CECOMSAER

O Jubileu de Ouro da Comunicação Social da FAB

Há 50 anos, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica repercute para o Brasil e para o mundo as principais ações da Força Aérea Brasileira
Publicado: 30/04/2020 13:01
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Tenente-Coronel Santana

Há cinco décadas a Força Aérea Brasileira (FAB) conta sua trajetória de conquistas e desafios nas linhas dos impressos, pelas ondas hertzianas, em imagens e cliques que deixam marcas na memória dos usuários das redes, nas pautas dos noticiários do Brasil e do mundo. Toda atividade de Comunicação Institucional da Aeronáutica tem sido construída de forma abnegada e com fé na missão.

Cultuando a Verdade, a Oportunidade e a Transparência, o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER) atua em diversos campos, regulando, estimulando e orientando ações que favoreçam o fortalecimento e projeção da imagem da FAB. São 50 anos em que homens e mulheres trabalham diuturnamente com disciplina, patriotismo, integridade, comprometimento e profissionalismo. Assim, cada página da história da FAB é escrita com técnica e criatividade, sempre de maneira proativa e eficaz, por meio de um sistema altamente moderno, integrado e com atuação nacional.

A Força Aérea está presente nos locais mais remotos, de difícil acesso, nos resgates, nas calamidades, levando socorro, alimentos e insumos a quem necessita. Conduz esperança e segurança aos locais em conflito, atravessa oceanos para repatriar cidadãos, transporta oportunidade de vida aos que aguardam transplante de órgãos, protege as fronteiras e o céu do Brasil, leva dignidade aos brasileiros em prol da cidadania. Por trás de cada missão, os profissionais de comunicação da Aeronáutica estão presentes para transmitir, em detalhes, os fatos à sociedade. Por isso, neste cinquentenário, o CECOMSAER tem muita história para contar. E o foco desta narrativa não poderia ser outra: uma viagem ao universo da FAB.

Mais próximo da sociedade

A Força Aérea Brasileira se preparava para comemorar três décadas de sua criação. Para acompanhar a evolução do Poder Aeroespacial e atender ao iminente desejo de aumentar o diálogo com a sociedade da época, a Comunicação Social era a peça que faltava. Tudo começou em 30 de abril de 1970, com a criação do Centro de Relações Públicas do Ministério da Aeronáutica (CRPA), no então Estado da Guanabara, atual município do Rio de Janeiro (RJ).

O ambiente que, atualmente, ocupa o sétimo andar do prédio do Comando da Aeronáutica, em Brasília (DF), une Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade, Assessoria de Imprensa e Mídias Sociais, numa Comunicação Integrada com centenas de elos pelo país afora. Tamanho poderio era inimaginável naquele momento inicial da Comunicação. No entanto, o anseio por dar maior visibilidade ao trabalho da Força já nasceu forte.

Nesse cenário, em 27 de dezembro de 1972, foi criado o Sistema de Comunicação Social da Aeronáutica (SISCOMSAE), que reúne militares e civis de todas as unidades da Força. Desde o princípio, o CECOMSAER e os elos do Sistema levam em consideração, além dos valores intrínsecos à vida militar, outros imprescindíveis para a boa prática da Comunicação Social.

No Brasil, as publicações impressas estavam a todo vapor. E a FAB necessitava de uma ferramenta para ampliar a divulgação do seu trabalho. Assim, foi idealizada a revista Aerovisão, tendo sua edição nº 1 publicada em março de 1973. A pioneira destacava o “PARASAR” (Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento), que representou a FAB no auxílio do Brasil às vítimas da catástrofe de Manágua, o terremoto que destruiu parte da capital da Nicarágua em dezembro de 1972, deixando cerca de 40 mil vítimas, entre mortos e feridos. Na capa, noticiava-se também a revitalização das aeronaves Albatroz (SA-16A) – capazes de pousar em terra, no mar, na lama, e até no gelo.

