NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 338/2016 - 03/12/2016

Publicado: 03/12/2016 - 10:06h   |   Última Atualização: 03/12/2016 - 10:06h
JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO

PORTAL UOL

JORNAL VALOR ECONÔMICO

JORNAL ZERO HORA

PORTAL G-1

AGÊNCIA BRASIL

JORNAL DIÁRIO CATARINENSE

PORTAL BRASIL

JORNAL A CRÍTICA (AM)

PORTAL AIRWAY

MINISTÉRIO DA DEFESA

OUTRAS MÍDIAS

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Aviões da FAB chegam à Colômbia para traslado de mortos em voo


De São Paulo / Da Colaboração Para A Folha Em Mede

Os três aviões Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB) chegaram, no final da tarde desta sexta-feira (2), à base de Rionegro, na Colômbia, próximo à cidade de Medellín. As aeronaves farão o traslado dos mortos do Brasil no voo com a equipe da Chapecoense.

Às 16h no local (19h, de Brasília) terá início o transporte de 50 vítimas fatais brasileiras. No mesmo horário devem decolar, em voos privados, para o Brasil os corpos dos 14 jornalistas que também estavam no voo para cobrir a final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional.

Voo que transportava a delegação da Chapecoense para a Colômbia, caiu, na última terça (29), matando 71 pessoas. A suspeita da causa do acidente é que a aeronave (modelo Avro RJ85), operada pela companhia boliviana LaMia, sofreu uma pane seca -ficou sem combustível.

"O que mais queremos agora é voltar para casa, levar para nossa casa os nossos amigos e irmãos, porque a espera é a pior coisa que existe", disse, mais cedo, Roberto Di Marche, primo do dirigente Nilson Folle Júnior, que faleceu na tragédia que comoveu o planeta.  

O corpo de paraguaio Gustavo Encina, tripulante da aeronave, foi o primeiro a deixar a Colômbia, nesta quinta (1°), em um voo comercial da Avianca. Às 8h, horário local, (11h, de Brasília) decolou outro voo comercial da Avianca com o corpo do venezuelano Angél Lugo

O processo do traslado dos restos mortais das vítimas foi mais rápido que o comum, já que governos de Brasil, Bolívia, Paraguai e Venezuela trabalharam conjuntamente para agilizar a documentação de repatriação dos corpos.

Agências funerárias colombianas cederam espaço para acomodar os corpos enquanto não eram decididos os detalhes do traslado. Além disso, prestaram assistência aos familiares que viajaram a Medellín para acompanhar as vítimas do acidente.

VELÓRIO

Os cadáveres dos 71 mortos foram preparados para a repatriação por quatro funerárias de Medellín durante quase dois dias. A cidade de Chapecó, em Santa Catarina, se prepara para um grande velório em seu estádio, a Arena Condá, previsto para este sábado (3).

O local tem capacidade para 19 mil espectadores. O clube vai instalar telões nas proximidades do estádio porque as autoridades calculam a presença de quase 100 mil pessoas no funeral.

Os corpos serão levados de Medellín para Rionegro, onde estão internados em diferentes clínicas os seis sobreviventes da tragédia, em 35 carros fúnebres. "Fizemos um grande esforço para que em breve estejam com suas famílias", afirmou Juan Tavera, gerente de uma das funerárias responsáveis por preparar os corpos.

Uma missa organizada pela Funerária San Vicente, a principal de Medellín, foi celebrada nesta quinta (1°) em homenagem aos mortos. Parentes das vítimas compareceram à cerimônia. As autoridades colombianas, em coordenação com especialistas estrangeiros, prosseguem com a investigação, que aponta para a falta de combustível da aeronave. Mas as conclusões finais podem demorar até seis meses.

PLANO DE VOO

Nesta quinta (1°), o governo boliviano suspendeu a licença da companhia LaMia e destituiu altos funcionários do setor de controle aéreo do país. O representante da empresa, Gustavo Vargas, afirmou que a aeronave não cumpriu o plano de reabastecimento em Cobija, cidade boliviana na fronteira com o Brasil, ou em Bogotá.

O avião da Chapecoense não poderia ter decolado da Bolívia em direção à Colômbia, segundo as regras aeronáuticas. O plano de voo era falho e considerado "absurdo" por especialistas em aviação. E a liberação para a partida da aeronave abriu uma crise na Bolívia, que decidiu afastar os executivos dos dois principais órgãos aéreos do país.

O documento do plano de voo do avião da empresa LaMia foi revelado pelo jornal boliviano "El Deber". O piloto assinou um planejamento da viagem sem nenhuma margem extra de combustível para situações de imprevistos, como ocorreu na aproximação da cidade de Medellín.  

O plano apontava que a aeronave tinha capacidade de voar por 4 horas e 22 minutos –tempo exato do deslocamento previsto entre Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, e Medellín. E ele não considerava escalas para abastecimento no meio do trajeto.

A principal hipótese para a tragédia é que a aeronave tenha ficado sem combustível após ser orientada a voar em círculos devido ao tráfego aéreo em Medellín.

A decolagem de uma aeronave nessas condições foi considerada esdrúxula por pilotos ouvidos pela Folha –mais do que simples erro, uma irresponsabilidade. "Ele não teve nem trabalho de mentir no plano de voo", disse um oficial de alta patente da Aeronáutica brasileira.

O acidente cortou as aspirações da modesta Chapecoense, clube fundado há 43 anos e que teve uma ascensão meteórica desde 2009, subindo da série D do futebol brasileiro até a série A em poucos anos, antes de alcançar a final da Copa Sul-Americana, o segundo torneio continental mais importante.

 

Aviões com corpos de vítimas de acidente na Colômbia devem chegar a Chapecó às 10h


Sandra Capomaccio / De São Paulo

A previsão dos três aviões da FAB (Força Aérea Brasileira), que transportam as vítimas do acidente com a Chapecoense, saírem de Manaus por volta das 2h da manhã deste sábado(3) não se confirmou.

Segundo a Força Aérea Brasileira, houve uma reacomodação dos 50 corpos em apenas duas aeronaves o que atrasou a decolagem em duas horas, para 4h, com isso a previsão de chegada a Chapecó é para às 9h45 deste sábado (3). O terceiro avião deve permanecer na base aérea de Manaus por uma questão de logística.

Ao todo são 50 caixões que estavam sendo transportados em três aeronaves modelo Hércules da FAB - 17 no primeiro, 17 no segundo e 16 no terceiro.

A primeira aeronave iniciou viagem às 4h (de Brasília); a segunda, minutos depois; às 4h11. As informações são da Globonews e foram confirmadas pela Aeronáutica.  

