NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G-1


Exército e bombeiros tentam apagar incêndio em parque ecológico de MT

Incêndio atinge Parque Estadual Serra Azul, na cidade de Barra do Garças. Condições climáticas e dificuldade de acesso prejudicam operação.

Militares do Exército passaram a integrar a equipe de bombeiros que tenta controlar um incêndio no Parque Estadual Serra Azul, região de Barra do Garças, a 516 km de Cuiabá. Na manhã desta sexta-feira (29) os militares e brigadistas voltaram ao parque, que registra um grande incêndio desde o último final de semana.

Foram disponibilizados 30 militares do 58° Batalhão de Infantaria Motorizada de Aragarças, cidade goiana localizada logo ao lado de Barra do Garças. Eles foram divididos em equipes, coordenadas por bombeiros, e enviados para ajudar na operação. Uma aeronave dos Bombeiros também é usada no combate. O avião tem capacidade para despejar três mil litros de água em viagens de curta duração.

A baixa umidade e ventania são algumas das dificuldades enfrentadas no combate à queimada no parque, além da característica íngreme do local. O fogo está dividido em diversas partes do parque, aumentando a dificuldade no trabalho. “O clima está seco, a umidade baixa e a temperatura alta, sem previsão de chuva. O vento aumenta durante a noite e acaba espalhando o fogo", disse ao G1 o comandante e tenente-coronel dos bombeiros, Willckerson Cavalcante.

Com medo que o incêndio avance nas casas próximas do morro, na quinta (28) alguns moradores chegaram a tentar apagar fogo com fogo. “O fogo saiu da encosta do morro e agora é visível para a população na cidade. Algumas pessoas tomaram a iniciativa errada de tentar apagar fogo com fogo e pioraram um pouco a situação. Orientamos para que as pessoas nos chamem e evitem fazer isso”, explicou o tenente-coronel.

O comandante diz que já pediu para que uma segunda aeronave da corporação fosse enviada para ajudar no combate.
 
Parque Serra Azul
A área, que possui cerca de 10 mil hectares, fica a quatro quilômetros do centro de Barra do Garças. O Parque Serra Azul é composto por circuito de cachoeiras, trilhas, grutas e sítios arqueológicos. É considerado um dos principais roteiros turísticos da região.
 

Com farda da Aeronáutica, homem é preso por golpe em banco do DF

Ele tentava transferir R$ 170 mil para uma conta usando documentos falsos. Suspeito disse que ganharia R$ 1 mil de grupo criminoso, segundo a polícia.

A Polícia Civil do Distrito Federal prendeu na tarde desta sexta-feira (29) um homem de 27 anos que se passou por militar da Aeronáutica para tentar aplicar um golpe a um banco no Núcleo Bandeirante. De acordo com a polícia, o prejuízo poderia chegar a até R$ 180 mil, que era o valor que a vítima tinha disponível em conta.

Segundo o delegado-chefe da 11ª DP, Victor Dan, o suspeito foi ao banco com documentos falsos e com uma procuração registrada em Minas Gerais, com o nome de uma pessoa que tem conta na agência do DF. A identidade da vítima não foi divulgada.

Com a procuração, ele pediu que fossem feitas três transferências para outra conta, duas no valor de R$ 60 mil e uma de R$ 50 mil. Um funcionário do banco desconfiou da ação do suspeito e chamou a polícia.

De acordo com o delegado, a polícia suspeita que o homem faz parte de uma associação criminosa que atua no DF, em Minas Gerais e em Goiás. "Os bancos vêm sofrendo um prejuízo muito grande por conta de estelionatários que fazem procurações em cartórios em nome de titulares. Depois eles conseguem movimentar a conta e passam a ser o titular", afirmou.

Em depoimento, o suspeito confessou o crime e disse que iria ganhar R$ 1 mil com a ação. Ele afirmou que recebeu a farda, a procuração e a identidade falsa de um grupo criminoso, disse o delegado. A polícia investiga se a farda foi roubada de um sargento da Aeronáutica em 2012.

