além disso, deixarão de ser consumidos 32 milhões de litros de água por mês para a impressão oficial, o equivalente a pouco mais de oito piscinas olímpicas. “Isso é um grande exemplo e um salto ecológico”, afirmou.

“Esse dia de hoje é histórico por tudo que o Diário Oficial representa. Edição de hoje tem 608 páginas, mas chegamos ao Guiness (livro de recordes) com 2.112 páginas há 20 anos. Agora, podem ser publicadas com quantas páginas forem necessárias sem custo. Temos que buscar outros recordes para nossa imprensa nacional”, disse Padilha.

Durante o evento, a Imprensa Nacional assinou acordo de cooperação para permitir o uso de ferramentas tecnológicas da Microsoft na leitura e processamento do Diário Oficial da União (DOU). A ideia é aprimorar a pesquisa e usar métodos de inteligência artificial para trabalhar nos dados. O órgão também recebeu pelo Ministério do Meio Ambiente certificado de adesão à agenda ambiental da Administração Pública (A3P).

 

PORTAL G-1


Presos de facção criminosa de SP que estavam no Rio de Janeiro são transferidos para o Oeste Paulista

Avião da Força Aérea Brasileira (FAB) realizou o transporte sob forte esquema de segurança. Aeronave também levou presos da região para o estado carioca.

Publicado Em 30/12 - 19h36

Presos de uma facção criminosa que atua no estado de São Paulo e estavam em presídios do Rio de Janeiro foram transferidos para penitenciárias do Oeste Paulista nesta quinta-feira (30), em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). A aeronave também realizou a transferência de detentos ligados a uma facção carioca que estavam na região de Presidente Prudente para o estado do Rio de Janeiro.

ImagemO avião chegou no Aeroporto Estadual de Presidente Prudente com o primeiro grupo de presos vindos do Rio de Janeiro, por volta das 11h. Ao todo, 21 detentos estavam no avião e foram levados para a penitenciária 1 de Presidente Venceslau, para serem remanejados a outras unidades.

Segundo fontes ligadas a Secretaria da Administração Penitenciária do Estado de São Paulo (SAP), os presos trazidos para o Oeste Paulista, são de uma facção criminosa de São Paulo, mas que cometeram crimes no estado do Rio de Janeiro, e desde então estavam em presídios cariocas.

Na volta para o Rio de Janeiro, o avião da FAB levou outros 32 presos, que são de uma facção carioca e estavam na penitenciária de Paulínea (SP).

A transferência foi feita sob um forte esquema policial, com homens do helicóptero Águia e Força Tática da Polícia Militar, Grupo de Operações Especiais (GOE) da Policia Civil, e agentes penitenciários. 

Veja o vídeo que saiu no SP TV: https://g1.globo.com/sp/presidente-prudente-regiao/noticia/presos-de-faccao-criminosa-de-sp-que-estavam-no-rio-de-janeiro-sao-transferidos-para-o-oeste-paulista.ghtml

 

AGÊNCIA BRASIL


Operação integrada no Rio decorre de afrontas do crime, diz porta-voz do CML


Vinícius Lisboa - Repórter Da Agência Brasil* Publicado Em 30/11 - 10h30

O coronel do Exército Roberto Itamar Plum, porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), disse hoje (30) que a operação integrada das Forças Armadas, Polícias Militar e Federal, na Vila Joaniza e na Favela do Barbante (zona norte do Rio), decorre de "ações afrontosas da criminalidade". No último fim de semana, criminosos atacaram e destruíram um posto de policiamento na Vila Joaniza.

"A operação de hoje é uma decorrência das ações bastante afrontosa feita pela criminalidade nos últimos dias, envolvendo particularmente o policiamento militar da área. Então, a Polícia Militar solicitou o apoio das Forças Armadas para trazer mais segurança e tranquilidade para a população dessa área da Ilha do Governador."

A operação é a 12ª que ocorre com a integração entre as forças estaduais e federais de segurança. As polícias Militar e Federal buscam criminosos, armas e drogas no interior da comunidade, enquanto as Forças Armadas atuam no cerco da área, controlando a circulação de pessoas para impedir fugas e a chegada de reforços para o grupo criminoso.

O trabalho inclui a revista de moradores e motoristas que circulam pelo local, e o porta-voz das Forças Armadas pede que as pessoas colaborem. "Esse trabalho de controle de acesso requer essas revistas. É um incomodo, certamente, para as pessoas, mas é importante que a população colabore e realize de boa vontade essas revistas."

Ao menos uma pessoa já teve que ser encaminhada a delegacia para averiguação. Ainda não foram divulgadas mais informações sobre o balanço da operação.

De acordo com a Secretaria Municipal de Educação, três unidades escolares tiveram que ser fechadas na região. Uma escola, uma creche e um espaço de desenvolvimento infantil não abriram hoje, deixando 660 alunos sem aulas. A Secretaria Municipal de Saúde informou que nenhuma unidade teve o funcionamento afetado pela operação.