RIO DE JANEIRO

O avião com oito jornalistas que perderam a vida no acidente em Medellín pousou por volta das 5h10 no Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. Os corpos dos três profissionais da TV Globo, Guilherme Marques, Guilherme Van der Laars e Ari Júnior serão velados na sede do Botafogo, no Rio. A expectativa é que só devem ser liberados por volta das 10H (de Brasília). Três carros farão o translado até a funerária.

Os corpos dos cinco demais jornalistas serão transportados para Santa Catarina. Entre eles estão Giovane Klein, Bruno Mauri e Djalma Neto, da RBS, afiliada da TV Globo. O avião será reabastecido e parte em direção a Florianópolis.

Os aviões da FAB saíram da Colômbia nesta sexta-feira (2) por volta de 19h20. Segundo a Infraero a primeira aeronave com os corpos das vítimas do desastre pousou em Manaus às 23h20. O segundo chegou às 23h35. O terceiro pousou na Base Aérea meia noite, no horário de Brasília.

 

PORTAL UOL


Liberação de corpos atrasa e voo da FAB deixará Colômbia na noite de sexta


Felipe Pereira E Leandro Carneiro Do Uol, Em Medel

Houve um atraso na liberação dos corpos dos brasileiros que sairão da Base Aérea de Rio Negro, na Colômbia, em aeronaves da Força Aérea Brasileira. A funerária que prepara os corpos para o transporte ao Brasil ainda não liberou os mais de 50 corpos.

O atraso para a preparação dos corpos se deu após um outro atraso do IML para liberar os corpos. Assim, o voo da FAB que sairia rumo ao Brasil deve deixar a Base Aérea por volta das 19h. As vítimas deixarão a funerária às 18h, inicialmente o horário seria às 10h, horários de Brasília.

Depois de saírem da Base de Rio Negro, os aviões da FAB farão parada em Manaus para reabastecimento e, então, seguem para Chapecó. Serão em torno de 12 horas de viagem.

Até agora, os corpos dos seis jornalistas da Fox Sports e dos cinco tripulantes da Lamia já foram liberados.

Os jornalistas da Globo e do grupo RBS deverão deixar Medellin em um voo fretado às 22 horas de Brasília. Os funcionários da Globo ficarão no Rio de Janeiro e os corpos da RBS seguem para Florianópolis.

Uma primeira cerimônia coletiva será feita na Catedral Metropolitana de Florianópolis para os cinco funcionários da RBS. Na sequência, eles deverão seguir para velórios e enterros individuais determinados pelas famílias.

Três funcionários deverão ser enterrados na capital catarinense e outros dois seguirão para Terra de Areia e Pelotas, no Rio Grande do Sul.

 

Aviões da FAB deixam a Colômbia com os corpos das vítimas rumo a Chapecó


Felipe Pereira / Do Uol, Em Medellín (col)

Os três aviões Hércules C-130 da Força Aérea Brasileira (FAB), responsáveis pelo traslado da maioria das vítimas do acidente aéreo da Colômbia até Chapecó, decolaram da base aérea de Rio Negro, na região metropolitana de Medellín, no fim da tarde (início da noite no horário de Brasília) desta sexta-feira (2).

As aeronaves decolaram em intervalos de 15 minutos, com os dois primeiros aviões transportando 17 corpos, enquanto o terceiro levará 16 caixões até Chapecó.

Após parada de cerca de uma hora em Manaus para reabastecimento, as aeronaves da FAB têm previsão de chegada a Chapecó para as 8h da manhã de sábado (3), para depois seguirem até seus destinos finais. Parte das vítimas será velada na Arena Condá, estádio da Chapecoense.

Após cortejo de pouco mais de duas horas pelas ruas de Medellín, os 50 corpos chegaram à base aérea de Rio Negro no meio da tarde desta sexta. Os caixões foram reunidos em fileiras e acompanhados por militares em traje de gala para serem colocados nos aviões. Antes do embarque dos caixões, houve um minuto de silêncio e uma breve cerimônia religiosa. Eles entraram nos aviões da FAB sob marcha fúnebre.

"Fizemos uma cerimônia simples com honras militares para que deixem o solo colombiano como heróis", afirmou o chefe da operação, o tenente-coronel Jonh Trujillo.  

Responsável brasileiro pela condução do processo de liberação dos corpos em Medellín, o embaixador do Brasil na Colômbia, Júlio Bitelli, falou sobre a carga emocional de trabalho nos últimos dias e destacou as mostras de solidariedade do povo colombiano.

"Foram dias de trabalho muito intenso, doído, mas ao final desta tragédia terrível, fica uma mensagem muito bonita de solidariedade entre os povos. Desde aquela homenagem maravilhosa no estádio, até iniciativas individuais", afirmou Bitelli.

O voo que transportava a delegação da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, em Medellín, caiu na madrugada da última terça (29), matando 71 pessoas entre atletas, membros da comissão técnica, dirigentes e jornalistas brasileiros, além de sete tripulantes venezuelanos e bolivianos.

Parte dos jornalistas brasileiros, ligados à Globo e Fox Sports, tiveram seus caixões transportados por voos fretados pelas empresas. As vítimas venezuelanas e bolivianas também já havia deixado Medellín.

A principal suspeita do motivo do acidente é que a aeronave, operada pela Lamia, companhia boliviana que costumava transportar equipes e seleções sul-americanas em voos fretados, tenha sofrido uma pane seca – isto é, falta de combustível. As duas caixas pretas do avião foram encontradas e estão sendo submetidas à perícia das autoridades responsáveis.

 

JORNAL VALOR ECONÔMICO


BNDES deve usar TJLP para financiar até 40% em aeroportos


Rodrigo Polito, André Ramalho, Victoria Mantoan

O BNDES confirmou ontem que poderá financiar até 40% dos investimentos em novas concessões de aeroportos, em taxa de juros de longo prazo (TJLP). Outros 40% também poderão ser financiados por meio de debêntures de infraestrutura. O detalhamento das condições de financiamento para concessões de aeroportos deverão ser divulgadas hoje pela instituição

Antes de todo leilão, o BNDES divulga uma carta com as condições de financiamento, disse a diretora de Infraestrutura do BNDES, Marilene Ramos. O de aeroportos, nós pretendemos até amanhã hoje divulgar as condições. Na verdade é um detalhamento das condições, completou.

De acordo com Marilene, o principal ponto a ser destacado no detalhamento das condições de financiamento para concessões de aeroportos tem a ver com a governança. É uma exigência de governança com relação às partes relacionadas. Como não é proibido que participe do leilão um concessionário que também seja construtora, vamos exigir um certo nível de governança para dar garantia de que isso não afetará a concessão.

