NOTIMP - NOTICIÁRIO DA IMPRENSA

Capa Notimp Acompanhe aqui o Noticiário relativo ao Comando da Aeronáutica veiculado nos principais órgãos de comunicação do Brasil e até do mundo. O NOTIMP apresenta matérias de interesse do Comando da Aeronáutica, extraídas diretamente dos principais jornais e revistas publicados no país.


NOTIMP 043/2016 - 12/02/2016

Publicado: 12/02/2016 - 10:14h   |   Última Atualização: 12/02/2016 - 10:14h
PORTAL SPUTNIK BRASIL

PORTAL FATO ONLINE

PORTAL AIRWAY

PORTAL G-1

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO

REVISTA ISTO É DINHEIRO

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO

JORNAL DO SENADO

PORTAL TERRA

JORNAL ZERO HORA

PORTAL UOL

PORTAL BRASIL

PORTAL IG -ÚLTIMO SEGUNDO

REVISTA EXAME

OUTRAS MÍDIAS

PORTAL SPUTNIK BRASIL


Exército Brasileiro confirma bases para distribuição de mísseis russos

O Centro de Comunicação Social do Exército Brasileiro confirmou nesta quarta-feira, 10, que o lote de mísseis portáteis Igla-S, de fabricação russa, entregues em 27 de janeiro, será distribuído às unidades da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, localizada em Guarujá (SP), subordinada ao Comando Militar do Sudeste.

Em resposta à solicitação da Rádio Sputnik, também foi confirmado que já foram adquiridos modelos em outra oportunidade e que o equipamento atende às necessidades do Exército Brasileiro. Quanto à compra do sistema Pantsir S-1, o Ministério da Defesa esclareceu que continuam as negociações entre Brasil e Rússia.

A compra dos novos Igla-S esteve na pauta da visita que a presidenta Dilma Rousseff fez a Moscou em dezembro de 2012, que foi seguida por uma missão de alto nível do comando do Estado-Maior das Forças Armadas junto às autoridades russas e aos fabricantes do equipamento. A decisão pela compra foi tomada no ano passado. Os mísseis Igla-S, considerados de curto alcance, podem ser operados por um único homem, têm alcance de seis quilômetros, altitude máxima de 3.500 metros, velocidade de duas vezes a do som (cerca de 2.500 km/h) e peso de apenas 10,6 quilos.

O jornalista especializado em assuntos militares e editor da coluna Insider, Roberto Lopes, elogia a compra dos Igla-S, afirmando que o reaparelhamento da defesa aérea é uma das prioridades do Exército Brasileiro. Segundo ele, o Brasil está comprando diversos sistemas, entre eles o autopropulsado Guepard de fabricação alemã.

“O problema é que o Exército não possui mísseis para longa distância. Onde o Exército Brasileiro está mais bem servido, com o Igla, é justamente na curta distância. Esse equipamento é muito importante e prioritário, porque vai atender aos projetos de reorganização da defesa aérea. Prova de que o Igla é muito bem aceito pelos militares brasileiros é o fato de que ele também está na Força Aérea para defender suas instalações.”

Embora tenha grande mobilidade operacional, podendo servir em operações na Amazônia e nas zonas de fronteira, os mísseis Igla-S não se prestarão, no Brasil, ao abate de aeronaves ligadas ao narcotráfico. “Não faz parte da doutrina brasileira abater aviões supostamente pertencentes ao narcotráfico por meio de artilharia antiaérea. A FAB tem essa autorização, após abordagem e negativa de pouso do avião contactado.”

Quanto às negociações para compra do sistema Pantsir S-1, o analista afirma que ele é um passo adiante em termos de defesa antiaérea, embora seja um equipamento caro para um Exército de poucos recursos como o brasileiro. Lopes acredita que, por tudo isso, o Brasil deva adquirir uma pequena quantidade de veículos. Quanto à transferência de tecnologia, acenada pelo governo e pelo fabricante russos, ela deve ser limitada à fabricação de apenas alguns componentes. “O importante é que ele (o sistema) venha e o Exército consiga desenvolver uma doutrina de emprego.”

O sistema Pantsir S-1 pode operar enquanto protege colunas em deslocamento, uma vez que os veículos utilizam radares de gestão de tiro com alcance superior a 30 quilômetros. Em posição defensiva, uma bateria pode ser instalada em menos de dez minutos.

Os lançadores são controlados por uma unidade de tiro alimentada por dois radares com alcance superior a 80 quilômetros. O sistema é capaz de acompanhar 40 alvos e cada lançador pode acoplar quatro alvos por vez, identificados por laser. Cada lançador dispõe de 12 mísseis, dois canhões de 30 mm com capacidade para atingir aviões, mísseis de cruzeiro, munições guiadas, entre outros alvos. O baixo custo e a simplicidade do míssil é uma das vantagens do sistema, permitindo – ao contrário dos concorrentes ocidentais – armazenamento por longos períodos sem cuidados especiais.

 

PORTAL FATO ONLINE


Com apoio de militares, GDF intensifica combate ao Aedes aegypti

No próximo sábado (13), Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti, militares das Forças Armadas, Corpo de Bombeiros, agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental, da Defesa Civil e funcionários do SLU (Sistema de Limpeza Urbana) irão reforçar as ações

Ana Paula Oliveira

A batalha contra o mosquito Aedes aegypti continua, não escolhe local e não esta restrita apenas a regiões carentes do Distrito Federal. Na manhã desta quinta-feira (11), soldados da Aeronáutica visitaram residências na QI 27 do Lago Sul. Num total de 230 casas visitadas, apenas 176 foram acessadas pelos militares, 46 residências estavam fechadas e 8 proprietários se recusaram a receber a vistoria da equipe. Nesta sexta-feira (12), o trabalho vai continuar nos conjuntos 1 a 8 da mesma quadra. A ação faz parte do Plano de Ação para o Enfrentamento às Doenças Transmitidas pelo Aedes Aegypti, lançado pela SES (Secretaria de Estado de Saúde) no início de dezembro do ano passado.

No próximo sábado (13), Dia Nacional de Combate ao Aedes aegypti, militares das Forças Armadas, Corpo de Bombeiros, agentes da Diretoria de Vigilância Ambiental, da Defesa Civil e funcionários do SLU (Sistema de Limpeza Urbana) irão reforçar as ações em campo para conscientizar a população de todas a regiões administrativas do DF sobre os riscos relacionados à proliferação do mosquito e às doenças que ele transmite.

Brazlândia

Segundo os números desta semana, divulgados pela SES (secretaria de Estado da Saúde), o GDF registrou 1.430 casos suspeitos de dengue em 2016. A região com maior incidência de dengue, continua sendo Brazlândia, com mais de 300 casos, número que classifica a região como em situação de epidemia. São Sebastião e Candangolândia vêm em seguida. Para reforçar o atendimento aos pacientes em Brazlândia, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) montou três tendas no estacionamento do local, destinadas apenas para pessoas suspeitas de contaminação pelo mosquito, onde será realizada uma triagem para descobrir se a pessoa está com dengue, zika ou chikungunyas.
 

São Sebastião

O Hospital Regional de São Sebastião também receberá uma Unidade de Atenção à Dengue. A montagem de tendas de apoio para o diagnóstico da doença está prevista para a próxima semana.Outras regiões também podem receber as estruturas, dependendo da número de focos do mosquito encontrados e dos casos da doença.

 

 

PORTAL AIRWAY


Airbus inicia montagem final do A350-1000

Maior modelo da série A350 poderá acomodar até 366 passageiros; jato estreia em 2017

Thiago Vinholes

A Airbus iniciou nesta semana a montagem final do primeiro A350-1000, na fábrica em Toulouse, na França. O novo jato será o maior modelo da família A350, com 73,8 metros de comprimento e capacidade para acomodar 366 passageiros em três classes (ou 440 passageiros em apenas uma classe). O A350-900, que já está em operação de o início de 2015 (a Tam é um dos operadores), tem 66,8 metros de estensão e pode transportar até 314 ocupantes.

O A350-1000 em fase final de produção será o primeiro de três jatos que serão usados em testes de certificação. A previsão é de que a nova aeronave entre em operação comercial em 2017, com a companhia Qatar Airways, que também foi o cliente lançador do A350-900. Como explicou a fabricante, o primeiro A350-1000 está na “Estação 50”, onde as diferentes partes da fuselagem (o “charuto”) são unidas e o trem de pouso é instalado. Terminada essa fase, o avião em construção será enviado à “Estação 40”, para instalação das asas, e em seguida para a “Estação 30”, onde o interior e equipamentos de voo são montados.

Grande expoente da nova geração de jatos comerciais, ao lado do Boeing 787, o A350 vem atraindo a atenção das companhias aéreas devido ao seu baixo consumo de combustível. O novo jato da Airbus promete uma economia de até 20% comparado às aeronaves da geração anterior. Apesar do “apetite” moderado, o A350-1000 terá os motores a jato mais potentes já utilizados em um avião da Airbus – os turbofans Rolls Royce Trent XWB-97 geram 97.000 lbf de empuxo cada, algo como um “sopro” equivalente a 13 toneladas.

Segundo dados preliminares da Airbus, o novo A350-1000 terá alcance de 14.800 km, que é inferior a do A350-900, que tem autonomia de 15.000 km. O jato ainda poderá alcançar a velocidade máxima de 945 km/h e decolar pesando até 308 toneladas – o A350-900 alcança a mesma velocidade e pode decolar com peso máximo de 268 toneladas.

A Airbus uniu nesta semana as partes da fuselagem do primeiro A350-1000 (Airbus)

Ritmo acelerado

A Airbus tem pedidos pelo A350 a perder de vista. Já foram encomendados 580 unidades do A350-900 e mais 181 pelo A350-1000, que ainda nem voou – o primeiro voo deve acontecer ainda no primeiro semestre deste ano. Além desses dois modelos, a fabricante também trabalha no desenvolvimento do A350-800, que será o menor da série, com 60,5 metros de comprimento e capacidade para até 280 passageiros (em três classes).

O projeto do A350-800, porém, segue a passos lentos e não tem data definida para entrar em operação, se isso de fato acontecer. Ao contrário dos modelos “900” e “1000”, o A350 mais curto não despertou o interesse da clientela como seus irmãos maiores, que estão sendo produzidos em ritmo acelerado. A companhia Tam, que iniciou recentemente suas operações com a nova aeronave, já encomendou 10 unidades do A350-1000 e outros 14 exemplares do A350-900. Os modelos da Airbus vão substituir os atuais Boeing 777 da empresa. As empresas Azul e Avianca também encomendaram o Airbus A350-900.