A operação integrada de hoje dá continuidade às ações iniciadas pela Polícia Militar na última terça-feira (28), na Vila Joaniza. O cerco das ruas em volta da comunidade é feito por 1,5 mil militares e veículos blindados. O perímetro de segurança inclui o controle do espaço aéreo, mas não há impacto nos aeroportos, segundo as Forças Armadas.

*Colaborou a repórter Tatiana Alves, do Radiojornalismo da EBC

 

Polícia ocupa favela no Rio à procura de criminosos que destruíram posto da PM


Douglas Corrêa Publicado Em: 30/11/2017 07h43

Com apoio das Forças Armadas, as forças de segurança do Rio de Janeiro ocupam, desde o fim da madrugada de hoje (30), os principais acessos à Vila Joaniza, na favela do Barbante, na Ilha do Governador, zona norte da cidade. Cerca de 1.500 homens da Marinha, do Exército e da Aeronáutica são responsáveis pelo cerco, que tem o objetivo de combater contra o crime organizado na região. As equipes estão posicionadas em pontos estratégicos. A Polícia Federal também participa do cerco.

A ação visa prender o traficante Wagner Barreto de Alencar, o Cachulé, e sua quadrilha. Um grupo de 40 traficantes destruiu, no sábado passado (25), o Posto de Policiamento Comunitário da Polícia Militar (PM) da Vila Joaniza, em represália à proibição, ordenada pela comunidade, de um baile funk na comunidade.

Cachulé é o principal suspeito de ordenar a destruição do posto policial e acuar os dois militares de serviço no local. Com reforço do Batalhão de Choque e auxílio de um helicóptero da corporação, os policiais foram resgatados. Ele é acusado de liderar o tráfico de drogas na comunidade e de ser ligado à facção criminosa Comando Vermelho. Cachulé responde por vários crimes e é considerado foragido da Justiça.

A operação conta com carros blindados, que estão posicionados na entrada das duas favelas. O espaço aéreo na região foi fechado para movimentação dos helicópteros das forças de segurança estaduais, o que não atrapalha a chegada e a partida dos voos no aeroporto do Galeão, que fica no mesmo bairro, mas distante da região da ação policial.

 

AGÊNCIA SENADO


Mulheres poderão ter acesso a todos os cargos de oficiais da Marinha


Sergio Vieira Publicado Em 30/11 - 15h10

A Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE) aprovou nesta quinta-feira (30) o parecer do senador Jorge Viana (PT-AC) favorável ao projeto de lei da Câmara (PLC 147/2017) que libera o acesso às mulheres a todos os cargos de oficiais da Marinha brasileira. A proposta é da Presidência da República e segue com pedido de votação em regime de urgência para o Plenário do Senado.

Pelo texto, as mulheres poderão ser admitidas nas atividades operativas da Força, podendo integrar o corpo da Armada e o de Fuzileiros Navais, até então restritos apenas a militares do sexo masculino.

Quebrando paradigmas

A Procuradora Especial da Mulher no Senado, senadora Vanessa Graziottin (PCdoB-AM), elogiou a Marinha pela iniciativa. Para ela, é mais um passo que a sociedade brasileira dá na busca da superação de preconceitos sexistas, que segregam por princípio atividades que seriam consideradas "masculinas" ou "femininas".

- É uma emoção muito grande para mim poder dar meu voto favorável a esta matéria, lembrando que a Marinha é a única das Forças brasileiras que tem uma mulher oficial general. Refiro-me à contra-almirante Dalva Mendes, mas ela só pôde ascender na carreira porque é médica e já fazia parte do corpo de Saúde da instituição - reforçou a senadora.

Mudança nos concursos

A proposta também exclui a vantagem que os militares têm sobre os civis ao prestarem concursos para os Cursos de Formação de Oficiais da Marinha. A mudança valerá para ambos os sexos. Desse modo, o militar deverá ser demitido ou desligado e reintegrado à Marinha em condições iguais ao do aluno civil.

O projeto ainda acaba com a transferência obrigatória do pessoal auxiliar no quadro de Armada e Fuzileiros para o quadro técnico. Eles poderão seguir na carreira até o posto de Capitão de Mar e Guerra, que é o mais alto. Também são alteradas nomenclaturas e cargos na instituição.

 

JORNAL DCI


Decreto qualifica gestão de rede de comunicação do Comando da Aeronáutica no PPI


Estadão Conteúdo Publicado Em 30/11 - 10h10

O governo federal editou nesta quinta-feira, 30, decreto que qualifica a gestão da rede de comunicação integrada do Comando da Aeronáutica para execução por meio de parceria com o setor privada. A rede é utilizada no controle do espaço aéreo. O empreendimento foi qualificado no âmbito do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI).

No início do ano, a Aeronáutica informou que a terceirização da rede de comunicação poderá trazer uma economia de até 30% aos cofres públicos e que seriam criados mecanismos e contingências para proteção de dados e da segurança nacional.

