NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL UOL


Chefe das Forças Armadas do Brasil visita Comando Sul em Miami


Publicada em 17/07/2019 15:19

O chefe do Estado Maior Conjunto das Forças Armadas do Brasil, tenente-brigadeiro Raúl Botelho, se reuniu em Miami com o almirante Craig Faller, do Comando Sul dos Estados Unidos, para avançar na relação militar de ambos os países, informou nesta quarta-feira a instituição.

Os dois se reuniram para "discutir o aprofundamento e a expansão dos laços de defesa cooperativa entre as duas maiores democracias do hemisfério ocidental", segundo um comunicado da instituição.

Botelho se reuniu na terça-feira com o almirante Faller e outros líderes do Comando Sul, encarregados das operações militares na América do Sul e no Caribe.

"Esta visita ajuda nossas nações a darem mais um passo importante para avançar em nossa relação militar e expandir a associação de defesa para apoiar os objetivos que compartilhamos como vizinhos comprometidos a trabalhar juntos por uma região segura, estável e pacífica", disse o almirante Faller.

O Comando Sul afirmou que ambas as forças armadas contam com vínculos de longa data e intercâmbios recíprocos de pessoal e informação.

Além disso, a instituição americana informou que a cooperação inclui "uma ampla gama de atividades de associação, como exercícios, treinamentos, luta contra a proliferação e contra o narcotráfico, e assistência humanitária".

Em março, o Brasil assinou uma declaração de associação com a Guarda Nacional de Nova York, unindo-se a mais de 80 nações que participam do Programa de Associação Estatal com os Estados Unidos.

Neste ano, o Brasil abrigará as fases atlântica e anfíbia do UNITAS, o maior exercício multinacional de segurança marítima do mundo.

"O legado das Forças Armadas do Brasil como um parceiro de segurança comprometido continua crescendo na medida em que assumem novos papéis de liderança que promovem a cooperação em matéria de segurança, fomentam a capacidade regional e respaldam a segurança e a estabilidade no hemisfério ocidental e em outras regiões, como o continente africano", afirmou o Comando Sul dos Estados Unidos.

PORTAL G1


Hospital de Goiânia faz captação de órgãos de jovem para serem doados a sete pessoas

Doadora foi uma mulher de 24 anos, vítima de acidente de trânsito, que teve morte cerebral. Procedimento para a retirada dos órgão durou quase seis horas.

Rodrigo Gonçalves E John William, G1 Goiás | Publicada em 17/07/2019 20:21

O Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) fez nesta quarta-feira (17) a captação de órgãos de uma mesma doadora que foram destinados a sete pacientes de cidades, como Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Pará. O procedimento para a retirada durou quase seis horas.

A doadora foi uma mulher de 24 anos, do interior de Goiás, vítima de acidente de trânsito e que teve morte cerebral confirmada na manhã desta quarta. Para os especialistas, a corrida contra o relógio é crucial, já que cada minuto conta desde a decisão da família em autorizar a doação até a retirada e transplantes dos órgãos.

Um levantamento da Central de Transplantes de Goiás, mostrou que de cada dez famílias, só três autorizaram a doação dos órgãos neste ano.

“A família está bem fragilizada, mas é o momento que a gente tem para chegar e falar sobre doação e informar inclusive que esse é um direito da família”, disse a enfermeira da Central de Transplantes de Goiás, Giselle Almeida.

De acordo a assessoria de imprensa, a captação dos órgãos teve início às 12h50 e terminou às 18h30. Foram levados para a doação o coração, pâncreas, fígado, rins e córneas. Na proporção que os órgãos eram retirados, iam sendo colocados em caixas térmicas. O primeiro retirado foi o coração.

Os médicos informaram que o órgão tem uma durabilidade menor fora do corpo humano, de apenas quatro horas. Ele foi transportado até Brasília, onde já tinha uma pessoa no centro cirúrgico aguardando pelo transplante.

Assim que o coração foi colocado na caixa térmica, os médicos correram para ambulância do Corpo de Bombeiros.