 

PORTAL G-1


Forças armadas combatem o Aedes aegypti em 11 cidades do ES

"Dia D" de combate ao mosquito começa neste sábado (13). Agora, Aeronáutica se une ao Exército e à Marinha.

Por determinação do Ministério da Defesa, os militares das Forças Armadas, com o apoio de agentes de saúde, vão fazer um trabalho de conscientização da população e combate ao mosquito Aedes Aegypt em 11 municípios do Espírito Santo, neste sábado (13). O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11), em uma entrevista coletiva realizada na Capitania dos Portos, que coordena as ações no estado.

Devido à gravidade da situação gerada pela proliferação do mosquito, 921 militares das forças armadas vão entrar na guerra contra o Aedes Aegypti, transmissor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e o Zika Vírus. O Exército e a Marinha já estavam nas ruas atuando no combate ao mosquito, mas agora também vão receber ajuda da Aeronáutica.

Os militares vão atuar a partir deste sábado, definido como o "dia D" contra o Aedes Aegypt, nas cidades da Grande Vitória; em Santa Tereza e Linhares, no Norte; em Cachoeiro de Itapemirim, no Sul; e em Colatina, no Noroeste do estado. Os locais definidos pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). O sub secretário de Saúde Magnus Thezolin explicou que os locais foram escolhidos por causa da proximidade com as bases militares e pela proporção de casos de dengue em relação à população de cada cidade.

Cerca de 1.500 funcionários da Sesa, das superintendências de saúde e das prefeituras vão atuar no "dia D". As ações serão executadas enquanto vigorar a Situação de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), declarada pelo Ministério da Saúde, em 11 de novembro de 2015.

Ação
 

Será feita a identificação e extinção dos focos de mosquito e será distribuído nas rodoviárias, aeroportos e clubes um material informativo com medidas de combate e prevenção ao transmissor.

Portos

O capitão dos portos do Espírito Santo, Marcos Aurélio de Arruda, informou que também será feita a orientação dos funcionários dos portos do estado e a fiscalização embarcações que ficam no iate clube da Curva da Jurema.

Números

Até o dia 4 de fevereiro, quase 9 mil pessoas contraíram dengue no Estado. Só neste ano, o estado registrou 1.542 casos suspeitos de infecção pelo Zika Vírus, 20 casos foram confirmados. Também foram notificados 60 casos de bebês com microcefalia, mas ainda não é possível afirmar se existe relação com o Zika Vírus.

Atuação
 

A campanha será desenvolvida em quatro etapas. A primeira ocorreu entre os dias 29 de janeiro e 4 de fevereiro, quando as esquipes das Forças Armadas receberam orientações para o controle e prevenção do mosquito nas organizações militares.

A segunda fase acontece no dia 13 de fevereiro em parceria com a Secretaria de Saúde do Estado e algumas secretarias municipais. Será feita a distribuição de material impresso com informações para mobilizar a população no combate ao Aedes Aegypt.

Entre os dias 15 e 18 de fevereiro, ocorre a terceira etapa. Os militares vão combater o mosquito ao lado de agentes da Sesa e da Defesa Civil. Na ocasião, os militares estarão acompanhados por agentes de saúde para inspecionar possíveis focos de proliferação. Serão realizadas visitas domiciliares com o objetivo de orientar os moradores e aplicar larvicidas quando for necessário. Na quarta e última fase, os militares visitam escolas e orientam turmas de níveis fundamental e médio.

 

Embraer exibe novo jato comercial

E2 será apresentado oficialmente no fim de fevereiro. Novos aviões tem capacidade para até 140 passageiros.

A Embraer divulgou nesta semana as primeiras imagens do E2, novo jato comercial fabriccado pela empresa. As aeronaves, com capacidade para até 140 passageiros, estão sendo fabricadas em São José dos Campos (SP), no interior de São Paulo.

O E2 é uma evolução da atual família Embraer 170/190. A primeira geração das aeronaves entrou em serviço em 2004. Desde então, a fabricante brasileira de aviões recebeu mais de 1.500 pedidos firmes para esta família de aeronaves. Mais de 1.200 unidades já foram entregues. Os novos aviões são maiores, com mais alcance, tecnologicamente mais avançados e mais eficiente em termos de consumo de combustível, emissão de CO2 e ruído. O conceito de interior da aeronave também apresenta uma nova solução para o compartimento interno de bagagem.

Com o E2, o objetivo da Embraer é se manter entre os três maiores fabricantes do mundo, diminuir a distância entre as gigantes Boeing e Airbus, e se proteger dos novos concorrentes que chegam da China, Japão e Rússia.

Mercado

Atualmente, a Embraer é a empresa líder do mercado de aviões comerciais de até 130 assentos e detém 60% de participação no mercado global de aviação regional. Segundo a empresa, mais de 600 pedidos foram realizados, entre firmes e intenções, por companhias aéreas de todo o mundo. A primeira aeronave da nova geração, um Embraer 190E2, será oficialmente apresentada no dia 25 de fevereiro na sede da empresa em São José dos Campos.

 

Sacos de lixo com ar quente colocam pilotos e aviões de Jundiaí em risco

Objeto alcança até 500 metros de altura e entope equipamentos. Segundo a Guarda, oito balões já foram vistos no céu da cidade em 2016.

G1 Sorocaba E Jundiaí

Uma brincadeira aparentemente inofensiva vem colocando em risco a vida de pilotos e a estrutura de aviões. Além de balões, muito comuns em Jundiaí (SP), sacos de lixo com ar quente também são soltos por moradores. As sacolas ficam entre 300 e 500 metros de altura, a mesma faixa usada pelas aeronaves no procedimento de pousos e decolagens.

“As sacolas podem entupir um equipamento utilizado do lado externo do avião ou helicóptero, que deixa a gente sem indicação do vento. Sem isso, perdemos alguns instrumentos a bordo e faz com que o piloto fique desorientado, podendo até cair”, afirma o comandante Lúcio Chiarelo.

O risco é maior ainda para aviões grandes que transportam passageiros ou cargas, já que o tempo de resposta às manobras é maior do que nos modelos menores. “A aeronave pequena é tem mecânismo simples. Você consegue acelerar a aeronave para subir e fazer alguma manobra mais rápida para desviar de alguma coisa, mas nas comercias de linha, que são maiores, os comandos demoram de 5 a 12 segundos para reagir do motor. Não vai ter tempo de reação”, explica o piloto e instrutor Vinícius Ayres.

O trajeto entre Jundiaí e São Paulo concentra diversos aeroportos importantes do país e cada manobra para desviar de um saco plástico com ar quente ou balão representa um risco para as aeronaves. “Eles passam muito perto do avião, as vezes a 10 metros da ponta da asa, fazendo com que a gente precise desviar da rota pretendida. Pode prejudicar até um pouco ou uma decolagem”, conta Chiarelo.

Balões

Não existem registros oficiais de ocorrências relacionadas a problemas com as sacols plásticas de ar quente na cidade. Já com relação a balões, somente neste ano, oito balões foram vistos em Jundiaí, segundo a Central de Câmeras da Guarda Municipal. O número preocupa, já que em todo o ano passado foram 15 flagrantes.

“Entre junho e julho é a época de seca, que coincide com o aumento na soltura de balões. A perspectiva é que aumente ainda mais esse número”, afirma o guarda da divisão florestal, Fernando Ramos, ao destacar o risco de incêndio na serra e em áreas urbanas. O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aéreos (Cenipa) também registra oito ocorrências com balões, porém em todo o estado de São Paulo.

Como o número é o mesmo da GM apenas em Jundiaí, pilotos acreditam que os dados do Centro de Investigação são imprecisos. “Eu acredito que ou por temer algum tipo de retaliação por conta da estatística ou por falta de tempo, o piloto acaba não registrando", afirma Chiarelo.

 

Militares aplicarão inseticida nas casas na semana que vem, diz Aldo

Segundo ministro da Defesa, tropas irão alertar sobre o Aedes aegypti. Neste sábado, haverá ação em todos os estados com a entrega de folhetos.

Fernanda Calgaro G1 Brasília

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, informou nesta quinta-feira (11) que militares das Forças Armadas irão aplicar inseticidas e larvicidas em residências entre segunda (15) e quinta-feira (18), em uma ação mais direta de combate ao mosquito Aedes aegypti.

A ação faz parte da mobilização do governo federal para eliminar focos do mosquito responsável pela transmissão da dengue, da chikungunya e do vírus da zika. Segundo o chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas (EMCFA), almirante-de-esquadra Ademir Sobrinho, a entrada dos militares nas casas será feita, “preferencialmente”, com um agente de saúde. Ele disse ainda que "nenhuma entrada será forçada".

Sobrinho ressaltou que o maior problema são as casas abandonadas ou quando os moradores não estão presentes no momento. Nessas situações, disse, há um protocolo a ser seguido, com a notificação de que os agentes estiveram ali, além de ser preciso haver testemunha e registro fotográfico. "Quem está se preparando para isso são as próprias secretarias de saúde", disse Sobrinho. Segundo ele, serão visitadas 115 cidades com alto registro da presença do mosquito, todas as capitais e suas regiões metropolitanas.

Mobilização

Para o próximo sábado (13), está prevista uma ação em cerca de 350 municípios de todos os estados do Brasil, com a participação da presidente Dilma Rousseff e diversos ministros, mas que ficará restrita à orientação das pessoas com a entrega de panfletos. No total, 220 mil homens das Forças Armadas deverão visitar 3 milhões de domicílios e distribuir 4 milhões de folhetos.

Questionado sobre o motivo pelo qual as tropas não iriam já neste sábado começar a aplicação de inseticidas, o ministro justificou que antes era preciso orientar as pessoas para garantir que as casas ficarão livres de focos do mosquito depois da aplicação.

Inicialmente, ele havia dito que as tropas ainda não estavam treinadas e que, por isso, o combate com inseticidas só iria acontecer numa etapa seguinte. No entanto, depois ele se corrigiu ao ser informado pelo almirante Ademir Sobrinho, que também participava da coletiva de imprensa, que todos os 50 mil homens das Forças Armadas que atuarão no combate já estavam treinados.

