NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


PORTAL G-1


Helicóptero com três pessoas cai na Represa de Furnas, no Sul de Minas

Acidente aconteceu por volta de meio-dia neste sábado (20). O piloto da aeronave sobreviveu e foi levado a hospital; um casal morreu.

ImagemUm helicóptero caiu na Represa de Furnas, próximo a Fama (MG), por volta de meio-dia deste sábado (20). Segundo o cabo Carlos Teodoro, da Polícia Militar de Alfenas (MG), três pessoas estavam na aeronave, o piloto, o sargento da PM de Fama, Marcos Antônio Alves e a mulher dele, Lívia Reis Carvalho. O piloto do helicóptero foi resgatado com vida por pescadores que estavam no lago. Horas depois ele se apresentou à Polícia Militar de Elói Mendes (MG) e foi levado para o hospital da cidade. O casal não conseguiu sair da aeronave, que ficou submersa no lago.

Equipes do Corpo de Bombeiros trabalharam durante todo o dia em busca dos corpos das duas vítimas, que não foram localizados. As buscas foram encerradas por volta de 18h deste sábado e serão retomadas na manhã deste domingo (21).

A comerciante Rita Maria da Silva, que tem um bar em frente ao lago, viu o momento em que a aeronave caiu. "O helicóptero levantou voo aqui perto, saiu de costas, fez a manobra para a esquerda, e quando foi virar para a direita ele ficou “de bico” para o lago. Quando as hélices encostaram na água, o piloto perdeu o controle e ele caiu no lago", relatou. Segundo ela, o piloto já havia feito dois voos e no terceiro, perdeu o controle e caiu.

Segundo as informações apuradas pelo G1, o helicóptero estaria fazendo voos panorâmicos na cidade, onde acontece uma festa de peão neste fim de semana. No entanto, o serviço não foi contratado pelos organizadores do evento. Conforme a Polícia Militar de Elói Mendes, o piloto da aeronave se apresentou na delegacia da cidade contando sobre o acidente e pedindo ajuda para chegar até um hospital. Ele permanece internado sob escolta da polícia no Hospital de Elói Mendes.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou que o modelo do helicóptero que caiu no Lago de Furnas é um Raven R44 com capacidade para três passageiros e tripulação, produzido nos Estados Unidos. A aeronave possuía certificado de aeronavegabilidade válido até 2018 e inspeção anual de manutenção também dentro da validade. Ainda segundo a Anac, o helicóptero pertence a uma instituição financeira privada e é operado por uma siderúrgica.

 

Piloto de helicóptero que caiu em MG fugiu do local do acidente, diz polícia

Bruno Abitbol de Andrade Nogueira se apresentou em Elói Mendes. Sargento da Polícia Militar e companheira ainda não foram encontrados.

ImagemO piloto do helicóptero que caiu no Lago de Furnas na tarde deste sábado (20), em Fama (MG), foi detido e levado para a Delegacia de Varginha (MG) para prestar depoimento. Após a queda do helicóptero, segundo a polícia, o piloto fugiu do local e só se apresentou em Elói Mendes (MG), cidade que fica a 50 quilômetros de onde aconteceu o acidente, sem tentar prestar socorro às vítimas.

"Ele fugiu do local do acidente, nem no hospital ele foi", disse o major da Polícia Militar, Adenízio de Paula.

Depois de se apresentar à polícia, Bruno Abitbol de Andrade Nogueira foi atendido no hospital de Elói Mendes sob escolta e depois levado para a delegacia de Varginha. Na chegada à sede da Polícia Civil, ele não quis falar sobre o assunto. Conforme a polícia, o piloto fazia manobras arriscadas oferecendo perigo às pessoas que o acompanhavam nos voos. Testemunhas disseram que a aeronave caiu de bico na água, a cerca de 100 metros da margem.

"Ele estava muito perto da beira d´água e na hora que ele tentou voltar, ele caiu e explodiu. O piloto conseguiu pular pra fora", disse o eletricista Thiago de Souza. "Pelo jeito que ele caiu, ele descontrolou e foi de bico na água", completou o servente de pedreiro Rosivaldo de Paula.

Um empresário que havia sobrevoado a cidade no helicóptero momentos antes dele cair no Lago de Furnas, registrou fotos da aeronave.

"Minha mulher nunca tinha ido e voamos sem problemas. Já passei muito aperto, mas ver o helicóptero que eu acabei de voar caindo é complicado", disse Marcelo Pontes.