O suspeito tem uma passagem pela polícia por porte de arma. Pela tentativa de golpe ele vai responder por estelionato. Ele também pode responder por associação criminosa, caso seja comprovada a participação em um grupo especializado em prática de fraudes. Caso seja condenado, ele pode pegar de 3 a 12 anos de prisão pelos dois crimes.

 

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Ministério Público Eleitoral investigará uso de avião pelo PSB em campanha


Pedro Belo

O Ministério Público Eleitoral irá investigar se o uso pelo PSB do avião Cessna 560XL, que caiu em Santos matando o então candidato à presidência Eduardo Campos e outras seis pessoas, respeitou a legislação eleitoral relativa à prestação de contas parcial e à arrecadação e gastos envolvidos na campanha.

O procedimento para a investigação foi feito pelo procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, de acordo com comunicado publicado no site da Procuradoria Geral da República nesta sexta-feira.

Segundo a nota, será pedido ao comitê de campanha do PSB a apresentação de documentos que comprovem a movimentação financeira para a utilização da aeronave na campanha. O partido também terá de encaminhar recibos eleitorais que comprovem a prestação de contas parciais.

O PSB não havia informado o uso da aeronave ao Tribunal Superior Eleitoral. Em nota oficial emitida na última terça-feira, o partido informou que o uso da aeronave havia sido autorizado pelos empresários João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho e Apolo Santana Vieira, e que seria contabilizado "ao término da campanha eleitoral, quando, conhecida a soma das horas voadas, seria emitido o recibo eleitoral, total e final".

De acordo com reportagens da mídia, teriam sido utilizados recursos provenientes de empresas fantasmas na compra da aeronave pela AF Andrade, proprietária do avião.

O prazo inicial de duração da investigação é de 60 dias, prorrogáveis de acordo com a necessidade.

 

Partido vai registrar jato como ‘doação’, afirma tesoureiro

'Doadores' do serviço de voo serão os três empresários que se apresentaram, após o acidente, como os donos da aeronave

Ana Fenandes E Carla Araújo

Coordenador financeiro da campanha de Marina Silva à Presidência e candidato a vice na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB) em São Paulo, o deputado federal Márcio França anunciou nesta sexta-feira, 29, que seu partido, o PSB, vai registrar na Justiça Eleitoral o jatinho que era usado por Eduardo Campos e caiu em Santos no dia 13 de agosto matando o presidenciável e outras seis pessoas como “doação de pessoa física”.

Os “doadores” do serviço de voo serão os três empresários que se apresentaram, após o acidente, como os verdadeiros proprietários da aeronave.

“É legal”, justificou França a jornalistas que esperam o início do evento de lançamento do programa de governo de Marina Silva, em São Paulo. “Na segunda-feira o comitê financeiro prestará contas dessa parte.” Segundo França, na segunda-feira as contas ligadas a Campos serão fechadas e as de Marina Silva, que substituiu o ex-governador pernambucano, abertas.

O jatinho Cessna Citation que caiu com Campos está no nome de uma empresa de Ribeirão Preto. O aparelho foi repassado, porém, para outros donos sem que as autoridades aeronáuticas fossem informadas. A Polícia Federal diz que a aeronave foi paga por um “consórcio” de seis empresas, algumas sem endereço ou lastro financeiro.

A suspeita é que a própria campanha do PSB seja a compradora, algo que o partido nega. Três empresários pernambucanos assumiram a compra, João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, Apolo Santana Vieira e Eduardo Freire Bezerra Leite.

Lei Eleitoral. O artigo 23, da lei 9.507/97, estipula em seu parágrafo sétimo que “doações estimáveis em dinheiro relativas à utilização de bens móveis”, como o jato usado por Campos, podem ser feitas desde que o bem seja de “propriedade do doador” e que o valor da doação não ultrapasse R$ 50 mil. Uma hora de voo no Citation custa em média R$ 10 mil.

 

PORTAL BRASIL


Natal (RN) recebe primeiro Centro Vocacional Tecnológico

As unidades de ensino e de profissionalização, são voltadas para a difusão do acesso ao conhecimento científico e tecnológico

O primeiro Centro Vocacional Tecnológico ( CVT Espacial,) voltado para o segmento espacial,  será instalado na área do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), em Natal (RN).