“O projeto surgiu como um periódico mensal, com fatos de alcance nacional. A implantação da revista, inicialmente, no formato 21x28 cm, com quatro páginas, mesclava policromia nas páginas 1 e 4, e preto e branco nas internas, 2 e 3”. (Coronel Aviador Ubirajara Carvalho da Cruz, um dos idealizadores e editor da Aerovisão no período de 1973 a 1975).

“As informações são transmitidas aos integrantes da Força, trazendo a veracidade dos fatos de interesse e a tempo de que sejam tomadas as medidas cabíveis”. (Major-Brigadeiro do Ar José Brandão Lisboa Filho, Chefe do CECOMSAER de 12/12/74 a 02/02/77).

O então Ministério da Aeronáutica já estava instalado na nova Capital Federal. Era evidente a necessidade de aproximar a comunicação do seu Comandante. Em 1977, o Centro de Relações Públicas foi transferido do Rio de Janeiro para Brasília (DF).

Uma das primeiras ações foi a abertura de um canal de comunicação voltado para o público interno. Em 3 de janeiro de 1978, publicava-se o Noticiário Diário. Anos mais tarde, esse produto recebeu a denominação de Noticiário da Aeronáutica, ou simplesmente Notaer. “Inicialmente, era veiculado todos os dias, datilografado no papel estêncil e, depois, rodado no mimeógrafo”, conta o Suboficial Francisco José de Medeiros.

“Foi um grande desafio que se converteu em raro privilégio, pela ajuda da equipe preparada que encontrei, permitindo atingir todos os objetivos com êxito”. (Brigadeiro do Ar Volnei Monclaro Mena Barreto, Chefe do CECOMSAER de 15/03/79 a 18/08/80)

Fatos marcantes na década de 1980

Alguns fatos foram marcantes para a Força no início da década de 1980: a incorporação da Mulher na FAB, a integração do CRPA ao Sistema de Comunicação Social do Poder Executivo e a mudança na denominação do Centro de Relações Públicas.

“No período da minha Chefia, houve a criação do corpo feminino na Força Aérea. Em 1982, as mulheres ingressaram no efetivo, o que gerou uma divulgação muito interessante para a imprensa.” (Coronel Aviador José de Mattos Souza, Chefe do CECOMSAER de 08/02/82 a 20/12/82).

Para ampliar o escopo de atuação da atividade de Comunicação da Aeronáutica, o CRPA teve sua denominação alterada para Centro de Comunicação Social da Aeronáutica (CECOMSAER).

“Naquele período, o Centro de Relações Públicas do Ministério da Aeronáutica se deparou com a inexorável necessidade de interagirmos com todos os segmentos da sociedade. foi criado o Centro de Comunicação da Aeronáutica." (Brigadeiro do Ar Eden de Oliveira Asvolinsque, Chefe do CECOMSAER de 22/07/87 a 29/06/89).

“Tendo sido movimentado para o CECOMSAER, minha primeira preocupação foi aproveitar para aprender o máximo possível no exercício da função. E assim foi!” (Tenente-Brigadeiro do Ar Sérgio Pedro Bambini, Chefe do CECOMSAER de 07/05/90 a 19/07/90).

“Em apenas dois meses e 20 dias na Chefia do CECOMSAER, num momento politicamente conturbado, pude comprovar quão necessário e fundamental foi o assessoramento eficaz ao Ministro da Aeronáutica." (Major-Brigadeiro do Ar Walacir Cheriegate, Chefe do CECOMSAER de 27/08/90 a 14/11/90).

Diante do propósito de ampliar o número de profissionais capacitados e dar capilaridade às atividades, foi desenvolvido, em 1993, o I Curso Básico de Comunicação Social. Seguindo essa premissa, a FAB continua investindo e aperfeiçoando seus recursos humanos nas áreas de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Fotografia, Mídias Sociais, entre outras. 

“Foi o maior desafio que tive na minha carreira militar." (Major-Brigadeiro do Ar Nelson Teixeira Pinto, Chefe do CECOMSAER de 08/08/94 a 04/04/97).

