DIA DAS MÃES

Dois filhos e o mesmo sonho: ser piloto de caça

Com o apoio da mãe, os dois irmãos se tornaram pilotos de caça da Força Aérea Brasileira e, atualmente, trabalham juntos no mesmo esquadrão
Publicado: 13/05/2018 00:00
Imprimir
Fonte: Ala 2, por Tenente Bárbara
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias - Revisão: Cap Oliveira

“Eu sempre pensei em ser mãe, só que eu tinha muito medo de ter filhos, achava que não estava preparada para educá-los, mas, agora, vejo que fui muito bem sucedida porque eles são pessoas maravilhosas!”. Essas são as palavras de Célia Martins Alves Krüger, aposentada, mãe de um Capitão e de um Tenente, ambos aviadores do Primeiro Grupo de Defesa Aérea (1° GDA) - Esquadrão Jaguar, localizado na Ala 2, em Anápolis (GO).

A paixão pela aviação foi demonstrada pelo Capitão na infância. Desde criança, desejava ser piloto militar e sua mãe foi a grande incentivadora. “Nós comprávamos muitos blocos de montar para ele, ele montava o modelo que vinha na caixinha, desmontava tudo e montava avião e, também, desenhava muitos aviões”, recorda ela.

O militar passou na prova para a Academia da Força Aérea (AFA), localizada em Pirassununga (SP), em 2005. O irmão mais novo seguiu o mesmo caminho. Dois anos depois, realizou a seleção para a AFA e também foi aprovado. Durante a formação, Célia conta que a maior alegria era vê-los voltar para casa no fim de semana. "Eles vinham com a mala cheia de roupa pra lavar, passar e fazer aqueles vincos certinhos, e, no domingo à noite, iam embora; na segunda, eu já acordava com saudade, mas torcendo sempre por eles”, destaca.

E os dois decidiram ser pilotos de caça. Depois de Pirassununga, foram para Parnamirim, região metropolitana de Natal (RN), para fazer o curso de especialização e, atualmente, atuam juntos no 1° GDA.

"Durante o meu percurso, tive muitas alegrias e também enfrentei diversas dificuldades, mas sempre tive o apoio da minha família, em especial da minha mãe, que sempre me impulsionou, me amparou e, nas horas difíceis, esteve ao meu lado me ajudando a chegar onde eu cheguei, sendo piloto de caça da Força Aérea Brasileira", revela o Capitão.

O mesmo sentimento é compartilhado pelo irmão. "Ela sempre foi um porto seguro nos momentos de dificuldades e uma grande incentivadora do nosso sucesso pessoal e profissional. Só tenho a agradecer", relata o Tenente.

Para a mãe, ver os dois filhos trabalhando juntos em um esquadrão de caça da FAB é uma grande satisfação. "Eles realizaram seus sonhos. O meu orgulho é ver que se tornaram pessoas honestas, educadas, honradas e, além disso, minha maior satisfação, realmente, é ver o amor deles pela Pátria”, enfatiza.

Essa é a segunda vez que o 1° GDA tem, em seu efetivo, dois irmãos aviadores. Os primeiros irmãos a integrarem o Jaguar foram o Coronel Aviador Antonio Luiz Godoy Soares Mioni Rodrigues, atualmente assessor do Conselheiro Militar da ONU, em Nova York, e o Coronel Aviador Antonio Marcos Godoy Soares Mioni Rodrigues, atual Comandante Interino da Ala 2.