A informação foi dada pelo presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo, aos integrantes do Conselho Superior da instituição, na 68ª Reunião Ordinária do colegiado, realizada nessa quinta-feira (28).

Segundo o dirigente, o projeto está recebendo os últimos ajustes e já tem o aval do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), parceiro na iniciativa. Um dos objetivos é contribuir para que as ações de capacitação de monitores feitas pelo programa AEB Escola deixem de ser eventos realizados ao longo do ano e passem a ser atividades do programa.

O CVT Espacial contribuirá para que a sociedade local passe a ter outro olhar sobre as atividades espaciais brasileiras e amplie sua visão sobre as necessidades que o País tem de dominar cada vez mais as tecnologias do setor.

No encontro Braga Coelho também informou que o quinto exemplar do Satélite Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres, o Cbers-4, está entrando na etapa final de testes na China e segue em outubro próximo para a base de Taiyuan de onde deve ser lançado em 7 de dezembro.

Centros Vocacionais Tecnológicos 

Os Centros Vocacionais Tecnológicos (CVTs) são unidades de ensino e de profissionalização, voltados para a difusão do acesso ao conhecimento científico e tecnológico, conhecimentos práticos na área de serviços técnicos, além da transferência de conhecimentos tecnológicos na área de processo produtivo.

 

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


PF apura se aeronave foi comprada com dinheiro de caixa dois


Severino Motta De Brasília

O procurador-geral eleitoral, Rodrigo Janot, abriu nesta sexta (29) investigação para apurar irregularidades no uso do jato Cessna pelo ex-governador Eduardo Campos e pela atual candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva.

A depender do tipo de irregularidade que possa ser encontrada, as contas da campanha do PSB podem ser rejeitadas pela Justiça. No limite, isso poderia levar até mesmo à cassação de um eventual diploma no caso de Marina Silva vencer a eleição.

Desde o acidente do dia 13, quando o avião caiu em Santos (SP) e morreram Campos e outras seis pessoas, a propriedade da aeronave é alvo de investigações da polícia.

O jato era usado pela campanha de Campos desde maio. Uma das hipóteses investigadas pela Polícia Federal é a de o avião ter sido comprado com recursos de caixa dois de empresários ou do PSB.

Empresas-fantasmas ou sem capacidade financeira foram usadas para pagar o jato. A lista de depósitos e pagadores foi entregue à PF pelos antigos donos do avião, Alexandre e Fabrício Andrade, do grupo A.F. Andrade, de Ribeirão Preto (SP). Em depoimento à PF, eles contaram que a aeronave foi comprada por três empresários de Pernambuco: João Carlos Lyra Pessoa de Mello Filho, Apolo Santana Vieira e Eduardo Ventola. Os pagamentos foram feitos por meio de 16 depósitos bancários, em nome de seis empresas ou pessoas diferentes, no total de R$ 1,71 milhão.

O "Jornal Nacional" mostrou que, entre as empresas, estão a peixaria Geovane Pescados, a RM Construtora e a Câmara & Vasconcelos, cuja sede é uma sala vazia.

Além do valor pago à A.F. Andrade, os empresários assumiram dívida de cerca de R$ 16 milhões com a fabricante do avião.

 

Veleiro com argentinos desaparece no RS

Embarcação saiu de Buenos Aires em direção ao Rio e sumiu na terça-feira (26); buscas começaram no dia seguinte Equipe da Aeronáutica que procura o barco avistou um mastro e outros objetos na tarde desta sexta-feira (29)

De Porto Alegre

Um veleiro com quatro argentinos está desaparecido em alto-mar na costa brasileira, a cerca de 350 km da cidade de Rio Grande (RS), a 338 km de Porto Alegre.

Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), a embarcação sumiu na última terça-feira (26) e as buscas começaram no dia seguinte.

A equipe da Aeronáutica que procura o veleiro avistou um mastro e outros objetos na tarde desta sexta (29).

Ainda não se sabe se o material pertencia à embarcação procurada. Um rebocador da Marinha foi deslocado à região para recolher os objetos, achados a cerca de 500 km da costa gaúcha.