“Com muito orgulho, vivemos o eletrizante advento da informatização do Centro, naquele ano de 1997." (Brigadeiro do Ar José Montgomeri Melo Rebouças, Chefe do CECOMSAER de 04/04/97 a 05/08/97).

“Comunicação e disseminação da informação, de forma clara e objetiva ao público, garantindo a compreensão da missão da Instituição." (Coronel Aviador Ananias Pereira da Cunha Neto, Chefe do CECOMSAER de 05/08/97 a 09/02/98).

Novo milênio

Novos caminhos começam a ser trilhados com a internet. No dia 3 de julho de 2000, a FAB lança a primeira versão do site oficial da Instituição.

“Importante Organização onde vivenciei uma das ricas experiências da minha carreira, assessorado por um efetivo dinâmico, profissional e amigo, na divulgação ao público da real imagem da FAB." (Tenente-Brigadeiro do Ar William de Oliveira Barros, Chefe do CECOMSAER de 09/02/98 a 08/03/00).

A Força Aérea necessitava ir mais além. Traçando conceitos contemporâneos e buscando ampliar seu portfólio de mídias, no dia 12 de maio de 2005, foi inaugurado o canal de videorreportagem da FAB:  o Aerovia.

"Em muitas oportunidades, que não foram poucas, a sensibilidade dos profissionais do Centro auxiliou, de forma muito eficaz, a administração do COMAER em ações oportunas que permitiram o reconhecimento e fortalecimento da Instituição". (Major-Brigadeiro do Ar Antonio Guilherme Telles Ribeiro, Chefe do CECOMSAER de 08/03/03 a 15/03/07).

Pensando na sua identidade e padronização da linguagem dos seus produtos e de cerimonial, o CECOMSAER, em 2007, lança o Manual de Uso da Marca (digital) e publica o Manual de Eventos do Centro.

"A trajetória do CECOMSAER é marcada pela incessante busca pela evolução. Devido ao dinamismo da Comunicação Social, o Centro se reinventa, busca novos produtos e plataformas para que a FAB se comunique com os públicos interno e externo. Durante minha a gestão, entre 2007 e 2010, destaco a criação da Rádio Força Aérea. Fruto da soma de esforços diversos para que os planos se tornassem realidade, construímos instalações, obtivemos a cessão da frequência 91,1 MHz FM em Brasília e elaboramos uma programação baseada em informações, música de qualidade e interatividade. Nesse mesmo período, também gostaria de destacar a inserção no Plano Estratégico Militar da Aeronáutica (PEMAER) da criação da TV FAB, hoje disponibilizada em nossa página (www.fab.mil.br). O CECOMSAER está sempre em busca de voos mais altos, projetando e preservando a imagem da nossa Força Aérea, de modo que as ações de Controlar, Defender e Integrar estejam sempre presentes no dia a dia de cada cidadão.” (Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, Chefe do CECOMSAER de 15/03/07 a 29/01/10).

CECOMSAER investe na interação e conquista novos públicos

A última década exigiu, no campo da Comunicação Institucional, que profissionais e organizações se reinventassem em suas atuações. O aprimoramento dos canais de diálogo com a sociedade passou, necessariamente, pela criação de novas estruturas, pela ampliação da linguagem para diferentes públicos e pela implementação de ferramentas, como as redes sociais, os aplicativos, os serviços de streaming, entre outras. A Força Aérea, como propulsora de inovações que lhe é característica em vários setores, propiciou que o CECOMSAER tivesse os recursos disponíveis para que a criatividade de homens e mulheres ajudasse o cidadão moderno a entender o papel da Instituição.

“Muita gratidão e privilégio por ter atuado por 22 anos da carreira militar na Comunicação Social, 12 deles no CECOMSAER e, com incomensurável orgulho, por intensos 120 dias como seu Chefe Interino. Faria tudo de novo, do mesmo jeito." (Coronel Aviador Jorge Antônio Araújo Amaral, Chefe do CECOMSAER de 29/01/10 a 28/05/10).

