CATALOGAÇÃO

FAB reúne organizações e empresas para debater catalogação aplicada à logística

Primeiro Simpósio de Catalogação aplicado à Logística da Força Aérea Brasileira aconteceu na última semana em SP
Publicado: 11/10/2017 14:45h
Imprimir
Fonte: Ala 13, por Tenente Beatriz Kramer
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Gabrielli Dala Vechia

Diretor do CECAT, Coronel Márcio Gonçalves RibeiroCom o tema “Atividade de catalogação como ferramenta na gestão de materiais: uma abordagem dos processos logísticos”, o Centro de Catalogação da Aeronáutica (CECAT) realizou, no dia cinco de outubro, o Primeiro Simpósio de Catalogação Aplicada à Logística na FAB, nas dependências do Instituto de Logística da Aeronáutica (ILA), em Guarulhos (SP). Cerca de 120 pessoas, entre militares e civis de diversas organizações da Força Aérea Brasileira, além de representantes da indústria nacional, participaram do evento. O simpósio teve como foco a avaliação do emprego da catalogação nos processos de aquisição e o cumprimento das cláusulas contratuais da atividade.

O Chefe do Estado-Maior do Comando-Geral de Apoio, Major-Brigadeiro do Ar José Augusto Crepaldi Affonso, abriu o evento e enfatizou a importância da atividade de catalogação para o sistema logístico da Força Aérea. Segundo ele, a catalogação possibilita o conhecimento, em detalhes, de toda a cadeia de fornecedores, características e qualidades técnicas relacionadas aos itens empregados em aeronaves. "Essa iniciativa do CECAT é uma maneira inédita de mostrar a importância da atividade não só para aqueles que trabalham na área, como também para todos que lidam direta ou indiretamente com a logística. O Comando-Geral de Apoio incentiva esse tipo de atividade", ressaltou.

O Diretor do CECAT, Coronel Márcio Gonçalves Ribeiro, explicou que a catalogação não pode ser vista como fim em si mesma, enfatizando que o fruto de todo esse sistema é o catálogo. "O CECAT tem a atribuição de passar a doutrina da catalogação, processo que permite identificar o item de forma única, bem como suas características técnico-gerenciais, possibilitando, também, o mapeamento da cadeia produtiva. Temos a certeza de que a catalogação é uma ferramenta primordial para o fomento da Base Industrial de Defesa (BID) no Brasil", complementou.

Em torno de 120 pessoas participaram do simpósioA relação entre catalogação e BID, ressaltada pelo Diretor do CECAT, está no fato de que existe uma relevante plataforma de registro e divulgação internacional das Bases Industriais de Defesa - o Sistema OTAN de Catalogação. Participam dele 64 países, entre eles o Brasil, e estão inclusas 2,8 milhões de empresas e há mais de 32 milhões de itens cadastrados.

Um dos palestrantes, o Assessor de Planejamento do Centro de Catalogação da Defesa, Contra-Almirante Walter Lucas da Silva, explicou que o simpósio teve o importante papel de dar visibilidade ao assunto não só no âmbito das Forças Armadas, mas também a outros segmentos da sociedade. "Catalogação é uma linguagem comum para obter informações sobre materiais, empresas, países e fabricantes. O conhecimento que vem da catalogação é fundamental para a logística, mobilização, aumento de disponibilidades e diminuição de custos", definiu palestrante.