INTERCÂMBIO

Instituto de Cartografia Aeronáutica realiza parceria com o Uruguai

Projeto visa apoiar a elaboração, revisão e validação de cartas de navegação aérea em aeroportos uruguaios
Publicado: 18/11/2019 18:51
Imprimir
Fonte: ICA, por Sargento Aline
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Elias - Revisão: Tenente-Coronel Santana

O Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), localizado no Rio de Janeiro (RJ), fez uma parceria com o Uruguai. Após solicitação do Governo Uruguaio, o ICA irá apoiar a elaboração, revisão e validação de cerca de 20 cartas de procedimentos de navegação aérea para os seguintes aeroportos: Internacional de Carrasco (SUMU), Internacional Ángel S. Adami (SUAA) e Internacional C/C Carlos A. Curbelo del Laguna Sauce (SULS).

Na primeira fase do projeto, que terá duração de quatro semanas, dois controladores civis uruguaios acompanharão os processos de elaboração no Instituto e serão instruídos a respeito da ferramenta utilizada, a FPDAM (Flight Procedure Design and Management).

A fase final, prevista para o período de 9 a 13 de dezembro, será executada em Montevidéu, capital do Uruguai, na sede do Provedor de Serviço de Elaboração de Procedimentos daquele país, onde será feita a revisão e validação dos procedimentos.

Em função dessa parceria, no dia seis de novembro, quatro oficiais da Força Aérea Uruguaia visitaram as instalações do ICA e foram orientados sobre todo o processo de produção das cartas, desde a confecção até a publicação.

Para a Controladora de Tráfego Aéreo do Uruguai, Irene Backer, essa missão  tem sido muito proveitosa e contribuído para o seu crescimento profissional. "A equipe do ICA foi bem receptiva e atenciosa. Temos total apoio e muita ajuda para sanar dúvidas. Vamos levar muitas experiências e aprendizados", afirmou.

O Brasil, atualmente, é considerado referência no conceito PBN (Performance Based Navigation) e contribui, desde 2009, para uma navegação aérea mais sustentável. Por esse motivo, o ICA vem sendo requisitado por diversos países da América do Sul para auxiliá-los na implementação desse modelo. Essas mudanças visam cumprir uma resolução da Organização da Aviação Civil Internacional (OACI) que trata da emissão de carbono (CO2).

“A oportunidade de intercâmbio entre nossos elaboradores de procedimentos e os uruguaios proporciona uma melhor utilização do espaço aéreo e traz benefícios relevantes para os usuários do transporte aéreo na América do Sul", ressaltou o Diretor do Instituto, Coronel Aviador Ricardo da Silva Miranda.

Fotos: Sargento Raeder