TREINAMENTO

Ala 11 e RIOgaleão realizam simulado de emergência aeronáutica

Durante o treinamento foram realizados procedimentos de locomoção de feridos, evacuação de emergência e condutas a bordo, entre outros
Publicado: 02/10/2018 16:55
Imprimir
Fonte: Ala 11
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Capitão Landenberger

A Ala 11 e a Concessionária RIOgaleão, que administra o Aeroporto Internacional Tom Jobim, no Rio de Janeiro (RJ), realizaram, no dia 24 de setembro, um exercício simulado de emergência. O objetivo foi avaliar a pronta-resposta dos diversos setores envolvidos no atendimento de uma emergência aeronáutica, de forma a reciclar os procedimentos de todos os envolvidos. Foram empregados, no total, cerca de 70 militares e 40 civis, quatro carros do corpo de bombeiros, quatro ambulâncias e uma aeronave C-130.

O acidente simulado foi um pouso de emergência com vazamento de combustível, procedimentos de locomoção de feridos, evacuação de emergência, condutas a bordo, comunicação com a tripulação, indicações e contraindicações de transporte de pacientes e procedimentos de desinterdição de pista.

Coordenado pelo Chefe da Seção de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SIPAA), Major Aviador Diego Nascimento de Oliveira, o treinamento atende ao Plano de Emergência Aeronáutica em Aeródromo (PEAA), o qual estabelece os procedimentos, responsabilidades e atribuições para o atendimento de situações de emergência.

“O treinamento foi bastante proveitoso, pois, por meio dele, foi possível atualizar procedimentos e treinar as ações de responsabilidade dos diversos setores na eventualidade de alguma ocorrência aeronáutica”, ressaltou o Chefe da SIPAA.

Participaram da atividade a equipe médica do Hospital de Força Aérea do Galeão, os bombeiros do aeródromo, o Grupo de Segurança e Defesa da Ala 11, o oficial de segurança de voo de sobreaviso, a equipe de desinterdição de pista e a equipe de emergência da Concessionária RIOgaleão.

A simulação de Emergência Aeronáutica em Aeródromo foi supervisionada pelo Comandante da Ala 11, Brigadeiro do Ar Mozart de Oliveira Farias, e pelo Chefe do Estado-Maior, Coronel Aviador João Lúcio Veiga de Assis.