Segundo o jornal argentino "Clarín", estão a bordo do veleiro Tunante 2 o oftalmologista Jorge Benozzi, renomado médico de Buenos Aires, capital argentina, o genro dele Mauro Cappuccio e dois amigos, Alejandro Vernero e Horacio Morales.

A Marinha comanda as buscas e conta com duas aeronaves da FAB na operação. Segundo o "Clarín", a embarcação tinha saído de Buenos Aires em direção ao Rio.

Um navio mercante norueguês avistou o veleiro na última quarta (27), informou a Marinha. Uma corveta --navio de guerra de porte médio -- argentina também está participando das buscas.

À emissora de TV TN, da Argentina, Giovanna Benozzi, filha do médico, afirmou que as ondas causadas por uma tempestade fizeram o veleiro perder o rumo. Ela afirma ter conseguido manter contato telefônico com o veleiro até quarta-feira (27).

Benozzi é conhecido na Argentina por descobrir um tratamento inovador para a presbiopia, distúrbio visual popularmente conhecido como "vista cansada".

Governo simula chegada de paciente com ebola ao Galeão


De Brasília

O governo federal realizou, nesta sexta (29), uma simulação de como seria a chegada de um paciente infectado pelo vírus do ebola ao Brasil.

A ação no aeroporto do Galeão, comandada pelo Ministério da Saúde, teve como objetivo treinar as equipes e avaliar o atendimento.

"Embora o risco seja muito baixo, precisamos estar preparados. Não podemos deixar que algo aconteça para saber se estávamos preparados ou não", disse o ministro da Saúde, Arthur Chioro, que acompanhou os procedimentos por videoconferência, de Brasília. O ministro reforçou que não há qualquer registro da doença no país.

A simulação teve início às 9h, com a comunicação do caso "suspeito" feita pelo comandante da aeronave ao aeroporto, e foi concluída no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, da Fundação Oswaldo Cruz, por volta das 11h30, com o atendimento do paciente fictício.

Servidores da Aeronáutica fizeram os papéis dos passageiros e do paciente infectado com ebola.

A ação foi realizada em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde do Rio de Janeiro e contou com a participação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), da Fiocruz, do Corpo de Bombeiros, da Concessionária Rio Galeão e da TAM. Um avião de carreira da companhia foi utilizado numa área isolada do aeroporto.

De acordo com Chioro, o ministério irá analisar os resultados da ação, que deverão ser compartilhados com secretarias de Saúde de outros Estados.

A pasta ainda avaliará a necessidade de novas simulações, que poderão ser realizadas em Brasília e em São Paulo.

 

PORTAL UOL


Centro espacial francês dá por perdidos primeiros satélites do Galileu


Efe Em Paris

Os dois primeiros satélites operacionais do sistema de navegação geoespacial europeu Galileu, situados em uma órbita errada, não servirão para o mesmo, segundo o representante no projeto e presidente do CNES (Centro Nacional de Estudos Espaciais) da França, Jean-Yves Le Gall.

Enquanto a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) se mostra prudente sobre o uso desses dois aparelhos, posicionados na sexta-feira passada em uma órbita errada e com os quais se tem contato da Terra, Le Gall foi muito mais taxativo ao indicar que não servirão para o sistema de navegação via satélite com o qual a Europa quer concorrer com o GPS dos Estados Unidos.

"Não serão recuperáveis (para a navegação) porque sua órbita não é circular como deveria ter sido e portanto não estão em boa situação em um plano orbital. Não poderão, portanto, servir à missão Galileu", disse o ex-astronauta em entrevista publicada pela revista "Usine Nouvelle".

Le Gall assinalou que, no entanto, "Doresa" e "Milena", o nome dos dois satélites, poderão servir para "fazer testes de órbita e validar seu funcionamento".

O responsável do centro espacial francês disse que "as consequências" deste erro "serão limitadas", embora possam provocar um atraso nos seguintes envios de satélites da constelação Galileu.

Para isso, assinalou, é preciso que se conheçam o mais rápido possível os motivos do erro, para poder continuar imediatamente com o programa de lançamento, que prevê um novo em dezembro próximo.

O Galileu deve ser constituído por 24 satélites, dos quais seis são de reposição, lembrou Le Gall.