A aeronave caiu na Represa de Furnas por volta de meio-dia. egundo o cabo Carlos Teodoro, da Polícia Militar de Alfenas (MG), três pessoas estavam na aeronave: o piloto, o sargento da PM de Fama, Marcos Antônio Alves, 44 anos e a mulher dele, Lívia Reis Carvalho, de 27 anos. O piloto do helicóptero foi resgatado com vida por pescadores. O casal não conseguiu sair da aeronave, que ficou submersa no lago. Equipes do Corpo de Bombeiros trabalharam durante todo o dia em busca dos corpos das duas vítimas, que não foram localizados. As buscas seriam retomadas na manhã deste domingo (21).

A comerciante Rita Maria da Silva, que tem um bar em frente ao lago, viu o momento em que a aeronave caiu. "O helicóptero levantou voo aqui perto, saiu de costas, fez a manobra para a esquerda, e quando foi virar para a direita ele ficou “de bico” para o lago. Quando as hélices encostaram na água, o piloto perdeu o controle e ele caiu no lago", relatou. Segundo ela, o piloto já havia feito dois voos e no terceiro, perdeu o controle e caiu.

Segundo as informações apuradas pelo G1, o helicóptero estaria fazendo voos panorâmicos em Fama, onde acontece uma festa de peão neste fim de semana. No entanto, o serviço não foi contratado pelos organizadores do evento. Conforme a Polícia Militar de Elói Mendes, o piloto da aeronave se apresentou na delegacia da cidade contando sobre o acidente e pedindo ajuda para chegar até um hospital.

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) informou que o modelo do helicóptero que caiu no Lago de Furnas é um Raven R44 com capacidade para três passageiros e tripulação, produzido nos Estados Unidos. A aeronave possuía certificado de aeronavegabilidade válido até 2018 e inspeção anual de manutenção também dentro da validade. Ainda segundo a Anac, o helicóptero pertence a uma instituição financeira privada e é operado por uma siderúrgica. O motivo pelo qual ele fazia voos panorâmicos na cidade ainda não foi esclarecido.

 

Militares de Taubaté se mobilizam em campanha de doação de medula

Campanha nacional busca doador para militar que trata leucemia. Iniciativa tem reforçado o cadastro do Hemonúcleo da cidade.

 A campanha de doação de medula óssea “TamojuntoMichel”, que tem mobilizado todo o país para ajudar o militar portador de leucemia, Michel Maruyama, de 31 anos, chegou ao exército de Taubaté. As doações dos militares da cidade estão reforçando o cadastro do Hemonúcleo.

Inicialmente, logo após Michel descobrir a doença em março, o capitão, que não tem nenhum doador compatível na família, contou com a ajuda da campanha feita pelos amigos do exército onde atuava em Campo Grande (MT). Além dos militares e amigos, a mobilização contou ainda com famosos como o cantor Luan Santana, o ator Fábio Assunção e o jogador da seleção brasileira de futebol, David Luiz.

Em Taubaté, a doação de medula óssea foi um dos assuntos tratados durante a Jornada de Segurança de Vôo que reuniu militares do Exército Brasileiro nesta semana no Comando de Aviação do Exército (Cavex). Nos primeiros dias de campanha em Taubaté mais de 120 militares voluntários procuraram o Hemonúcleo da cidade.

“Como a campanha de doação de medula óssea tem esse sentido de preservar vidas, a gente viu a oportunidade de divulgar uma campanha do Exército brasileiro no âmbito do Cavex, ou seja, atingindo as unidades do Vale do Paraíba, Manaus, Campo Grande e Brasília”, explica o chefe da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes do Cavex, Marcus Vinicius de Oliveira.

“Eu desconhecia a doação de medula, como ela funcionava, mas eu sei que, com este pouquinho que estamos fazendo aqui, esperamos ajudar pessoas no mundo inteiro”, diz o militar Thiago Balles.

Agradecimento

A ação chegou até o capitão Michel que, de Curitiba, onde está fazendo tratamento de quimioterapia, agradeceu a mobilização através de um vídeo.

“Essa mobilização que está acontecendo em Taubaté, com os militares, é extremamente importante. Ela, com certeza vai trazer muitas pessoas para se cadastrar no Redome, aumentando as minhas chances e as chances de milhares de pessoas de encontrar um doador de medula óssea. O doador compatível pode ser você, você pode salvar uma vida”, destaca o militar.