A FAB passou a ocupar espaço em todas as redes sociais. Criou um perfil no Twitter em 2010, permitindo aos usuários o acompanhamento das ações em tempo real, de forma rápida e objetiva, além de interagir com a Força de uma maneira mais informal. Recentemente, a conta oficial alcançou a marca de 480 mil seguidores.

Diversificando a linguagem para que o público infantil fosse alcançado, o CECOMSAER lançou, naquele ano, A Turma do Fabinho, revista em quadrinhos criada por meio de um complexo processo de desenvolvimento. “Estudamos e pesquisamos muito para criar histórias e narrativas adaptadas para crianças", conta um dos idealizadores dos personagens, o Suboficial Desenhista Jobson Augusto Pacheco.

A revista A Turma do Fabinho saiu do papel e ganhou outros ares, com novos produtos, em formato de vídeo, musical, audiobook, jogo de memória e desenhos para colorir.

Vídeo

Para inovar e interagir no campo do audiovisual, em 2010, a FAB criou o seu canal no YouTube, um dos principais meios para divulgar missões, operações, treinamentos e exercícios realizados pela Força no Brasil e no mundo. Com mais de 30 milhões de visualizações, o perfil já soma 245 mil inscritos.

Um dos vídeos mais assistidos é o documentário “VOO 1907 – 10 anos depois”, que mostra os bastidores do resgate das vítimas do acidente com a aeronave da Gol, na selva amazônica, ocorrido em 29 de setembro de 2006.

"Em 2014, o tema da nossa Campanha Institucional foi 'Força Aérea Brasileira: presente na vida dos brasileiros'. A ideia era mostrar que a FAB faz parte do dia a dia da população, por meio das várias atividades realizadas pelos homens e máquinas que formam as Asas que protegem o país. É nossa prestação de contas com os cidadãos brasileiros!" (Tenente-Brigadeiro do Ar Marcelo Kanitz Damasceno, Chefe do CECOMSAER de 28/05/10 a 10/04/14).

“O CECOMSAER é um órgão estratégico para a Força Aérea. Composto de uma equipe de pessoas dedicadas e que se desdobram para elevar o nome da Instituição. Para isso, é preciso buscar novas ideias a cada dia, conectando as ações da Força aos interesses do Brasil. É um time que sempre surpreende, principalmente pela dinâmica de pensamentos inovadores. Estar à frente do Centro foi um dos momentos mais incríveis da minha carreira. Lidar com todos os assunto da FAB, tendo a responsabilidade de assessorar diretamente o Comandante da Aeronáutica, é uma experiência que levo para o resto da vida.” (Major-Brigadeiro do Ar Pedro Luís Farcic, Chefe do CECOMSAER de 11/04/14 a 11/02/16)

Fumaça já

Em julho de 2015, o Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), mais conhecido como Esquadrilha da Fumaça, retomou sua agenda de apresentações, marcando a conclusão do Programa de Implantação da Aeronave A-29 Super Tucano. Com reconhecimento nacional e internacional, o EDA reafirmou-se como instrumento de difusão da política de Comunicação Social do Comando da Aeronáutica.

Também em 2015, os serviços e informações tornaram-se ainda mais práticos, à palma da mão: é lançado o aplicativo da FAB para smartphones. A tecnologia oferece acesso a notícias, impressos, redes sociais, vídeos e serviços voltados ao público interno.  

“Acompanhamos de perto e realizamos toda a cobertura do roll out da aeronave Gripen, na Suécia, ação que contou com a presença do Comandante da Aeronáutica e de diversas personalidades, com grande repercussão na mídia internacional. De certo, um dos maiores marcos operacionais da FAB deste século.” (Major-Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita, Chefe do CECOMSAER de 12/02/2016 a 22/01/2017)

Dimensão 22

A Força Aérea lançou, em 2017, a campanha Dimensão 22, que sintetiza a responsabilidade de atuação da Instituição em sua missão de manter a soberania do espaço aéreo e integrar o território nacional, com vistas à defesa da Pátria, em uma área de 22 milhões de km², com as ações de Controlar, Defender e Integrar.

