COVID-19

HFAB realiza medidas para o enfrentamento à COVID-19

Hospital de Força Aérea de Brasília cria mais leitos, oferece suporte em hospital de campanha e institui vacinação intinerante contra a gripe, entre outras ações
Publicado: 13/05/2020 18:58
Imprimir
Fonte: HFAB
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Flávia Rocha - Revisão: Capitão Oliveira Lima

Na luta contra a pandemia do novo Coronavírus, o Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB) tem reunido uma série de ações e esforços para garantir o melhor atendimento aos seus usuários. Os procedimentos foram adotados após reunião com o Ministério da Defesa e representares das diversas Forças Militares e Órgãos Civis, que definiu que o Hospital de Forças Armadas (HFA), por suas características de hospital vertical, será a Unidade de Saúde de referência no enfrentamento à COVID-19 durante o período de crise.

Entre as principais medidas do HFAB está a criação de um serviço de triagem para o devido encaminhamento de pacientes que apresentassem sintomas respiratórios; a garantia da manutenção do tratamento aos pacientes com doenças crônicas, sem sintomas de COVID-19; a realização do pronto atendimento (emergências/urgências, internação e suporte avançado de vida) aos pacientes sem sintomas de Coronavírus; apoio, de pessoal de saúde, ao HFA no atendimento aos pacientes com COVID-19.

Além dessas frentes, o HFAB tem enviado profissionais para reforçar as equipes que estão atuando na Operação Acolhida, em Pacaraima e Boa Vista, em Roraima, e no Hospital de Campanha montado em Manaus, no Amazonas.

O Hospital de Força Aérea de Brasília instituiu, ainda, a Vacinação Itinerante Contra a Gripe, nas Organizações da Guarnição de Aeronáutica da capital federal. A vacinação é essencial para blindar o organismo contra agentes infecciosos. Em tempos de crise pandêmica, essa campanha não só diminui a incidência de casos de Influenza, como também facilita o diagnóstico mais preciso do Coronavírus.

Segundo o Diretor do HFAB, Coronel Médico Laerte Lobato de Moraes, o Hospital tem alcançado a meta traçada, em tempo hábil. “Para isso, conta com o trabalho diuturno das equipes técnica, administrativa e de apoio, bem como com o respaldo dos escalões superiores e Organizações Militares apoiadoras”, comentou.

Triagem

O serviço de triagem dos pacientes, com suspeita de COVID-19, tem funcionado em regime de 24 horas por dia. O paciente com sintomas respiratórios ou contato prévio com COVID-19, ao passar no Portão da Guarda do HFAB, é direcionado ao prédio da Unidade de Gerontologia e Geriatria – UGG, que foi mobilizado para esta triagem. Os casos de média e/ou alta gravidade, considerados suspeitos, são encaminhados ao HFA.

Atendimento por telefone 

Enquanto isso, os casos de baixa gravidade são acompanhados por meio do Call Center – (61) 99571-1853 –, onde são fornecidas informações e orientações aos usuários que precisem de isolamento domiciliar.

Mais leitos

Visando proporcionar um maior número de leitos e melhores condições de atendimento em caso de lotação das vagas ora existentes, iniciou-se um processo de reparação da Unidade de Internação B (UI-B) que se encontrava inativa há aproximadamente dez anos. Ao mesmo tempo, leitos de suporte avançado de vida foram montados na UI-A, aumentando a capacidade de internação para 34 pacientes, com disponibilidade para internar até 16 pacientes com necessidade de suporte ventilatório e monitorização a serem colocados em atividade, contando com o apoio de mais profissionais de saúde para tal fim.

Em 21 de março, a equipe médica e de enfermagem do HFAB iniciou sua participação direta no combate ao Coronavírus, quando foi internado o primeiro paciente com suspeita de infecção na enfermaria da COVID-19, instalada no 11º andar do HFA. Em 28 de março, mais uma frente foi aberta, com a internação do primeiro paciente para tratamento na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de COVID do HFA, também suprida com profissionais do HFAB. Dias depois, foram abertos seis leitos de suporte avançado de vida na Unidade de Internação A (UI-A) do HFAB e foram recebidos os pacientes não COVID que estavam internados no Hospital de Forças Armadas.

Fotos: Suboficial Jefferson / HFAB