Segundo ela, com relação aos 40% do valor de investimento que poderão ser financiados via emissão de debêntures, o BNDES se compromete a adquirir esses papéis, juntamente com um consórcio de bancos liderados pelo Banco do Brasil, pelo menos na fase de implementação dos projetos, considerada de maior risco e que por isso não desperta tanto interesse do mercado financeiro.

Sobre a possibilidade de aquisição dessas debêntures pelo mercado, no futuro, Marilene disse que os projetos, depois que eles performam, se tornam investimentos muito atrativos para o mercado.

O governo marcou para 16 de março o leilão de concessões de quatro aeroportos: Florianópolis, Porto Alegre, Salvador e Fortaleza. O lance mínimo pelos quatro terminais é de R$ 3 bilhões e a expectativa de investimentos em obras de expansão, de R$ 6,6 bilhões.

A Inframérica Aeroportos, controlada pelo grupo argentino Corporación América, reiterou o interesse em disputar o leilão dos quatro aeroportos. Temos interesse e iremos avaliar os quatro aeroportos, mas ainda é muito cedo para uma posição mais detalhada e específica, disse o diretor financeiro, Paulo Junqueira Filho. O grupo Corporación América tem a concessão dos aeroportos de Natal e Brasília e se posiciona como comprador de aeroportos no mundo. É considerado um competidor agressivo.

A companhia é dona da rede aeroportuária da Argentina, opera Montevidéu e Punta del Este, no Uruguai, além de ter ativos no Equador, Peru e Europa. No ano passado disputou ativos na Grécia. O executivo disse recentemente ao Valor que o grupo está buscando um parceiro para os novos projetos no Brasil.

A Anac disponibilizou ontem no site o edital para o leilão dos quatro aeroportos. Na publicação final, o governo decidiu subir um pouco os valores das outorgas de Salvador e Fortaleza, de R$ 1,19 bilhão para R$ 1,24 bilhão e de R$ 1,39 bilhão para R$ 1,44 bilhão, respectivamente. São altas de R$ 53 milhões e R$ 51 milhões, cada. Segundo o Ministério dos Transportes, o ajuste ocorreu somente nos aeroportos do Nordeste justamente por envolver projetos na região, que se beneficiam de isenções fiscais da Sudene.

A contribuição do novo concessionário para custeio dos programas de adequação de efetivo da Infraero, criticada pelo mercado, também foi mantida. Quem arrematar o aeroporto de Porto Alegre terá de pagar R$ 117 milhões à estatal. No caso de Salvador, são R$ 108 milhões. Florianópolis, R$ 40 milhões e Fortaleza, R$ 69 milhões. 

 

JORNAL ZERO HORA


Aviões atrasam em Manaus e devem chegar a Chapecó às 10h deste sábado

Aeronaves da FAB estariam aguardando documentação em Manaus e saíram por volta das 4h

ImagemA previsão dos três aviões que transportam as vítimas do acidente com a Chapecoense saírem de Manaus por volta das 2h da manhã não se confirmou. Os Hércules C130 da Força Aérea começaram a sair perto das 4h da Base Aérea de Manaus e com isso devem chegar a Chapecó por volta das 10h. As informações são da Globo News, confirmadas pela Aerounática. O motivo do atraso foi uma homenagem de um time local de Manaus que foi feita ao prefeito de Chapecó, afirma a assessoria da Força Aérea Brasileira (FAB). 

Segundo a FAB, os aviões começaram a sair pouco antes das 4h e a previsão de pouso é entre 9h30min e 10h deste sábado.

Apenas duas aeronaves decolaram da Base Área de Manaus. A assessoria da FAB informa que que as urnas foram realocadas nestas duas aeronaves, sendo que cada uma levou 25 urnas.

Os aviões pousaram no final da noite desta sexta-feira em Manaus, onde fizeram uma escala para reabastecimento. O primeiro C130 pousou na Base Aérea de Manaus às 23h25min, e o segundo às 23h55min. O terceiro chegou à 0h08min. Eles devem ficar em solo por até duas horas para o desembaraço alfandegário.

 

PORTAL G-1


Aviões da FAB decolam de Manaus para resgatar corpos em Medellín

Jogadores do Chapecoense e jornalistas morreram em acidente aéreo. Três aeronaves seguiram para Colômbia; corpos serão levados para Chapecó.

Do G1 Am

As aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) que aguardavam em Manaus autorização para decolar começaram a seguir para a cidade colombiana de Medellín, por volta de 11h (horário local) desta sexta-feira (2). Os três aviões C-130 Hércules farão o transporte de corpos das vítimas do acidente envolvendo o time do Chapecoense e jornalistas, ocorrido na terça-feira (29), da Colômbia até Chapecó, em Santa Catarina. 

ImagemDe acordo com a Força Aérea Brasileira (FAB), oito tripulantes seguiram em cada avião. Dois membros do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) também foram enviados. Ao todo, 60 militares estão envolvidos na ação.

A FAB informou ainda que a previsão é que o voo dure cerca de quatro horas até Medellín. O tempo de embarque dos corpos deverá ser de no mínimo duas horas.

No retorno ao Brasil, as aeronaves farão escala em Manaus para realização de um procedimento obrigatório, chamado de desembaraço alfandegário. Cerca de seis horas após a parada na capital amazonense, os corpos devem chegar até Chapecó (SC), onde será realizado o velório e enterro de parte das vítimas do voo Lamia 2933.

A aeronave C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira já foi usada em 2010 para o transporte dos corpos de militares brasileiros, mortos no terremoto no Haiti.

Acidente
O voo que transportava a equipe da Chapecoense partiu na noite de segunda-feira de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, em direção a Medellín. Segundo a imprensa local, a aeronave perdeu contato com a torre de controle às 22h15 (local, 1h15 de Brasília), entre as cidades de La Ceja e Abejorral, e caiu ao se aproximar do Aeroporto José Maria Córdova, em Rionegro, perto de Medellín.

Segundo autoridades colombianas, há 75 mortos e seis sobreviventes. O avião da LaMia, matrícula CP2933, decolou de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com 81 pessoas a bordo: 72 passageiros e 9 tripulantes.

 

Mais de 700 militares reforçam ações contra o Aedes aegypti no Acre

Ação ocorre em 13 instituições de ensino de Rio Branco. Atividades são feitas em alusão ao Dia D de combate ao mosquito.

