AVIAÇÃO DE CAÇA

Encenação da Ópera do Danilo abre celebrações pelo Dia da Aviação de Caça

Nesta terça, integrantes da Aviação de Caça se reuniram na Ala 12 e acompanharam a tradicional encenação de episódio da Segunda Guerra
Publicado: 16/04/2019 21:45
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Felipe Bueno
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Capitão Landenberger

Encenação representa episódio marcante da Segunda GuerraO primeiro dia de celebrações alusivas ao Dia da Aviação de Caça reverenciou a história da Força Aérea Brasileira (FAB). Na Ala 12, localizada no Rio de Janeiro (RJ), os integrantes da aviação se reuniram nesta terça-feira (16) para uma série de eventos.

As comemorações tiveram início com as palavras do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez. “Sinto-me muito feliz por poder participar, pela primeira vez como Comandante da Aeronáutica, das comemorações alusivas ao Dia da Aviação de Caça. Esse evento representa um compromisso com aqueles que nos legaram a guarda deste solo sagrado de Santa Cruz: nossos veteranos do 1º Grupo de Aviação de Caça [1º GAVCA]. E também o compromisso de que continuaremos a preservar e manter vivo esse ritual de passagem, que sempre renova o nosso amor pela Caça e pela nossa Força Aérea”, disse o Comandante da Aeronáutica.

Comandante da Aeronáutica participou do eventoEm seguida, o Comandante de Preparo (COMPREP), Tenente-Brigadeiro Antonio do Ar Carlos Egito do Amaral, proferiu uma palestra para os pilotos e ocorreu o lançamento do livro Asas do Brasil nos Céus da Itália, escrito pelo Major-Brigadeiro do Ar José Rebelo Meira de Vasconcelos, militar falecido em 2013 que cumpriu 93 missões no front europeu como piloto de caça da Esquadrilha Verde. 

Ópera do Danilo – A grande tradição realizada nesta terça foi a encenação da Ópera do Danilo, que narra a saga do Tenente Danilo Marques Moura. Após ter o P-47 Thunderbolt abatido pela artilharia antiaérea alemã na Itália, o aviador percorreu uma jornada de 340 quilômetros caminhando durante 30 dias. Passando despercebido pelas Forças do Eixo e contando com a ajuda da população italiana, ele conseguiu chegar à base aliada em Pisa, 19 quilos mais magro do que partira. A história da fuga foi composta e encenada pelos próprios colegas dele, logo após o regresso e relatos das aventuras pelo território inimigo. Até hoje, a aventura é tradicionalmente repetida por militares da Aviação de Caça.

Aviadores encenam a tradicional Ópera do DaniloNa Ala 12, o espetáculo é organizado pelo 1º GAVCA. O Comandante da unidade, Tenente-Coronel Aviador Gustavo Furlan Aquino falou sobre a encenação. “A ópera foi criada por eles lá na Guerra e encenada ainda na Itália como uma brincadeira. Foi uma surpresa ele sobreviver, e para comemorar isso, ele começou a contar aquela história, os italianos que ele conversou, o soldado alemão que ele conseguiu contornar, ele decidiu fazer uma ópera, já que estava na Itália. Foi uma brincadeira de tenentes e a tradição segue até hoje, feita de forma amadora, por aviadores, e essa é a graça da Ópera do Danilo”, explicou.

Banda de Música da Ala 12 faz parte da apresentaçãoO Dia da Aviação de Caça é celebrado em 22 de abril em alusão à data em 1945, quando uma grande ofensiva dos Jambocks contabilizou 44 decolagens em 11 missões em um único dia. Ao fim do dia, o Grupo destruiu mais de 100 alvos. Foi o dia com o maior número de missões de combate despachadas durante a participação da FAB na Segunda Guerra Mundial.

Fotos: Cabo André Feitosa/CECOMSAER

Assista ao vídeo em homenagem à Aviação de Caça.

Acesse a página especial e saiba mais sobre a Aviação de Caça. 

imagens/original/38334/IMG_20190416_WA0027.jpg
imagens/original/38334/IMG_20190416_WA0029.jpg
imagens/original/38334/IMG_20190416_WA0030.jpg
imagens/original/38334/IMG_20190416_WA0033.jpg
imagens/original/38334/IMG_20190416_WA0034.jpg