SAÚDE

Militares da FAB participam de mutirão para combate ao Aedes aegypti em Guarulhos

Cem soldados da Base Aérea de São Paulo participam, até 31 de maio, do projeto Forças Armadas contra as Arboviroses
Publicado: 10/05/2019 15:58
Imprimir
Fonte: BASP, por Tenente Kramer
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli - Revisão: Capitão Monteiro

Cem soldados do Grupo de Segurança e Defesa de São Paulo (GSD-SP), localizado na Base Aérea de São Paulo (BASP), participam, de 6 a 31 de maio, do “Projeto Forças Armadas contra as Arboviroses”, campanha de combate ao mosquito Aedes aegypti em Guarulhos (SP). 

A ação consiste no trabalho conjunto entre os militares e os agentes do serviço de saúde municipal na abordagem aos moradores das comunidades locais. São feitas a distribuição de material educativo e a eliminação de focos e possíveis criadouros de mosquitos transmissores de arboviroses - doenças causadas pelos chamados arbovírus, como o vírus da dengue, zika vírus, febre chikungunya e febre amarela.

“A participação intensiva dos militares do GSD-SP tem como objetivo interromper o ciclo das arboviroses na região, fortalecendo o vínculo entre a Força Aérea e a Secretaria de Saúde do Município, potencializando a mobilização da comunidade no controle de criadouros do mosquito. A presença dos soldados favorece a participação dos moradores na campanha, pois sentem-se mais seguros em abrir suas casas, reduzindo assim o número de recusas, integrando ainda mais a FAB junto à comunidade local”, explicou o Chefe da Seção de Operações do GSD-SP, Major de Infantaria Lon Guaranay Cardoso Lopes, .

“Só na minha família temos dois casos de dengue. O trabalho de conscientização é muito importante e esclarecedor, pois a prevenção ainda é a melhor forma de combate. Nossa comunidade agradece à Força Aérea pelo apoio”, disse Magali Morangon, moradora local.

A Bióloga da Prefeitura de Guarulhos, Patrícia de Oliveira Nascimento, informou que somente em 2019 já foram registrados 1.274 casos confirmados de dengue no município, ou seja, um aumento de 1.150% em relação ao ano passado. “Com base nesses dados, surgiu a necessidade de intensificar o nosso trabalho de controle de endemias, em ações de promoção e prevenção da saúde com o objetivo de atingir o maior número de pessoas possível. Nesse contexto, o apoio dos militares da Força Aérea tem sido fundamental, estamos muito gratos pela contribuição impar”, enfatizou.

Fotos: Soldado Zancanaro / BASP