Janine Brasil / Do G1 Ac

Em todo o Brasil, ações de combate ao Aedes aegypti - que transmite a Dengue, Zika Vírus e a Febre Chikungunya ocorrem simultaneamente nesta sexta-feira (2). Em Rio Branco, a solenidade de alusão ao Dia D foi realizada no Mercado Seis de Agosto. As atividades ocorreram em 13 escolas da capital acreana com palestras e outras atividades.

De acordo com o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com os municípios, Rio Branco está entre as nove capitais que ficaram em situação de alerta, com índice de 3,42. 

Estiveram presentes no evento, o general de Brigada Ricardo Costa Neves, comandante da 17° Brigada de Infantaria de Selva, representante do Governo Federal; o governador Tião Viana, representando o prefeito Marcus Alexandre, além de outras autoridades.

De acordo com o general Neves, esse é um dia para toda a sociedade dar as mãos e lutar contra o mosquito causador de doenças tão graves e que podem prejudicar a população.

"Hoje, todo o território brasileiro está dando as mãos para juntos enfrentarmos o mosquito que transmite a dengue, zika vírus e a febre chikungunya. Nós, do Exército Brasileiro, temos muito orgulho e satisfação em ajudarmos e sermos úteis à sociedade podendo colaborar com o trabalho que eleva a qualidade de vida e melhora a saúde da nossa população", disse.

Neves falou ainda que todo o efetivo foi mobilizado para a ação. "Estamos participando dos trabalhos nas escolas, limpando os locais e fazendo palestras para conscientizar sobre a importância de todos participarmos dessa tarefa. Estamos com mais de 700 homens e mulheres fardados nessa atividade só aqui em Rio Branco. As forças armadas estão fazendo essa campanha no Brasil todo e isso nos enche de orgulho", acrescenta. 

A Escola Francisca Leite Ferreira foi uma das que receberam as atividades alusivas ao Dia D. No local, funciona uma creche que atende crianças de dois a quatros anos. Segundo o major Denilson José da Silva, que participou da ação na creche, as atividades no local foram lúdicas, por conta da idade das crianças.

"Tivemos um bate-papo inicial com as crianças e, posteriormente, fizemos como se fosse uma pistinha de incidentes. Montamos seis equipes de crianças, onde cada equipe ia em um incidente para tentarmos fazer com que eles entendessem por conta da faixa etária. Um incidente era uma pilha de pneus, o outro era um engradado de garrafas, o outro uma caixa caixa dágua. Depois, eles passaram fazendo rodízio e voltaram. Nós então, espalhamos tudo pela escola para eles identificarem e colocarem no lugar. Nas outras 12 escolas aconteceram em formato de palestras", disse.

A alerta e risco de surto de dengue, chikungunya e zika

Dez cidades do Acre estão em situação de alerta ou risco de surto de dengue, chikungunya e zika, segundo o Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), realizado pelo Ministério da Saúde, em conjunto com os municípios. Os dados foram coletados entre outubro e novembro de 2016.

 

Voo de São Luís ao Recife faz pouso de emergência em Fortaleza

Companhia aérea informou que ocorreu um problema técnico. Infraero disse que o pouso ocorreu às 15h33, horário de Fortaleza.

Do G1 Ce

Um avião da empresa Azul Linhas Aéreas que partiu de São Luís com destino ao Recife fez um um pouso de emergência nesta sexta-feira (2) no Aeroporto Internacional Pinto Martins, em Fortaleza. A Infraero informou que foi solicitada emergência às 15h e o pouso ocorreu às 15h33, horário da capital. 

A Azul Linhas Aéreas informou que a aeronave fazia o voo 2446 e teve seu pouso alternado para o aeroporto de Fortaleza "devido a um problema de origem técnica". Conforme a companhia, o pouso ocorreu normalmente, sem nenhum ferido.

Em nota, a Azul ressaltou que os clientes "estão recebendo toda assistência necessária de acordo com a Resolução 141 da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)". A Azul lamentou o ocorrido e disse que "medidas como essa são necessárias para conferir a segurança de suas operações".

 

Aviões da FAB com corpos de atletas da Chapecoense pousam em Manaus

Jogadores de time catarinense e jornalistas morreram em acidente aéreo. Aeronaves fazem escala no AM antes de seguirem para Chapecó.

Do G1 Am

Cinquenta corpos de vítimas do voo que levava a delegação da Chapecoense e jornalistas para Medellín, na Colômbia, chegaram em Manaus, nesta sexta-feira (2). A partir de 23h20 (horário de Brasília), três C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) pousaram na Base Área da capital, na Zona Sul. Do local, as aeronaves seguem viagem até Chapecó, onde os corpos vão ser velados na manhã de sábado (3).

Os aviões saíram da Colômbia entre 19h20 e 20h05 (hora de Brasília). No retorno ao Brasil, as aeronaves fazem escala em Manaus para realização de um procedimento obrigatório, chamado de desembaraço alfandegário.

O primeiro avião com os corpos das vítimas do desastre pousou em Manaus às 23h20. O segundo chegou às 23h36. O terceiro pousou na Base Aérea meia noite, no horário de Brasília.

Cerca de seis horas após a saída da capital amazonense - prevista para ocorrer às 2h - os corpos devem chegar a Chapecó, em Santa Catarina, onde será realizado o velório e enterro de parte das vítimas do voo Lamia 2933.

A cidade de Chapecó se prepara para um grande velório em seu estádio, a Arena Condá, previsto para sábado. O local tem capacidade para 19 mil espectadores. O clube vai instalar telões nas proximidades do estádio, porque as autoridades calculam a presença de quase 100 mil pessoas no funeral.

Investigações

As autoridades colombianas, em coordenação com especialistas estrangeiros, prosseguem com a investigação, que aponta para a falta de combustível da aeronave. Mas as conclusões finais podem demorar até seis meses.

O governo boliviano suspendeu na quinta-feira a licença da companhia Lamia e destituiu altos funcionários do setor de controle aéreo do país.

O representante da Lamia Gustavo Vargas afirmou que a aeronave não cumpriu o plano de reabastecimento em Cobija, cidade boliviana na fronteira com o Brasil, ou em Bogotá.

O acidente cortou as aspirações da modesta Chapecoense, clube fundado há 43 anos e que teve uma ascensão meteórica desde 2009, subindo da série D do futebol brasileiro até a série A em poucos anos, antes de alcançar a final da Copa Sul-Americana, o segundo torneio continental mais importante.

