ESPORTE

Brasil conquista 40 medalhas e quebra 15 recordes em campeonato de natação

O segundo colocado foi a Rússia e o terceiro, a Polônia
Publicado: 19/12/2017 15:00h
Imprimir
Fonte: CDA, por Tenente Matheus
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias Revisão: Major Alle

O Brasil foi o grande campeão do 49º Campeonato Mundial Militar de Natação, promovido pelo Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), com 40 medalhas: 21 de ouro, 14 de prata e 5 de bronze, além da quebra de 15 recordes. A delegação Russa conquistou o segundo lugar, com 25 medalhas: 9 de ouro, 12 de prata e 4 de bronze; já a Polônia ficou em terceiro lugar, com 13 medalhas: 3 de ouro, 2 de prata e 8 de bronze.

A delegação brasileira foi composta por 26 atletas, sendo oito militares da Marinha do Brasil (MB); 14 do Exército Brasileiro (EB); e 4 da Força Aérea Brasileira (FAB).

De acordo com o Vice-Almirante Fuzileiro Naval Paulo Martino Zuccaro, Presidente da Comissão Desportiva Militar Do Brasil, os dois principais objetivos foram alcançados. “O primeiro foi criar condições para que aqui brilhassem, como efetivamente brilharam, as estrelas deste grande evento, que são esses fabulosos atletas, orgulhos de suas respectivas nações. O segundo, aparentemente tão bem cumprido quanto o primeiro, foi conformar um ambiente de trabalho e convivência propício à prática contínua dos ideais do CISM, tão bem expressos em seu lema, a bem da verdade sua razão de ser: amizade através do esporte”, ressaltou.

O campeonato foi realizado entre os dias 11 e 16 de dezembro e contou com a presença de 131 atletas militares de 12 países: Brasil, Alemanha, Canadá, França, Índia, Iraque, Luxemburgo, Polônia, Rússia, Sri Lanka, Suíça e Ucrânia.

As competições foram realizadas nas instalações esportivas construídas para os Jogos Olímpicos Rio 2016, na Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), no Rio de Janeiro (RJ). O campeonato é organizado pelos Ministérios da Defesa e do Esporte em conjunto com a Comissão Desportiva Militar do Brasil (CDMB) e a CDA, com o intuito de impulsionar a preparação dos atletas militares de alto rendimento para os 7º Jogos Mundiais Militares na China, em 2019, e os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.