SOLIDARIEDADE

Cinco toneladas de alimentos são entregues a crianças do PROFESP em Parnamirim (RN)

Distribuição de kits começou nessa quinta-feira (16/04).
Publicado: 16/04/2020 17:00
Imprimir
Fonte: Ala 10, por Tenente Juliana Lopes
Edição: Agência Força Aérea, por Aspirante Letícia Faria - Revisão: Capitão Oliveira Lima

A distribuição dos kits de alimentos para as famílias das crianças e adolescentes atendidos pelo Programa Forças no Esporte (PROFESP), do Grupamento de Apoio de Natal (GAP-NT), começou nessa quinta-feira (16/04), em Parnamirim (RN). A ação contemplará os 400 beneficiários do Programa, dos quais 12 são portadores de necessidades especiais. A previsão é entregar 5,34 toneladas de alimentos até sexta-feira (17/04).

Os kits foram adquiridos com recurso do Ministério da Cidadania, por intermédio do Ministério da Defesa, para a alimentação dos alunos durante as atividades realizadas nas instalações da FAB, no contraturno escolar. Como as atividades do Programa foram suspensas, como forma de prevenir o contágio pelo novo Coronavírus, as refeições que não foram produzidas para as crianças e adolescentes foram transformadas em kits com alimentos não perecíveis para serem fornecidos às famílias.

Ao todo, 56 pais e responsáveis dos alunos da Escola Municipal Manoel Machado, localizada no Bairro Parque Industrial, zona Norte da cidade, compareceram à sede da Gestão Nacional do PROFESP no âmbito da Força Aérea Brasileira, para buscar os kits. Sete escolas da rede de ensino do município participam do Programa, realizado em parceria com a Prefeitura.

A entrega contou, ainda, com o apoio de militares da Marinha do Brasil e do Exército Brasileiro em Natal (RN). Estiveram presentes o Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Marcelo Fornasiari Rivero, o Chefe do Grupamento de Apoio de Natal, Coronel Intendente Elésio Martins Ferreira, o Chefe do Estado-Maior da Ala 10, Coronel Aviador André Fernando Albuquerque Bergo, o Gestor Nacional do PROFESP pela Força Aérea, Coronel Aviador Décio Dias Gomes, a Prefeita de Aeronáutica de Natal, Tenente-Coronel Intendente Sheyla Fernandes Sales e o Coordenador Geral de Núcleo do PROFESP do GAP-NT, Capitão Especialista em Armamento Marcos Gaertner.

Suporte às famílias

De acordo com a Coordenadora do PROFESP na Escola Municipal Manoel Machado, Ednalva Silva Gambarra Morais de Lima, a suspensão das atividades do Programa causou impacto, tanto na rotina das crianças, quanto na qualidade de sua alimentação. “O PROFESP é uma ajuda muito grande, tanto na parte disciplinar, quanto na alimentação. Isso porque muitas das nossas crianças vão para a escola por causa da alimentação, porque estão em situação de vulnerabilidade social, e os pais não têm como dar apoio. Oferecer esses alimentos para eles é uma atitude humana, a de não deixar essas famílias passarem mais dificuldade do que já estão passando com a crise”, disse a Coordenadora.

Segundo Ednalva, com o apoio da Secretaria Municipal de Educação e a mobilização da FAB em Parnamirim, foi fácil viabilizar a retirada dos alimentos pelas famílias. “Estamos em contato frequente com os pais e colaboradores do PROFESP, então quando nos informaram sobre a distribuição, nós comunicamos a todos, articulamos os apoios necessários e organizamos a vinda das famílias bem rápido”, afirmou.

 

Cuidados e prevenção

A Prefeitura Municipal de Parnamirim disponibilizou um ônibus para o transporte dos pais e responsáveis. Já a Escola Municipal Manoel Machado orientou sobre o uso de máscaras e proveu o equipamento para quem não tinha. Ao chegarem ao PROFESP, todos passaram por higienização das mãos antes de sentarem na área de espera, onde também foram dadas orientações sobre higiene e prevenção de contágio pelo Covid-19 por uma profissional de saúde do efetivo do Esquadrão de Saúde de Natal.

Gerdivânia Aguiar Pinto é mãe de Elen, de dez anos, que participa do PROFESP. Para ela, a ajuda é importante, já que é costureira autônoma e com a pandemia o serviço ficou reduzido. “Além disso, não tem nem como a gente sair para tentar fazer algum bico ou arrumar um trabalho, e com as crianças em casa, sem ter com quem deixar, fica mais difícil. Então, toda ajuda é bem vinda”, conta.

Fotos: Sargento Marcella/Ala 10

imagens/original/40143/20201604profesc.jpg
imagens/original/40143/20201604profespa.jpg