À espera de conhecer as primeiras conclusões da comissão de investigação criada para analisar este erro, previstas para o próximo dia 8, Le Gall - que durante anos presidiu o consórcio de plataformas de lançamento espaciais Arianespace, responsável pelo mesmo - emitiu suas primeiras hipóteses.

"O mais provável é que a disfunção tenha acontecido no quarto estágio da Soyuz, chamado Fregat, que situa os satélites em sua órbita definitiva após duas impulsões consecutivas. Por um motivo ainda desconhecido, o segundo impulso não foi realizado na boa direção", disse.

Le Gall assinalou que o foguete russo Soyuz não é o culpado pelo erro, mas o sistema Fregat, concebido conjuntamente por russos e europeus.

Para o presidente do CNES se trata "de um erro de produção" que pode estar ligado aos problemas atravessados pela indústria espacial russa nos últimos anos.

"A comissão de investigação deve determinar se se trata de um elemento mal programado ou de um equipamento defeituoso", assinalou.

 

Medo do ebola leva servidores a negar atendimento aos senegaleses no Acre


Josias De Souza

O surto do vírus ebola, que mandou à cova mais de 1.550 pessoas em cinco países africanos, já mete medo até no Brasil. Servidores públicos que prestam assistência a estrangeiros que entram ilegalmente no país pelo Acre começaram nesta sexta-feira (29) a negar atendimento a refugiados senegaleses. Passaram a agir assim depois que a ministra da Saúde do Senegal, Awa Marie Coll Seck, confirmou o primeiro caso de ebola no país.

“Por receio do contágio, o pessoal do Ministério do Trabalho, que emite as carteiras de trabalho, está negando atendimento aos senegaleses”, contou ao blog o governador do Acre, Tião Viana (PT). Secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, Nilson Mourão informou que “há receio e sobressalto também na Polícia Federal”, responsável pela emissão de vistos temporários para os refugiados.

Segundo Nilson Mourão, havia nesta sexta-feira num abrigo da capital, Rio Branco, pelo menos 20 senegaleses. “Esse número muda todo dia, está sempre chegando mais”, disse o secretário. Trazidos por coiotes, como são chamados os traficantes de seres humanos, os senegaleses chegam pela fronteira que separa a cidade peruana de Iñapari do município acriano de Assis Brasil —uma rota de imigração ilegal inaugurada pelos haitianos.

Tião Viana havia solicitado ao governo federal o envio de uma equipe técnica para fazer o controle sanitário na fronteira. “O alerta foi feito há vários meses”, disse Mourão. “Foram informados os ministérios da Justiça e da Saúde, além da Anvisa e da Secretaria de Direitos Humanos. Faz tempo que os senegaleses entraram nessa rota de imigração. Embora não houvesse casos de ebola no Senegal, o país faz fronteira com países que sofrem com a epidemia. E nós estávamos preocupados.”

Súbito, sobreveio a primeira confirmação. Um estudante procedente da Guiné foi diagnosticado com ebola num hospital de Dakar, capital do Senegal. Difundida por agências internacionais, a notícia ganhou a internet. E ateou medo nos servidores que têm contato com refugiados no Acre. “Eu havia pedido providências sanitárias ao governo federal, mas nada foi feito”, lamentou Tião Viana. “A confusão será grande.”

Coincidentemente, a ministra Ideli Salvatti (Direitos Humanos) visitava o Acre nesta sexta. Foi informada sobre a encrenca. No final da tarde, ela participou de uma reunião com Mourão e representantes dos servidores dos órgãos federais que têm a resposabilidade de acolher os imigrantes que chegam diariamente ao Acre. O encontro ocorreu no abrigo temporário dos refugiados.

“Temos que atentar para os riscos”, afirmou Nilson Mourão. “É preciso que o Ministério da Saúde envie imediatamente uma força-tarefa para fazer o monitoramento do ingresso dos senegaleses. Essa demanda é absolutamente necessária e urgente.” O Acre é mera porta de entrada dos refugiados. Depois da emissão dos documentos, eles seguem para São Paulo. Uma parte fica na capital paulista. Outro grupo segue viagem para outros Estados.

