AJUDA HUMANITÁRIA

Unidade em Roraima produz refeições para serem distribuídas aos venezuelanos

Ao total, são produzidas 800 refeições por dia
Publicado: 15/03/2018 17:25
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Gabrielli - Revisão: Major Alle

A Força Aérea Brasileira (FAB) começou, nesta quinta-feira (15), a produzir refeições para serem distribuídas aos venezuelanos que cruzam as fronteiras brasileiras pelo Estado de Roraima. No total, o Grupamento de Apoio de Boa Vista (GAP-BV) está produzindo 800 refeições diárias que são distribuídas aos venezuelanos em Boa Vista (RR), sendo 400 quentinhas no almoço e 400 no jantar.

Para produzir 800 refeições, a cozinha da unidade precisou de mais material. No domingo (11), um C-105 Amazonas pousou em Boa Vista com utensílios provenientes de Organizações Militares da FAB sediadas no Rio de Janeiro (RJ), para reforçar a estrutura do local.

"A previsão é que, com o tempo, sejam produzidas 4500 refeições por dia para serem distribuídas aos venezuelanos, sendo 1500 no café da manhã, 1500 no almoço e 1500 no jantar. A distribuição é feita pelo Exército diretamente nos abrigos do município", ressaltou o Chefe do GAP-BV, Major Solano Magalhães de Carvalho Vila Nova.

Desde a semana passada, a FAB vem se mobilizando para que as refeições fossem preparadas. Na quinta-feira (08), o Boeing 767 do Esquadrão Corsário (2°/2° GTT) decolou do Rio de Janeiro com destino a Manaus (AM) com nove toneladas de materiais e equipamentos para serem levados a Boa Vista.

Imigração

Dados oficiais apontam que mais de 40 mil venezuelanos vivem na capital de Roraima. Para fugir da crise humanitária instalada em seu país, estima-se que, por dia, 800 entrem no Estado. Os abrigos estão lotados e milhares de imigrantes vivem em situação de rua. A maioria chega pelo município de Pacaraima e depois segue para a capital.

"Nesse contexto, a FAB, ao mobilizar seus meios de diversas localidades e atuar de forma integrada às demais instituições, contribui efetivamente para que a situação de vulnerabilidade dos nossos vizinhos seja mitigada", ressaltou o Comandante da Ala 7, Coronel Eric Breviglieri.