“Mais do que apenas uma campanha ocasional, a Dimensão 22 surge como o DNA da FAB, o ente que faltava para unir, em apenas um conceito, todas as diversas ações executadas nos mais diferentes campos de atuação da Força.” (Brigadeiro do Ar Antonio Ramirez Lorenzo, Chefe CECOMSAER de 23/01/17 a 13/03/19)

Desde 2019, o Centro intensificou a projeção da imagem da Força, ampliando e aprimorando a produção de vídeos institucionais, publicações impressas, posts para as redes sociais e outros. Por esses canais, divulgou as grandes Operações nas quais a FAB atuou, como a Verde Brasil, a Amazônia Azul e a Regresso à Pátria Amada Brasil.

No ano passado, os profissionais do Centro tiveram participação decisiva para o sucesso da cerimônia que marcou o início de uma nova era para a Força Aérea: o recebimento da aeronave multimissão KC-390 Millennium. A solenidade em Anápolis (GO), que contou com a presença do Presidente da República, Jair Bolsonaro, exigiu do CECOMSAER o emprego de todos os seus recursos para dar a ampla divulgação que um Projeto Estratégico tão robusto requer. Deu grande repercussão, também, ao primeiro voo do modelo F-39 Gripen brasileiro, ocorrido na Suécia, com a veiculação em diversas mídias especializadas.

Ainda em 2019, idealizou e produziu a exposição fotográfica, de maquetes e da réplica do Demoiselle, no Museu Nacional da República Honestino Guimarães, na Capital Federal, em homenagem à Semana do Aviador. Neste evento, ocorreu a inédita projeção de imagens tridimensionais na cúpula.

“Nosso desafio é dar continuidade ao legado de todos que por aqui passaram, entendendo que a comunicação é, em síntese, a integração de todas as atividades da Força, sendo transmitidas, informadas e reconhecidas pelos nossos militares da ativa, veteranos, servidores civis e e pela sociedade.” (Brigadeiro do Ar Paulo César Andari, atual Chefe do CECOMSAER desde 14/03/19).

Como podemos ver, são 50 anos comunicando e documentando a história dos principais fatos da Força Aérea Brasileira. Chefes, repórteres, editores, diagramadores, publicitários, profissionais de Relações Públicas, além de dezenas de elos espalhados pelo Brasil, fazem a informação chegar aos brasileiros, por meio das mais diversas plataformas.

E a Comunicação Social da Força Aérea não para de crescer. Em 2020, a página da FAB no Facebook chega a quase 1,5 milhão de seguidores e, no Instagram, a conta está prestes a alcançar 1 milhão de inscritos. O canal do Spotify possui quase mil músicas, em 15 diferentes playlists, e mais de 30 FABCASTs – programetes que trazem assuntos variados sobre a Força. Em 10 anos de existência, o Flickr já acumula mais de 12 mil fotos para os fãs do mundo da aviação militar e o LinkedIn tornou-se mais uma página desenvolvida para divulgar as formas de ingresso e processos seletivos da Aeronáutica.

 

Confira as imagens de outras ações da Força Aérea Brasileira que contaram com a atuação do CECOMSAER: 

 

 

2006 – Acidente GOL1907

O avião da Gol colidiu no ar com um Legacy 600. A Força Aérea Brasileira coordenou a busca e resgate das vítimas.

 

 

 

 

2006 – Líbano

A Força Aérea resgatou brasileiros que se encontravam na região de conflito no Líbano.

 

 

 

 

 

2007 – Terremoto no Peru

Alimentos doados pelo governo brasileiro às vítimas do terremoto que atingiu o Peru foram levados em um avião da FAB.

 

 

 

 

 

2008 – Enchentes na Bolívia

Aviões e militares da FAB participaram de Operação Humanitária em apoio às vítimas das enchentes na Bolívia.