Na ambulância, uma equipe do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal acompanhou todo o trajeto. Em 15 minutos, os bombeiros chegaram ao Aeroporto Santa Genoveva, onde um avião da Força Aérea Brasileira já estava a postos para transportar o coração.

Outros órgãos

A informação passada pela Central de Transplantes de Goiás é que o pâncreas seguiu para São Paulo; o fígado foi para o Rio de Janeiro; um rim para o Pará, e o outro fica em Goiânia. Já as córneas também ficam na capital.

Médicos, técnicos e enfermeiros do Hugo trabalharam em revezamento no centro cirúrgico. Cada especialista avaliou as condições de cada órgão.

"Cada um fez a captação do órgão no tempo específico, porque cada órgão tem um tempo de isquemia, que deve ser observado, um limite máximo para que possa ser implantado”, informou o cirurgião geral, Jean Frederico, da equipe de captação de rins de Goiás.

AGÊNCIA BRASIL


Governo quer incentivar startups para dessalinização

Marcos Pontes explica na TV Brasil acordo de salvaguardas com EUA

Por Gilberto Costa | Publicada em 17/07/2019 07:00

O Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação (MCTIC) quer incentivar o desenvolvimento de startups para a produção de tecnologias para irrigação, distribuição e reuso de água, inclusive dessalinizada.

A experiência vai ocorrer no já inaugurado Centro de Testes de Tecnologias de Dessalinização (CTTD), vinculado à Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), na Paraíba.

“O centro terá incubadora, escritório de gerenciamento de projetos, escritório de gestão, fundos [de financiamento] e patentes”, explicou o ministro Marcos Pontes durante a gravação do programa Brasil em Pauta da TV Brasil.

De acordo com Pontes, é propósito do centro ir além do desenvolvimento tecnológico. As experiências deverão ser comercializadas. “O Brasil para no nível de protótipo” comenta. “Após as especializações, mestrados e doutorados, ficam aqueles protótipos e ideias excelentes que nunca chegam ao mercado. Agora, eles vão chegar”, prometeu o ministro durante o programa.

A pedido de um telespectador, Marco Pontes também explicou o acordo de salvaguardas tecnológicas (AST) com os Estados Unidos para permitir o uso comercial do centro de lançamento de Alcântara, no Maranhão. O termo foi assinado em março durante a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Washington. A permissão depende de aprovação pelo Congresso Nacional.

Segundo Pontes, a ideia do Brasil é viabilizar a base para lançamentos de foguetes de médio porte para transporte de pequenos satélites, mais leves. “Foguetes que levam satélites menores são o futuro. Grandes satélites, de 5 toneladas, podem ser substituídos por uma constelação de satélites”, assinalou.

O dinheiro captado com o aluguel da base de Alcântara será utilizado para financiamento do programa espacial brasileiro e para beneficiar comunidades quilombolas que moram nos arredores da base.

Conforme o ministro, o acordo assinado não implica em ampliação da área da qual o Brasil manterá o controle de acesso pelos brasileiros. Segundo ele, o acordo será feito com outros países, mas a primeira assinatura com os Estados Unidos é estratégica pois os americanos detêm 80% das tecnologias usadas em lançamento de foguetes.

RÁDIO CBN


Mais de 10 mil venezuelanos foram interiorizados de Roraima para outros estados do Brasil

Imigrantes chegaram ao Brasil através da fronteira entre a Venezuela e o estado de Roraima. São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná foram os estados que mais receberam. No entanto, 6500 venezuelanos ainda estão em abrigos de Boa Vista e Pacaraima, fora a população que vive nas ruas ou em prédios abandonados.

Paula Martini | Publicada em 18/07/2019 19:25

Dez mil e duzentos venezuelanos que entraram no Brasil através da fronteira com Roraima foram deslocados para outros estados do país. É o que aponta um relatório do Subcomitê de Interiorização do Governo Federal, com dados compilados até junho de 2019. Os números consideram viagens realizadas pela Força Aérea Brasileira, pela agência da ONU para migrações e por entidades da sociedade civil. O governo federal iniciou a interiorização em abril de 2018, com objetivo de aliviar a superlotação em Roraima diante do agravamento da crise migratória. Hernan Colorado, de 32 anos, deixou a Venezuela com a mulher e os três filhos. Eles chegaram há uma semana em São Paulo, depois de um período de dificuldades em Roraima. 