“Neste sábado, nós levaremos folhetos com as orientações e ações que devem ser adotadas pelas famílias e pelas pessoas dentro das suas residências no combate ao mosquito”, disse. “O governo não tem como ficar 24 horas na casa das pessoas”, completou.

Ele ressaltou a importância da participação da população para evitar a proliferação do mosquito. “Alguns chegam a falar que 3/5 dos casos da doença têm origem dentro da casa das pessoas. Ou seja, não adianta apenas o poder público limpar as áreas públicas se não houver uma mobilização da população para permanentemente remover os focos das casas, essa campanha não tem como ser vitoriosa”, afirmou.

Rebelo argumentou que, diante das ações do governo, não vê risco para as Olimpíadas. "Eu creio que, com o esforço que o governo está fazendo, com período em que os jogos olímpicos serão realizados no Rio de Janeiro, não creio que a Olimpíada possa sofrer nenhum prejuízo por conta disso. Infelizmente, os riscos ocasionados pelo mosquito não estão restritos ao Brasil, mas em outras partes do mundo", sustentou.

Vacina

No início da tarde, o ministro da Saúde, Marcelo Castro, anunciou uma parceria firmada entre o Instituto Evandro Chagas, sediado em Belém, e a Universidade do Texas, nos Estados Unidos, para desenvolver uma vacina contra o vírus da zika.

Segundo ele, a experiência das instituições pode encurtar o prazo de formulação do produto em laboratório para um ano. Depois, a vacina deve ser testada em animais e humanos por mais dois anos, antes de o imunizante ser aplicado em grande escala.

Terceira morte

Mais cedo nesta quinta, o Ministério da Saúde confirmou a terceira morte relacionada ao vírus da zika. A paciente era uma jovem de 20 anos, do município de Serrinha, no Rio Grande do Norte. Ela ficou internada em Natal durante 11 dias com problemas respiratórios. A morte foi em abril do ano passado, mas o resultado dos exames saiu apenas agora.

Pesquisadores anunciaram na quarta-feira (10) a descoberta de novas evidências que reforçam a associação entre o vírus da zika e casos de má-formação cerebral, citando a presença do vírus no cérebro de um feto abortado de uma mulher europeia que ficou grávida enquanto morava no Brasil. Anteriormente, o vírus já tinha sido encontrado nas placentas de mulheres que tiveram abortos espontâneos e nos cérebros de dois recém-nascidos que morreram e que tinham microcefalia.

 

Embarcação colide com banco de areia no Encontro das Águas, no AM

Acidente ocorrido nesta quinta-feira (11) deixou nove feridos. Embarcação levava 48 passageiros de Parintins para Manaus.

Uma embarcação tipo expresso colidiu com um banco de areia no fim da tarde desta quinta-feira (11), nas proximidades da comunidade de Terra Nova, no Encontro das Águas. Em nota, a Marinha do Brasil informou que o acidente ocorreu por volta das 17h10. Nove pessoas ficaram feridas. Segundo a Marinha, a embarcação realizava o trajeto do município de Parintins para Manaus com 48 passageiros quando houve uma colisão com um banco de areia no Encontro das Águas.

Sete pessoas ficaram com ferimentos leves e duas foram resgatadas pela Equipe de Inspeção Naval da CFAOC até ao Porto da CEASA onde já se encontravam os familiares dos passageiros para conduzirem a um hospital da cidade. Após o resgate dos passageiros, a embarcação seguiu viagem até Manaus. As causas e responsabilidades serão determinadas em Inquérito Administrativo instaurado pela Marinha do Brasil.

 

Trem de pouso e parte da asa de ultraleve são encontrados no MA

Peças foram encontradas em Anajatuba (MA), a 60 km de onde avião partiu. Bombeiros voltam ao meio-dia ao local em buscas do piloto e passageiro.

Novas peças do ultraleve modelo PU-VCL que desapareceu na última terça-feira (9) de Carnaval no trajeto Arari-São Luís foram encontradas na madrugada desta sexta-feira (12), em Anajatuba (MA), a 130 km de distância da capital maranhense e cerca de 60 km de onde partiu. Segundo o major Israel Lopes, do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBM-MA), o trem de pouso dianteiro e parte da asa da aeronave foram encontrados em uma região de mangue e de difícil acesso, por volta das 3h. Dez militares trabalharam por quase 24h seguidas nesta etapa da operação de buscas.

Os bombeiros chegaram ao local após informações de testemunhas, que relataram avistar o equipamento passar "com motor falhando e esfumaçando". Chovia na hora do acidente, ainda de acordo com o major. O militar acredita que galhos de árvores quebrados podem ser o indicativo do acidente aéreo na região.

Ainda não há informações, no entanto, sobre o piloto, José do Vale Filho, e o passageiro Júlio César de Moraes. No início da tarde desta sexta-feira, homens do CBM-MA voltam ao local. “Agora, ao meio-dia, nós vamos voltar ao local para buscar”, diz o major Israel. “Nosso objetivo é trazer as vítimas, com fé em Deus com vida”, completa. As peças encontradas serão levadas ao Comando da Aeronáutica.

Buscas

Equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) sobrevoaram mais de 20 horas à procura do ultraleve. O ultraleve levantou voo em Arari com destino a capital maranhense às 16h30 de terça-feira (9) e desapareceu. No momento chovia muito na região, segundo a FAB. Os dois ocupantes da aeronave são advogados e estavam visitando a cidade da região da Baixada Maranhense. As buscas estão sendo coordenadas pela FAB e contam com a participação da Capitania dos Portos do Maranhão, Corpo de Bombeiros, CTA, Polícia Militar do Maranhão (PM-MA) e Polícia Civil.Aeronave C-105 Amazonas (SAR 2810), sobrevoam a área  onde a ultraleve pode ter caído. (Foto: sgt Johnson / Força Aérea Brasileira)

Terra, céu e mar

Uma embarcação de casco semirrígido (ECSR) da Marinha fez buscas na tentativa de encontrar destroços da aeronave desde o Rio Mearim, proximidades da cidade de Bacabeira, até os arredores da Ilha do Medo, a noroeste de São Luís.

O helicóptero H-36 Caracal (SAR 8517), de Belém (PA), um helicóptero do CTA e uma aeronave C-105 Amazonas (SAR 2810), de Campo Grande (MS), sobrevoam a área.

Homens da Polícia Militar e Polícia Civil fizeram varredura por terra entre área de mangue próxima ao Estreito dos Mosquitos e Bacabeira, local onde parte da aeronave foi encontrada. Cerca de 50 homens participam da ação.

Investigação

A Força Aérea Brasileira (FAB) informou que os destroços serão analisados por técnicos do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) do Pará, responsável pela investigação.

 

JORNAL FOLHA DE SÃO PAULO


Aos 15 anos, adolescente é o calouro mais jovem do ITA


Felipe Souza

RESUMO Aos 15 anos, o estudante Victor Raniery da Silva Holanda é o calouro mais jovem do seleto grupo de universitários do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica). De Natal, o garoto estudou até 13 horas por dia com o sistema Ari de Sá, no colégio de mesmo nome, para se preparar para um dos vestibulares mais difíceis do país. Começou a universidade há um mês e mora em um alojamento em São José dos Campos. SAO JOSE DOS CAMPOS - SP - 03.02.2016 - O estudante Vitor, 15, passou no vestibular do ITA para o curso de engenharia mecanica. (Foto Danilo Verpa/Folhapress, COTIDIANO)

Eu era bem quieto quando era menor. Mas minha mãe sempre conta que eu já sabia ler quando tinha 3 anos. Nessa idade, eu já brincava com jogos educativos, e meu pai sempre pedia para eu fazer contas quando a gente saía para fazer compras ou sair para jantar. Tudo para testar meus conhecimentos.

Quando comecei o segundo ano do ensino fundamental, eu já sabia os temas que eram ensinados. Então, falei para a diretora que eu queria ir para o terceiro ano porque estava achando fácil. Meu pai também conversou com ela, e resolveram que eu teria de fazer uma prova para pular o ano. Fiz e passei.

Quando eu cheguei no oitavo ano, fiz a prova do Instituto Federal [do Rio Grande do Norte] após ouvir que o curso técnico dava mais facilidade para cursar engenharia. Mas eu só poderia fazer o técnico se eu concluísse o nono ano. Pensei então que seria uma boa eu pular e ir para o médio.

Para isso, eu precisaria fazer uma prova do supletivo, mas o Estado não queria deixar porque eu não tinha a idade mínima. Meu pai entrou na Justiça, e o juiz decidiu que o Estado seria obrigado a aplicar a prova. Eu fiz e consegui concluir o ensino fundamental. Fiz o primeiro e segundo ano técnico enquanto fazia cursinho paralelamente. Eu estudava cerca de 13 horas por dia. Foi intenso.

Nessa época, eu decidi que queria fazer engenharia no ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica). Meu pai me mostrou um vídeo que dizia que aqui eram formados os melhores engenheiros do país. Eu, que já queria cursar engenharia, fiquei muito interessado.

A partir daí, comecei a estudar voltado para o ITA e passei a fazer diversos simulados para a prova. No terceiro ano do ensino técnico, consegui bolsa para estudar em um colégio particular em Fortaleza (CE), para onde me mudei após passar a vida toda em Natal (RN).

Meus pais ficaram com o coração na mão porque eu só tinha 14 anos e estava indo morar em um pensionato. Mas perceberam que era o melhor para mim e que um bloqueio naquele momento poderia atrapalhar os meus estudos. Quando eu passei no ITA, minha família fez uma faixa e colocou na frente da casa da minha avó. Foi uma surpresa incrível para mim.

A vida aqui é bem diferente, mas eu já estou me acostumando. Eu morava relativamente perto da praia no Rio Grande do Norte, num clima muito mais quente, já aqui é bem mais arborizado. Desde o começo do curso, eu já me integrei com a turma, fiz amizades e comecei a rotina militar. É engraçado porque os outros universitários ficam tirando onda comigo por causa da minha idade. Sempre que faço alguma brincadeira, alguém fala: parece até que você tem 15 anos.

Penso em seguir a carreira civil, mas vou estudando para tirar uma nota boa e poder trocar de curso caso eu queira. A nota na universidade também é importante se eu decidir estudar em uma outra universidade, como a Polytechnique, na França.

