ESPORTE

Corrida para a Paz reúne quase dez mil pessoas em Brasília e bate recorde de participantes

Primeiro a cruzar a linha de chegada foi aluno do Programa Forças no Esporte por seis anos
Publicado: 18/02/2018 14:15
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli
Edição: Major Peçanha

Na Capital Federal, a corrida aconteceu no Eixão SulNeste domingo (18/02), a Capital Federal foi uma das cidades a sediar a Corrida para a Paz do Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM DAY RUN FOR PEACE). Em Brasília (DF), o evento, que acontece anualmente em diversas cidades pelo mundo, reuniu em torno de 9.600 participantes no Eixão Sul, que percorreram um trajeto de 5km.

O primeiro a cruzar a linha de chegada foi o Soldado do Exército Brasileiro Joseías Ferreira das Chagas, com o tempo de 16min11s. Por seis anos, ele foi aluno do Programa Forças no Esporte (PROFESP) - uma parceria entre os Ministérios da Defesa, do Esporte e do Desenvolvimento Social, que oferece prática esportiva, atividades culturais e cívicas nos quartéis de todo o País para crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. "O esporte é tudo na minha vida, foi ele que me tirou da rua. Se hoje eu sou quem eu sou, é por causa desse projeto", disse o militar, ao término da corrida.

Primeiro a terminar o trajeto de 5km é ex-aluno do PROFESPSegundo o Secretário de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do Ministério da Defesa, Tenente-Brigadeiro do Ar Ricardo Machado Vieira, nesse momento de tanta violência por que passa o Brasil, eventos como esse, que celebram a paz, são bem-vindos. Ele também comentou sobre a vitória do ex-aluno do PROFESP. "Embora o objetivo do Programa não seja revelar talentos esportivos, em um cenário de 25.500 assistidos, isso acaba acontecendo. O caso de Joseías mostra que podemos não só ajudar esses jovens, mas desenvolver vocações", avaliou o oficial-general.

Corrida para a Paz em Brasília bateu recorde de públicoNeste ano, a Corrida para a Paz na Capital Federal - que costuma reunir o maior número de participantes em comparação a outras cidades brasileiras que também realizam o evento - bateu recorde de público: enquanto nos anos anteriores a média era de seis mil participantes, neste ano chegou a quase dez. Isso, porque, nesta edição da corrida - que é a 13ª - aconteceu uma parceria inédita entre o Ministério da Defesa e a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), com o lançamento da campanha Jogo Limpo, para erradicação do consumo de substâncias proibidas para a performance esportiva. "A convergência de interesses fez com que nos uníssemos, superando os patamares tradicionais da Corrida para a Paz, que sempre acaba sendo limitada pelos recursos financeiros", explicou o Diretor do Departamento do Desporto Militar do Ministério da Defesa, Vice-Almirante Paulo Martino Zuccaro.

Militares da Força Aérea Brasileira participaram da corridaO Secretário Nacional da ABCD, Luiz Celso Giacomini, conta que esse é o segundo evento em parceria com as Forças Armadas. "Nosso objetivo é disseminar a cultura do jogo limpo e, para isso, vamos estudar outras formas de trabalharmos em conjunto com Marinha, Exército e Aeronáutica com essa finalidade, por intermédio do PROFESP", avaliou o secretário.

O Conselho Internacional do Desporto Militar completa, em 2018, 70 anos. Ele foi criado em 1948, logo após o término da Segunda Guerra Mundial, para promover o congraçamento entre as nações por meio do esporte, explicou o Major-Brigadeiro do Ar Rogério Gammerdinger Veras, Chefe do Estado-Maior do Comando-Geral do Pessoal (COMGEP), da Força Aérea Brasileira, que participou da corrida. "A higidez física é um dever do militar. Além disso, esse tipo de evento permite que a sociedade civil conheça um pouco do nosso trabalho", afirmou.

Emilene levou a família inteira para prestigiarPúblico diverso

Dentre as quase dez mil pessoas presentes, estavam civis e militares de todas as idades, interessados não só na corrida em si, mas no congraçamento que uma corrida para a paz representa.

Emilene Paes Solis trouxe os filhos de 16, 12 e 4 anos para prestigiar o evento. Ela conta que os maiores costumam correr, mas ela e a menor fazem caminhadas ou vão de bicicleta. Segundo ela, o importante é participar. "É uma forma saudável de passar o domingo, fazendo uma atividade física e passando um tempo com a família", disse.

Atleta paralímpico também participou do eventoAtleta paralímpico, Pedro Henrique Martins terminou a prova em 23min28s. Ele, que nasceu com paralisia cerebral, aos 27 anos participa de circuitos de corridas por todo o País e, para a Corrida para a Paz, trouxe uma mensagem de otimismo: "sonhar vale a pena", disse.

O primeiro militar da Força Aérea Brasileira a cruzar a linha de chegada foi o Cabo Leonardo Loiola Silva Nobre, que trabalha no Hospital de Força Aérea de Brasília (HFAB). Ele conta que fez seu menor tempo em uma prova de 5km, 17min30s, e elogiou a organização. "É um evento de excelência e gratuito; um dos poucos com esse perfil em Brasília", avaliou o militar.

Fotos: Sargento Bianca Viol