ESPORTE

Regata 24 Horas é disputada no Lago Paranoá, em Brasília (DF)

Maior do mundo em águas abrigadas, competição reuniu 26 veleiros no Clube da Aeronáutica
Publicado: 21/07/2018 17:30
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Major Alle

Um tiro de canhão em meio ao silêncio e tranquilidade do lago Paranoá, em Brasília (DF), marcou a largada da 30ª edição da Regata 24 Horas, atividade que envolve 26 veleiros na maior competição em águas abrigadas do mundo. A maratona iniciou ao meio-dia deste sábado (21), na orla da sede náutica do Clube da Aeronáutica.

Os competidores são divididos em seis categorias. Durante 24 horas eles percorrem quase toda a extensão do lago. Dentro deste tempo, as embarcações realizam quantas voltas forem possíveis em rotas variadas, determinadas por bóias fixadas na água.

Nenhuma outra competição no mundo, com embarcações concebidas e adequadas para navegar em zonas de fraca agitação marítima, possui tamanha extensão e duração. O Diretor do Departamento Náutico do Clube da Aeronáutica e um dos coordenadores da prova, Tenente-Coronel Erick Batista dos Santos, explica que as regras não permitem paradas, troca de tripulação e ainda o recebimento de alimento. "É uma regata que o velejador e a tripulação são colocados à prova. O clima a bordo varia de um extremo ao outro", avalia.

O primeiro barco a concluir o circuito, ao meio-dia de domingo (21), independente da categoria, recebe uma fita azul como símbolo da conquista. "Em um segundo momento, a coordenação faz a separação de vencedores por classe", explica o Tenente-Coronel Erick. A premiação está programada para acontecer no dia 26/07, em cerimônia que irá entregar as medalhas aos três primeiros colocados de cada segmento.

Superação

Esta é a 11ª vez que o funcionário público e velejador Antônio Cláudio Biza participa da regata. Acostumado com as competições longas, ele diz que o maior desafio está na preparação para o evento. Afirma que o mais importante é checar as condições da embarcação. "Precisamos também cuidar da tripulação, ter bom condicionamento físico, estudar, treinar durante o ano. Além disso, a tripulação precisa estar entrosada", pontua Antônio, que já foi campeão na categoria Ranger 22. 

Do lado de fora da água, famílias se juntaram para assistir ainda o show da Esquadrilha Fox, grupo de acrobacias aéreas de Brasília que se apresentou antes da largada.

O empresário Ronaldo Barroca e a funcionária pública Cristiane Barroca vieram de João Pessoa (PB) a passeio com a família e foram surpreendidos pelas atrações. Ele, que também é velejador, conta que se sentiu emocionado ao ver o tamanho da competição. "Eu também sou desse meio, não dava pra ficar de fora. Senti muito por não estar participando", falou. "A água é nossa casa", brincou a esposa.

Homenagem

Todos os anos, a Regata 24 Horas acontece no final de semana mais próximo do dia 20 de julho. Presente na largada da regata, o Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, reforçou que a atividade é mais uma forma da instituição celebrar o dia do nascimento do Patrono da Aeronáutica e Pai da Aviação. "A FAB divulga a imagem de Santos-Dumont e faz com que os velejadores se divirtam aqui no lago", comentou.

O Diretor de Ensino da Aeronáutica e Presidente do Clube da Aeronáutica, Major-Brigadeiro do Ar Rui Chagas Mesquita, completa que a regata é um incentivo ao esporte veleiro. "Temos a vocação e uma estrutura fantástica. É extremamente importante trabalharmos a prática náutica", concluiu.

Assista ao vídeo da Regata 24 Horas

Fotos: Sargento Bruno Batista/CECOMSAER

Vídeo: Sargento Santiago Moraes/CECOMSAER

imagens/original/36835/180721bat6639_bruno-batista.jpg