Provavelmente, eu vou ficar na área de mecânica, onde estou, mas é capaz de eu querer computação depois no meio do caminho. Nas horas vagas, gosto de ir a restaurantes, assistir a algumas séries. A minha preferida é "The Big Bang Theory". Mas isso só dá para fazer no fim de semana. Eu tive que abdicar do lazer durante os estudos porque isso distrai muito. Não tenho namorada e estou sozinho aqui. Meu pai ficou quatro dias comigo, mas já voltou para Natal.

Agora, eu só devo ir para casa nas férias do meio do ano e de fim de ano para não gastar muito com passagem porque fica caro, e meu pai está com dívidas. O importante é que estou gostando muito. Meu aniversário está chegando e já vou completar 16 anos em abril.

 

REVISTA ISTO É DINHEIRO


Zika: Aviação Civil Internacional recomenda medidas preventivas em aeroportos


A Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) recomendou nesta quinta-feira reforçar as medidas preventivas nos aeroportos e aeronaves para apoiar o trabalho de prevenção da propagação do zika vírus.

A agência, com sede em Montreal, incentivou em comunicado as companhias aéreas a seguirem as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) sobre o uso de inseticidas para a desinfecção de cabines de aeronaves.

No texto, observou que "os vários atores do setor aéreo vão continuar compartilhando informações e recursos para ajudar a controlar" a propagação do vírus, que tem se expandido nos últimos meses por vários países da América do Sul - infectando mais de 1,5 milhão de pessoas, especialmente no Brasil e na Colômbia.

A OACI disse que também é importante reforçar o controle nos aeroportos dos vetores dos mosquitos Aedes aegypti, que transmitem o vírus. O zika provoca na maioria das vezes sintomas semelhantes a uma gripe leve, com casos de febre e dores de cabeça.

As autoridades brasileiras também estão investigando a relação entre o aumento dos casos de infecção com este vírus entre as mulheres grávidas com um aumento anormal do número de bebês nascidos com microcefalia, especialmente nas regiões do nordeste do país.

 

JORNAL O ESTADO DE SÃO PAULO


Bastidores: Dilma se irrita em reunião sobre "Aedes"

Presidente não aprovou filme sobre combate ao zika e se queixou da distribuição dos ministros nas visitas pelo País

Tânia Monteiro O Estado De S. Paulo

A elaboração da força-tarefa do governo para sábado tem criado situações embaraçosas. Na reunião de quarta-feira, que durou mais de duas horas, houve alguns momentos de estresse. Dilma não aprovou o filmete que a Secretaria de Comunicação fez para ser divulgado sobre o combate ao zika. O texto dizia que as pessoas tinham de ter cuidado “com o entorno” das residências. A presidente logo reagiu dizendo “o problema não é no entorno, é dentro de casa”. 

Outra queixa da presidente na reunião foi sobre a distribuição dos ministros nas visitas pelo País. Ela barrou a ida do titular das Minas e Energia, Eduardo Braga, para sua cidade, Manaus, justificando que o momento é de união e de mobilização e que ele tem problemas políticos locais. Com isso, Braga vai para Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. O ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, que a princípio ia para a Bahia, também trocou seu destino, para São Luís (MA), porque a ida para seu Estado “não causaria impacto”.

Na reunião desta quinta, o problema foi a distribuição de ministros pelas aeronaves da Força Aérea. Há os que querem viajar carregando 30 assessores, enquanto outros preferem viajar sozinhos. Como as aeronaves são limitadas, alguns terão de viajar em voos comerciais, enquanto outros vão em voos fazendo "pinga-pinga".

 

JORNAL DO SENADO


Setor aeroespacial será debatido na Comissão de Ciência e Tecnologia


A Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) fará a primeira audiência do ano na terça-feira. A pedido de Lasier Martins (PDT-RS) e Cristovam Buarque (PDT-DF), autoridades e especialistas vão debater a situação do setor aeroespacial brasileiro, a partir das 9h. Os parlamentares querem saber como a crise tem impactado o segmento, responsável por receitas de US$ 6,4 bilhões e pela geração de 24 mil empregos diretos em 2014. “É preciso examinar quais programas do governo federal relacionados ao setor precisam ser estimulados. É preocupante, por exemplo, a situação do veículo lançador nacional de satélites, que se encontra em compasso de espera há vários anos”, dizem os senadores no requerimento. Foram convidados para o debate o presidente da Agência Espacial Brasileira (AEB), José Raimundo Braga Coelho; o diretor-presidente da Associação das Indústrias Aeroespaciais do Brasil (Aiab), Walter Bartels; o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe); Leonel Fernando Perondi; o vice-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Herbert Claros da Silva; e um representante do Ministério da Defesa.

 

PORTAL TERRA


Paraná estuda projeto de aeroporto que suportará maior avião do mundo

Aeroporto deve ser construído entre as cidades de Ponta Grossa e Palmeira, nos Campos Gerais

A Companhia Aeroportuária Campos Gerais, em Ponta Grossa, pretende construir um aeroporto entre as cidades de Ponta Grossa e Palmeira com capacidade de receber pousos e decolagens o A380, considerado o maior avião do mundo.

Pesa 575 toneladas e tem envergadura de quase 80 metros entre as asas. Por isso, requer terminais especiais para pousar e decolar. No Brasil, dia 14 de novembro de 2015, o aeroporto de Guarulhos-SP recebeu um voo-teste da aeronave. O terminal paulista precisou paralisar todos os outros pousos e decolagens para receber o avião.

O projeto, que envolve investimento integral da iniciativa privada, já se encontra na fase de licenciamento ambiental, etapa final do cumprimento dos requisitos legais para a implantação do empreendimento. Com o nome oficial de Aeroporto Internacional dos Campos Gerais, o terminal aéreo também já conta com a aprovação de organismos como ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e CINDACTA/DECEA ligados à aeronáutica.

O empreendimento será feito em quatro etapas. A primeira fase prevê a construção de duas pistas de pousos e decolagens, pátios de estacionamentos das aeronaves, armazéns e hangares para todo o tipo de cargas (secas, perecíveis, refrigeradas, congeladas, biológicas e em trânsito), além de um terminal de passageiros para atender a demanda inicial.

O projeto prevê que se desenvolva no entorno do aeroporto um bairro logístico, capaz de receber um porto seco, também conhecido como Estação Aduaneira Interior (EADI), indústrias e galpões de armazenamento. O custo estimado da obra é de R$ 3,5 bilhões, e deve envovler 22 municípios do Paraná.

 

JORNAL ZERO HORA


Exército fará ação contra o mosquito Aedes em 32 municípios do Rio Grande do Sul

Próximo sábado foi escolhido como dia nacional de combate ao mosquito transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus

Guilherme Justino

Militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica estão mobilizados para sair às ruas em combate ao Aedes aegypti – transmissor da dengue, da chikungunya e do zika vírus. No próximo sábado, 220 mil homens e mulheres vão orientar a população sobre como evitar criadouros do mosquito, com meta de visitar três milhões de residências. A mobilização vai abranger 356 municípios, incluindo todas as capitais e cidades consideradas em risco pelo Ministério da Saúde. 

Nesta etapa da campanha de combate ao Aedes, os militares vão apenas tirar dúvidas e distribuir material impresso com orientações aos moradores. A ação, porém, também servirá como um levantamento inicial de pontos em risco e possíveis focos de contaminação, que serão visitados na fase seguinte da missão, programada para a próxima semana.

"Não é por acaso que estamos parando tudo para combater esse mosquito: esse também é nosso dever. Praticamente, cada homem disponível estará mobilizado – diz o coronel André Álvares, que coordena a mobilização contra o zika no Comando Militar do Sul.

Entre segunda e sexta, 50 mil militares vão prestar apoio a agentes de saúde em todo o Brasil contra o mosquito, inspecionando focos de proliferação e fazendo aplicação de larvicida em criadouros, nas cidades que adotam esse método. Ontem, militares de diversas organizações militares do Estado participaram de uma palestra promovida pela Vigilância em Saúde de Porto Alegre, que ainda não divulgou quais serão os bairros visitados. 

– Não basta eliminar focos do mosquito em um dia e achar que está resolvido. Temos que orientar as pessoas a criarem o hábito de eliminar os criadouros. É trabalho de cada um – afirmou a veterinária Luísa Lemos, responsável pela palestra.

Depois do sábado de mobilização, a campanha segue com as ações de combate ao mosquito com participação das Forças Armadas em todo o Brasil. Conforme o Ministério , os municípios escolhidos foram aqueles com maior incidência das doenças transmitidas pelo mosquito e os que contam com organizações militares instaladas.

Os municípios do Rio Grande do Sul que receberão militares são os que contam com Ordens Militares: Alegrete, Bagé, Bento Gonçalves, Cachoeira do Sul, Canguçu, Canoas, Caxias do Sul, Cruz Alta, Dom Pedrito, General Câmara, Ijuí, Itaqui, Jaguarão, Nova Santa Rita, Pelotas, Porto Alegre, Quaraí, Rio Grande, Rosário do Sul, Santa Cruz do Sul, Santa Maria, Santa Rosa, Santana do Livramento, Santiago, Santo Ângelo, São Borja, São Gabriel, São Leopoldo, São Luiz Gonzaga, Sapucaia do Sul, Tramandaí e Uruguaiana.

 

PORTAL UOL


Sem regulamentação, drones "sambam" na passarela da Sapucaí


Ana Paula Lobo

A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) ainda não definiu as diretrizes oficiais para o uso dos drones no Brasil - a agência está em processo de análise das mais de 260 contribuições enviadas à consulta pública realizada no ano passado - mas resolveu fiscalizar o uso dos equipamentos no Carnaval da Marquês de Sapucai, no Rio de Janeiro.

A Beija Flor - que usou os drones como meio de ferramenta para ajudar a harmonia da escola no desfile - está respondendo a dois processos administrativos para apurar o uso de drone, também chamado VANT (veículo aéreo não tripulado), durante o desfile da escola de samba Beija-Flor, de Nilópolis, e o lançamento de paraquedistas durante o desfile do Portela, de Madureira, na Marquês de Sapucaí, no Rio.

De acordo com a ANAC, o uso do drone pela Beija Flor não foi solicitado à Anac, e, por isso, foi aberto o procedimento administrativo contra a escola. A agremiação e o operador responsável pelos equipamentos foram notificados e poderão ser autuados. A Anac informou que a operação desses equipamentos sem o Certificado de Autorização de Voo Experimental (Cave), e em áreas densamente povoadas é proibida pela agência, conforme a legislação vigente.