 

REVISTA MILITAR DIÁLOGO (EUA)


Aplicativo da Força Aérea Brasileira permite gerenciar planos de voo

A nova ferramenta é gratuita e está disponível nas versões iOS e Android.

Taciana Moury Publicado Em 30/11 - 13h

A Força Aérea Brasileira (FAB) lançou um aplicativo que vai facilitar a vida dos pilotos civis e militares no Brasil. Agora é possível apresentar um plano de voo de qualquer lugar, utilizando o smartphone, sem a necessidade de se deslocar até uma sala de Serviço de Informação Aeronáutica (AIS, por sua sigla em inglês). O aplicativo FPL BR possibilita a elaboração, validação, o envio e a atualização dos dados do plano de voo em tempo real. A nova ferramenta está disponível gratuitamente para download, desde o dia 23 de outubro, nas lojas App Store e Google Play, para as plataformas iOS e Android.

O FPL BR foi elaborado pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), órgão gestor do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro, em parceria com uma empresa brasileira do grupo Embraer, com o objetivo de otimizar o atendimento nas salas AIS nos aeroportos brasileiros. “O Brasil tem um fluxo de 8.500 voos diários. Esse é o número de planos de voos que chegava todos os dias nas salas de tráfego e nas salas AIS de todo o Brasil. Era necessário acompanhar a modernização e garantir a praticidade para melhorar a fluidez do sistema”, explicou o Brigadeiro do Ar da FAB Luiz Ricardo de Souza Nascimento, chefe do subdepartamento de Operações do DECEA.

O aplicativo já foi lançado com sucesso entre os aviadores. Apenas no primeiro dia de lançamento foram 6.000 downloads. As avaliações do FPL BR junto aos sistemas Android e iOS conquistaram níveis positivos; numa escala até cinco, o aplicativo da FAB recebeu notas 4,9 e 4,6 respectivamente. “Qualquer um pode baixar gratuitamente o aplicativo, mas para enviar o plano de voo é necessário um código disponibilizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) e pelas unidades aéreas, no caso da aviação militar”, explicou o Brig Luiz Ricardo.

Segundo ele, o aplicativo garante praticidade, precisão e mais qualidade ao plano de voo. “Tem alguns campos que não deixam o piloto enviar o plano de voo se não estiver adequado. Na hora de preencher o campo aeródromo, por exemplo, o aplicativo já faz uma consulta se o aeródromo informado pelo piloto está operando normalmente e só permite a finalização se o código estiver correspondente”, disse.

O FPL BR está integrado aos sistemas utilizados pelo Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea, além de outros órgãos fiscalizadores, como a ANAC, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeronáutica e a Assessoria para Assuntos de Tarifas de Navegação Aérea. “Podem ser consultados dados de meteorologia, aeródromos, definição do nascer e pôr do sol em cada canto do país, garantindo mais segurança nas operações e, consequentemente, facilitando o controle do espaço aéreo”, reforçou o Brig Luiz Ricardo. A interface disponibiliza a consulta de plano de voo completo, plano de voo simplificado, bem como mensagens de atualização relacionadas à modificação, cancelamento e atraso, como também do recebimento de notificações sobre a aprovação ou reprovação das mensagens enviadas.

Racionalização dos recursos humanos

Outro objetivo do DECEA com o aplicativo é conseguir racionalizar melhor os recursos humanos que atuam nas salas de informações aeronáuticas. O órgão espera uma diminuição gradativa da utilização do plano de voo manual e a consequente diminuição da demanda nas salas AIS. “A perspectiva é de que em dois anos ocorra uma diminuição de até 50 por cento, podendo chegar aos 80 por cento em algumas localidades”, disse o Brig Luiz Ricardo. “Os funcionários das salas AIS vão poder disponibilizar informações aeronáuticas mais relevantes”, acrescentou.

Antes do aplicativo, o plano de voo poderia ser realizado presencialmente ou por telefone nas salas AIS. “Atualmente mantemos profissionais exclusivamente para receber os planos de voo. É um processo muito mais demorado do que por meio do aplicativo”, explicou o Brig Luiz Ricardo. Ele contou que a primeira evolução do processo já aconteceu a partir de 2015, com a possibilidade do envio pela internet, por meio do Portal de Serviço de Informação Aeronáutica. Foi o sucesso da operação informatizada que incentivou o DECEA a pensar no aplicativo. “Vimos que seria possível ampliar a funcionalidade e a praticidade”, revelou.

Testado e aprovado

O processo de elaboração, desde o documento com a descrição da necessidade operacional até o lançamento, durou quase dois anos. A fase de testes envolveu mais de 2.000 pilotos civis e militares que usaram a ferramenta por um período de aproximadamente seis meses. A 2º Tenente Datiza Vitória da Silva, piloto do Segundo Esquadrão de Transporte da Ala 15 na Base Aérea do Recife, foi uma das que participaram dos testes e destacou as vantagens da nova ferramenta da FAB. “O sistema já preenche as lacunas e diminui a possibilidade de erro, além de ser mais fácil de usar”, disse a 2º Ten Vitória. A oficial ressaltou o fato de o aplicativo estar disponível 24 horas por dia. “Algumas missões são realizadas em horários e lugares que não possuem a estrutura de uma sala AIS e as funcionalidades do aplicativo são fundamentais.”

