PROJETO SOCIAL

Forças no Esporte realiza Primeira Olimpíada em Pernambuco

Publicado: 16/11/2011 16:55
Imprimir
Fonte: Ministério da Defesa

Iniciativa do CINDACTA III, a  Primeira Olimpíada do Programa Segundo Tempo/ Forças no Esporte do Estado de Pernambuco (1ª OLIMFEPE), realizada entre os dias 7 e 10 de novembro, contou com uma seleção de atletas mirins nas modalidades de atletismo, vôlei, futebol de campo e futebol de salão. O evento reuniu aproximadamente 400 crianças, entre 9 e 14 anos, atendidos por Organizações Militares da Marinha, Exército e Aeronáutica no Estado dentro do Programa. Destes, 100 participaram como atletas.

Com exceção do futebol de campo, as modalidades foram disputadas nas categorias masculino e feminino, na Escola de Aprendizes-Marinheiros de Pernambuco (EAMPE), no 7º Grupo de Artilharia de Campanha (7º GAC) e no Terceiro Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA III).

Voluntário para compor a equipe de arbitragem, Daniel Gonçalves, da Federação Pernambucana de Atletismo, levou os atletas Jonathas Felipe da Silva Brito e Thiago Benedito da Silva, da comunidade Beira do Rio, na periferia de Recife, para conversar com os meninos do Programa. Thiago e Jonathas contaram um pouco da trajetória deles em um projeto social semelhante ao Forças no Esporte.

“Muitos dos meus amigos, que brincavam comigo, hoje estão mortos por causa do crime. O esporte me livrou desse destino” disse Thiago, um dos 17 representantes brasileiros no Campeonato Pan-Americano Juvenil de Atletismo, disputado em julho deste ano, em Miramar, na Flórida (EUA).

O Comandante da Escola de Aprendizes-Marinheiros, Comandante Garcia de Castro, fez a entrega do troféu à equipe campeã geral do campeonato, composta por atletas do 7º GAC e o 14º BIMTZ, que representaram o Exército Brasileiro.

Sobre o Programa Forças no Esporte

O Programa Forças no Esporte é desenvolvido pelo Ministério da Defesa, com o apoio das Forças Armadas e em parceria com os Ministérios do Esporte e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, e atende a crianças e adolescentes de 7 a 17 anos, da rede pública escolar, prioritariamente, que estão em situação de vulnerabilidade social.