"Essa autorização só é concedida se houver solicitação do operador à Anac, que avaliará os riscos aos integrantes da escola e do público participante do desfile, com o objetivo de manter a segurança da operação. A utilização de aeronaves sem autorização está sujeita às penalidades previstas em lei e o infrator estará ainda sujeito a ações de responsabilidade civil e penal", esclarece a nota da Anac.

Outro processo administrativo foi aberto para apurar o lançamento dos paraqueditas durante o desfile da Portela, na última segunda-feira, 09/02. "Para o lançamento de paraquedistas, o piloto em comando deve ter as habilitações requeridas e verificar a capacidade da aeronave utilizada, além de atender aos requisitos específicos para o salto em período noturno, entre outros fatores", diz a agência.

A escola, sustenta ainda a ANAC, também deveria informar ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), do Comando da Aeronáutica, sobre a ocorrência do procedimento para que seja expedido um comunicado chamado Notam. Além disso, a atividade de lançamento de paraquedistas é exclusiva de empresas de táxi-aéreo ou operadores privados formalmente vinculados a clubes ou entidades aerodesportivas. O desfile da Portela também contou com a utilização de um drone, mas a escola pediu autorização à ANAC, que foi concedida.

No ano passado, a ANAC realizou um consulta pública para estabelecer as regras do uso dos drones no país. Durante 60 dias, a agência recebeu cerca de 260 contribuições que, no momento, estão sendo avaliadas pela equipe da Anac. Outros órgãos, porém, podem aprovar suas próprias regras, o que poderá confundir — e muito — os pilotos de drones.

Caso o texto original da regulamentação da Anac seja aprovado, o piloto de qualquer tipo de drone deverá ter mais de 18 anos e fazer um seguro com cobertura de danos a terceiros. Segundo as regras sugeridas pela Anac, o piloto do drone precisará de uma habilitação caso queira levar o drone a uma altitude superior a 120 metros. A partir deste nível, segundo o órgão, existe risco maior de colisão com outras aeronaves. Até o momento, não há um tipo de habilitação específica para drones no Brasil, embora seja fácil encontrar aeronaves do tipo que possam chegar a 500 metros de altura.

Outra possível medida é a proibição do uso de drones a menos de 30 metros de pessoas que não estejam cientes do voo no local. A lei também deve proibir a pilotagem sobre áreas de segurança, presídios, aeroportos e aglomerações. Quem descumprir as determinações da Anac, se aprovadas, estará sujeito a multa que varia de R$ 800 a R$ 30 mil. A utilização de drones para atividades ilícitas ou que levem à invasão de privacidade está sujeita a outras penalidades previstas nos códigos Civil e Penal.

 

PORTAL BRASIL


FAB unifica monitoramento de equipamentos de auxílio à navegação

Estrutura busca aumentar disponibilidade da infraestrutura do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro

O Brasil passou a contar, desde o início deste ano, com um novo sistema que faz o monitoramento contínuo de todos os equipamentos de radar, auxílios à navegação, meteorologia, telecomunicações e tecnologia da informação operacional relativas ao espaço aéreo brasileiro. Trata-se do Núcleo do Centro de Gerenciamento Técnico (NuCGTEC) , instalado no Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAME-RJ).Sistema funciona no Parque de Material de Eletrônica da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAME-RJ)

A nova unidade é responsável pelas atividades relacionadas ao suprimento e à manutenção de equipamentos de controle do espaço aéreo, de detecção de defesa aérea e controle de tráfego aéreo, além de equipamentos de telecomunicações do Comando da Aeronáutica.

De acordo com um dos responsáveis pela implantação do centro, coronel engenheiro Dalmo José Braga Paim, o local disponibiliza informações mais precisas e em tempo real a diversas unidades. “O núcleo poderá realizar intervenções remotas nos equipamentos e sistemas, além de fornecer indicadores para apoio ao planejamento, analisar riscos para supressão de vulnerabilidades, gerenciar as manutenções preventivas e controlar as corretivas”, explicou .

As instalações do NuCGTEC proporcionam a integração de equipamentos e sistemas ao Sistema de Gerenciamento Técnico do Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro (SISCEAB). Os profissionais conseguem visualizar todos os radares e demais equipamentos que compõem a infraestrutura de controle do espaço aéreo. Além disso, possui um auditório e uma sala técnica equipada com uma infraestrutura de redes de última geração.

 

PORTAL IG -ÚLTIMO SEGUNDO


Vacina contra zika pode ser desenvolvida em até um ano, diz ministro

No próximo sábado (13), mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti vai levar cerca de 220 mil militares às ruas

O ministro da Saúde, Marcelo Castro, disse nesta quinta-feira (11) que uma parceria firmada entre o Instituto Evandro Chagas, no Pará, e a Universidade do Texas, nos Estados Unidos, possibilitará que a vacina contra o vírus zika seja desenvolvida em até 12 meses.

Após essa etapa, a vacina ainda precisa passar por testes clínicos para, em seguida, começar a ser produzida e disponibilizada para população. Essa fase deve durar mais dois anos, totalizando três anos para que todo o processo seja concluído. Em entrevista coletiva, o ministro destacou que a experiência de ambas as instituições no ramo das chamadas arboviroses (doenças causadas por vírus semelhantes ao zika, como dengue, chikungunya e febre amarela) pode ajudar a reduzir o prazo para a formulação da vacina, já que o cronograma oficial de trabalho prevê o desenvolvimento das doses em dois anos.

O investimento brasileiro na parceria com os Estados Unidos, segundo ele, é de US$ 1,9 milhão para os próximos cinco anos. “Há um grande otimismo de que poderemos desenvolver essa vacina em um tempo menor do que o que estava previsto. Aproximadamente, dentro de um ano, poderemos ter a vacina desenvolvida, podendo ser menos. Depois, vêm os testes e ensaios clínicos e a produção da vacina para poder ser comercializada e aplicada”, ressaltou Castro.

Mobilização nacional

No próximo sábado (13), uma mobilização nacional de combate ao Aedes aegypti vai levar cerca de 220 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica às ruas. Os militares irão distribuir material impresso com orientações para a população sobre como manter a casa livre dos criadouros do mosquito. O Aedes aegypti é vetor da dengue, da febre chinkungunya e do vírus zika, que pode causar microcefalia em bebês. A meta é visitar 3 milhões de residências. A mobilização vai abranger 356 municípios, incluindo todas as cidades consideradas endêmicas, de acordo com indicação do Ministério da Saúde, e as capitais do País.

 

REVISTA EXAME


"Investidores estão de olho no Brasil", diz consultoria


São Paulo - Para António Bernardo, presidente da consultoria Roland Berger para o Brasil, a crise que o país atravessa não tirou o apetite dos investidores estrangeiros. O que falta, segundo ele, é que o governo estruture uma estratégia de longo prazo para atrair esses investidores, já que há uma predisposição em buscar retornos melhores para o capital. O executivo também acredita que as empresas brasileiras terão de repensar suas estratégias, e que pode haver uma onda de consolidações no país. A seguir, os principais trechos da entrevista.

Publicidade

Em relação à perspectiva para 2016, sob o ponto de vista de crescimento, ele avaliou que o cenário vai continuar a ser negativo. "Estamos em linha com as médias da previsões que indicam uma queda entre 2,5% e 3% para o PIB. Mas eu vou um pouco contra a corrente. Acredito que tudo vai depender das medidas que forem tomadas pelo governo", afirmou.

"Quando falo com investidores internacionais, que têm uma visão mais de médio prazo, vejo que eles pensam como eu. O país precisa de uma estratégia de longo prazo, para os próximos dez anos, por exemplo. Isso é importante até para que os próprios participantes dos mercado, as empresas de engenharia e os investidores possam se organizar. "De acordo com Bernardo, para que essa estratégia de governo de longo prazo ocorresse, seria importante que fossem encontrados alguns consensos.

"Não seria preciso ir nos detalhes, mas chegar à definição grandes consensos, temas transversais, para os diversos partidos políticos. Quem fez isso muito bem e deveria ser uma referência foi a Alemanha", lembrou.

"Quando o país esteve próximo de uma crise, os dois partidos adversários se uniram, o PSD e o CDU (o Partido Social Democrata e a União Democrata Cristã, da primeira ministra Angela Merkel, são opositores, mas já fizeram coalizões para garantir a governabilidade do país). O que prevaleceu entre eles? A percepção de que eles até têm divergências, mas que nenhuma divergência pode ficar acima da política e da economia da Alemanha."

Sobre exemplos de temas transversais, Bernardo citou que a conta pública é uma discussão para todos. "A necessidade de liberalizar a economia também. O fluxo comercial, a participação do Brasil nas exportações globais, é muito pequeno. O fluxo comercial do Brasil equivale a 15% do PIB. No México é 60%. Na Alemanha, 70%", disse. Para Bernardo, o país só conseguirá ser mais eficiente na economia e na indústria com a abertura comercial.

"Hoje, as tarifas de importação do Brasil estão entre as mais pesadas do mundo. Isso nos leva a crer que muito setores não são eficientes porque não estão abertos à concorrência internacional. O Brasil pode ter um posicionamento importante em muitas das cadeias globais. Mas, para ter esse posicionamento, precisa ser mais competitivo."

Questionado sobre um cenário aparente de falta de apetite do setor privado, num momento no qual o setor público, tem restrições para investir, por causa do ajuste fiscal, Bernardo respondeu não acredita nesta falta de apetite. "Eu converso com muitos investidores. Eles têm apetite. Mas necessitam de um sistema regulatório adequado, necessitam de financiamento privado - que eu acho possível neste momento, se for bem estruturado -, necessitam que não ocorram derrapagens nos prazos, por questões ambientais ou outros problemas que atrasam obras", afirmou.

"Não dá para um projeto atrasar dois, três anos, e os budgets (orçamentos) crescerem 100%, 150%. Mas há muitos investidores estrangeiros interessados, por exemplo, na área de infraestrutura: aeroporto, portos, ferrovias. Só que temos de criar aqui uma base competitiva - nada de favores, mas bases competitivas."