Para o piloto de helicóptero e ultraleve Alessandro Rocha dos Santos, o sucesso do aplicativo é consequência da integração entre o usuário e o operador. “Foi um trabalho executado por profissionais da aviação que estão no DECEA e que entendiam a necessidade de facilitar o processo. Além disso, foram consideradas as opiniões dos pilotos que estavam participando do processo de testes”, revelou.

Uma das sugestões dos pilotos foi a possibilidade de clonar planos já realizados. “Faço voos panorâmicos com frequência na cidade do Rio de Janeiro, sempre utilizando a mesma rota. Antes eu tinha que fazer um novo plano a cada voo. Agora, utilizo o mesmo e troco só a data e o horário. É muito mais prático”, contou Rocha.

Segundo o Brig Luiz Ricardo, o DECEA ainda está recebendo sugestões para a melhoria e evolução da ferramenta. “Em breve iremos disponibilizar, ou nesse aplicativo ou em outro, todas as cartas aeronáuticas disponíveis no Brasil, para facilitar ainda mais a navegação dos pilotos”, antecipou. Para ele, o Sistema de Controle do Tráfego Aéreo debe evoluir de forma constante.

 

PORTAL DEFESANET


IACIT apresenta sistemas exclusivos na Expodefensa

Bloqueador de drones, Radar Over The Horizon (OTH) e sistema DME 0200 são as tecnologias que serão levadas ao mercado da América Latina

Publicado Em 30/11 - 07h40

Com forte atuação na área de desenvolvimento e inovação, a IACIT estará presente na Expodefensa, apresentando tecnologias exclusivas ao mercado da América Latina. A empresa integra o estande da ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança) durante o evento sediado na capital da Colômbia, de 4 a 6 de dezembro e mostrará as soluções em bloqueio de drones, o Radar OTH (Over the Horizon) e o sistema de navegação aérea DME 0200.

Desenvolvida para atender a uma demanda do Exército Brasileiro, a IACIT é a única empresa brasileira a contar com a solução DRONEBlocker, que protege contra a ameaça de drones não autorizados. O sistema foi utilizado com enorme sucesso pelo EB durante os Jogos Olímpicos Rio 2016 e hoje já está em países como Argentina, Panamá, Colômbia e Peru. O bloqueador de drones também vem sendo utilizado por empresas nacionais para garantir a segurança de complexos industriais e até mesmo para evitar a invasão de privacidade de eventos particulares, como casamentos de celebridades.

Com tecnologia 100% nacional, o DRONEBlocker conta com sensores para detecção, identificação e rastreio, além de radares e câmeras capazes de detectar e identificar as ameaças. A solução possui também um sistema de Comando, Controle e Inteligência (C2I), que permite a centralização da operação, configuração e gerenciamento de todo o sistema remotamente. Ao ser acionado, o DRONEBlocker interfere na frequência de atuação dos drones não autorizados, forçando-os a pousar.

O sistema de bloqueio de drones não foi o único desenvolvido pela IACIT. A empresa também conta com soluções para o bloqueio de comunicação celular e por rádio. O COMBlocker é ideal para a criação de salas seguras, por exemplo, realizando o bloqueio do sinal em áreas específicas, sem afetar a vizinhança. Para isso, o sistema conta com antenas específicas que operam de acordo com a potência e frequência ajustadas.

Para a proteção de comboios e tropas há ainda o RCIEDBlocker, que opera contra explosivos acionados remotamente por dispositivos eletrônicos (RCIED). O sistema da IACIT bloqueia ou interfere na comunicação dos sistemas que farão o acionamento dos explosivos, como rádios, celulares e controles remotos, mesmo aqueles operados por bluetooth ou por redes wireless.

Além do Horizonte

A IACIT também apresentará na Colômbia o primeiro Radar Além do Horizonte ou “Over The Horizon” (OTH) já desenvolvido no Brasil. Em operação no Rio Grande do Sul desde o final de 2016, o sistema exclusivo foi desenvolvido em parceria com a Israel Aerospace Industries (IAI) e contou com apoio da Marinha do Brasil, que cedeu a área na costa sul do país.

A tecnologia nacional adota o conceito de “surface wave” (onda de superfície) para a detecção de alvos, tornando-o um sistema exclusivo e diferenciado. O conceito “surface-wave” garante rastreabilidade de uma área maior, já que os sensores fazem uma “varredura” seguindo a curvatura da Terra, sendo mais eficiente que os radares convencionais que têm o alcance limitado pela linha de visada direta.

