CURSO

PAMB-RJ ministra curso de manutenção de calibração de equipamento de visão noturna

Militares da FAB e da Marinha do Brasil participaram das instruções
Publicado: 25/07/2018 17:25
Imprimir
Fonte: PAMB-RJ
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Major Alle

O Parque de Material Bélico da Aeronáutica do Rio de Janeiro (PAMB-RJ) ministrou, no período de 03 a 19 de julho de 2018, o curso de Manutenção e Calibração de equipamentos de visão noturna, mais conhecido como NVG (no inglês, Night Vision Goggles). Dividido em teoria e prática, o objetivo foi capacitar militares mantenedores do Sistema de Material Aeronáutico e Bélico (SISMAB) da Força Aérea Brasileira (FAB) para executar os serviços de inspeção e manutenção dos equipamentos de visão noturna das Organizações Militares em que atuam.

Outra finalidade foi descentralizar do PAMB-RJ a inspeção semestral e evitar os custos de transporte e o tempo de deslocamento desses itens entre os diversos operadores e o PAMB-RJ.

"O curso proporcionou um ganho operacional imensurável e eu, como tripulante e instrutor na aviação de asas rotativas, passo a atuar como mantenedor, também, dos equipamentos das unidades das aviações de Caça e Transporte da Ala 5. A imperiosa calibração do equipamento de visão noturna, além do aumento e preservação da vida útil dos equipamentos, agrega uma maior responsabilidade com a segurança do voo, saúde visual dos operadores e aos que se encontram em situação de infortúnio", ressaltou o Sargento Feltrin da FAB, aluno do curso.

O NVG aumenta em até 10 mil vezes a luminosidade e aproveita a luz residual que pode ser da luz da lua e das estrelas para que os pilotos consigam realizar missões noturnas sem referências visuais. O equipamento é utilizado em missões noturnas de busca e salvamento, lançamento de cargas e paraquedistas em locais de conflito e missões de ataque. Além de quatro alunos da FAB, o curso contou também com a participação de três alunos da Marinha do Brasil (MB).

"O curso será altamente proveitoso para a Marinha, tendo em vista que os meios aeronavais ainda não operam com tal equipamento. Com o início da utilização, faz-se necessário uma rotina constante de manutenção, visando manter os equipamentos em perfeito funcionamento e prezar pela segurança dos utilizadores. Esses equipamentos proporcionarão uma grande vantagem nas diversas missões realizadas pela Força Aeronaval, principalmente as de busca e resgate", declarou o Sargento Ricardo Lima, da MB, aluno do curso.

 

Fotos: Sargento Louise