Doação

Para realizar a doação de medula óssea é preciso estar bem de saúde e ter entre 18 e 54 anos. Os interessados devem preencher um cadastro e coletar uma pequena amostra de sangue que será analisada para avaliar a compatibilidade com os pacientes que precisam de transplante. O procedimento é simples, porém, a chance de se encontrar uma medula compatível é pequena - em média uma em cem mil.

“Com o número de doações aumentando e o número de cadastros também, a gente aumenta a chance, a probabilidade de um doador compatível com algum paciente. Este cadastro é ligado diretamente ao Redome, que é o registro nacional de doadores de medula, e hoje há a chance de ser compatível também com um paciente de fora do país, porque o cadastro é internacional”, informa a assistente social do Hemonúcleo de Taubaté, Sônia Andrade.

O Hemonúcleo de Taubaté funciona de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 14h30 e fica ao lado do Hospital Universitário, na Rua Joaquim Távora, no Centro da cidade.

 

PORTAL R7


Helicóptero com três pessoas cai em represa no sul de Minas

O piloto conseguiu sair das águas, mas duas pessoas continuam desaparecidas

 Um helicóptero tripulado com três pessoas caiu no fim da manhã deste sábado (20) na represa de Furnas, na cidade de Fama, no sul de Minas Gerais. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o piloto conseguiu sair da aeronave e nadar até a orla. Os dois ocupantes, uma jovem de 27 anos e um sargento da Polícia Militar, 44, estão desaparecidos.

Testemunhas contaram para os militares que o piloto saiu das águas falando "eu errei". Ele foi socorrido e levado para o Hospital de Alfenas, de onde chegou a fugir. O homem foi encontrado pela polícia em Elói Mendes, na mesma região, e encaminhado ao hospital da cidade.

O piloto, junto com outras cinco pessoas, teria se apresentado aos moradores de Fama como integrante de uma empresa de voos de Belo Horizonte. O grupo teria oferecido os serviços ao organizador de um rodeio que está sendo realizado no município neste fim de semana, mas a proposta foi recusada. Eles não possuíam a documentação necessária.

Moradores contaram que, mesmo assim, os pilotos faziam voos panorâmicos na represa. Eles faziam manobras arriscadas, passando perto das casas e teriam até atingido uma torre de telefone.

Os militares continuam as buscas pelo casal desaparecido usando barcos e equipamentos de mergulho. O piloto, que não foi identificado, deve ser levado para a delegacia após receber atendimento médico. As outras cinco pessoas que estariam realizado voos com ele não foram encontradas.

 

JORNAL O DIA


Forças Armadas ganham apoio de fuzileiros em ataque de facção na Maré

PM prende um suspeito de ofensiva. Tiroteio começou após invasão da ADA

Alessandra Horto , Leandro Eiró E Vania Cunha

ImagemRio - Ocupado há quase seis meses por tropas do Exército e da Marinha no regime de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), o Complexo da Maré foi invadido na manhã de ontem por bandidos da facção Amigos dos Amigos (ADA), que saíram da comunidade Parque Alegria, no Caju. Segundo testemunhas, os traficantes chegaram em quatro vans, fortemente armados, fazendo arruaça e atirando para o alto.

Criminosos do local resistiram e diversos confrontos foram travados ao longo do dia. O conjunto de favelas teve a segurança reforçada por seis tanques dos fuzileiros navais. No fim da tarde, um dos suspeitos pela invasão foi preso na Avenida Brasil.

Foram pelo menos três tiroteios pesados: no fim da madrugada de ontem, pouco antes do meio-dia e à tarde. Houve pânico, e moradores correram para buscar abrigo em estabelecimentos abertos e dentro de suas casas. Segundo a polícia, o alvo principal dos invasores era o Conjunto Esperança, mas a Vila do João também registrou confrontos. Nessa última, a UPA ficou fechada por um período durante a tarde, segundo funcionários relataram no Whatsapp do DIA (98762-8248 ).

“O cenário é de praça de guerra. Está horrível trabalhar com esse clima”, contou um funcionário. Em uma escola municipal, professores, alunos e seus pais ficaram acuados. Apesar do intenso confronto, ninguém foi ferido. Até o fim da noite, a informação era de que os bandidos conseguiram invadir as duas comunidades e até picharam muros com a inscrição ADA. A Força de Pacificação do Exército cercou o complexo e pediu reforço à Polícia Militar no entorno.

