AMAZONLOG17

Em seis dias de exercício, FAB socorre cinco pessoas

Exercício tem o objetivo de desenvolver doutrina para ações humanitárias
Publicado: 13/11/2017 17:00h
Imprimir
Fonte: Ministério da Defesa
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente João Elias

O Ministro da Defesa, Raul Jungmann, acompanhou, nesse sábado (11/11), as operações do Amazonlog17, inédito Exercício Logístico Multinacional Interagências na América do Sul, realizado em Tabatinga (AM). O exercício é organizado pelo Comando Logístico do Exército Brasileiro (COLOG) e envolve integrantes das Forças Armadas do Brasil, Colômbia, Peru e Estados Unidos, além de observadores militares de nações amigas, representantes de ministérios, de agências brasileiras, estrangeiras e de empresas de material de emprego militar de uso dual (civil e militar).

“Nós temos aqui 23 países unidos com um só objetivo: ajuda humanitária. O Amazonlog reúne as Forças Armadas do Brasil e de países vizinhos e irmãos em uma unidade a favor das comunidades e dos povos. Esse é um trabalho em favor da vida. E todos os países que quiserem colaborar nesta missão serão muito bem tratados e reconhecidos pelo povo brasileiro”, disse Jungmann.

Durante a visita do ministro foram realizadas algumas simulações. Um C-105 Amazonas, do 1º Esquadrão do 9º Grupo de Aviação da Força Aérea Brasileira (FAB), efetuou um lançamento de uma carga de 225 kg, utilizando um sistema semiautomático, no qual o paraquedas é acionado por uma fita de abertura, que fica conectada ao cabo de ancoragem da aeronave. Isso tudo a uma altura de 400 pés e a uma velocidade de 250 km/h.

O Comandante logístico do Exército e da operação do exercício, General Teophilo, explica que a escolha do local para a montagem da base logística foi devido às dificuldades de deslocamentos e comunicações. “Nós estamos na coordenação, no emprego desta difícil missão que é a ajuda humanitária. Toda hora misturamos operações do exercício com operações reais, pelo local que foi escolhido”, destacou.

E algumas dessas operações reais foram realizadas com o apoio da FAB. Em seis dias de exercício, cinco vidas foram salvas. Entre elas, a de um bebê que nasceu prematuro na comunidade de Palmeira do Javari e foi transportado para Tabatinga, além de um rapaz, que sofreu uma fratura de crânio e foi removido para Manaus, e uma grávida que precisou ser resgatada de Estirão do Equador.

“A vida não se repõe. Todo esforço que se puder fazer para a preservação da vida é válido. Essa interação entre as agências que compõem o sistema nacional de defesa civil é de suma importância. Vamos dar continuidade a esta ação e buscar firmar um protocolo de interação entre agências tanto nacionais quanto internacionais”, destacou o coordenador do Departamento de Operações de Socorro em Desastres do Ministério da Integração, Cesar Santana.

O General Sosa, Chefe do Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas da Argentina, defende a unidade entre as nações para uma pronta resposta em situações de calamidade. “Ter um uma capacidade integrada internacional, que pode prestar ajuda humanitária, e ter todas as agências e países amigos reunidos poderá ajudar a criar um sistema, o que é uma coisa absolutamente positiva, e que permitirá que todos estejam em melhores condições para enfrentar desastres que estão cada vez mais fortes”, especificou.