 

Com 50 caixões, aviões da FAB saem da Colômbia a caminho de Chapecó

Aeronaves brasileiras buscam corpos dos jogadores e da comissão técnica mortos na tragédia da última terça-feira e têm chegada prevista em Santa Catarina neste sábado

Leonardo Lourenço E Vicente Seda

Os aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) já começaram a deixar a Colômbia com os corpos dos jogadores e da comissão técnica da Chapecoense mortos na tragédia que vitimou quase todo o elenco do clube na madrugada da última terça-feira, em Rionegro. Ao todo, são 50 caixões sendo transportados por três aeronaves modelo Hércules, divididos em 17 no primeiro, 17 no segundo e 16 no terceiro. Os veículos iniciaram a decolagem do aeroporto José María Córdova, em Medellín, às 19h22 desta sexta (horário de Brasília). De lá, fazem escala em Manaus e têm chegadas previstas a Chapecó na manhã deste sábado, dando início ao velório coletivo.

O último ato de solidariedade dos colombianos com os brasileiros foi de luto e mais homenagens. Houve um cortejo do IML local até o aeroporto, onde militares com distintivos no formato do escudo da Chapecoense em seus uniformes aguardavam. Houve uma cerimônia com marcha fúnebre antes da entrega dos corpos aos militares brasileiros, seguida por orações em português e espanhol feitas por um padre. Tudo aconteceu em absoluto silêncio, só quebrado pelo toque da marcha fúnebre e pelas palavras do sacerdote. Os aviões chegaram ao aeroporto às 14h27 (horário local), e os caixões, às 14h45.

Ao todo, são 19 atletas mortos, mais o técnico Caio Júnior, seis jornalistas e outros 24 corpos de funcionários, diretoria e convidados do clube. Apenas três jogadores sobreviveram: o zagueiro Neto, o lateral Alan Ruschel e o goleiro Jackson Follmann. O trio está no Hospital San Vicente: Neto está clinicamente bem e apresenta boas perspectivas de melhora; Ruschel foi submetido à cirurgia na coluna vertebral, está com movimentos normais em membros superiores e inferiores e inspira cuidados, apesar da evolução; e Follmann tem o estado mais grave, pois teve uma das pernas amputadas e segue entubado, ainda assim seu quadro é estável.

 

Avião da LaMia fez trajeto diferente do plano de voo informado, diz autoridade colombiana

Voo deveria sair de uma cidade, mas saiu de outra mais distante, afirmou secretário de segurança da Aeronáutica Civil.

Por G1

O coronel Freddy Bonilla, secretário de segurança da Aeronáutica Civil da Colômbia, afirmou em entrevista ao jornal local “El Tiempo” que o avião que se acidentou levando a delegação da Chapecoense fez um trajeto diferente daquele informado no plano de voo.

Segundo Bonilla, o plano de voo da empresa LaMia informava que o avião decolaria da cidade de Cobija, na Bolívia, mas acabou decolando de Santa Cruz de la Sierra, que fica mais longe do destino, Rionegro.

“A aerolinha entregou à Aeronáutica Civil uma uma autorização de saída, avalizada pela autoridade boliviana, a partir da localidade de Cobija e com destino a Rionegro. Ficamos sabendo que na verdade ele vinha de Santa Cruz, que fica muito mais ao sul, quando o avião já estava no espaço aéreo colombiano”, disse.

Bonilla voltou a dizer que a aeronave não tinha combustível quando se acidentou e disse que a investigação e a análise das caixas pretas vão determinar o motivo. “Pode ter muitas causas técnicas, como uma fuga [de combustível] durante o trajeto, ou um consumo anormal, ou que simplesmente não se tenha abastecido com o combustível suficiente para o voo”, afirmou.


Imagem

 

 

AGÊNCIA BRASIL


Temer pede participação popular na campanha contra mosquito da dengue


Paula Laboissière - Repórter Da Agência Brasil

O presidente Michel Temer fez hoje (2) um apelo para que toda a população brasileira participe da campanha proposta pelo governo federal para o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor dos vírus Zika, Chikungunya e da dengue.

“Convenhamos, é uma campanha importante e que não tem grandes dificuldades. Basta que cada criança na escola, cada adulto, chegando em casa ou no seu trabalho, verifique se não há água empoçada, que é normalmente, o fator gerador da larva e depois do mosquito”, disse, num rápido pronunciamento no Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres.
Saiba Mais

Ministros participam de força-tarefa contra Aedes aegypti em São Paulo
Conselho pede que novos secretários de saúde mantenham ação contra Aedes aegypti

Durante visita à Sala Nacional de Coordenação e Controle, que atua no monitoramento dos focos do vetor, em Brasília, Temer lembrou que o país registrou uma redução de 5% nos casos de dengue em relação a 2015. A expectativa do governo, segundo ele, é que os casos reduzam “substancialmente” no próximo ano.

O presidente participou ainda de videoconferência com salas estaduais de monitoramento de cinco estados: Roraima, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Goiás e Rio de Janeiro. A ação faz parte do Dia Nacional de Combate ao Mosquito, que acontece hoje em todo o país por meio de atividades integradas com estados e municípios.

“O Brasil todo está mobilizado para evitar os malefícios que o mosquito causa à saúde das pessoas”, reforçou Temer. “Estou aproveitando esta manifestação para fazer um apelo, uma solicitação, e tenho absoluta convicção que isto repercutirá positivamente em todo país”, completou.

A proposta do governo é, com a chegada do verão, intensificar a atuação contra o Aedes. Ministros de Estado e outras autoridades federais visitam diferentes capitais numa tentativa de conscientizar a população sobre a importância do engajamento de todos na luta contra o mosquito.

Militares das Forças Armadas, agentes de saúde e de defesa civil também estão nas ruas para promover o enfrentamento ao Aedes. O mutirão será realizado em órgãos públicos e estatais, unidades de saúde, escolas, residências, canteiros de obras e outros locais.

 

JORNAL DIÁRIO CATARINENSE


Exército vai atuar com 300 homens no velório coletivo em Chapecó


Darci Debona

O Exército vai atuar com 300 homens no velório da vítimas do avião que transportava a Chapecoense. O velório será neste sábado pela manhã, na Arena Condá. Eles vão participar do cerimonial de recepção aos corpos no aeroporto Serafim Enoss Bertaso, em Chapecó, onde deve estar presente o presidente Michel Temer. Também vão fazer a segurança do presidente. A estimativa do clube é que ao menos 100 mil pessoas passem pela Arena Condá.

Dez veículos do Exército vão fazer a escolta dos caixões até a Arena Condá. No local os militares farão um corredor para a passagem dos caixões . Eles estarão com lanças. O 14o RCMec é denominado lanceiros do Poncho Verde. Mas as cores da flâmulas que são vermelhas e brancas devem ser substituídas por verdes e brancas, segundo o capitão Leandro Rocha Souto, do 14º RCMec de São Miguel do Oeste.

