CARREIRA

Academia da Força Aérea forma 148 novos aspirantes a oficial

Os militares receberam a espada que simboliza o oficialato
Publicado: 07/12/2018 20:50
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Raquel Alves
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Cap Landenberger

Os cadetes da Academia da Força Aérea (AFA), da Turma Jaguar, foram declarados, nesta sexta-feira (07), aspirantes a oficial, encerrando um período de quatro anos de formação. A solenidade, realizada na AFA, em Pirassununga (SP), foi presidida pelo Ministro da Defesa, Joaquim Silva e Luna,  acompanhado pelo Presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli,  pelo Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e pelo Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, além de autoridades brasileiras e estrangeiras, civis e militares. A cerimônia contou ainda, com a presença de familiares e amigos dos formandos.

“Estou muito feliz e emocionado por participar e compartilhar com os novos aspirantes a oficial da FAB este momento. A partir de hoje começa o início de uma jornada cheia de desafios e abnegação, mas também cheia de oportunidades”, disse o Ministro da Defesa.

O Comandante da FAB destacou em seu discurso o reconhecimento aos futuros oficiais. “É impossível não recordar esse momento mágico que aconteceu há exatos 43 anos em minha vida. As incertezas e aspirações fizeram parte da minha inquietude, mas tinha uma única certeza para o futuro: ser oficial servindo à Força Aérea Brasileira. A partir de agora os aspirantes exercerão suas atividades em prol da soberania de nosso espaço aéreo e sob o juramento de sacrificar suas próprias vidas para que a nossa Pátria esteja protegida", frisou o Oficial-General que recebeu uma homenagem durante a cerimônia.

Completaram o curso 148 cadetes, sendo 85 aviadores, 36 intendentes e 27 de infantaria. Entre os formandos estão 14 mulheres. “Esse momento representa uma grande vitória. Passar anos longe da família, sendo submetido a treinamentos, aulas, exercícios de sobrevivência, entre tantas outras coisas, não é fácil. Entretanto, posso afirmar que foram anos extremamente gratificantes. Sou imensamente grato à Força Aérea por me proporcionar momentos de grande crescimento pessoal e profissional”, destaca o aspirante Felipe Campos de Araújo, primeiro colocado no curso de Infantaria.

Para o primeiro colocado do curso de Intendência, aspirante Gilnei Kraftzuk, dedicação e persistência foram as palavras que estiveram em seu dia a dia. "Foram anos de batalha para concretizar o sonho que realizo hoje. Estou muito feliz por essa vitória que sempre busquei", ressaltou.

A turma contou também com cadetes estrangeiros do Peru e de Senegal, que foram indicados por seus países para realizar o curso na AFA. A iniciativa parte de um acordo de cooperação entre o Brasil e nações-amigas. ”Foram quatro anos de muito aprendizado. Sentirei falta dos meus amigos que não só se tornaram amigos de farda, mas para a vida. Agradeço, também, à AFA por toda estrutura oferecida”, conta o aspirante aviador senegalês Mouhammad Diallo.

Durante a formatura, os militares entregaram o espadim, que simboliza o fim da condição como cadete, e receberam a espada de oficial, que coroa a vitória dos jovens que se dedicaram a uma exigente rotina. A cerimônia foi encerrada com o tradicional grito de guerra e uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça. Os novos aspirantes atuarão em Organizações Militares da FAB pelo país.

AFA

A Academia da Força Aérea tem como missão formar Oficiais de Carreira da Aeronáutica dos Quadros de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria. O objetivo é desenvolver em cada cadete os atributos militares, intelectuais e profissionais, além dos padrões éticos, morais, cívicos e sociais, obtendo-se, ao final do processo, oficiais em condições de se tornarem líderes de uma moderna Força Aérea.

A formação dos oficiais tem duração de quatro anos. Na conclusão do curso, tornam-se bacharéis em Administração com ênfase em Administração Pública e bacharéis na especialidade escolhida no ingresso: Ciências Aeronáuticas, com habilitação em Aviação Militar; Ciências da Logística, com habilitação em Intendência da Aeronáutica; ou Ciências Militares, com habilitação em Infantaria da Aeronáutica.

Fotos: Soldado Soldado WIlhan Campos/CECOMSAER

Assita como foi a cerimônia.

imagens/original/37730/181207wil527-wilhan_campos.jpg