Agentes da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Caju capturaram no fim da tarde Paulo Castilho Correia Filho, o Playboy. Segundo PMs, ele estava fugindo do confronto na Maré foi levado para a 21ª DP (Bonsucesso). Investigadores contaram que Playboy é suspeito de ter participado da invasão na Maré. Contra ele, havia mandado de prisão decretado por investigação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público, antes da implantação da UPP do Caju.

A maior parte das comunidades da Maré é dominada por quadrilhas da facção Terceiro Comando Puro (TCP), que ficaram enfraquecidas após a prisão de seu maior chefe, Marcelo Santos das Dores, o Menor P. O traficante foi capturado em março pela Polícia Federal, quando se escondia do cerco montado pela polícia na Maré em um apartamento de luxo em Jacarepaguá. Antes de os bandidos do TCP tomarem conta das favelas, em 2008, a Maré era dominado pela ADA, mesma quadrilha do Caju. Desde então, os criminosos vivem em guerra pelo controle da venda de drogas.

Exército fez patrulhas e revistas durante todo o dia

Desde a ocupação do Exército, em 5 de abril, bandidos da facção TCP faziam disparos quase diariamente paar intimidar os militares, e chegaram até a fazer vítimas dos tiros. Mas ontem o clima de tensão chegou ao ápice, com a guerra de bandidos rivais em plena luz do dia.

Por medida de segurança, as tropas federais chegaram a interromper o trânsito em uma das pistas da Avenida Brasil, no sentido Zona Oeste, e a Linha Vermelha durante o confronto. Em cada uma das ruas de acesso à Vila do João, fuzileiros navais reforçaram o patrulhamento. O objetivo era localizar os criminosos e impedir que novos disparos ocorressem. A maioria dos moradores que passava, tanto a pé como em automóveis, era revistada ao entrar e sair do local.

Pelo menos duas viaturas e seis blindados fizeram rondas pela região durante todo o dia. Em nota, a assessoria da Força de Pacificação do Exército na Maré informou que a situação estava sob controle no fim da tarde de ontem, mas que os tiroteios foram intensos, principalmente na Vila do João, próximo à Linha Amarela.

Moradores do complexo, a maioria com medo de se identificar, comentaram sobre a invasão. Uma mulher disse que homens armados desceram das vans e fizeram disparos no meio da rua, sem se incomodar com quem passava. De acordo com um morador, o grupo teria acessado o local por uma entrada por baixo da Linha Vermelha. Outros tiveram que atrasar a hora de sair para o trabalho ou não puderam entrar em casa por conta do tiroteio.

Tiros levam pânico a festa em escola

Os tiros interromperam a Festa da Primavera que acontecia na Escola Municipal Teotônio Vilela. Segundo testemunhas, parentes dos estudantes e professores estavam na unidade desde cedo, fazendo os últimos preparativos para o evento, quando o tiroteio começou. Havia muita gente no local, e todos ficaram acuados por pelo menos quatro horas dentro da unidade, com medo dos disparos. Uma funcionária contou que as pessoas correram para as salas de aula e se jogaram no chão para se proteger.

“Foi um horror. Estávamos todos em clima familiar, planejamos a festa, montamos as barraquinhas e infelizmente nossas crianças tiveram que passar por esse trauma”, contou um dos funcionários. Uma foto publicada na rede social Facebook mostra várias pessoas sentadas no chão e em cadeiras do que seria a sala dos professores da escola, supostamente durante o tiroteio. Por volta das 15h, todos conseguiram deixar o local sob escolta policial.

Confrontos no Alemão e na Penha

O fim de semana também foi de tensão nos complexos da Penha e do Alemão. Um PM ainda não identificado foi baleado ontem, após uma troca de tiros com bandidos da comunidade Parque Proletário, na Penha.

De acordo com a Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP), o militar da UPP Parque Proletário realizava patrulhamento de rotina com os companheiros, quando foram atacados por criminosos na localidade conhecida como Rua 29. O agente foi baleado na virilha e encaminhado ao Hospital Getúlio Vargas, na Penha. Ainda segundo a CPP, o policial passa bem. Buscas foram feitas na região, mas ninguém foi capturado. Sexta-feira, um suspeito morreu em confronto com PMs da UPP Nova Brasília, no Alemão. Há uma semana, o comandante desta unidade, capitão Uanderson Manoel da Silva, foi morto por bandidos com dois tiros no peito.