Simulação da homenagem

Cerca de 100 funcionários da Chapecoense fizeram na manhã desta sexta-feira uma simulação do velório. Eles sairão do túnel em filas e formarão uma meia lua em frente aos caixões. Cada um vestirá uma camisa do clube com o nome de uma vítima. Na seqüência cada funcionário vai dizer um nome e soltar um balão. Depois caminha em direção aos familiares da vítima citada e entrega um ramalhete com flores do campo.

Antes do ensaio o roupeiro Jorge Andrade , que trabalha há 20 anos no clube, pediu para não participar do ensaio. Ele sofreu um enfarto no ano passado e colocou dois stents. Ele tem receio de não suportar a emoção.

PORTAL BRASIL


Batalhão da Força Aérea embarca para o Haiti neste sábado (3)

Serão enviados 26 militares treinados para patrulhamento nas ruas, escolta de comboios e autoridades e check-point

Por Portal Brasil

O Batalhão de Infantaria da Aeronáutica Especial de Recife (Binfae-RF) envia, neste sábado (3), um efetivo de 26 militares a Porto Príncipe, capital haitiana. Todos participam da Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti (Minustah).

O pelotão da Força Aérea Brasileira (FAB) desempenha, entre outras atividades, patrulhamento nas ruas, escolta de comboios e autoridades, e check-point. Para a missão, a equipe passou por nivelamento de conhecimento e simulações de situações reais que podem enfrentar no país caribenho.

“O treinamento foi muito positivo e agregou grande experiência doutrinária e tática ao nosso efetivo”, afirma o Tenente de Infantaria Vinícius Duarte da Silva Fonseca, Comandante do Pelotão da Força Aérea.

A trajetória da Infantaria da FAB no Haiti iniciou-se em fevereiro de 2011, quando 27 militares do Binfae foram ao país pela primeira vez. Ao todo, cerca de 250 militares de oito pelotões da FAB se revezaram até agora na missão de paz.

Pré-requisitos

A primeira condição para integrar a Minustah é o voluntarismo. Depois, os militares passam por uma bateria de testes, incluindo avaliação física, psicotécnico e inspeção de saúde.

A partir da definição da equipe, inicia-se um processo de nivelamento de conhecimento junto ao Exército Brasileiro.

O treinamento conjunto visa à troca de informações na parte operacional, com instruções sobre regras de engajamento, garantia da lei e da ordem, tiro e patrulhas. Os oficiais também frequentam cursos no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCopab), localizado no Rio de Janeiro.

“Essa missão desperta muita motivação na tropa, pois é a oportunidade para os profissionais colocarem em prática o aprendizado adquirido ao longo da carreira”, ressalta o comandante do Binfae-RF, Major de Infantaria João Francisco da Silva Júnior.

Fazendo história

A Sargento Vanessa Eher Caetano faz história. Ela é a primeira mulher da Força Aérea Brasileira a integrar tropa em missão de paz da ONU. Na FAB, mulheres já tinham participado de missões de paz em funções de apoio, mas nunca na tropa em si.

Segundo Vanessa, essa é uma grande responsabilidade. “Estou feliz de representar o quadro feminino e poder abrir portas para que, cada vez mais, mulheres possam desempenhar todos os tipos de função na FAB”, declara.

 

Força Aérea começa a transportar corpos de vítimas de acidente na Colômbia

Aeronaves farão escala em Manaus (AM) e têm previsão para chegada à Chapecó (SC) na manhã deste sábado (3)

Por Portal Brasil

Três aeronaves C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) decolaram, na tarde desta sexta-feira (2), de Manaus (AM) com destino a Medellín, na Colômbia. A missão tem como objetivo iniciar o transporte dos corpos das vítimas do acidente aéreo com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol. 

Desde o dia do acidente, ocorrido na última terça-feira (29), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o comandante da Força Aérea, brigadeiro Nivaldo Rossato, mobilizaram esforços para assegurar todo o tipo de apoio logístico aos familiares das vítimas, além da colaboração com as investigações da tragédia.

O voo com destino a Medellín tem duração média de 4 horas. No retorno, as aeronaves farão escala em Manaus e têm previsão para chegada à Chapecó na manhã deste sábado (3).

Em cada avião, estarão embarcados oito tripulantes. Também está confirmada a presença de dois membros do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), que viajam a convite do Grupo de Investigação de Acidentes Aéreos (GRIAA), da Colômbia.

Todo o trâmite para o transporte dos corpos pelas aeronaves da FAB foi feito pelo adido de Aeronáutica na Colômbia, Coronel Jefferson César Darolt.

 

JORNAL A CRÍTICA (AM)


Ministro da Integração Nacional lança campanha contra o Aedes no Amazonas

No Amazonas, a campanha teve como local de lançamento o Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga, localizado na avenida Brasil, Compensa 2, Zona Oeste

Paulo André Nunes (am)

Esta sexta-feira, Dia Nacional de Vigilância, Prevenção e Controle da Dengue, Chikungunya e Zika Vírus, foi marcada em Manaus pela presença do ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho. Ele e outras autoridades participaram agora há pouco do lançamento da mobilização nacional contra o mosquito Aedes aegypti.

No Amazonas, a campanha teve como local de lançamento o Centro de Educação em Tempo Integral (Ceti) Áurea Braga, localizado na avenida Brasil, Compensa 2, Zona Oeste.

“Hoje é dia de fazer um chamamento à Nação Brasileira contra o Aedes, de todos nos unirmos contra o mosquito. E claramente o Estado do Amazonas está mobilizado frente a esse desafio”, disse o ministro.

A campanha em nível local é coordenada pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) e Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), além do envolvimento de outros órgãos, como a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), secretarias de Educação do Estado (Seduc) e Municipal (Semed), Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmas), Defesa Civil do Estado e Município, as Forças Armadas (Exército, Marinha e Aeronáutica) e a Unicef.

A estratégia da campanha é unir forças numa grande cruzada contra o mosquito que vai continuar nos dias seguintes com mobilização social, visita às casas e trabalho educativo para orientação à população.

 

PORTAL AIRWAY


Comissão de orçamento aprova crédito para modernização dos AMX

Força Aérea Brasileira deve receber R$ 86,4 milhões para atualização dos jatos A-1

Thiago Vinholes

Comissão Mista de Orçamento do Congresso (CMO) aprovou nesta semana uma série de projetos que abrem crédito suplementar, na ordem de R$ 4,7 bilhões, para diversos órgãos públicos. Um deles destina R$ 152 milhões aos ministérios da Justiça e da Defesa Nacional. Desse montante, R$ 86,4 milhões será para o Comando da Aeronática utilizar na modernização do caça-bombardeiro AMX (A-1 da designação da FAB) e compra de material bélico.

