RECONHECIMENTO

Aviação de Reconhecimento completa 71 anos

Comandantes de Esquadrões, pilotos e militares foram homenageados
Publicado: 25/06/2018 18:20
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Asp Carlos Balbino
Edição: Agência Força Aérea - Revisão: Major Alle

Tropa desfila em continência ao Comandante da FABDesfile militar, homenagens e condecorações marcaram a celebração dos 71 anos da Aviação de Reconhecimento. A data foi comemorada, nesta segunda-feira (25), com uma cerimônia militar, na Ala 2, em Anápolis (GO), presidida pelo Comandante da Força Aérea Brasileira (FAB), Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, e contou com a presença de diversas autoridades civis e militares.

Pela primeira vez, a cerimônia foi aberta com o canto do Hino da Aviação de Reconhecimento. Cerca de 700 militares que compuseram a tropa ecoaram os versos da canção que exalta a importância desse ramo da aviação para a Pátria “na guerra e na paz”.

Oficiais-generais participam da cerimônia militarPresente na Força Aérea Brasileira desde 1947, a Aviação de Reconhecimento cumpre missões relacionadas à produção de dados e conhecimentos para a Inteligência de Defesa. Hoje, a FAB conta com quatro Esquadrões desse tipo: Poker (1°/10° GAV), Carcará (1°/6° GAV), Guardião (2°/6° GAV) e Hórus (1°/12° GAV).

“O reconhecimento foi progredindo ao longo da sua existência na Força Aérea. No início, havia sensores de fotografia, fotos básicas, e com o advento do 2º/6º GAV, nós passamos a ter o reconhecimento com sensores eletromagnéticos. Depois, com a entrada do Esquadrão Hórus em operação, vieram as aeronaves remotamente pilotadas. Isso tudo aumenta o escopo e a gama de informações que o reconhecimento consegue passar para a Força e, numa situação de conflito, isso é extremamente útil e necessário”, destacou o chefe da Assessoria Parlamentar e de Relações Institucionais (ASPAER), Brigadeiro do Ar Maurício Augusto Silveira de Medeiros.

Aeronave de Reconhecimento do 2º/6º GAVAo relacionar a missão da Força Aérea à capacidade de garantir superioridade de informações nos ambientes aéreo, espacial e cibernético, o Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral, reforçou a necessidade de desenvolver e implantar um novo conceito operacional que integre as atividades de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento para que sejam proporcionados conhecimentos oportunos e precisos para subsidiar as decisões dos comandantes militares e para apoiar as ações governamentais.

“Não há dúvidas que os pilotos, os foto-intérpretes, os técnicos em informações de reconhecimento e os operadores de sistemas da Aviação de Reconhecimento são essenciais nesse processo de transformação doutrinária, por conta da disciplina, do comprometimento e do profissionalismo demonstrados ao longo dessas sete décadas de existência”, frisou.

 Reconhecimento

Militares homenageados na cerimôniaA cerimônia também contou com homenagens a militares que se destacaram pelo desempenho obtido na FAB. As marcas operacionais concedidas aos pilotos considerados mais eficientes no ano de 2017 foram entregues pelo Chefe do Estado-Maior do Comando de Preparo (COMPREP), Major-Brigadeiro do Ar Mário Luís da Silva Jordão, ao Capitão Aviador Vinícius Maia Handa (1º/6º GAV) e ao Capitão Aviador Émerson Chaves Cezar (2º/6º GAV). “É realmente uma honraria que mostra um reconhecimento pelo nosso esforço, nosso trabalho ao longo do ano”, comemorou o Capitão Cezar.

O Comandante do Esquadrão Carcará, Tenente-Coronel Aviador João Gustavo Lage Germano, e o Comandante do Esquadrão Guardião, Tenente Coronel Pedro Gustavo Schmidt Siloto, foram agraciados com a medalha Mérito Operacional Brigadeiro Nero Moura, composta por um passador de prata e por uma miniatura do brevê de oficial aviador. A imposição das condecorações foi feita pelo Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral.

Comandante do Esquadrão Carcará é condecorado“É um reconhecimento pela nossa dedicação à frente do comando da unidade e acredito ser um estímulo para os demais integrantes do efetivo”, destacou o Tenente-Coronel Germano.

Também foram condecorados com a medalha Eduardo Gomes Aplicação e Estudo o primeiro colocado do Curso de Formação de Sargentos da EEAR, concluído em 1991, Capitão Especialista de Aeronáutica em Comunicações José Roberto Gonçalves Cayres, e o primeiro colocado do Curso de Formação de Oficiais Especialistas (CFOE) de 2016, Tenente Especialista em Fotografia Bruno Lima de Araújo. A honraria foi entregue pelo Comandante da Força Aérea Brasileira. “É bom ser lembrado sempre, inclusive, na presença do Comandante da Força Aérea. Certamente foi muito marcante”, afirmou o Tenente Bruno Lima.

Visita

Durante a passagem por Anápolis (GO), o Comandante da Força Aérea Brasileira, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, aproveitou para visitar e ver o andamento da reforma das instalações da Ala 2, que está sendo adaptada para receber as aeronaves Gripen e KC-390.

Comandante visita instalações da Ala 2O Comandante esteve no hangar dois do Grupo Logístico (GLOG), passou pelo pátio de estacionamento (que deve ser ampliado em breve), pelas áreas operacionais e administrativas dos esquadrões e pelo Grupo de Defesa Aérea (GDA) – local que irá abrigar os dois simuladores de voo do Gripen. Os equipamentos serão usados no treinamento dos pilotos que vão operar as novas aeronaves.

Segundo o Comandante da Ala 2, Coronel Aviador Antonio Marcos Godoy Soares Mioni Rodrigues, serão necessários pelo menos cinco anos para que as obras sejam concluídas. “Tivemos que fazer várias adaptações para receber toda essa tecnologia que está vindo pra cá. Algumas coisas têm prazo mais imediato para ficarem prontas esse ano ou início do ano que vem e algumas vão depender da chegada dos aviões e se estender até 2023”, explicou.

Fotos: Sargento Bianca Viol