HOMENAGEM

Evento celebra Dia dos Mantenedores da Paz em operações da ONU

Cerimônia lembrou dos capacetes azuis que perderam a vida em missões nos últimos 70 anos
Publicado: 28/05/2018 18:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Jonathan Jayme
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli - Revisão: Cap Oliveira

Autoridades prestaram homenagem aos militares mortos em operações de paz da ONUPromover a paz para a construção de civilizações e para a edificação de estados democráticos e justos. A nobre missão de homens e mulheres que atuam em operações da Organização das Nações Unidas (ONU) foi lembrada nesta segunda-feira (28), em Brasília (DF), durante cerimônia militar em comemoração ao Dia Internacional dos Peacekeepers.

Com a participação de representantes da Marinha, Exército e Força Aérea, o evento homenageou os chamados "capacetes azuis" que já integraram, que ainda atuam e aqueles que perderam suas vidas em missões da ONU para a manutenção da paz em zonas de conflito.

A solenidade foi presidida pelo Ministro da Defesa interino, Joaquim Silva e Luna, e contou com a participação do Comandante-Geral do Pessoal da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez, representando o Comando da Aeronáutica, além de oficiais generais das três Forças.

O ministro lembrou os permanentes conflitos de baixa intensidade ativos em todo o mundo nos dias de hoje e a importância da participação da nação brasileira para a promoção da paz. "O Brasil é um garantidor de paz pela forma como nos comportamos em todos ambientes, pelo nosso espírito solidário", completou.Major Klüppel atuou nas forças de paz do Saara Ocidental: um ano de aprendizado

Em seu discurso, Silva e Luna afirmou que hoje o país, com um total de 270 militares, integra dez diferentes missões das Nações Unidas. Recordou ainda que a participação brasileira ocorre desde 1956, quando as Forças Armadas enviaram o Batalhão de Infantaria de Força de Paz (Batalhão Suez) para integrar a 1ª Força de Emergência das Nações Unidas (UNEF I) junto à Faixa de Gaza no conflito árabe-israelense.

Aprendizado

De volta ao Brasil em 2016, o Major Robert Brun Klüppel foi peacekeeper por um ano na Missão das Nações Unidas para o Referendo no Saara Ocidental (MINURSO). Em uma operação que já contou com a participação de mais de 30 países, o militar passou pelas funções de oficial de operações, oficial de informações e assistente militar do force commander. "Foi um ano de muito aprendizado, com estruturas de trabalho diferentes. Conviver com pessoas de todas as culturas agrega muito e a gente volta com uma bagagem interessante", avalia.Major-Brigadeiro do Ar Almeida auxiliou na garantia da paz da ex-Iugoslávia

O Major-Brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida participou, em 1996, da operação de paz da ONU na ex-Iugoslávia, com atuação na tríplice fronteira entre a Bósnia, a Sérvia e a Croácia. Segundo o militar, o objetivo era acompanhar a fase inicial de reconstrução do país, garantindo o desarmamento e o surgimento de novos movimentos militares. "Depois de uma missão como essa, você não retorna da mesma maneira que você foi. Por mais problemas que tenhamos, a dificuldade de um país em guerra é incomparável. O maior dom que um país pode ter é a paz", conclui.

História

Grupamento de capacetes azuis desfilou em continência ao Ministro da DefesaA ONU instituiu o dia 29 de maio para a celebração do Dia Internacional dos Peacekeepers, pois nesta data teve início a primeira operação de manutenção de paz, há exatos 70 anos, com o destacamento de observadores militares para supervisionar a trégua entre Israel e seus vizinhos no Oriente Médio.

Ao todo, o Brasil já participou de aproximadamente 50 missões das Nações Unidas, tendo enviado cerca de 50 mil militares ao exterior. Atualmente, o Brasil mantém observadores militares e oficiais de Estado-Maior em missões no Chipre, na República Centro-Africana, no Saara Ocidental, na República Democrática do Congo, na Guiné Bissau, no Sudão e no Sudão do Sul. 

Assista ao vídeo e veja como foi a cerimônia de homenagens aos Peacekeepers

 

Fotos: Sargento Batista / CECOMSAER