A nova verba, que ainda depende de aprovação do Congresso, pode ser um alento no programa de modernização dos AMX, que vem enfrentando uma série de atrasos por falta de recursos financeiros. No início deste ano, o governo já havia vetado um repasse de R$ 101 milhões, que daria continuidade a modernização das aeronaves. Na ocasião, o investimento foi desviado para a compra de combustível e revisão das aeronaves atuais.

Modernização do A-1

O programa de modernização do caça da FAB foi proposto em 2003 e o primeiro protótipo modernizado pela Embraer voou em 2007. Naquela época, o programa avaliado em US$ 400 milhões previa a modernização de 43 aeronaves no período de cinco anos. Após uma série de contratempos com renegociações de contrato, a primeira aeronave, designada “A-1M”, foi entregue a Aeronáutica somente em 2013. Desde então, a FAB recebeu apenas outros dois caças AMX com a nova configuração.

Nesse mesmo tempo, a força aérea da Itália, o outro usuário do AMX (desenvolvido pela Embraer em parceria com fabricantes italianos), realizou uma modernização semelhante a proposta ao modelo brasileiro em 52 jatos de sua frota. Os italianos atualizaram seus aviões entre 2006 e 2012 e o programa custou US$ 350 milhões.

Caça-bombardeiro

Na ativa com a FAB desde 1989, o A-1 é um avião militar versátil: pode atuar em uma variedade de missões, de caça-bombardeiro à operações de reconhecimento. No entanto, os equipamentos da aeronave da primeira geração, como sensores de busca e controles de armas, estão ultrapassados.

Na versão modernizada, o A-1M é um avião de combate melhor preparado para as ameaças modernas. O design do AMX é o mesmo, mas seu interior contém algumas das tecnologias militares mais avançadas em seu segmento.

Os equipamentos de voo são distribuídos em telas digitais e um novo sistema de geração de oxigênio para a cabine permite ao avião (e ao piloto) voar em grandes altitudes por mais tempo. O A-1M também possui um sistema mais avançado de alerta e contramedidas (flares e chaff) contra mísseis.

As principais alterações tecnológicas da aeronave são os novos sensores de busca por infla-vermelho e o radar “multi-modo”, que pode atuar em busca de aviões ou mapeando o terreno por onde voa. Esses equipamentos permitem ao A-1M “enxergar” até 80 km à frente e disparar suas armas com precisão.

Durante o processo de instalação dos novos equipamentos, a estrutura e asas dos caças também são completamente revitalizadas, o que aumenta a vida útil programada do avião. Os A-1M da FAB, por exemplo, tem capacidade para continuar voando até meados de 2032. Já os A-1 da primeira geração talvez não consigam seguir na ativa por tanto tempo, ao menos se o programa não for continuado.

Os caça-bombardeiros AMX fabricados pela Embraer são operados pelos esquadrões “Poker” e “Centauro”, na Base de Santa Maria (RS), e pelo esquadrão “Adelphi”, na Base de Santa Cruz (RJ).

 

MINISTÉRIO DA DEFESA


No Recife, ministro da Defesa e prefeito reforçam combate ao mosquito Aedes


Recife, 02/12/2016 – Ao som do frevo tocado por uma bandinha de música, crianças de escolas municipais receberam o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o prefeito do Recife, Geraldo Julio, na Unidade de Saúde da Família Bernard Van Leer, na comunidade Brasília Teimosa, numa área carente do Recife. Assim a participação do Ministério da Defesa foi marcada junto ao esforço de combate ao mosquito Aedes aegypti. Nas barracas montadas no pátio do centro de saúde, Jungmann e Geraldo puderam conhecer as ações desenvolvidas pelos governos federal, estadual e municipal.

“O Ministério da Defesa está, nesta data, com cerca de 100 mil militares nas ações de informação aos cidadãos no combate ao mosquito. Este efetivo visita escolas, residências, bairros ou qualquer local com incidência de casos das doenças provocados pelo Aedes aegypti. Isso será uma ação constante. Outros 6 mil militares e 1,3 mil organizações militares estarão empenhados no repasse das informações à população”, disse o ministro.

ImagemO prefeito Geraldo Julio explicou que o município tem sido firme no combate ao mosquito, mas pediu a colaboração da população. “Fomos o primeiro município a identificar os casos de microcefalia”, contou. Segundo o prefeito, o município tem hoje o menor índice de infestação da doença, fruto do trabalho constante das equipes de saúde.

Numa das barracas, Jungmann e Geraldo receberam explicações da supervisora de equipe do Programa Saúde Ambiental, Edileuza Costa, sobre como os profissionais de saúde estão atuando junto à população. Segundo ela, o governo local tem feito distribuição do hipoclorito de sódio que, misturado a água, é eficaz na lavagem de frutas e verduras que possam estar contaminado pelo mosquito. Outros aplicativos têm sido úteis nesta campanha constante.

“Vale lembrar que a população precisa estar diretamente envolvida. Por isso estamos neste dia mobilizados pelo combate ao mosquito. Se cada cidadão dedicar 15 minutos por semana, verificando em sua casa se há foco do Aedes, na certa estará salvando vidas. Que esta ação seja estendida aos vizinhos. Toda sexta-feira será de combate ao mosquito”, disse Jungmann.

Forças Armadas

O trabalho das Forças Armadas irá ocorrer em três vertentes: mutirão em organizações militares, conscientização em unidades de ensino, e atuação direta no combate ao foco do mosquito transmissor da dengue, da chinkungunya e do zika vírus.

A ação começou hoje (02), definida como o Dia Nacional de Combate ao Mosquito, com o envolvimento de aproximadamente 100 mil militares. Os efetivos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica vão realizar um mutirão de limpeza nas 1.300 organizações militares espalhadas por todo o Brasil, incluindo quartéis, museus, clubes e escolas militares. O objetivo é chamar a atenção para os cuidados necessários contra o mosquito, além de eliminar possíveis focos de proliferação do Aedes nestes locais.

Como parte da campanha, o ministro Jungmann visitou a Unidade de Saúde da Família Bernard Van Leer, acompanhado de autoridades locais. Militares das três Forças também visitarão escolas, nos municípios que possuam organizações militares, para orientar, sensibilizar e conscientizar crianças e adolescentes sobre a importância de se combater o mosquito, de modo que a informação seja replicada aos seus pais e responsáveis.A terceira forma de atuação prevê a mobilização de 6 mil homens e mulheres das Forças, média mensal, que serão empregados a partir das demandas da Sala Nacional de Coordenação e Controle ao Aedes aegypti. Esse contingente atuará em cerca de 200 municípios, incluindo todas as capitais e as cidades e entornos considerados endêmicos pelo Ministério da Saúde. 

