ORDEM DO DIA

Dia do Material Bélico da Aeronáutica

Leia a Ordem do Dia alusiva ao Dia do Material Bélico da Aeronáutica
Publicado: 12/11/2018 08:00
Imprimir
Fonte: COMGAP

No dia 11 de novembro é comemorado o Dia do Material Bélico da Aeronáutica, instituído pela Portaria nº 558/GC3, de 06 de outubro de 2011.

A data foi escolhida por um fato histórico, ocorrido durante a Campanha da Itália, onde no dia 11 de novembro de 1944, o 1º Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), recentemente transferido para Tarquínia, voou pela primeira vez como unidade independente, tendo a bordo apenas pilotos brasileiros nos lendários aviões P-47 Thunderbolt, os quais foram completamente municiados e preparados por militares também exclusivamente brasileiros. Era o “batismo de fogo” do nosso Jambock!

O Comandante do 350th Fighter Group, por essa ocasião, mencionou em seu relatório: “Em termos de força, dobrou a que tinha em 1943: em poder de fogo, capacidade de lançar bombas sobre o inimigo, espírito de luta dos pilotos e sua extraordinária equipe de manutenção”. Era o início de um legado de eficiência e eficácia para a Força Aérea Brasileira.

Ao final da guerra, em 1945, impressionavam os números obtidos pelos militares da FAB, com mais de 30.000.000 de tiros de metralhadoras, 4.000 foguetes disparados, 7.000 toneladas de bombas de fins gerais e 1.000 bombas especiais. O segredo do sucesso: o desejo de cumprir da melhor forma a missão.

Em combate, os pilotos apresentaram resultados expressivos e, em terra, os especialistas de diversas áreas foram capazes de colocar um avião em operação na metade do tempo das outras equipes aliadas.

Dentre os técnicos da FAB, destacou-se o Tenente-Coronel Especialista em Armamento Jorge da Silva Prado, o qual realizou diversas atividades durante a guerra, como o remuniciamento dos aviões, harmonização das metralhadoras com o visor do tiro e conjugação de comando de disparo das metralhadoras com as câmeras cinematográficas para registro dos resultados das missões.

Após regressar ao Brasil, o Tenente-Coronel Prado introduziu novos métodos de armazenagem de material bélico, modificou o Sistema de Ordens Técnicas e estabeleceu nomenclatura padrão que foi adotada pelas Forças Armadas do Brasil. Também idealizou bombas incendiárias, produziu os primeiros foguetes de aviação fabricados no País e desenvolveu, juntamente com oficiais do Exército, novos tipos de propelentes sólidos. Por estas valorosas contribuições ao Sistema de Material Bélico da Força Aérea Brasileira, o Tenente-Coronel Prado tornou-se o Patrono do Material Bélico da Aeronáutica.

O tempo passou, a estrutura do Sistema de Material Aeronáutico e Bélico sofreu várias mudanças. Dos sistemas de pontaria fixa e metralhadoras .50, hoje o SISMAB passa a cada dia por modificações que exigem constante atualização e busca de conhecimentos pelos especialistas em virtude do avançado estágio tecnológico dos materiais bélicos a disposição de todos os operadores espalhados pelo território nacional.

Os artefatos, hoje empregados, não são mais apenas explosivos, são sistemas complexos que envolvem, também, eletrônica avançada, lançadores complexos, armamentos inteligentes, propelentes variados que exigem conhecimento muito além da pólvora e TNT. Assim são os militares que labutam diuturnamente para que as Unidades Aéreas e Terrestres apresentem a prontidão esperada pela FAB e para manter-se nas melhores condições cultivando uma gestão eficiente, sólida e engajada, também, em cumprir os objetivos estabelecidos pela Estratégia Nacional de Defesa.

O futuro se descortina e nos promete cada vez mais desafios. Nós, integrantes do SISMAB, estamos preparados para encará-los com coragem, determinação e honestidade de propósitos, sempre priorizando o alto nível de operacionalidade da Força.

É com muita honra e orgulho que, ao comemorarmos a data de hoje como o Dia do Material Bélico da Aeronáutica, além de relembrarmos e enaltecermos os feitos marcantes da nossa história, homenageamos os bravos profissionais que nos dias atuais contribuem, muitas vezes de forma anônima nos mais longínquos rincões deste país, para tornar a nossa Força Aérea uma Força Armada pronta para a defesa da Pátria.

A cada um dos integrantes do SISMAB que fazem “Da Força, O Sabre” parabéns pela contribuição e empenho nessa atividade tão importante para a Soberania Nacional. Continuem motivados e convictos da responsabilidade que possuem em manter a Força Aérea preparada para a guerra e, deste modo, garantir a Paz.

São Paulo, 11 de novembro de 2018

Tenente-Brigadeiro do Ar PAULO JOÃO CURY
Comandante-Geral de Apoio