Sobre a visão de especialistas em infraestrutura, que dizem que já não é certo que o Brasil possa atrair capital privado com tanta facilidade este ano, o que poderia até comprometer o programa de concessões, Bernardo disse que há "muita liquidez na economia mundial e os yields (taxa de retorno, rendimentos) dos países desenvolvidos são baixos".

"O do governo alemão, para dez anos, dá 0,4%! Os dos títulos dos tesouro americano, para dez anos, são 2,1%. Há uma predisposição dos investidores para assumir mais risco, se puderem ter retornos melhores - desde que as condições sejam mais bem organizadas. O Estado precisa atuar mais como um regulador, um grande orientador, e não precisa estar onde o setor privado está."

Perguntado se a crise política que o governo enfrenta, com uma ameaça de impeachment pairando, afeta o ânimo do investidor, Bernardo avaliou que tudo que gera instabilidade deixa os investidores mais nervosos.

"E, dentro disso, diria que há dois tipos de investidores. Quem tem foco no curto prazo, o investidor financeiro, digamos, foi o primeiro a reduzir posições no Brasil, até como uma reação natural à perda de grau de investimento", comentou.

"Mas há os investidores estruturais, que investem em indústrias, em serviços, e que miram no médio e longo prazos. É nesses que o Brasil precisa focar. E o Brasil precisa também atrair o investidor inglês, francês, que reduziram participação aqui. O governo precisa ir até eles, fazer o que chamo de pesca a linha, para atraí-los." Sobre eventuais medidas que o governo poderia tomar para atrair esses investidores, ele disse que as concessões são uma oportunidade.

"Em aeroportos, o governo reviu o papel da Infraero. Agora não tem Infraero. Foi um passo importante. Vai fazer diferença no leilão. Na área de energia e de rodovias ainda é preciso rever a discussão para que os retornos sejam mais compatíveis com os riscos. Isso ainda não foi revisto", destacou.

"Precisaria também criar uma equipe de atração de investimentos e agir pontualmente - não de forma genérica - para atrair investidores estrangeiros para cada um dos projetos. O governo tem uma chance nessa área porque há muita liquidez global."

Em relação à saída de Joaquim Levy e a sua substituição por Nelson Barbosa no Ministério da Fazenda, Bernardo afirmou que essa discussão não é muito relevante para o investidor internacional. "É mais para consumo interno. O que fará diferença são as medidas tomadas pelo novo ministro e a maneira como vai comunicar essas medidas."

Questionado sobre que outros setores, além do de infraestrutura, seriam atraentes no Brasil, ele citou a indústria. "Hoje, há um conjunto de ativos industriais com alto potencial, mas que precisam ser reestruturados. Mas, de maneira geral, aqui para nós, na Roland Berger, é claro que está se iniciando um grande processo de reestruturação de ativos de empresas privadas", salientou.

"Em geral, são empresas com bons produtos, uma boa carteira de negócios, mas que estão com problemas de caixa, problemas financeiros sérios, quer seja porque estão muito endividadas, tiveram atrasos na conclusão de seus projetos ou porque estão sentindo a queda na demanda. Não estou falando das empresas óbvias, que estão na Lava Jato. São outras. E há muitos investidores olhando essas empresas e pensando no potencial de reestruturação. Podem fazer reestruturação financeira, estratégica ou operacional. A reestruturação estratégica passa por consolidação. Um exemplo: no setor automotivo, o potencial é enorme. "Para Bernardo, na cadeia toda há oportunidades de consolidação e reestruturação.

"Haverá também a necessidade de reestruturar empresas de bens de consumo, inclusive de produtos alimentícios. Muitas fizeram grandes investimento, mas a demanda caiu. Acreditamos também que haverá uma reestruturação nas empresas de varejo - e varejo de vários tipos. Há muito investidores olhando esses setores", comentou, acrescentando que, em função da crise, haverá um momento de pressão: as empresas terão de repensar suas estratégias.

 

OUTRAS MÍDIAS


Ministro da Defesa volta a MS amanhã, agora para mostrar Sisfron aos árabes

Aldo Rebelo acompanha embaixadores em demonstração operacional do Sisfron, que está atrasado por falta de verba

Helio De Freitas Dourados

O ministro da Defesa, Aldo Rebelo, volta a Mato Grosso do Sul nesta sexta-feira (12). De acordo com o serviço de comunicação do Exército, ele estará em Dourados, a 233 km de Campo Grande, acompanhado embaixadores árabes que vêm assistir a uma demonstração operacional do Sisfron (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras).

Com o projeto-piloto sendo implantado desde 2014 na fronteira com o Paraguai, mais especificamente na extensão de Mundo Novo a Bela Vista, o Sisfron sofre com o contingenciamento de recursos do governo federal.

Em maio do ano passado, o general Ruy Yutaka Matsuda, comandante da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada de Dourados – responsável pela implantação do projeto-piloto – disse que até então menos a metade dos recursos previstos para o Sisfron tinha sido liberada.

No dia 7 de dezembro, quando esteve em Dourados para acompanhar a implantação de programas sociais ligados ao Sisfron, executados em parceria com universidades e com o Sistema S e outras empresas, Rebelo garantiu que o contingenciamento não vai comprometer o projeto, considerado o maior do mundo para proteção de fronteiras.

“A contenção de despesas pode atingir novos projetos, mas não vai prejudicar nenhuma ação essencial estratégica já em curso, como é o caso dos submarinos, dos caças da Força Aérea ou da defesa cibernética e do Sisfron, de reponsabilidade do Exército”, afirmou o ministro, em dezembro.

Coletiva – Conforme o Exército, nesta sexta-feira o ministro da Defesa vai conceder uma entrevista coletiva a partir de 11h na 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada.

 

JORNAL CORREIO DE NOTÍCIAS - RS


Militares da FAB vão às ruas no próximo sábado na guerra contra o mosquito Aedes Aegypti 

Canoas - O efetivo militar da Aeronáutica da Guarnição de Canoas vai às ruas no próximo sábado, dia 13 de fevereiro, como parte de uma ação de âmbito nacional das Forças Armadas contra o mosquito Aedes Aegypti.

A primeira fase da campanha de mobilização dos militares, foi realizada de 26 à 29 de janeiro, em todos os quartéis do Comando da Aeronáutica. Agora, em sua segunda fase, os militares vão às ruas visando atingir o público externo.

A ação que será realizada pelo Quinto Comando Aéreo Regional (V COMAR) e pela Base Aérea de Canoas (BACO), no próximo dia 13, pretende abranger o município de Canoas, compreendendo uma área de aproximadamente 130.000 km2 e 320 mil habitantes. Como numa estratégia de guerra, a cidade será mapeada por setores e 1000 militares, juntamente a 400 agentes de saúde, de endemias e de mobilização da Prefeitura de Canoas, esclarecerão os moradores na eliminação de possíveis focos de proliferação do mosquito Aedes Aegypti.

SERVIÇO:

O QUE: Militares da FAB vão às ruas no próximo sábado na guerra contra o mosquito Aedes Aegypti

QUANDO: 13 de fevereiro, 8 horas.

LOCAL DE PARTIDA: QG do V COMAR (Av. Guilherme Schell, 3950. Bairro Mato Grande, Canoas/RS) e BACO (Rua Augusto Servero, 1700. Bairro Nossa Senhora das Graças, Canoas/RS).

 

ABC DO ABC (SP)


Grand Plaza recebe Exposição "História da Aviação"

Grand Plaza Shopping oferece, de 5 a 28 de fevereiro, exposição gratuita que valoriza o fascinante mundo da aviação

Réplicas de aeronaves, equipamentos de piloto de caça, capacetes da Segunda Guerra Mundial, instrumentos de voo e muitas outras atrações fazem parte do evento "História da Aviação", de 5 a 28 de fevereiro. Entrada é grátis.

Assunto que inspira a curiosidade, o orgulho e a paixão de muitos brasileiros, a aviação é o tema da mais nova exposição que o Grand Plaza Shopping realiza em Santo André. Intitulada "História da Aviação", a mostra se apresenta pela segunda vez no Brasil e de forma inédita no estado de São Paulo e permitirá ao público conhecer e entender parte da trajetória de uma das atividades mais admiradas na área do transporte. O evento é gratuito.

Aberta até 28 de fevereiro na Praça de Eventos próxima às lojas Renner e Fast Shop, a exposição tem diversos atrativos, desde artigos originais a réplicas em tamanho natural. O acervo, totalmente novo, reúne quase 30 itens exclusivos e sob a curadoria do artista plástico e designer Paulo Soláriz.

Quem visitar o espaço, poderá ver raridades. Uma delas é um capacete original usado por pilotos das Forças Aliadas durante a Segunda Guerra Mundial. Há também manequim vestido com uniforme de piloto de caça. No que se refere a aeronaves, uma das estrelas da mostra é a réplica em escala reduzida do 14 Bis, invenção de Santos Dumont, e considerado por muitos o primeiro avião do mundo a realizar um voo bem-sucedido. Mas quem gosta de acompanhar a evolução tecnológica, nada melhor do que ficar por dentro da história do caça francês Mirage, ícone da indústria aeronáutica militar. Produzido entre 1978 e 2007 e com velocidade máxima de 2,5 mil km/h, esta aeronave foi uma das sensações na Primeira Guerra do Golfo. Na mostra, o modelo é apresentado em escala reduzida, perfilada e com layout colorfull.

Dedicada também à história da aviação civil, a exposição exibe réplicas de jatos usados na aviação comercial, incluindo um modelo da brasileira Embraer, e de tradicionais fabricantes, como Boeing e Airbus. Vitrines expositoras mostram também helicópteros e outras máquinas voadoras. Para a criançada, uma atração à parte: um painel inspirado numa cabine de avião, de onde é possível tirar fotos e postar nas redes sociais. Além do rico acervo, o público poderá conferir vídeos e outras vitrines que homenageiam Santos Dumont e os irmãos Wright, precursores da aviação, e Ada Rogato, a primeira mulher no Brasil a obter licença para a prática do paraquedismo e pilotagem de avião planador.

Segundo a gerente de marketing do Grand Plaza Shopping, Márcia Pacheco, o objetivo da exposição é agregar conhecimento e valorizar ainda mais um assunto reconhecidamente apreciado pelo brasileiro. "Assim como a História do Automobilismo, que realizamos em 2015, acreditamos no grande sucesso desta exposição devido à qualidade do acervo e à relevância do tema", diz Márcia. A exposição funcionará de segunda a domingo, das 10 às 22 horas. O Grand Plaza Shopping está na Avenida Industrial, nº 600, bairro Jardim, Santo André (SP).