Operando na faixa de HF, o Radar é capaz de monitoração além do horizonte de centenas de quilômetros no ambiente marítimo. O radar emprega tecnologia “phased array” e um sistema específico de técnicas de eliminação de interferências o qual proporciona uma confiável e persistente cobertura de ampla área marítima em todo o tempo, independente das condições meteorológicas ou condição do mar (sea state).

DME 0200

Na área de navegação aérea, a IACIT levará o DME 0200, outro sistema cuja tecnologia é exclusiva da empresa, que já tem três equipamentos instalados e operando em aeroportos do Brasil. O DME 0200 é o primeiro a ser integrado no sistema de navegação DME/DME em implantação pelo Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), cujo objetivo é implantar a Navegação Baseada em Performance “PBN” (Performance Based Navigation). A navegação DME/DME se utiliza do princípio da triangulação para determinar a posição de uma aeronave, com um nível de acuracidade aceitável para que se ofereça PBN numa área terminal (TMA).

O DME 0200 da IACIT foi desenvolvido com emprego de tecnologia digital de última geração, tendo sido projetado e construído de forma compacta e grande eficiência energética, com potencial para atender as demandas do mercado nacional e internacional. Além disso, o sistema da IACIT possui certificação em conformidade com o Anexo 10 da ICAO, emitido pelo Instituto de Controle do Espaço Aéreo (ICEA), vinculado ao DECEA.

A IACIT foi contratada pela Força Aérea Brasileira para a implantação de trinta e seis sistemas DME no Brasil nos próximos três anos.

Certificada pelo Ministério da Defesa como Empresa Estratégica de Defesa (EED), a IACIT vem atuando há mais de 30 anos em projetos ligados ao setor. Tem sua unidade fabril em operação há cerca de 10 anos, com seu portfólio composto de produtos e serviços. Atualmente, a IACIT é a única empresa brasileira fabricante de auxílios à radionavegação aérea, e fabrica também radares meteorológicos, radares Oceânicos, radares para Vigilância Marítima – OTH, sistemas de telemetria e telecomandos e equipamentos e soluções de contramedida eletrônica aplicadas à segurança pública e defesa.

Possui uma estrutura de engenharia certificada para o desenvolvimento de soluções tecnológicas complexas tanto para hardware como para software estabelecida em São José dos Campos, tendo lançado recentemente produtos meteorológicos de software baseados em redes neurais artificiais (RNA) para aplicação a gestão do tráfego aéreo, proporcionando grandes benefícios para rotas e pouso de aeronaves.

 

“Estudante do ano” do ITA é premiado com viagem à divisão espacial da Airbus na França e visita à Le Bourget


Publicado Em 30/11 - 07h50

O brasileiro Lucas Galembeck, 34, foi homenageado pela Airbus por seu desempenho como melhor aluno do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de São José dos Campos (SP), com o prêmio “Student of the Year” (Estudante do Ano).

Galembeck é o quinto aluno do ITA a conhecer as instalações da fabricante aeroespacial europeia e também foi convidado para visitar a maior feira de aviação do mundo, a Le Bourget, realizada em julho, em Paris. O prêmio “Student of the Year”, que teve início em 2013, convida anualmente os alunos do ITA com melhor desempenho em notas para uma imersão in loco em seus centros de desenvolvimento e pesquisa aeroespacial.

Galembeck teve oportunidade conhecer as instalações da Airbus Defence and Space em Toulouse (França) como as áreas de montagem, integração e testes de satélites de grande porte, que simulam as condições durante sua vida útil no espaço.

A Airbus possui capacidade para trabalhar em mais de 10 satélites de grande e médio portes ao mesmo tempo, dada a complexidade exigida para construir um sistema espacial desse tamanho, pode-se ver o grande potencial, o profissionalismo e a seriedade da empresa”, conta o estudante.

A Airbus Defence and Space promove o “Student Of the Year” como forma de estimular o interesse pelo setor aeroespacial, inspirar estudantes da área e também abrir as portas de suas instalações, oferecendo contato com a alta tecnologia, em um segmento de difícil acesso. “Atuamos em um setor no qual precisamos de pessoas extremamente qualificadas e, por tanto, essa iniciativa também nos auxilia na observação de novos talentos”, afirma Rodrigo Fanton, Diretor Geral da Airbus Defence and Space no Brasil.

Galembeck também participou da Le Bourget Airshow, maior feira de aviação do mundo. “Não imaginava que fosse tão grande. Tive oportunidade de conhecer o que há de mais moderno no setor, até a parte do show aéreo, que realmente é bonito de se ver. Visitei algumas relíquias do espaço e do ar e o interior de algumas das aeronaves mais novas do mercado, como o A380, por exemplo”, relata o estudante.

A Airbus tem tradição em criar iniciativas em apoio ao desenvolvimento e estímulo de novos talentos. Além do “Student of the year”, a fabricante organiza a competição Fly Your Ideas, em parceria com a UNESCO. O evento reúne a cada dois anos as mentes mais brilhantes do mundo, com o objetivo de inovar o futuro da aviação.