"Eu fazia banana frita, vendia salgadinho e amendoim em Boa Vista. Nós queremos trabalhar para ficar melhor, e não só para sobreviver. Nós queremos melhoria para as crianças e, em Roraima, a gente trabalhava e não dava para nada."

Hernan conseguiu trabalho num campus da Universidade Brasil, no interior paulista. A instituição começou a acolher os venezuelanos que participam da interiorização. A diretora de projetos sociais da universidade, Erika Maldonado, explica que a ideia é empregar os imigrantes e alocá-los em casas construídas nos campi.

"A comunidade interna e externa montam uma casa através da arrecadação de móveis, utensílios e alimentos. Eles já saem lá de Roraima com a contratação encaminhada, então não vem frustrada."

Mas nos abrigos de Boa Vista e Pacaraima, ainda há cerca de 6. 539 venezuelanos, de acordo com informações da Operação Acolhida, do Governo Federal. Outros 1.600 moram em imóveis abandonados de Boa Vista, fora os que vivem nas ruas. O chefe de missão da Organização Internacional pra Migrações da ONU, Stéphanie Rostiaux, reconhece que o programa ainda precisa evoluir. 

"No mês de junho, conseguimos atender cerca de 1.600 pessoas que se beneficiaram do processo de interiorização. Claro que não é suficiente, mas já é um bom sinal de que está ganhando forças para resolver a situação dos venezuelanos em situação difícil em Roraima."

Os venezuelanos foram encaminhados pra vinte e três estados, além do Distrito Federal, desde o início da interiorização. São Paulo foi o líder, com 2.144 imigrantes, seguido por Rio Grande do Sul e Paraná.

PORTAL DEFESANET


Modernização das engenharias – Akaer integra esse debate


Publicada em 17/07/2019 09:55

A Akaer, empresa certificada como EED (Empresa Estratégica de Defesa), com controle acionário nacional e gestão independente, integra um importante movimento nacional de modernização do currículo dos cursos de engenharia, que tem como objetivo principal formar profissionais mais preparados para enfrentarem os desafios do mercado de trabalho.

A iniciativa partiu da MEI (Mobilização Empresarial pela Inovação), ligada à CNI (Confederação Nacional das Indústrias), que, juntamente com Universidades, Institutos de Pesquisa, Fundações, Conselho Nacional de Educação e Empresas, entre outros órgãos públicos e privados, iniciaram um amplo debate para atualizar a Diretriz Curricular de Ensino (DCE) dos cursos de engenharia no país.

Esse projeto de modernização curricular deve se refletir futuramente na formação de novos engenheiros. “Esse é um movimento mundial. Precisamos preparar nossos profissionais para a resolução de problemas complexos e isso passa por uma adequação dos cursos” explica o Vice-Presidente de Operação da Akaer, Fernando Ferraz.

A nova DCE resultante dessa primeira fase de debates entre os entes participantes foi referendada pelo CNE e assinada em abril pelo Ministro da Educação. A expectativa é que, a partir dessa nova DCE, aconteçam desdobramentos, que vão desde a adequação dos cursos e currículos até a estrutura dos cursos em si. Será levado em conta também a nova realidade do ensino superior, como o ensino à distância.

A partir da nova DCE, novas frentes de trabalho começam a se formar para definir os próximos passos, que incluem desde a revisão dos instrumentos de avaliação dos cursos, até a definição de políticas para uma maior aproximação entre empresas e universidades.

“Não é só pensar em transferência de tecnologia e suporte tecnológico, é trabalhar para a formação de mão de obra, de forma integrada, trazendo o aluno para dentro da empresa e levando a empresa para dentro da universidade, para enriquecer mais essa troca”, destaca Ferraz.

Segundo ele, todo esse processo representa um marco importante, pois, é a primeira vez que há uma colaboração entre os fornecedores de mão de obra, no caso as universidades e os clientes dessa mão de obra, no caso as empresas.

