ORDEM DO DIA

Dia da Infantaria da Aeronáutica

Dia da Infantaria da Aeronáutica é comemorado em 11 de dezembro
Publicado: 11/12/2017 00:00h
Imprimir
Fonte: COMPREP

Infantaria da Aeronáutica, nobre Quadro do gládio alado e dos fuzis, “salvaguarda da Aviação”, “serás sempre altaneira”.

Hoje, 11 de dezembro de 2017, comemoramos o Dia da Infantaria da Aeronáutica, fazendo alusão aos sessenta e seis anos da criação das seis primeiras Companhias de Infantaria de Guarda, em Belém, Fortaleza, Natal, Recife, Salvador e Galeão. Sua missão atribuída era “assegurar a guarda, a vigilância e a defesa imediata das bases aéreas, aeródromos, campos de pouso e estabelecimentos da Aeronáutica”.

Hoje, a concepção operacional da Infantaria da Aeronáutica, idealizada pelo Comando de Preparo, lhe atrela a quatro áreas de atuação: a Segurança e Defesa, a Defesa Aeroespacial, as Operações Especiais e a Busca e Salvamento, dentro das quais estão dispostas as Ações de Força Aérea de Ação Direta, Autodefesa de Superfície, Busca e Salvamento, Busca e Salvamento em Combate, Contraterrorismo, Defesa Antiaérea, Guiamento Aéreo Avançado, Polícia da Aeronáutica, Segurança das Instalações e Reconhecimento Especial.

A Infantaria da Aeronáutica abarca muito mais que só o Quadro de Oficiais de Infantaria, inclui, também, a Especialidade de Guarda Segurança dos Quadros de Oficiais Especialistas da Aeronáutica, de Suboficiais e Sargentos, de Cabos e de Soldados, bem como militares de outros Quadros e Especialidades, que ombreiem os Infantes nas Unidades da tropa terrestre da Força Aérea.

A FAB está em plena Reestruturação, com foco na garantia de um processo de melhora contínua e um aumento da efetividade dos seus recursos. A Infantaria da Aeronáutica acompanha a manobra do “líder da esquadrilha”. O trabalho de concentração de meios já foi iniciado nos anos 2000, com a criação dos Batalhões de Infantaria da Aeronáutica Especiais, os BINFAE, quando as diversas Unidades de Infantaria de uma mesma Guarnição de Aeronáutica foram transformadas em uma só, reunindo o acervo de pessoal, equipamentos e instalações das Unidades de origem e ganhando maior sinergia e melhor comando e controle. Agora, a tarefa é remodelar as estruturas organizacionais, tornando-as mais leves, efetivas e afins com a Força Aérea, bem como mapear e melhorar os processos correlacionados, aplicando-lhes novas tecnologias, táticas, técnicas e procedimentos.

Após treze anos, as Forças Armadas brasileiras encerram sua participação na Missão das Nações Unidas para Estabilização do Haiti – MINUSTAH. Em dez dos vinte e seis Contingentes brasileiros, a Força Aérea Brasileira esteve representada por um Pelotão de Infantaria da Aeronáutica e oficiais de estado-maior. Cabe ressaltar que os Pelotões da FAB foram elogiados pelos comandantes dos Batalhões de Infantaria de Força de Paz brasileiros, citando-os como referência de prontidão e desempenho.

Ainda, como marcos operacionais, é justo aludir-se à excelente participação de diversas Unidades de Infantaria, nas Operações de Garantia da Lei e da Ordem Potiguar, Capixaba, Carioca e Furacão, nas Operações de Garantia da Votação e da Apuração do primeiro e do segundo turno das eleições suplementares do Estado do Amazonas, nas Operações Varredura no sistema penitenciário brasileiro e na Operação Ostium da Força Aérea Brasileira.

A participação de frações de emprego de Infantaria da Aeronáutica em missões de Paz, de GLO e outras congêneres, além dos legados tangíveis e intangíveis, projeta a imagem da Força no cenário nacional e internacional. Assim, é imprescindível que a Força Aérea mantenha a sua tropa terrestre adequadamente aprestada para um pronto-emprego em situações de normalidade, crise ou conflito armado.

Neste ano, ainda, cabe ressaltar o vigésimo aniversário da Companhia de Artilharia Antiaérea de Autodefesa de Canoas, estrutura precursora da Defesa Antiaérea na Força, e a participação do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARASAR) na campanha de certificação para lançamento aeroterrestre de pessoal do KC-390.

Nobres combatentes terrestres de ontem, de hoje e de sempre, tenham certeza que o esforço despendido por cada um de vocês ao longo da história, lançou e lança alicerces nos quais se assentam as bases de uma Infantaria, a cada dia, mais bem equipada, treinada, especializada e focada na missão que lhe é atribuída pela Força Aérea.

Parabéns Infantaria da Aeronáutica, parabéns Força Aérea Brasileira.

CONTROLAR, DEFENDER E INTEGRAR.

Ten Brig Ar ANTONIO CARLOS EGITO DO AMARAL
Comandante de Preparo