 

JORNAL ZERO HORA


Três navios e dois aviões procuram veleiro argentino desaparecido

Embarcação pediu socorro há três dias e entre os quatro tripulantes sumidos está um renomado médico da Argentina

Passados três dias do sumiço do veleiro argentino Tunante II, a força-tarefa de buscas reúne, nesta sexta-feira, três navios — um argentino, um brasileiro e um norueguês — e duas aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB). Eles patrulham uma área determinada a partir de cálculos da Marinha. 

Até o momento, não há informações sobre o paradeiro dos quatro tripulantes que estariam a bordo, incluindo um renomado médico argentino.

De acordo com o Comando do 5º Distrito Naval (Com5ºDN), o pedido de socorro da embarcação chegou Serviço de Busca e Salvamento (Salvamar Sul) às 15h50min desta terça-feira. Conforme as coordenadas repassadas pela tripulação, eles estariam a 180 milhas a leste de Rio Grande. O que significa cerca de 360 quilômetros do litoral sul gaúcho.

O veleiro Tunante II tem quatro tripulantes, todos homens. O mais conhecido deles é um oftalmologista argentino de 62 anos que, segundo o jornal El Clarín, é famoso por ter descoberto um tratamento inovador para a presbiopia, uma anomalia na visão. Os quatro amigos saíram de Buenos Aires e tinham como destino o Rio de Janeiro.

Desde o sumiço, um rebocador de alto mar do Com5ºDN começou a se deslocar no mesmo dia, mas, devido às más condições do tempo — ondas de mais de seis metros de altura e ventos de até 80 km/h — só chegou na madrugada desta sexta. Desde quinta-feira, a FAB já operou mais de 35 horas de voo.

 

PORTAL GLOBO.COM


PANORAMA POLÍTICO - ILIMAR FRANCO


Defesa integrada

O Brasil irá aderir à Cruz del Sur, uma missão de defesa da ONU para a América do Sul. Já fazem parte Argentina e Chile. A missão atua em ações humanitárias e eventuais necessidades de defesa. O Brasil irá contribuir com cerca de 350 homens.

JORNAL CORREIO DO POVO


Após mais de 35 horas de voo, FAB ainda não localizou veleiro argentino

Buscas ocorrem no entorno do local de onde a embarcação enviou o último sinal de comunicação

Vitória Famer

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou nesta sexta-feira que duas aeronaves ainda estão realizando as buscas ao veleiro argentino que desapareceu na costa da cidade de Rio Grande, no Sul do Estado, na última terça-feira. Segundo a FAB, foram totalizadas mais de 35 horas de voo e a área coberta ultrapassa a 4.580 km² sobrevoados. Além dos aviões, a Marinha da Argentina enviou uma corveta - Rosales - para ajudar nos trabalhos.

A Marinha do Brasil confirmou a identificação, divulgada pela imprensa argentina, dos quatro tripulantes a bordo do veleiro ‘Tunante II. Jornais de Buenos Aires divulgaram que seguem desaparecidos Jorge Benozzi, de 61 anos, o genro dele, Mauro Cappuccio, de 35, e os amigos Alejandro Vernero, de 61, e Horacio Morales, de 63. O primeiro é um oftalmologista renomado no país vizinho.

As buscas ocorrem no entorno do local de onde o veleiro enviou o último sinal de comunicação, às 22h de terça-feira. Na madrugada de quarta, a embarcação, que mede 12,5m, foi avistada pela última vez pelo navio mercante norueguês “Selje”, que também foi orientado a permanecer na região e auxiliar nas buscas. Já o 5° Distrito Naval, com sede em Rio Grande, enviou o navio rebocador “Tritão”, que saiu de Itajaí (SC) nessa quarta-feira. Nesta sexta, as condições climáticas melhoraram um pouco. As ondas estão entre dois a quatro metros de altura e os ventos em 30km/h.

A família contatou os tripulantes por um celular via satélite, na tarde de terça, e pediu socorro. “O Tunante II” partiu de Buenos Aires em direção ao Rio de Janeiro. Conforme o relato de familiares, na terça-feira os quatro contaram ter enfrentado uma tormenta no caminho, mas conseguido estabilizar o barco. Antes de ficar sem bateria, eles também disseram ter mantimentos no veleiro para cerca de 15 dias.