Playboy não resiste à prisão

O traficante Playboy caiu no cerco montado por policiais militares da UPP do Caju na Avenida Brasil, na altura da comunidade Vila do João. Segundo a comandante da unidade, major Alessandra Carvalhaes, sempre que há conflitos próximos, os agentes fazem uma patrulhamento preventivo para evitar que criminosos fujam para dentro do Caju.

O acusado estava em uma moto, seguido por outro homem suspeito em mais uma motocicleta. Os PMs reconheceram o criminoso e conseguiram cercá-lo. Playboy estava desarmado e não resistiu à prisão. Ele foi transferido no fim da noite de ontem para uma unidade da Polinter. O outro homem também foi detido e levado para a 21ª DP (Bonsucesso). No entanto, por não estar em situação de flagrante nem ter mandado de prisão pendente, o homem foi liberado após prestar depoimento.

 

PORTAL TERRA


Forças Armadas admitem violação de direitos humanos durante ditadura


As Forças Armadas afirmaram pela primeira vez na história que não estão em condições de negar as "graves violações de direitos humanos" em instalações militares durante a ditadura, segundo os documentos divulgados neste sábado pela Comissão Nacional da Verdade (CNV).

As três forças (Aeronáutica, Marinha e Exército) enviaram relatórios ao ministro da Defesa, Celso Amorim, nos quais não negam nem confirmam a violação de direitos humanos, como a CNV tinha solicitado previamente.

Segundo o documento elaborado pelo Ministério da Defesa e divulgado pela CNV, o Exército alegou que "não lhe é pertinente manifestar-se a respeito dos atos formais e de outras decisões tomadas pelo Estado brasileiro ou, ainda, opinar sobre situações já definidas pelo ordenamento jurídico vigente".

A Marinha, por sua vez, afirmou que "não foram encontrados indícios nem provas documentais ou materiais que permitam confirmar ou negar as informações apresentadas pela Comissão Nacional da Verdade (CNV), por meio do Ofício nº 124/2014-CNV, sobre a ocorrência de graves violações de direitos humanos na Base Naval da Ilha das Flores, nas décadas de 1960 e 1970".

Já a Força Aérea ressaltou que "o Comando da Aeronáutica também não dispõe de elementos que sirvam de fundamento para contestar os atos formais de reconhecimento da responsabilidade do Estado brasileiro".

Além disso, no documento apresentado à CNV, o Ministério da Defesa ressaltou que os Comandos Militares "não se contrapõem" ao reconhecimento da responsabilidade estatal pela ocorrência de graves violações de direitos humanos.

"O Ministério da Defesa, como parte integrante do Estado Brasileiro, compartilha do reconhecimento da responsabilidade estatal pela ocorrência de graves violações de direitos humanos praticadas no período de 18 de setembro de 1946 a 05 de outubro de 1988. Nesse sentido, observo que as conclusões dos ofícios dos Comandos Militares não se contrapõem a esse reconhecimento", disse Amorim em um documento remetido na tarde de ontem à CNV.

O ofício assinado por Amorim foi uma resposta a um questionamento feito pela Comissão da Verdade no dia 13 de agosto.

A CNV exigiu que o Ministério da Defesa e às Forças Armadas esclarecessem se confirmavam ou negavam as informações sobre graves violações dos direitos humanos cometidas em instalações militares durante a ditadura, que foram reconhecidas pelo Estado brasileiro.

Após a divulgação do documento neste sábado, a Comissão Nacional da Verdade afirmou que só comentará o relatório na próxima segunda-feira.

A CNV começou a atuar em maio de 2012 e foi criada pelo atual governo com o objetivo de investigar possíveis casos de violação dos direitos humanos no Brasil entre 18 de setembro de 1946 e 5 de outubro de 1988.

 

PORTAL BRASIL


ITA recebe países para debater tecnologia na área de defesa

Evento científico começa na terça-feira (23) e vai reunir pesquisadores, professores e alunos de mais de dez países

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), sediado em São José dos Campos (SP), realiza a 16ª edição do Simpósio de Aplicações Operacionais em Áreas de Defesa (Sige) entre os dias 23 e 25 de setembro.

O evento deve reunir cerca de 400 pesquisadores, professores e alunos de pós-graduação de mais de dez países.