Em apenas cinco edições, o Brasil já conquistou o status de “celeiro de inovadores”, quando alunos do curso de design da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, venceram a edição de 2013 e conquistaram o segundo lugar em 2015, com projetos que visam o aumento da eficiência das operações aéreas. “Estabelecemos um compromisso de longo prazo com o Brasil há quase 40 anos com a criação da Helibras, única fabricante de helicópteros do país, e sempre investimos em inovação, tecnologia e educação”, afirma Fanton.

A Airbus está presente em oito cidades, em cinco estados, e temos cerca de 600 colaboradores atuando na comercialização, fabricação, manutenção e treinamento, para os mercados de Aviação Comercial, Defesa e Espaço.

 

PORTAL TERRA


Ana Marcela Cunha concorre ao prêmio de melhor do mundo da Fina

A tricampeã mundial de maratona aquática já levou o prêmio três vezes; Cerimônia será realizada em Sanya, na ChinaA tricampeã mundial de maratona aquática já levou o prêmio três vezes; Cerimônia será realizada em Sanya, na China

Publicado Em 30/11 - 15h35

A tricampeã mundial de Maratonas Aquáticas Ana Marcela Cunha na madrugada deste sábado, ao prêmio de melhor atleta do ano da Fina (Federação Internacional de Esportes Aquáticos). A cerimônia Fina World Aquatics Gala Soirée des Etoiles será realizada em Sanya, na China.

Esta é a sétima edição da premiação. Ana Marcela ganhou o título de melhor do mundo em três oportunidades (2010, 2014 e 2015). A brasileira pode levantar o quarto troféu, já que conquistou três medalhas no Mundial de Budapeste (HUN) em julho deste ano (ouro nos 25km, prata nos 5km e bronze nos 10km), além do vice campeonato do Circuito Mundial 10km.

Ana Marcela está na companhia de seu treinador Fernando Possenti, que estava em Barcelona, ministrando palestras para 54 técnicos de diversas nacionalidades. A palestra que teve grande repercussão no meio esportivo conta o trabalho envolvendo o retorno de Ana Marcela Cunha às piscinas, pós cirurgia e a missão de colocá-la pronta para o Mundial da Hungria, em julho.

Na próxima segunda-feira, a atleta chega ao Rio de Janeiro para a disputa, entre os dias 6 e 8, do Open de Natação na Unidade da Força Aérea, em Campos dos Afonsos. Nos dias 9 e 10 de dezembro ela também participará do Rei e Rainha do Mar, na Praia de Copacabana.

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL SAPO (Portugal)


ESA quer cruzar drones com satélites. O resultado é a abordagem a uma nova área do céu

Publicado em 30/11

Ao juntar o melhor dos dois mundos a Agência Espacial Europeia pensa obter um novo tipo de veículo aéreo que estará na base do desenvolvimento de uma nova plataforma de exploração do céu a alta altitude.

O projeto chama-se High Altitude Pseudo-Satellites, ou HAPS, e consiste no desenvolvimento de plataformas que possam flutuar ou voar a em altitudes elevadas, como os aviões convencionais mas com uma configuração semelhante aos satélites. Só que não estão no espaço e podem manter-se dentro da atmosfera terrestre durante semanas, ou meses, fazendo uma cobertura eficaz do território.

ImagemPara já a ESA está a apontar para os 20 quilómetros de altitude, 10 quilómetros acima dos voos comerciais e onde a velocidade do vento é suficientemente reduzida para que se possam manter na mesma posição durante longos períodos. Desta forma podem manter a vigilância num horizonte de 500 quilómetros, permitindo monitorização e vigilância mais precisa, largura de banda nas comunicações e backup a sistemas de navegação por satélite.

Há várias equipas envolvidas na investigação desta possibilidade, um conceito que já tem mais de 20 anos e que agora se pode tornar realidade com os equipamentos e tecnologias atuais. A miniaturização dos equipamentos de aviação, as células solares de alta performance e as baterias mais leves, assim como a redução da dimensão dos sensores, a preços mais reduzidos, são a combinação ideal.

Em outubro foi realizada uma conferência onde se voltou a provar a possibilidade de concretização e foi aberta uma call para o desenvolvimento de um estudo nesta área.

Outras experiências têm sido feitas nesta área, como o Zephyr da Airbus, que em 2010 conseguiu o record de se manter 14 dias em voo sem reabastecimento. Está já a ser preparada uma nova versão deste avião, o Zephyr-T, com capacidade de suportar mais peso, mas há outras iniciativas diferentes, como o Stratobus da Thales Alenia Space, que pode transportar 250 Kg de carga.

 

JORNAL DO OESTE (PR)


Eduardo Lass testa suas habilidades no X-Terra Paraty, maior triathlon off road do país

Publicado em 30/11 - 11h

Eduardo Lass (Tradener) encerra a temporada 2017 de maneira inusitada. Neste domingo (3), o paranaense encara os desafios do X-Terra, um dos maiores festivais de esportes outdoor do mundo, em Paraty (RJ). O triatleta que figura entre os melhores do país no ranking nacional pretende testar suas habilidades no chamado "triathlon off road", no qual o ciclismo e a corrida são realizados em estradas de terra e/ou terrenos irregulares em meio a natureza. Um estímulo bem diferente para quem está mais acostumado em pedalar com uma bike speed e correr no asfalto.