 

RADIO ONLINE (PR)


Foz registra média de 13 casos de dengue por dia

A divisão de Epidemiologia da Secretaria Municipal da Saúde (SMSA) divulgou hoje o último boletim da dengue no município. Os dados mostram que esse ano foram notificados 2.551 casos, sendo que 714 foram confirmados. Desse total, 585 são pacientes que moram na cidade, média de 13 casos positivos por dia. Os outros registros são autóctones (contraídos em outras localidades). Dezenove são pacientes de outras cidades brasileiras e 110 de outros países, a maior parte do Paraguai.

No esforço de reduzir os índices da epidemia, o município vem adotando uma série de ações de combate ao Aedes aegypti. Além do LIRAa (Levantamento Rápido do Índice de Infestação) realizado em janeiro, e da campanha estadual Hora H desenvolvida na semana passada, o Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) está a frente da campanha nacional que acontece nesse sábado, 13, e vai envolver 220 mil militares em todo o Brasil – 3,7 mil no Paraná. “Em Foz, também vamos contar com o apoio das Forças Armadas na verificação de residências, distribuição de material informativo e orientações”, explicou o coordenador de Educação em Saúde do CCZ, Thiago Cavalcanti.

A Marinha fará mobilização no entorno da sede, na região central. A meta é visitar residências e condomínios, levando orientações e estimulando a limpeza e eliminação de criadouros. Já o exército vai disponibilizar 50 soldados em oito pontos da cidade. “Haverá distribuição de folders em semáforos e trabalho de orientação dos motoristas com apoio de 20 agentes de endemias”, disse Cavalcanti. O trabalho será realizado das 8h às 11h.

As estratégias terão continuidade a partir da segunda-feira, 15, quando inicia o Mutirão Municipal de Combate ao Aedes aegypti. A ação será desenvolvida entre os dias 15 e 19 de fevereiro. Além dos 100 agentes de endemias, a verificação nas residências e empresas vai ter o apoio de mais de 200 militares do exército, marinha e aeronáutica. Doze veículos e seis caminhões serão disponibilizados pelas forças de segurança nacional para o transporte dos colaboradores.

O mutirão ainda vai contar com 20 veículos do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) e 12 veículos fumacê. “Com a aplicação do inseticida vamos combater a fêmea do Aedes, que transmite a doença, e as ações de limpeza vão eliminar ovos e larvas, impedindo o aparecimento de novos mosquitos”, disse o Secretário Municipal da Saúde, Gilber Ribeiro.

 

CORREIO DE CORUMBÁ


Forças Armadas e Prefeitura fazem mega ação de combate ao Aedes neste sábado

A Marinha, o Exército, a Aeronáutica e as prefeituras de Corumbá e Ladário promovem neste sábado, 13 de fevereiro, uma mega ação contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e do zica virús. O trabalho faz parte de uma ampla estratégia montada pelo Governo Federal e que conta com a participação dos Ministérios da Saúde, Defesa e Educação.

Só em Corumbá, 300 fuzileiros navais e 505 militares do Exército vão atuar juntamente com 60 servidores da Saúde para visitar todos os 37 mil imóveis da cidade. "É um trabalho de conscientização que está sendo desenvolvido em quatro fases, das quais duas já foram executadas", explicou o contra-almirante Petrônio Augusto Siqueira de Aguiar, comandante do 6º Distrito Naval, durante coletiva de imprensa concedida nesta quinta-feira, 11.

Na primeira fase, as Forças Armadas fizeram a eliminação de todos os possíveis focos do mosquito dentro de suas unidades militares. Na segunda, também já concluída, os militares e seus familiares foram conscientizados sobre os perigos e o combate ao mosquito. A terceira etapa é a que começa neste sábado, enquanto a última prevê um trabalho educacional juntamente com os alunos das redes Pública e Particular de ensino.

"É uma verdadeira operação de guerra contra o mosquito", complementou o prefeito de Corumbá, Paulo Duarte, que mais uma vez reforçou a importância do trabalho conjunto entre o Poder Público e a comunidade. "Combater o Aedes não pode ser só uma obrigação da Prefeitura. Todos precisam ter a consciência que esse trabalho deve ser conjunto, principalmente porque 80% dos focos encontrados na cidade estão dentro dos imóveis".

O prefeito lembrou ainda que, só no ano passado, os agentes do Município realizaram 175 mil visitas domiciliares. "Cada casa foi visitada pelo menos 5 vezes. Esse é um trabalho contínuo, mas que só funciona com o engajamento da população. Infelizmente, ainda temos casos onde o agente é agredido ou que ele acaba fazendo o trabalho dentro o imóvel sozinho, enquanto o proprietário fica assistindo toda a ação. Isso precisa acabar".

"Com toda certeza, esse trabalho em parceria com a Marinha, o Exército e a Aeronáutica, vai otimizar o processo de conscientização. Essas doenças matam e todos precisamos entender isso definitivamente", concluiu o prefeito. Em 2016, Corumbá já notificou 119 casos suspeitos de dengue, dois casos de chikungunya e três de zica, esses todos importados de outros locais.

A coordenadora do Centro de Controle de Vetores da Secretaria Municipal de Saúde, Greice Bastos, lembrou que todos os casos suspeitos das doenças são notificados pela Prefeitura. "Isso não significa que são casos confirmados", reforçou. Ainda de acordo com a especialista, a Prefeitura retira, por final de semana, cerca de 32 toneladas de lixo dos bairros atendidos pela ação iniciada no final de 2015. Em janeiro, 40 notificações foram aplicadas em proprietários de imóveis e terrenos. Dessas, duas foram convertidas em autos de infração. "Também estamos, com apoio de um chaveiro, entrando e eliminando os possíveis focos nos imóveis fechados", destacou Greice.

O prefeito de Ladário, José Antônio Assad e Faria, o tenente-coronel André de Campos Niller, comandante do 17º Batalhão de Fronteira, o major Ricardo de Andrade Serrazes, oficial do 17º BFron, o 1º tenente Jurandir, da Aeronática, e a secretária de Educação de Corumbá, Roseane Limoeiro, também participaram da entrevista coletiva, realizada no Comando do 6º Distrito Naval.

 

DIARIO DE NOTÍCIAS (PT)


Associação Nacional de Sargentos com dúvidas sobre reposição de rendimentos

O presidente da Associação Nacional de Sargentos (ANS), José Gonçalves, considerou hoje que a dotação orçamental para despesas com pessoal, na área da Defesa, é insuficiente face às expectativas criadas de reposição de rendimentos.

Em declarações à Agência Lusa, o presidente da ANS disse "ver com dificuldade" que o ministro da Defesa "tenha capacidade" para responder "aos anseios" dos militares quanto à reposição de rendimentos. "Estamos céticos relativamente a tudo isto", afirmou José Gonçalves, defendendo que, com a mudança de governo, seria altura para "repor os cortes que os militares vêm sofrendo desde 2005".

Segundo o militar, as verbas inscritas no OE2016 para despesas com pessoal não mostram qualquer possibilidade de "descongelamento das carreiras e das promoções". Quanto ao aumento do investimento previsto para as Forças Nacionais Destacadas, o presidente da ANS considerou que "é uma nota positiva". No entanto, esse aumento não dá resposta às necessidades estruturais das Forças Armadas, "quer em termos de pessoal quer em termos de recursos para cumprir a missão", considerou.

O orçamento da Defesa prevê uma despesa total consolidada em 2016 de 2.143,7 milhões de euros, o que representa um aumento de 7,4% face à execução provisória de 2015,indica o relatório da proposta de Orçamento do Estado.

As dotações específicas para as Forças Nacionais Destacadas (FND), de 50 para 56 milhões de euros (ME), e para a Lei de Programação Militar (LPM), de 191 ME para 230 ME, um aumento de 39 ME, representam os maiores aumentos no orçamento da Defesa. Na estrutura da despesa total consolidada, as despesas com pessoal continuam a representar uma grande fatia do orçamento da Defesa, 56% do total, 1,2 milhões de euros.

 

JORNAL FLORIPA


Equipe da FAB do AM vai fazer perícia em avião que caiu no interior do Acre

Empresário acredita que pane no motor deve ter ocasionado o acidente

Uma equipe do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) da Força Aérea Brasileira (FAB) de Manaus deve chegar no Acre, na noite desta sexta-feira (12), para realizar perícia no avião que caiu no interior do estado. O bimotor caiu na tarde de quarta-feira (10) no município de Manoel Urbano , distante 215 km de Rio Branco, enquanto tentava fazer o trajeto até Sana Rosa do Purus.

De acordo com a FAB, na manhã desta sexta, a equipe já deve iniciar o processo de investigação do acidente. As questões de documentação, informações da aeronave, habilitação do piloto devem ser vistas pela equipe no local. O empresário Mario Jorge Matos da Cunha, de 59 anos, que é dono da aeronave e pai do piloto Maycon dos Santos Cunha, de 28 anos, diz que o local onde o avião caiu está isolado e ainda não foi mexido. Ele fala ainda sobre o estado de saúde de seu filho.

"Os homens da aeronáutica devem chegar aqui e vou ajudá-los. Meu filho está consciente, mas ainda não conversei sobre o acidente e ele também não comentou nada. Por ter sido uma pancada muito forte na cabeça, estamos deixando ele descansar. Muitos boatos foram espalhados, dizendo que tinha mais pessoas no avião, mas reafirmo que só tinha uma mulher e uma criança de oito anos", diz.

Cunha diz que, além do piloto, estavam a bordo uma criança de oito anos e uma mulher, que não teve idade e nome revelados. O empresário disse que apenas a criança e o pitoloto foram encaminhados ao hospital de Rio Branco . Maycon Cunha ainda segue internado em observação e a criança foi liberada após alguns exames, garante Cunha. 

Um avião bimotor caiu por volta das 15 horas desta quarta-feira (10) no município de Manoel Urbano , distante 215 km de Rio Branco . O Site conversou com o empresário Mario Jorge Matos da Cunha, de 59 anos, que é dono da aeronave e pai do piloto Maycon dos Santos Cunha, de 28 anos, e ele informou que o filho sofreu ferimentos na cabeça, mas não corre risco de morte. Na tarde do acidente, Mario Jorge informou que estavam no avião apenas o filho e uma amiga da família, que não teve o nome divulgado. Porém, na manhã desta quinta-feira (11), o empresário voltou atrás e disse que também estava a bordo uma criança de oito anos.