“Essa colaboração trouxe visão de mercado e foi interessante para todos os lados”. Outro ponto que tem se mostrado positivo e inovador, segundo Ferraz, é o trabalho colaborativo e em rede que vem se desenvolvendo, com a integração de diversos entes da federação.

A Akaer atua há mais de três anos com projetos de pesquisa, utilizando tal conceito de redes, que integram institutos de pesquisa nacionais e internacionais, agências de fomento e a própria indústria. “Essa nossa experiência bem-sucedida mostra como uma visão inovadora consegue gerar resultados mais concretos e mais rápidos”, conclui Ferraz.

Fundada em 1992, a holding Akaer é considerada um dos grupos empresariais mais importantes do país, composta pelas seguintes empresas: Akaer Engenharia; Troya, dedicada ao projeto, desenvolvimento e fabricação de ferramental, plataformas e automação; Akros, o braço industrial dedicado a integrar a industrialização e manufatura de produtos de alta tecnologia; Equatorial, responsável pelo desenvolvimento, projeto e integração de sistemas espaciais e carga útil para satélites; e Opto Space & Defense, voltada para o desenvolvimento de projeto e integração de tecnologias e produtos optrônicos.

O grupo conta com uma estrutura de 18.000 m2 de área construída, seis prédios e capacidade para cerca de dois mil funcionários, capaz de absorver uma industrialização avançada com foco na alta tecnologia. A Akaer também conta com a sede da Opto S&D, em São Carlos (SP). Uma infraestrutura moderna que a permite atuar em todo o ciclo de desenvolvimento, qualificação e fabricação de optrônicos para espaço e defesa.

A empresa é uma desenvolvedora de produtos e uma integradora de primeiro nível para os setores aeronáutico, espacial e de defesa tanto no Brasil quanto no exterior. Devido à expertise nessas áreas, o Grupo Akaer atende os grandes players mundiais do setor como Embraer, Boeing e Airbus e participa de projetos estratégicos para o Brasil como o cargueiro KC-390, da Embraer, o caça Gripen NG da SAAB, e as câmeras MUX e WFI para os satélites do programa CBERS.

OUTRAS MÍDIAS


AEROFLAP - Comandante da Aeronáutica se reúne com Embaixador da Coreia do Sul


Agência Fab | Publicada em 17/07/2019 09:31

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, reuniu-se com o Embaixador da República da Coreia do Sul no Brasil, Kim Chan-woo, em Brasília, nesta terça-feira (16/07). O encontro também contou com a presença do Adido da Coreia do Sul no Brasil, Jeong Hoe Seo, e do Chefe da Segunda Subchefia do Estado-Maior da Aeronáutica (EMAER), Brigadeiro do Ar Rodrigo Fernandes Santos.

De acordo com o Tenente-Brigadeiro Bermudez, a visita institucional visa ratificar a cooperação entre as Forças Aéreas do Brasil e da Coreia do Sul. “Reafirmamos a importância da cooperação em diversos campos, como o intercâmbio entre militares dos dois países”, exemplificou o Comandante.

Na oportunidade, o Embaixador Kim Chan-woo convidou a Força Aérea Brasileira a participar de uma exposição militar sobre a Força Aérea da Coreia do Sul, que ocorrerá em outubro, em Seul. “Pretendemos dinamizar as possibilidades de cooperação entre os dois países, especialmente na área de aeronáutica das duas nações”, disse.

DEFESA TV - Brasil conquista prata e bronze na etapa da Suíça do Circuito Mundial


Marcelo Barros | Publicada em 17/07/2019 09:33

O Brasil fez dobradinha no pódio do Major Series de Gstaad, na Suíça, segunda competição mais importante no Circuito Mundial de Vôlei de Praia. No domingo (14), a dupla de Sargentos da Força Aérea Brasileira (FAB) Maria Elisa Antonelli e Carolina Solberg ficaram com a prata, após disputa com as americanas Ross e Klineman por dois sets a um.