"Já participei uma vez do X-Terra em Ilhabela, mas há anos e foi como amador. Tecnicamente é uma prova muito diferente se comparado ao triathlon comum. Para me acostumar um pouco com as dificuldades, nas últimas semanas procurei fazer alguns treinos em estradas de terra batida. A ideia é fazer algo diferente, mas claro que o objetivo é sempre buscar uma boa colocação", contou o 3º sargento da FAB.

Eduardo Lass começou no triatlo aos 11 anos de idade e mesmo novo acumulou títulos importantes nas categorias de base, como os de campeão do Troféu Brasil e do Brasileiro Olímpico, além de duas medalhas de ouro e duas de prata em competições na França. Integrante da Seleção Brasileira de Triathlon por 4 anos consecutivos, está disputando os principais eventos nacionais e internacionais. O atleta de 25 anos é patrocinado pela Tradener Comercialização de Energia.

JORNAL METRO BH


São Paulo será o destino do primeiro grande voo da Pampulha

Publicado em 30/11

O primeiro voo para outras capitais partindo do Aeroporto Carlos Drummond de Andrade, na Pampulha, já tem data marcada. Ontem, a Anac (Agência Nacional de Avião Civil) autorizou a criação da nova rota da companhia aérea Gol, partindo de Belo Horizonte com destino ao terminal de Congonhas, em São Paulo. As viagens começam no dia 22 de janeiro e acontecerão de segunda a sábado. Uma outra rota com destino ao aeroporto de Guarulhos está em análise pelo órgão e, se aprovada, pode começar a operar no dia 8 de janeiro.

Segundo a companhia, as passagens para os voos a partir do dia 22 começam a ser vendidas hoje. Serão quatro viagens diárias, sendo duas de ida e outras duas de volta. Os horários dos voos partindo da Pampulha são entre às 9h e às 18h05. A Gol vai usar na Pampulha os Boeings 737-700 com 138 assentos.

O primeiro voo nessa fase de retomada da Pampulha será no dia 3 de dezembro, quando a Passaredo começa a voar para Uberlândia.

Pedidos em análise

A reabertura do aeroporto da Pampulha para aeronaves de maior porte fez com que boa parte das companhias aéreas brasileiras solicitasse novos voos a partir do terminal. Além da Gol, Azul, Latam e Avianca estão entre as principais companhias que solicitaram operação no aeroporto.

Conforme a Anac, a Gol terá 26% da oferta de voos na Pampulha, seguida pela Avianca (25%), Azul (20%), Latam (16%), Passaredo (12%) e Two Flex (1%).

As rotas mais solicitadas pelas companhias foram Brasília, Rio de Janeiro, Vitória, São Paulo e Goiânia, além outros destinos no interior de Minas Gerais.

Fora dos holofotes desde 2005, quando os voos de grande porte foram transferidos para Confins, na Grande BH, o terminal da Pampulha está apto à embarcar, segundo a Anac, 300 passageiros e desembarcar 360 passageiros por hora.

Confins tenta barrar retorno

Contrária ao retorno das atividades na Pampulha, a BH Airport, que administra o Aeroporto Internacional Trancedo Neves, em Confins, entrou com uma ação no Superior Tribunal de Justiça no início do mês para tentar barrar a retomada de voos domésticos nacionais no aeroporto da Pampulha. A empresa afirma que poderá haver concorrência de voos entre os dois terminais, gerando prejuízos para Confins, que investiu na revitalização e ampliação do aeroporto internacional desde que assumiu as operações.

 

RIO MAFRA (SC)


Reservistas das Forças Armadas devem se apresentar em dezembro para Exar – Riomafra Mix

Publicado em 30/11 - 16h35

Quem serviu à Marinha, ao Exército ou à Aeronáutica nos últimos cinco anos deve atualizar seus dados junto às Forças Armadas no mês de dezembro. A iniciativa faz parte do Exercício de Apresentação da Reserva (EXAR).

Realizado anualmente, o EXAR objetiva praticar o mecanismo de convocação e avaliar a eficiência do sistema de mobilização, além de cultivar o espírito cívico dos integrantes da reserva.

A atualização dos dados cadastrais pode ser feita presencialmente ou pela internet. Na primeira opção, o reservista deve comparecer à última organização militar em que serviu. Caso perca o prazo, poderá fazer o EXAR em qualquer quartel ou Junta de Serviço Militar, mas terá de pagar multa pelo atraso.

Já a opção pela internet deve ser feita a partir de sítios eletrônicos específicos. Ex-militares da Marinha devem acessar o endereço www.ensino.mar.mil.br/exar. No caso do Exército, o endereço é www.exarnet.eb.mil.br. Reservistas da Aeronáutica devem acessar o sítio www.exarnet.aer.mil.br.