O simpósio é realizado anualmente com o objetivo de fornecer um espaço adequado para a discussão de questões relacionadas à pesquisa e ao desenvolvimento no âmbito da Política de Defesa Nacional, e reúne os setores acadêmico, industrial e o operacional das Forças Armadas. A palestra de abertura do 16º Sige será proferida pelo chefe do estado-maior da Aeronáutica (Emaer), tenente-brigadeiro do Ar Ricardo Machado Vieira, com o tema "Força Aérea definida por capacidades".

Entre os palestrantes estrangeiros desta edição do evento está o professor Jianping Yao, da Universidade de Ottawa, Canadá. O profissional é referência na área de microondas e fotônica. Também integram a programação professores da Itália, Holanda e Estados Unidos, que ministrarão minicursos sobre temas de ponta e relevância tecnológica.

De acordo com um dos organizadores do evento, tenente-coronel Lester de Abreu Faria, nesta edição foram submetidos 74 trabalhos. “Cada vez mais patrocinadores e expositores do mundo todo têm nos procurado para participar do evento, pois nele reunimos setores militar, acadêmico, de pesquisa e industrial, criando um cenário muito favorável à retroalimentação de ideias”, afirma o tenente-coronel

A realização do evento é do Programa de Pós-Graduação em Aplicações Operacionais (PPGAO), do ITA, com apoio do Emaer e Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA).

 

OUTRAS MÍDIAS


PORTAL MERCADO E EVENTOS


Emenda prorroga itens do regulamento de aviação civil

Em reunião, a diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou a emenda n° 04 ao Regulamento Brasileiro da Aviação Civil nº 61 (RBAC nº 61), que estabelece procedimentos para emissão de licenças, de habilitações e de certificados para pilotos.

Foram alterados os requisitos para concessão e revalidação da habilitação de tipo, a exigência de horas para concessão da licença de piloto de linha aérea (PLA) e a extinção da habilitação de piloto de acrobacia.

Os outros dois últimos requisitos, que afetam diretamente a instrução teórica e prática e fizeram parte desta última revisão do RBAC 61, foram prorrogados por mais um ano. São eles: a exigência ou não de 200 horas de voo como piloto em comando para obtenção da habilitação de instrutor de voo e a exigência ou não de curso teórico para obtenção de licenças.

Ambos foram prorrogados por mais um ano uma vez que possuem relação com um dos projetos prioritários em curso na Agência: “Otimização e Melhoria da Qualidade do Processo de Certificação de Pessoal da Aviação Civil”. Os resultados desse projeto vão subsidiar a decisão da Diretoria Colegiada da Anac no que diz respeito a esses dois requisitos.

 

PORTAL MERCADO E EVENTOS


Rafael Massadar

SAC já analisou 240 estudos de viabilidade técnica de aeroportos

Dos 270 aeroportos regionais contemplados no programa de desenvolvimento do Governo Federal, 240 já possuem o estudo de viabilidade técnica analisado pela Secretaria de Aviação Civil (SAC). A notícia foi dada pelo secretário executivo, Guilherme Ramalho, durante evento de infraestrutura aeroportuária realizado nesta quinta e sexta-feira em São Paulo.

“Estamos na fase de construção do alicerce do programa e já recebemos e analisamos 240 estudos de viabilidade técnica”, anunciou Ramalho. “Agora poderemos definir os investimentos propriamente ditos e colocar as obras na rua”, completou.

O representante da SAC explicou que a estimativa inicial é que sejam investidos R$ 7,3 bilhões na melhoria dos 270 aeródromos, que foram escolhidos de acordo com a projeção de demanda para os próximos anos. De acordo com Ramalho, nos próximos meses a aviação regional receberá mudanças significativas.

“Acredito que neste segundo semestre e ao longo de 2015 teremos um volume de investimento muito grande em aviação regional, e ainda nos próximos dois, três anos teremos uma transformação efetiva na estrutura aeroportuária regional”, disse. “E junto com um isso um aumento bem expressivo da oferta de voos”, acrescentou.

Segundo o secretário, as intervenções são de extrema necessidade para atender o crescimento da aviação civil no Brasil, que tem registrado aumento anual médio de 11%. “Em 2013 registramos um movimento de 203 milhões de passageiros nos nossos aeroportos. E para atender a demanda, investimos R$ 11 bilhões na expansão da infraestrutura, e continuamos a investir”.

