VISITA

Escola Superior de Guerra realiza viagem de estudos à Amazônia

Comitiva visitou Organizações das três Forças Armadas sediadas em Manaus e na fronteira noroeste brasileira
Publicado: 13/08/2018 17:27
Imprimir
Fonte: Ala 8, por Ten Lorena Molter
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Major Alle

Estagiários da Escola superior de Guerra (ESG) participaram de uma viagem de estudo à Região Amazônica, no período de 5 a 10 de agosto. Ao todo, 179 estagiários do Curso Superior de Defesa (CSD) e do Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia (CAEPE) conheceram mais de perto as atividades das Forças Armadas no Norte do país. A agenda de atividades ainda incluiu palestras que apresentaram a realidade política e econômica dessa parte do Brasil. Os estagiários da ESG são de diferentes áreas, como Forças Armadas e Auxiliares, membros do Poder Judiciário, entre outros.

“O Curso Superior de Defesa tem como objetivo preparar os assessores de alto nível, tanto para a área de defesa, o Ministério da Defesa, como para outros órgãos governamentais, tratando a Defesa Nacional. A Amazônia, com certeza, é uma região extremamente importante, estratégica, para o país”, explicou o Assistente Militar da Aeronáutica na ESG e Diretor do CSD/CAEPE, Brigadeiro Engenheiro Ronaldo Yuan.

A semana de atividades foi iniciada com um painel em que a Marinha, o Exército e a Aeronáutica apresentaram suas missões na região, bem como suas contribuições para o desenvolvimento e a defesa dos interesses nacionais na Amazônia. As palestras foram complementadas com visitas da comitiva a algumas das Organizações das três Forças Armadas sediadas em Manaus e na fronteira noroeste brasileira, incluindo o 5° Pelotão Especial de Fronteira, em Maturacá.

A agenda de estudos da ESG também incluiu palestras da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (FIEAM), da Superintendência da Zona Franca de Manaus (SUFRAMA) e da Secretaria de Estado de Planejamento, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação (SEPLAN-CTI) e uma visita ao Parque Fabril do Distrito Industrial da capital amazonense.

O Coronel Aviador Arthur de Souza Rangel, da Força Aérea Brasileira (FAB), trabalhou durante alguns na Amazônia e falou sobre o que lhe chamou atenção, agora no retorno como estagiário da ESG. “Vejo que o Exército, a Marinha e a FAB ainda estão trabalhando juntas, conseguindo resolver problemas da área de logística, de suprimento, de apoio, e que, só com a união das Forças Armadas e das outras agências, a gente consegue chegar ao objetivo que é fazer o patrulhamento da fronteira ou apoiar as populações que estão afastadas”, disse.

Outra estagiária do curso, a Coronel Médica Carla Lyrio Martins, também da FAB, disse acreditar que a visita na Região Norte pode contribuir para uma melhoria do Brasil. “Eu reconheço a importância dessa região no cenário do Brasil, não só na parte da política, da defesa, da segurança, da importância estratégica das reservas naturais, mas também, principalmente, na parte humana porque aqui a gente observa que existe uma riqueza tão grande, numa diversidade tão imensa de pessoas, e que estão tão distantes da gente que está nos grandes centros. Eu acredito que, com isso, a gente vá poder ajudar a construir inclusive um país melhor”, destacou.

A questão da defesa e da conservação das riquezas naturais da Amazônia também foi um dos pontos observados pela juíza de direito Admara Falante Schneider, estagiária do Curso de Altos Estudos de Política e Estratégia. “Um dos focos do curso é você conseguir concatenar a ideia de desenvolvimento, segurança e defesa nacional e não existe defesa nacional sem segurança de fronteira. E, se nós percebermos, as nossas zonas de conservação estão em sua maioria em nossa fronteira e então não tem como nós fixarmos a ideia de defesa nacional sem que as Forças Armadas estejam interligadas, que haja interoperabilidade e interseção, não só para a defesa da fronteira, mas a defesa da fronteira com a defesa de nosso patrimônio ambiental que é o nosso maior patrimônio nacional”, salientou.

Fotos:Soldado Arce