Para aqueles que vivem no exterior, além da opção online, é possível prestar o EXAR por intermédio de uma repartição consular.

O EXAR é obrigatório para todos os oficiais e praças da reserva não remunerada das três Forças Singulares, bem como para os oficiais demitidos do serviço ativo sem perda do posto e patente e para os oficiais e praças temporários licenciados.

Portadores de certificados de dispensa de incorporação classificados em “Situação Especial” e reservistas de primeira e segunda categorias também devem ficar em dia com suas obrigações militares.

Os de primeira categoria são os que serviram em organizações militares operacionais, como batalhões. Os de segunda são os que trabalharam no emprego da defesa territorial, como em tiros de guerra.

Em Rio Negro, a apresentação presencial estará sendo realizada nos dias 11, 12, 13, 14 e 15 de dezembro nas instalações do hotel de trânsito do 5º Regimento de Carros de Combate, na rua Marechal Deodoro, Vila Militar.

 

FOLHA DA REGIÃO (SP)


Esquadrilha da Fumaça se apresenta neste sábado em Guararapes

Pilotos retornam à região cinco anos após o último show

Márcio Bracioli

Publicado em 30/11 - 20h29

Imagem

A Esquadrilha da Fumaça retornará à região neste sábado (2) cinco anos após sua última apresentação. Os oito caças Super Tucano A-29, fabricados pela Embraer, cortarão os céus de Guararapes em comemoração ao aniversário da cidade, que será no próximo dia 8.

O evento, organizado pelo Departamento de Cultura, irá abrir as comemorações para o aniversário da cidade. Ele será realizado a partir das 17h em uma área do residencial Iguatemi.

Na semana passada, o prefeito Tarek Dargham (PTB) recebeu o capitão Barra, da FAB (Força Aérea Brasileira), para acertar os detalhes da apresentação.

A última vez que os pilotos da FAB se apresentaram na região foi em julho de 2012, no recinto Clibas de Almeida Prado, em Araçatuba.

OS AVIÕES

As aeronaves, que chegam a mais de 500 quilômetros por hora, são caças de guerra adaptados para as apresentações e pesam quase 4 toneladas. Os pilotos, que são selecionados dentre o quadro da FAB, farão acrobacias durante 50 minutos, sem intervalos.

 

MERCADO & EVENTOS (SP)


 RIOgaleão realiza 1° simulado de emergência de alta complexidade

Essa é a primeira vez que um treinamento desta complexidade foi realizado no aeroporto

Pedro Menezes

Publicado em 30/11 - 17:09

O RIOgaleão, em conjunto com a Defesa Civil e Corpo de Bombeiros, realizou um simulado de emergência no Aeroporto Internacional Tom Jobim nesta quinta-feira (30). O objetivo da ação foi colocar em prática treinamentos de contenção de vazamento de combustível decorrente de furto, combate a princípio de incêndio e evacuação da área. Mais de 60 órgãos estaduais, municipais, federais e privados estiveram envolvidos na operação.

Essa é a primeira vez que um treinamento desta complexidade foi realizado no aeroporto. A ação faz parte de uma série de atividades de conscientização social, que ocorrem essa semana no Rio de Janeiro, para promover a redução de riscos de desastres e reforçar a agilidade e o trabalho em equipe – com o envolvimento de diferentes órgãos e entidades – para combater acidentes de alta gravidade.

O diretor de operações do RIOgaleão, Herlichy Bastos, explica que o simulado visa promover integração com todos os órgãos públicos de segurança e emergência do Estado do Rio e com as entidades que atuam no aeroporto, que são fundamentais no caso do simulado se tornar um caso real: “Buscamos com este treinamento uma sinergia e troca de experiências que aumentam a integração entre o poder público e o privado e nivelamento do conhecimento de comando e controle”, avalia Herlichy.

O simulado de emergência contou com a participação do Centro de Operações do Rio, Centro Estadual de Administração de Desastres (CEstAD), concessionárias de outros aeroportos, companhias aéreas, abastecedoras, controle de tráfego aéreo, Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Força Aérea Brasileira, (FAB), Marinha, Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio, Polícia Militar, Guarda Municipal, Companhia de Engenharia de Tráfego do RJ (CET-RIO), Secretarias da Ordem Pública, do Turismo, Saúde, Social e Transportes.

 

O DIÁRIO.COM (PR)


Trem de pouso para e assusta passageiros de avião de pequeno porte

André Almenara

Publicado em 30/11 - 19:19

Um avião de pequeno porte sofreu um incidente no Aeroporto de Maringá, na tarde desta quinta-feira (30).

O trem de pouso, composto por rodas, pneus, freios, amortecedores, não funcionou no momento do pouso e o piloto teve que aterrissar na pista sem seu auxílio.

A fuselagem foi totalmente comprometida. Apesar do susto, ninguém se feriu.