VISITA

Comitiva do DECEA visita Torre Remota da Ala 12, no Rio de Janeiro (RJ)

Oficiais-Generais conheceram a estrutura do local, além da funcionalidade e capacitação técnica operacional
Publicado: 16/06/2020 18:31
Imprimir
Fonte: Ala 12, por Sargento Gaudêncio
Edição: Agência Força Aérea, Tenente Letícia Faria - Revisão: Capitão Oliveira Lima

Uma comitiva do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) esteve, no dia 8 de junho, nas instalações do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo de Santa Cruz (DTCEA-SC) e do Primeiro Grupo de Comunicações e Controle (1º/1º GCC) – Esquadrão Profeta, localizadas no Rio de Janeiro (RJ). Os Oficiais-Generais conheceram a estrutura da Torre Remota, bem com a funcionalidade e a capacitação técnica operacional.

O Comandante da Ala 12 – Base Aérea de Santa Cruz (RJ), Coronel Aviador Marcelo da Costa Antunes, recebeu o Diretor-Geral do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Tenente-Brigadeiro do Ar Heraldo Luiz Rodrigues; o Vice-Diretor do DECEA, Major-Brigadeiro do Ar Walcyr Josué de Castilho Araujo; o Chefe do Subdepartamento de Operações do DECEA, Brigadeiro do Ar Ary Rodrigues Bertolino; e o então Comandante da Ala 11, Brigadeiro do Ar Fernando César da Costa e Silva Braga.

“A tecnologia disponível na Torre Remota de Santa Cruz permite um grande ganho de consciência situacional ao Controlador de Tráfego Aéreo, contribuindo para uma melhor prestação do serviço de controle do Aeródromo de Santa Cruz e imediações. Com isso, há também um favorecimento da segurança operacional e auxílio para o bom cumprimento da missão do destacamento”, disse o Comandante do DTCEA-SC, Capitão Aviador Rafael Santos Viana. 

Foi realizada, também, uma visita nas instalações do Esquadrão Profeta, com apresentação do Comandante do Esquadrão, Major Aviador Carlos Eduardo Azevedo Alvares, que falou sobre a missão e a operacionalidade da equipe.

Torre de Controle Remoto de Santa Cruz

Em 18 de outubro de 2019, a Torre de Controle Remoto – a primeira da América Latina – entrou em operação na Ala 12 com o objetivo de tornar mais rápido o controle aéreo, além de eficiente e mais econômico. A Torre Remota possibilita a visualização por meio de monitores que reproduzem imagens de câmeras posicionadas próximas à pista de pouso e decolagem, proporcionando ao controlador uma visão mais ampla da mesma. Das 16 câmeras fixas, duas contam com a tecnologia Pan Tilt Zoom (PTZ), que possibilita um aumento das imagens em até 24 vezes, dando, com isso, mais nitidez a objetos localizados a quilômetro de distância. Esse projeto pioneiro colocado em prática na Ala 12 converge com a história da própria unidade, onde encontra-se o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1° GAVC) e o Hangar do Zeppelin, ambos marcantes na história do Brasil.

Fotos: Sargento Neubar / Ala 12