Ao lado delas, também subiu ao pódio as Sargentos do Exército Ana Patricia e Rebecca. Elas conquistaram o bronze na disputa com as suíças Nina e Tanja, por dois a zero.

Os brasileiros já tinham garantido um bronze no masculino, com o Sargento Bruno Schmidt e o Marinheiro Evandro da Marinha. O Circuito de Vôlei de Praia segue agora para a etapa de Portugal.

Com informações do Departamento de Desporto Militar

OLIMPÍADA TODO DIA - Lorraine Martins é destaque no sub-20 em San José

A competição da Costa Rica é a principal do ano para a velocista, tricampeã brasileira e bi sul-americana nos 100 m e nos 200 m, e que também já tem resultados entre as adultas

Publicada em 17/07/2019

A velocista Lorraine Barbosa Martins (CET-DEO-RJ) é destaque da seleção brasileira no Campeonato Pan-Americano Sub-20 de Atletismo, de sexta-feira (19/7) a domingo (21/7), no Estádio Olímpico de San José, na Costa Rica. A carioca Lorraine, de 19 anos, nascida em 4/4/2000, manteve o domínio em suas provas desde o início da temporada 2019 em todas as competições que disputou na categoria sub-20 e ainda obteve resultados para se colocar bem no Ranking Brasileiro entre atletas adultas.

Mostrou sua boa forma na Espanha, sua última competição antes do embarque para o Pan, nesta quarta-feira (17/7). Lorraine competiu e bateu o recorde brasileiro sub-20 dos 100 m rasos no GP Cidade de Segovia – XI Troféu Antonio Prieto, realizado no último dia 13 de julho. Correu a semifinal em 11.35 (0.1 m/s), batendo uma marca que era de Vitória Rosa, com 11.36. Venceu a final com 11.22, mas com vento acima do permitido (3.4). Lorraine é a segunda colocada no Ranking Brasileiro principal e a primeira no sub-20 nos 100 m (11.35) e nos 200 m (23.28).

“Conversamos depois do recorde sobre o Pan de San José, o evento principal do ano. Fecha um ciclo no sub-20 e esperamos que ela faça uma grande competição. Ela concordou que devemos fechar bem, está preparada, confiante e com esperança que dê certo. É importantíssimo realizar um bom trabalho para que o atleta se sinta capaz. E ela está se sentindo capaz. Depois pensamos na categoria acima”, disse a treinadora Neusa Amaral, com quem Lorraine treina desde os 12 anos.

Na base, fez salto em distância, 250 m, 300 m com barreiras (sub-16), tem “bom lastro de treino”, define Neusa. De 2016 a 2019 atingiu todas as metas propostas. Foi quarta colocada nos 100 m e nos 200 m no Mundial Sub-18 de Nairóbi, do Quênia, em 2017. E, no ano passado, finalista nas duas provas no Mundial Sub-20 de Tempere, na Finlândia.

Manteve a hegemonia nas provas de velocidade em 2019. No Campeonato Brasileiro Sub-20, realizado em Bragança Paulista, no fim de maio começo de junho, bateu o recorde pessoal (melhorado em Segovia recentemente) e do campeonato na qualificação dos 100 m, com 11.41 (1.1). Depois venceu a semifinal novamente com 11.41, mas com vento acima do permitido (2.6). Na final, ganhou com 11.53 (0.0) para comemorar o tricampeonato dos 100 m (2017, 2018 e 2019).

Também foi tricampeã brasileira sub-20 nos 200 m, com 23.58 (-0.7). Na semifinal estabeleceu novo recorde do Campeonato, com 23.28 (1.3), melhor marca pessoal.

No Campeonato Sul-Americano Sub-20 de Cáli (COL), em junho, Lorraine ganhou as duas provas para o Brasil. Campeã em 2017, em Georgetown, na Guiana, venceu os 100 m em 11.42 (1.0) – também tem o título sul-americano dos 100 m sub-18. O bicampeonato sul-americano sub-20 veio ainda nos 200 m, com 23.53 (- 0.7).