Jorge informou ainda que a mulher teve uma queda de pressão e a criança teria sido atendida e liberada logo após realizar alguns exames no hospital de Rio Branco. O piloto e filho do empresário continua em observação, segundo informou Cunha. Bimotor caiu minutos após decolar no interior do Acre.

 

JORNAL DA FORÇA AÉREA BRASILEIRA


Centro de Comunicação Social da Aeronáutica tem novo chefe

Unidade é responsável pela produção de conteúdo e divulgação sobre a Força Aérea Brasileira

O Coronel Ary Soares Mesquita assumiu nesta quinta-feira (11/02) a Chefia do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER). A unidade, ligada ao Gabinete do Comandante da Aeronáutica, é responsável por atividades como o relacionamento com a imprensa, a produção de conteúdo sobre a Força Aérea Brasileira e o relacionamento com os públicos interno e externo, entre outras. Em dezembro do ano passado, o oficial foi indicado pelo Alto-Comando da Aeronáutica para promoção ao cargo de oficial-general.Imagem

O CECOMSAER também orienta o trabalho de cerca de 250 oficiais de comunicação que atuam como “elos” do Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica (SISCOMSAE) em todo o Brasil. Entre os veículos de comunicação da unidade estão o canal na internet da FAB TV, a Rádio Força Aérea FM, com emissoras em Brasília e Foz do Iguaçu - além da internet, portais internet e intraer, jornal Notaer e revista Aerovisão. A unidade também gerencia os canais oficiais de mídias socias da FAB como o Instagram, Twitter e Facebook.

"Nunca ficou tão fácil estar perto da Aeronáutica", destacou o Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, que presidiu a cerimônia de passagem de comando. O Comandante elencou os diversos produtos de comunicação desenvolvidos pelo CECOMSAER e destacou os novos recursos de acesso à informação, como os aplicativos para Android e iOS.

A solenidade realizada em Brasília (DF) contou com a presença de membros do Alto-Comando da Aeronáutica, da Marinha do Brasil, do Exército Brasileiro, de adidos militares, além de profissionais de imprensa.

O Coronel Ary substitui o Brigadeiro do Ar Pedro Luis Farcic, que assumirá a Primeira Força Aérea (I FAE), sediada em Natal (RN). A unidade coordena a especialização operacional dos pilotos da FAB nas aviações de caça, transporte e helicópteros. Em suas palavras de despedida, o Brigadeiro do Ar Pedro Luis Farcic falou sobre a missão da comunicação de colocar a FAB no cotidiano do cidadão brasileiro mostrando a atuação operacional. “A comunicação é fundamental. A área operacional precisa da comunicação para ter a relevância que ela merece”, afirmou. No balanço de gestão dos últimos dois anos, o oficial-general também ressaltou o profissionalismo da equipe do CECOMSAER, que qualificou como “eclética, vitoriosa e comprometida”, e a qualidade ascendente dos produtos de comunicação.Imagem

Para o Coronel Ary, a expectativa do novo cargo é grande. “Será um ano intenso, começando com a batalha contra o mosquito”, afirma sobre os eventos que a FAB estará envolvida neste ano, como os Jogos Olímpicos Rio 2016. Para o oficial, a comunicação hoje é peça essencial em qualquer instituição para mostrar o trabalho realizado. “É fundamental para atingirmos os objetivos de apresentar aos públicos externo e interno o valor do trabalho realizado pela FAB”, finaliza.

Currículo - O novo Chefe do CECOMSAER, Coronel Ary Soares Mesquita, é natural do Rio de Janeiro (RJ) e ingressou na Força Aérea em 31 de janeiro de 1984. Nesse período acumulou mais de 4,6 mil horas de voo em aviões de transporte. Possui especialização (MBA) em Gestão de Processos pela Universidade Federal Fluminense e em Gestão Internacional pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Entre os cargos mais recentes estão: Vice-Chefe do Gabinete do Comandante da Aeronáutica, Adido Aeronáutico junto à Embaixada do Brasil na África do Sul, Comandante da Base Aérea de Salvador; Subcomandante da Base Aérea de Brasília e Comandante do Esquadrão Guará (6º ETA).

 

GAZETA DE TAUBATÉ


Dengue: ação terá 1,1 mil militares

Mutirão de soldados do Exército, da Marinha e da Aeronáutica tem como objetivo orientar os moradores a evitar focos do Aedes aegypti

Com risco de uma nova epidemia, o Vale do Paraíba prepara uma “operação de guerra” para o Dia D no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor de doenças como a dengue, vírus zika e febre chikungunya. Serão pelo menos 1.130 militares do Exército e da Aeronáutica em São José dos Campos e Taubaté.

Também haverá ações em Caçapava, Guaratinguetá, Pindamonhangaba, Lorena e São Sebastião. O mutirão será realizado em 356 cidades do Brasil. O Dia D é uma iniciativa do governo federal. Os militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica estarão nas ruas para conscientizar a população sobre como evitar focos do mosquito e para vistoriar as residências.

TAUBATÉ/ Em Taubaté, o Dia D terá a presença de mil militares do Cavex (Comando de Aviação do Exército), que atuarão na distribuição de panfletos que alertarão moradores sobre riscos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Entre os próximos dias 15 e 19, os soldados também darão orientações à população que vive na área central da cidade, onde a ADL (Avaliação de Densidade Larvária) chegou a 8.8.

Acima de 1,5 já existe o risco de ocorrer epidemia, o que já aconteceu em Taubaté no ano passado. SÃO JOSÉ/ Em São José dos Campos, os treinamentos dos 100 soldados da Aeronáutica que ajudarão no Dia D devem começar hoje. O município já conta com o apoio de 30 soldados do 6° Batalhão de Infantaria Leve de Caçapava, que passaram por treinos teóricos e práticos junto aos agentes de endemia da prefeitura.

As ações conjuntas com o Exército devem prosseguir até o dia 17 de abril. Este prazo poderá ser prorrogado, dependendo da situação endêmica da cidade. AÇÃO PROLONGADA/ O secretário de Saúde, Paulo Roitberg, afirmou que está sendo estudada junto ao comando da Aeronáutica a possibilidade dos militares permanecerem nas ruas após o Dia D, prolongando a atuação da corporação.

O comandante do DCTA vai procurar o comandante da Aeronáutica para verificar se os soldados cedidos podem ficar nas ruas no mesmo período que o Exército”, afirmou Roitberg. Neste ano, só nas três primeiras semanas de janeiro foram 102 casos de dengue. Em 2015, foram 14.429 casos e 10 mortes, na maior epidemia da história da cidade.

 

JORNAL FLORIPA


Aeroportos registram 53 cancelamentos, informa Infraero

Balanço divulgado às 9h pela Infraero informa que, dos 570 voos registrados até as 9h, dez estavam atrasados – o número que corresponde a 1,8% do total de voos. Houve, ainda, 53 cancelamentos (9,3% do total).

O aeroporto que apresentou maior número de cancelamentos de voos foi Campinas (SP): oito, no total, o correspondente a 18,6% dos 43 voos previstos. Houve também dois atrasos – o mesmo número registrado nos aeroportos de Goiânia. Os aeroportos de Salvador (BA) e de Recife (PE) registram sete cancelamentos cada. O número corresponde a 11,9% dos 59 previstos no primeiro aeroporto, e 18,4% a dos 38 previstos no segundo. No aeroporto de Brasília, houve seis cancelamentos – ou 18,8% dos 32 voos registrados até o momento.

 

GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ


Fortaleza sediará curso de mestrado do ITA em aviação e aeronavegabilidade

A aula inaugural acontece neste sábado, no auditório Candido Pamplona da UFC, no campus do Pici.

Marcado para a manhã deste sábado (13.02), a aula inaugural do curso de Mestrado Profissional em “Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade Continuada, MP-Safety” do Instituto de Tecnologia da Aeronática – ITA. O curso é uma iniciativa do Governo do Estado do Ceará, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), em parceria com o ITA e com a Universidade Federal do Ceará (UFC). A aula será ministrada pelo coordenador do MP-Safety do ITA, professor Donizeti de Andrade, a partir das 11 horas, no auditóriio Cândido Pamplona, localizado no Campus do Pici, bloco 712.

É a primeira vez que o Estado do Ceará sedia um curso de mestrado profissional do ITA. O lançamento aconteceu em dezembro de 2015, em solenidade realizada no Palácio da Abolição, com a presença do governador Camilo Santana e dos reitores do ITA, professor Fernando Toshinori Sakane, e da UFC, professor Henry Campos, dos secretários Inácio Arruda, da Ciência, Tecnologia e Educação Superior, e Hugo Figueirêdo, do Planejamento e Gestão.

Inscreveram-se para participar da seleção profissionais com curso completo de ensino superior que atuam ou pretendam atuar no setor de aviação, almejando sistematizar e ampliar seus conhecimentos relacionados à Segurança de Aviação, à Aeronavegabilidade Continuada, Tecnologia da Informação e Energia Renováveis, em nível de Mestrado Profissional. Os exames de seleção foram realizados em três datas: 13 de dezembro de 2015, 9 de janeiro de 2016 e 24 de janeiro de 2016. Foram selecionados 50 profissionais.

O MP-Safety é dividido em três fases. A primeira, com oferta de disciplinas obrigatórias e optativas, será de 13 de fevereiro de 2016 a 27 de outubro de 2017. A segunda, referente ao estágio profissional em São José dos Campos, acontecerá entre os dias 6 e 10 de novembro de 2017. A terceira e última, incluindo desenvolvimento, Exame de Qualificação e Exame de Defesa da Dissertação de Mestrado, será finalizada até 31 de janeiro de 2019. O curso terá como local o Centro de Tecnologia, Bloco 710, no Campus da UFC no Pici.

Serviço:

Aula Inaugural: Curso de Mestral Profissional em Segurança de Aviação e Aeronavegabilidade Continuada, MP-Satety

Palestrante: Professor Donizete de Andrade, PH.D.

Data: 13 de fevereiro de 2016

Horário: 11horas

Local: Auditório Cândito Pamplona

Campus Universitário do Pici, bl.712, Fortaleza Ceará