TRANSPORTE DE ÓRGÃOS

FAB transporta órgão vital de Londrina (PR) para São Paulo (SP)

O órgão ajudará a restabelecer a saúde do jovem receptor que luta contra diabetes há 18 anos
Publicado: 01/08/2017 16:00
Imprimir
Fonte: Ala 13, por Tenente Kramer
Edição: Agência Força Aérea, por Aspirante Nara Lima

Desembarque em São Paulo (SP)O 4º Esquadrão de Transporte Aéreo (4º ETA), sediado na Ala 13, foi acionado para realizar o transporte de um pâncreas de Londrina (PR) para São Paulo (SP), na madrugada de domingo (30/07). O jovem receptor A.F.C.S, de 31 anos, é diabético e precisava do órgão para recuperar sua saúde.

Embora parecesse apenas mais um domingo, para A.F.C.S e sua família foi um dia especial. Após 18 anos de lutas contra a diabetes e uma cirurgia de transplante de rins, doado pelo próprio irmão, ele recebeu um pâncreas para ajudar no tratamento.

"Devido à diabetes, tenho muitas restrições e limitações na minha saúde, então o pâncreas era o órgão que estava mais ansioso para receber. Não estava preparado, dá até um pouco de medo, não consigo me imaginar vivendo sem esse problema, é muita emoção. O trabalho da Força Aérea é muito bacana, está ajudando não só a mim, mas a muitas pessoas; a rapidez com que um órgão chega a seu destino é incrível, só tenho a agradecer. Esse trabalho tem que continuar", declarou o jovem.

No Hospital Leforte, o cirurgião Beymar Zeballos ressalta a importância da atuação da Força Aérea para seu trabalho. "Estou há 15 anos realizando transplantes. Eu e minha equipe sempre contamos com a FAB. A ajuda é ótima, viabiliza o transporte, já que não dependemos mais de voos comerciais e, sendo assim, ganhamos tempo para implantar os órgãos, salvando cada vez mais vidas", ressalta.

Segundo o Chefe da Seção de Operações do Esquadrão de Voo da Ala 13, Major Anderson Guimarães da Cruz, somente em 2017, 33 missões foram cumpridas pelas aeronaves C-95 Bandeirantes e C-97 Brasília do 4º ETA, totalizando 43 órgãos transportados em mais de 140 horas de voo.