Na temporada, além de mostrar competência na categoria sub-20, Lorraine integrou a equipe titular quarta colocada no Mundial de Revezamentos de Yokohama, no Japão, em maio. O time, com Ana Carolina Azevedo, Lorraine Martins, Franciela Krasucki e Vitória Rosa, fez 43.75, ficou atrás somente dos Estados Unidos (43.27), Jamaica (43.29) e Alemanha (43.68), e qualificou o Brasil para o Mundial de Doha, Catar, que será realizado de 27 de setembro a 6 de outubro.

Lorraine vai também aos Jogos Pan-Americanos de Lima, Peru, para os 200 m e o 4×100 m – o atletismo na pista será disputado entre 6 e 10 de agosto – e integrou os dois campings de revezamentos realizados este ano dentre as atletas principais do Brasil que se preparam para o Mundial de Doha e os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. É sargento da Aeronáutica e também disputará os Jogos Mundiais Militares em Wuhan, China, em outubro.

“Ela se comportou bem nas duas categorias, inclusive entre as atletas adultas, bem mais experientes. Em Yokohama foi titular e é a segunda do ranking brasileiro adulto. Mas o que interessa é que estamos quase atingindo os nossos objetivos, estamos na porta, e esperamos que um ciclo se feche com chave de ouro, neste fim de semana, em San José”, completou a treinadora Neusa.

Lorraine participou do Camping Internacional de Treinamento e Competição em Madri (ESP), pelo Programa de Preparação Olímpica 2019-2020 da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e do Comitê Olímpico do Brasil (COB), com recursos da Lei Agnelo Piva.

DIÁRIO DE PETRÓPOLIS - Dia de homenagens a Santos Dumont também abrirá exposição sobre o trabalho da Aeronáutica


Publicada em 18/07/2019

Se estivesse vivo, o inventor do avião, Alberto Santos Dumont, estaria completando 146 anos no próximo sábado (20.07), data que será comemorada com gratuidade e festa no Museu Casa de Santos Dumont. Mas, além disso, a ocasião vai marcar também a abertura da exposição “Destacamento de Controle do Espaço Aéreo do Pico do Couto”, no Centro Cultural 14 Bis. A mostra vai contar um pouco sobre a atuação e o trabalho da aeronáutica em Petrópolis, através do destacamento que fica no Pico do Couto, no Rocio – Fazenda Inglesa, a 1.780 metros acima do nível do mar.

“A exposição, que será por período indeterminado, tem como objetivo aproveitar que o visitante já está imerso nesse ambiente de Santos Dumont, que foi o inventor do avião, e conheça mais sobre o nosso trabalho. Até mesmo os próprios petropolitanos, que muitos não sabem da existência do destacamento aqui”, frisa o Comandante do DTCEA-PCO, 1°Ten Eng Pedro Henrique Morsch Mazzoni.

A exposição vai contar com murais com fotos e vídeo explicando a função dos militares na cidade. Em Petrópolis, eles trabalham tanto no controle do tráfego aéreo, quanto na defesa, com grandes equipamentos de controle, radares, uma estação meteorológica, entre outros, atuando em um raio de 400 km no entorno, o que abrange os estados do Rio, São Paulo e Minas Gerais.

“O Museu, que é dedicado à vida de Santos Dumont, não podia deixar de passar, claro, pela história da aviação. E a instituição sempre teve uma relação muito próxima do DTCEA-PCO. Estamos muito felizes de termos mais esse atrativo dentro do museu, que vai ficar em uma sala no Centro Cultural 14 Bis”, explica o secretário da Turispetro, Marcelo Valente.

No sábado, a partir de 9h30, o museu entrará em clima de festa, com bolo e refrigerante para os visitantes, que terão entrada gratuita neste que é um dos principais atrativos turísticos da Cidade Imperial. Só em 2018, “A Encantada”, como é chamada, recebeu mais de 160 mil pessoas de diversas partes do país e até de fora.

O Museu Casa de Santos Dumont funciona de terça-feira a domingo, de 9h às 17h30, sendo que os ingressos são vendidos até às 17h. A gratuidade vale apenas para este sábado (20). O atrativo fica na Rua do Encanto, 22 – Centro.