 

 

 

 

 

2009 – Acidente Air France 447

FAB atuou nas buscas dos destroços da aeronave e resgate das vítimas do Air France 447, que se acidentou no Oceano Atlântico com 228 pessoas.

 

 

 

 

2010 – Terremo no Haiti

O terremoto deixou cerca de 300 mil mortos e quase meio milhão de desabrigados. A FAB mobilizou aviões de transporte para ajuda humanitária, além de enviar um Hospital de Campanha (HCAMP) com médicos e enfermeiros.

 

 

 

 

 

2010 – Terremoto no Chile

Aviões da FAB cumpriram diversas missões após terremoto atingir o Chile. Entre elas, o resgate de brasileiros e o transporte de equipamentos para montagem de HCAMP.

 

 

 

2013 a 2019 – Eventos esportivos

A FAB atuou na defesa e controle do espaço aéreo durante eventos esportivos, como a Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014) e Olimpíadas (2016). Acompanhou, ainda, a participação brasileira nos Jogos Mundiais Militares, em 2015, na Coreia do Sul, e, em 2019, na China.

 

 

 

2014 – Papa no Brasil

O Papa Francisco esteve no Brasil durante a 28ª edição da Jornada Mundial da Juventude. A Força Aérea foi responsável por trazer o papamóvel da Itália na aeronave C-130 Hércules, além de transportar o pontífice pelo Brasil no helicóptero CH-34 Super Puma.

 

 

 

 

 

2016 – Acidente Chapecoense

Aeronaves da FAB transportaram vítimas do acidente com o avião da Chapecoense, ocorrido na Colômbia.

 

 

 

 

 

2017 - Incêndio no Chile 

Aeronaves C-130 Hércules da Força Aérea Brasileira foram acionadas para ajudar no combate aos incêndios florestais no Chile.

 

 

 

2018 – Operação Acolhida

Na Operação Acolhida, a FAB emprega aeronaves para o transporte de materiais e para a interiorização dos imigrantes venezuelanos que desejam se estabelecer em outros Estados. 

 

 

 

 

 

2019 - Ciclone em Moçambique

Duas aeronaves C-130 Hércules da FAB decolaram com destino a Moçambique transportando materiais e militares para assistência às vítimas do Ciclone Idai.

 

 

 

2019 – Operação Verde Brasil

A Operação Verde Brasil foi desencadeada para combater os focos de incêndio na região Amazônica. A FAB empregou aeronaves para auxiliar nas ações.

 

 

 

 

 

2019 – 30 anos do voo de Ayrton Senna 

Há 30 anos, a FAB e o ídolo Ayrton Senna se encontraram para um voo de demonstração a bordo do supersônico Mirage III. Para relembrar a data, o Comandante da Aeronáutica convidou Leonardo, irmão de Senna, para rememorar o voo.

 

 

 

 

 

 

2019 – Exposição no Museu Nacional da República

Em comemoração ao Dia do Aviador e da Força Aérea Brasileira, foi realizada uma exposição no Museu Nacional da República Honestino Guimarães, em Brasília (DF).

 

 

 

 

2019 – Chegada do KC-390

Em evento realizado na Ala 2 – Base Aérea de Anápolis, a Força Aérea Brasileira recebeu a nova aeronave multimissão KC-390 Millennium.

 

 

 

 

2020 - Operação Regresso à Pátria Amada Brasil

A Força Aérea participou da Operação Regresso à Pátria Amada Brasil, uma ação interministerial com objetivo de repatriar brasileiros que estavam em Wuhan, na China, epicentro do surto do novo Coronavírus.

 

 

 

 

2020 - Operação COVID-19

A Operação COVID-19, coordenada pelo Ministério da Defesa, conta com diversas ações da Força Aérea Brasileira, que emprega militares e aeronaves no combate à pandemia do novo Coronavírus.

 

 

Texto: Tenente Raquel Alves, Tenente Jonathan Jayme e Tenente Flávia Rocha/CECOMSAER

Fotos: Acervo/CECOMSAER e SAAB