HISTÓRIA

Tomada de Monte Castelo

O 1º Grupo de Aviação de Caça e a 1ª Esquadrilha de Ligação e Observação participaram de diversos episódios na Itália, durante a Segunda Guerra Mundial
Publicado: 21/02/2020 21:01
Imprimir
Fonte: Livro Senta a Pua e Ministério da Defesa
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Fraga - Revisão: Tenente-Coronel Santana

O dia 21 de fevereiro traz à lembrança o Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), a Primeira Esquadrilha de Ligação e Observação (1ª ELO) e os veteranos da Força Expedicionária Brasileira (FEB), que combateram durante a 2ª Guerra Mundial na Tomada de Monte Castelo, no Centro-Norte da Itália, há 75 anos.

Durante a 2ª Grande Guerra, o 1º GAVCA operou como unidade independente do 350th Fighter Group, apoiando as tropas aliadas, com suas aeronaves P-47 Thunderbolt.

A Unidade Aérea era composta por quatro Esquadrilhas, contabilizando quase 500 militares, entre pilotos e pessoal de apoio. Atuou, dentre outras, em Missões de Ataque ao solo contra as forças do Eixo, deixando-as sem suprimentos, como aconteceu na ação realizada em 21 de fevereiro de 1945, na qual os P-47 da FAB atacaram o inimigo em Monte Castelo e contribuíram para a vitória dos combatentes da FEB.

A 1ª ELO empregava os aviões L-4H com o objetivo de fazer observação, reconhecimento aéreo e regulagem de tiro. Com isso, era possível o avanço de tropas em direção aos pontos exatos onde se concentravam as forças nazistas. A Esquadrilha atuou nas batalhas de Monte Castelo, Montese, Belvedere, Vignolle, Montello, Montebufone e La Serra, entre outras.

A tomada de Monte Castelo possibilitou a progressão das tropas aliadas. A ofensiva brasileira na Itália contribuiu para o fim da Guerra.

Fotos: Internet e FAB

imagens/original/39940/Brazilian_Thunderbombers_Republic_P_47s_of_the_First_Brazilian_Fighter_Squadron_take_off_on_a_mission_t
imagens/original/39940/download.jpeg
imagens/original/39940/Monte_Castelo.jpg