EVENTO

Feira de Ciências e Cultura promovida pela EPCAR discute diversos temas

Foram apresentados assuntos que vão desde a busca pelo poder, a valorização do tempo até a importância dos satélites
Publicado: 06/07/2017 10:02
Imprimir
Fonte: EPCAR, por Paula Drumond
Edição: Agência Força Aérea, por Aspirante Nara Lima

A 15ª edição da Feira de Ciências e Cultura da Escola Preparatória de Cadetes do Ar (EPCAR), Escola de Ensino Médio da Força Aérea Brasileira (FAB), discutiu temas que vão desde a busca pelo poder e valorização do tempo até a importância dos satélites. Organizada pela Divisão de Ensino, a feira, cujo objetivo é despertar nos jovens a busca por novos conhecimentos, foi realizada nos dias 30 de junho e 1º de julho, em Barbacena (MG).

O evento contou tanto com a presença do efetivo da EPCAR e de familiares dos alunos como de diversas escolas da cidade. A professora de Biologia do Instituto Federal Sudeste de Minas Gerais (Campus Barbacena), Lene Barros, participou pela segunda vez da feira e ficou impressionada com a qualidade dos trabalhos. “Os temas estão mais empolgantes e os alunos melhores preparados. É uma satisfação, para mim, participar como avaliadora”, comentou.

Já para a estudante Tainara da Silva Gomes, de 14 anos, estudar na EPCAR é um sonho. “Vim para a feira para conhecer um pouco mais sobre a escola e os alunos. É a primeira vez que participo da Feira e estou aprendendo muito. Assisti a cinco trabalhos”, comentou.

Temas

O trabalho intitulado de “Terra Média: a mitologia de Tolkien” abordou as relações de poder e dominação da sociedade, utilizando como base o livro “O senhor dos anéis” e outras obras do escritor Tolkien. O grupo fez uma analogia entre a busca pelo anel na ficção e a busca pelo poder na realidade, que causam conflitos e guerras.

Os visitantes foram convidados para fazer uma reflexão sobre o tempo no trabalho “4ª dimensão: uma questão de tempo”. Ao utilizar como base a teoria da relatividade de Einstein, o grupo abordou teorias de viagem para o passado e futuro e a importância da administração e valorização do tempo na vida das pessoas.

“Não se deixe enganar por tudo que vê” foi a mensagem do trabalho “Os poderes da mente humana” que utilizou números de mágica e vídeos de ilusão de ótica para explicar, com base na neurociência, o funcionamento do cérebro e a importância da concentração. Seguindo os estudos da psicologia, o trabalho “Prisão mental” abordou, por sua vez, os distúrbios, doenças e síndromes da mente humana.

Disciplinas como biologia, geografia, física e química foram aplicadas nos trabalhos “Uma verdade não muito convincente” e “Natureza contemporânea: a revolução energética” que trataram, respectivamente, do aquecimento global e dos pontos positivos e negativos do uso de energias tradicionais e renováveis.

A apresentação “Internet: um universo em nossas mãos” prendeu a atenção do público com explicações sobre a evolução da rede mundial de computadores, atuação de hackers e crackers, diferença entre o Surface Web e Deep Web, e guerra cibernética.

Os trabalhos “Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas” e “A importância dos novos vetores para o ganho de operacionalidade da FAB” atraíram os visitantes com assuntos mais relacionados com a aviação. O primeiro focou na importância dos satélites para o sistema de segurança nacional. Já o segundo concentrou-se na reestruturação da Força Aérea Brasileira e nas novas funcionalidades das aeronaves KC-390 e Gripen NG.

O trabalho “Ciência contra o Crime: o conhecimento aplicado à justiça”, coordenado pelo aluno Matheus Oliveira, do segundo esquadrão, foi um dos mais comentados pelo público. Os alunos fizeram simulações e explicaram casos reais de investigação da Polícia Civil. “Nosso objetivo foi dar visibilidade ao trabalho oculto dos peritos criminais”, afirmou Oliveira.

Além dos trabalhos, o clube temático de voo virtual animou o público com apresentações de manobras das sete aeronaves da Esquadrilha da Fumaça e simulação de voos no sistema de simuladores do esquadrão.