Essa fase do trabalho será realizada em uma ação coordenada com o Ministério da Saúde e as autoridades locais e terá visitas domiciliares dos efetivos das Forças Armadas, acompanhados de agentes de saúde, para inspecionar possíveis focos de proliferação, orientando moradores e, se for o caso, fazendo aplicação de larvicida em criadouros. A capacitação dos militares para atuar no combate ao transmissor da dengue, da chinkungunya e do zika vírus é realizada pelas secretarias municipais de saúde.

O emprego de efetivo das Forças Armadas no enfrentamento ao mosquito é articulado a partir do pedido de apoio de Estados, municípios e Ministério da Saúde.

Sala de Coordenação e Controle

O Ministério da Defesa é um dos órgãos que integram a Sala Nacional de Coordenação e Controle ao Aedes aegypti, criada pelo governo federal com o objetivo de gerenciar e monitorar as ações de mobilização e combate ao mosquito. A sala conta com representantes dos ministérios da Integração Nacional, do Desenvolvimento Social e da Educação, além da Casa Civil e da Secretaria de Governo da Presidência da República. O Ministério da Saúde é o responsável pela coordenação do grupo.

Campanha

A nova campanha do Ministério da Saúde, de conscientização para o combate ao mosquito, chama a atenção para as consequências das doenças causadas pela chikungunya, zika e dengue, além da importância de eliminar os focos do Aedes. “Um simples mosquito pode marcar uma vida. Um simples gesto pode salvar” alerta a campanha, veiculada na TV, rádio, internet, redes sociais e mobiliários urbano (ponto de ônibus, outdoor).

Além do conhecido Dia “D”, realizado neste 2 de dezembro, quando há mobilização nacional em todo o país, serão realizadas ações para lembrar que toda sexta-feira é dia de eliminar focos no mosquito. A campanha traz como mote “Sexta sem mosquito. Toda sexta é dia do mutirão nacional de combate”.

 

FAB dá início a transporte de corpos das vítimas do acidente aéreo com a delegação Chapecoense


Brasília, 02/12/2016 – No início da tarde desta sexta-feira, três aeronaves C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira (FAB) começaram a decolar de Manaus (AM) com destino a Medellín, na Colômbia, de onde farão o transporte dos corpos das vítimas do acidente aéreo com a delegação da Associação Chapecoense de Futebol.

Desde o dia do acidente, ocorrido na última terça-feira (29/11), o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o comandante da Força Aérea, brigadeiro Nivaldo Rossato, mobilizaram esforços no sentido de assegurar todo o tipo de apoio logístico para os familiares das vítimas, além da colaboração com as investigações da tragédia.

ImagemMesmo estando cumprindo agenda em Cannes, na França, o ministro manteve contato constante com o embaixador do Brasil na Colômbia, Júlio Bitelli, para assegurar todo o apoio aos familiares das vitimas no translado dos corpos.

O voo com destino a Medellín tem duração média de 4 horas. Na volta, as aeronaves farão escala em Manaus e têm previsão para chegada à Chapecó na manhã deste sábado(03/12).

Em cada avião estarão embarcados oito tripulantes. Também está confirmada a presença de dois membros do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), que viajam a convite do Grupo de Investigação de Acidentes Aéreos (GRIAA), da Colômbia.

Cada técnico participa da investigação como representante acreditado, profissional designado pelo Estado Brasileiro para acompanhar o processo sob responsabilidade das autoridades locais.

Todo o trâmite para o transporte dos corpos pelas aeronaves da FAB foi feito pelo adido de Aeronáutica na Colômbia, Coronel Jefferson César Darolt.

Na terça-feira, um avião C-99 decolou do Rio de Janeiro. Antes de seguir para Medellín, foram realizados embarques em São Paulo e Brasília, além de duas paradas técnicas. No total, foram transportados 24 passageiros, entre eles, representantes dos Ministérios das Relações Exteriores, dos Esportes e da Saúde, além de membros da Polícia Federal e da Prefeitura de Chapecó.

 

OUTRAS MÍDIAS


BRASIL EM FOLHAS (GO)


Jungmann recebe na França equipamento que ampliará banda larga e defesa do país

BRASIL EM FOLHAS COM AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

Em março do ano que vem, o Brasil passará a integrar um seleto grupo de países que têm seu próprio satélite de comunicações. Com o lançamento do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), o Brasil passa a não depender mais do aluguel de equipamentos de empresas privadas, além de poder implementar o Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). Amanhã (1º), em Cannes, no Sul da França, o ministro da Defesa, Raul Jungmann, e o presidente da Telebras, Antonio Loss, receberão o equipamento da empresa Thales Alenia Space (TAS), fabricante do satélite.

De acordo com o Ministério da Defesa, foram investidos no projeto, desenvolvido em parceria com o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, cerca de R$ 2,1 bilhões. O satélite terá uma banda KA, que será utilizada para comunicações estratégicas do governo e implementação PNBL, e uma banda X, que corresponde a 30% do equipamento, de uso exclusivo das Forças Armadas. O tempo de vida estimado do produto é de 18 anos.

“Este é o primeiro satélite de grande altitude que vai significar que todas as comunicações do Brasil, em termos de defesa, mas também governamentais, além de banda larga, serão extremamente estendidas. Ficarão, pela primeira vez, sob o controle do Brasil, o que é um salto em termos tecnológicos porque vamos absorver, ter transferência de tecnologia. Representa um salto em termos de comunicação, de segurança e de defesa”, disse Jungmann à Agência Brasil.

Segundo o Ministério da Defesa, além de ampliar e aumentar a segurança das comunicações de defesa, o satélite expandirá a capacidade operacional das Forças Armadas em operações conjuntas nas regiões de fronteira terrestre, por exemplo, em eventuais operações de resgate em alto-mar e ainda no controle do espaço aéreo.

Em nota, o Ministério da Defesa informou ainda que ao longo da fabricação do satélite mais de 50 profissionais ligados à Agência Espacial Brasileira (AEB), ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e das empresas Visiona e Telebras estiveram na sede da Thales, em Cannes e Toulouse, na França, para aprender a operar o satélite e a fazer o controle do equipamento em solo.

O lançamento do satélite, após a realização dos últimos teste de segurança, está marcado para o dia 21 de marco, em Kourou, na Guiana Francesa.