Ramalho ainda destacou que o incremento do setor aéreo, além de promover a integração do país, que possui dimensões continentais, funciona como um indutor econômico e social, já que gera empregos diretos e indiretos.

Cargas - Indagado sobre o transporte aéreo de cargas, o secretário executivo da SAC contou que os passageiros foi o aspecto priorizado na escolha dos aeroportos para receberem melhorias neste primeiro momento do programa de investimentos na aviação regional.

“De maneira geral e coletiva, pensamos nos passageiros. Até porque, o transporte de cargas no Brasil é muito concentrado. Podemos dizer que ele se concentra em quatro aeródromos”, relatou Guilherme Ramalho. “No entanto, quando vamos discutir sobre o projeto de um aeroporto, se ele tem vocação para cargas, isso é levado em consideração. Mas não poderíamos ter uma rede de aeroportos só para cargas”, finalizou.

O Brasil possui 3.595 aeródromos, sendo que 714 são públicos e 2.881, privados.

 

PORTAL A CRÍTICA (AM)


Manaus terá voo direto para Brasília pela Azul Linhas Aéreas

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para dar início a voos diários e diretos entre Manaus e Brasília a partir de 1º de dezembro

A Azul Linhas Aéreas recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para dar início a voos diários e diretos entre Manaus e Brasília a partir de 1º de dezembro. As frequências serão operadas com jatos Embraer E195, capazes de transportar até 118 Clientes. As aeronaves contam com telas individuais que transmitem mais de 40 canais de TV ao vivo.

“Estrearemos uma rota que sempre registra uma alta demanda de clientes. Além de destinos turísticos, são cidades importantes para as regiões onde estão localizadas, principalmente Manaus, que conta com a Zona Franca”, afirma Marcelo Bento, diretor de Planejamento e Alianças da Azul.

Atualmente, a empresa mantém 16 voos diários a partir de Manaus para dez destinos. A empresa já oferece voos diretos de Manaus para Belém, São Paulo, Belo Horizonte e agora Brasília.

 

PORTAL OLHAR DIRETO (MT)


Aeroporto de Cuiabá deverá ser privatizado em 2015 pelo governo

Wesley Santiago

ImagemO governo brasileiro pretende realizar uma nova ‘rodada’ de privatizações de aeroportos em 2015. Desta vez, o terminal Marechal Rondon, em Cuiabá, também deverá ser incluído junto com Curitiba (PR) e Recife (PE). A expectativa é que o faturamento com a concessão dos três aeródromos seja de R$ 2,976 bilhões. Uma nota explicativa foi enviada pelo Executivo ao Congresso estimando receitas de R$ 16,3 bilhões com as outorgas e permissões.

A privatização do aeroporto de Cuiabá deverá fazer com que o governo arrecade R$ 376 milhões. Já nos terminais de Curitiba e Recife, a expectativa é de um lucro de R$ 1,3 bilhão (cada). De acordo com as regras estabelecidas, as concessionárias terão de pagar à União 30% do valor à vista pela concessão. O restante será em contribuição fixa anual ao longo do contrato.

O Aeroporto Marechal Rondon teve um movimento de 2 995 679 passageiros em 2013. Além disto, 7 128 437 toneladas de carga foram transportadas e 64 486 aeronaves passaram pelo local. O terminal conta com uma pista de pouso, com superfície de asfalto, que tem 2.300m de comprimento. A expectativa é que em 2014 o movimento seja de aproximadamente 3,3 milhões/ano.

Recentemente o terminal passou por ampliações, por conta da Copa do Mundo de 2014. Algumas obras ainda seguem sendo feitas no local. O aeroporto conta com 13.200 m² no terminal de passageiros. A capacidade é de 5,7 milhões, após a reforma. Além disto, o local conta com um estacionamento de 13.785 m².

 

PORTAL D24am (AM)


Comandante do CMA afirma: "Montamos o dispositivo para dar segurança ao pleito"

General de Exército, Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira ressaltou que mudança na PM não vai interferir no trabalho durante eleições

ImagemManaus - Dificuldade com a logística de deslocamento das tropas é apontada pelo comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA) e general de Exército Guilherme Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, como o maior empecilho para atuação das forças federais na segurança das eleições no Amazonas. Para o general Theophilo, a recente mudança na cúpula da Polícia Militar do Amazonas (PM) não irá interferir no trabalho em conjunto com o Exército para garantir a segurança do pleito.

Como será a atuação do Comando Militar da Amazônia (CMA) na segurança das eleições deste ano no Amazonas?

Nós dependemos da (presidente do Tribunal Regional Eleitoral) desembargadora Socorro Guedes para que o tribunal autorize e faça a solicitação ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e, ao ser aprovado, o Ministério da Defesa irá indicar quais municípios precisam do reforço da tropa federal. Já estamos acostumados com esta atividade, até porque, em 2012, eu já estava na 12ª Região Militar e pegamos vários municípios para fazer esta segurança. Nós iremos com assessor jurídico, uma tropa e, junto com o juiz eleitoral, montamos todo o dispositivo para dar segurança ao pleito em 5 de outubro.

Aqui no Amazonas, alguns municípios da região de fronteira já pediram reforço de tropa federal. Geralmente, estes municípios são os mais problemáticos?

Não obrigatoriamente. Nós temos aqui Canutama, que é um município que sempre pede e não fica na fronteira. Tabatinga, na fronteira, também pede. Temos ainda Tefé, que não é na fronteira, e sempre solicita reforço na segurança. A própria cidade de Manaus, por ter muitas zonas eleitorais, normalmente a polícia (militar) pede um apoio, porque fica muito trabalho para pouca gente.

Caso estas tropas verifiquem alguma irregularidade eleitoral, como devem agir na prática?

Na prática, o juiz (eleitoral) estabelece as normas. Há regras de engajamento e a nossa tropa já vai com um assessor jurídico que orienta os tipos de campanhas que podem ou não podem ser feitas ou objetos que podem ser distribuídos pelos candidatos ou cabos eleitorais. Também combatemos a boca de urna. Enfim, estas forças agem naqueles crimes mais comuns, em dias de eleição.

Em 2012, o senhor trabalhou na segurança da eleição no Amazonas. Como foi esta experiência?

Foi muito boa. Por causa desta experiência, sabemos que é importante saber antecipadamente para quais municípios iremos nos deslocar porque, aqui (no Amazonas), a logística é muito difícil. Naquele ano, alguns municípios pediram reforço na véspera da eleição e nós precisávamos de dois ou três dias de barco para chegar nos locais. Então, teve algumas localidades que não pudemos atender. Por isto, neste ano, eu tenho insistido com a desembargadora (Socorro Guedes) para que o tribunal procure, com certa antecedência, definir os municípios que precisam do reforço na segurança. No Amazonas, nós dependemos ou da aeronave, que as localidades tenham pista de pouso, ou de embarcações.

Além de Exército, a Marinha ou a Aeronáutica também são empregadas no reforço da segurança durante a eleição?

Não que eu tenha conhecimento. A força aérea nos apoia porque irá fazer o transporte das urnas em alguns locais. Já em relação à Marinha, não tenho conhecimento.

Recentemente, houve uma mudança no comando da Polícia Militar. Esta mudança afeta, de alguma forma, o planejamento para a segurança da eleição no Estado?

Não, até porque isto é independente. Politicamente, nós não temos nenhuma interferência neste processo e o novo comandante já vai pegar o planejamento feito. Já está definido, por exemplo, que, em parte das zonas eleitorais daqui de Manaus, a PM vai fazer a segurança e nós já temos a nossa parte que independe da polícia.

Como o senhor avalia a presença do Exército na segurança das eleições no Amazonas?

Aqui, a Região Norte tem uma grande importância porque, em algumas locais, só existe a presença das Forças Armadas. Pelo fato de que, nesta região, tem este problema de logística. Uma questão que facilita a nossa atuação é porque, em algumas cidades, já temos a presença do Exército e fica mais fácil para a gente prestar este atendimento à população.

Nos pedidos de força federal no Amazonas, alguns juízes citaram a presença das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) em municípios que fazem fronteira com a Colômbia. Até que ponto este tipo de atividade interfere na eleição?

Não acredito que afete a eleição. Temos informações de que membros das Farc, não só na área de Tabatinga, como também na área de São Gabriel da Cachoeira, têm atravessado a nossa fronteira em determinados momentos, mas estamos fiscalizando e, efetivamente, não comprovamos nada. Tem também o Sendero Luminoso, na área do Peru, que faz fronteira na região do Javari (no sudoeste do Amazonas) que está se reorganizando e, às vezes, invade nosso território. Mas são apenas informes, sem nada comprovado.