PREVENÇÃO

Seripa V alerta para padronização da instrução aérea no RS

Evento foca no aprimoramento do instrutor de voo e na melhoria da instrução
Publicado: 31/05/2017 16:48
Imprimir
Fonte: SERIPA V, por Neli Trindade
Edição: Agência Força Aérea, por Aspirante Aline Fuzisaki

O Quinto Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa V) realizou, nos dias 23 e 24 de maio, a 6ª Edição do Estágio de Padronização da Instrução Aérea (EPIA). A atividade aconteceu na Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), em Porto Alegre.

O Comandante da Ala 3, Major-Brigadeiro do Ar Jeferson Domingues de Freitas, participou da abertura do Estágio e destacou a importância da atividade para a comunidade aeronáutica. “A aviação não perdoa falhas e cobra o erro com a vida. Conclamo a todos que tirem suas dúvidas e aprendam com o erro dos outros”, alertou o Comandante.

Disseminar boas práticas e ferramentas adequadas para o exercício da disciplina consciente na atividade aérea foi o objetivo do encontro. As palestras focaram no aprimoramento do instrutor de voo e na melhoria da instrução, com o intuito de elevar o nível de segurança da atividade aérea e beneficiar a formação das futuras tripulações da aviação brasileira.

Na avaliação do Chefe do Seripa V, Tenente-Coronel Aviador Leonardo Pinheiro de Oliveira, o Estágio atendeu às expectativas, tendo se desenvolvido em um ambiente bastante produtivo entre a audiência e os palestrantes. “Os conhecimentos transmitidos tiveram um cunho de recomendação de segurança, proporcionando às entidades, civis ou militares, a sua aplicação como ferramenta de gerenciamento da instrução e o consequente aumento da segurança de voo”, afirmou.

De acordo com o cronograma do Estágio, foram apresentados assuntos relacionados ao panorama atual da aviação de instrução, check list, didática e comunicação, gerenciamento da instrução aérea, preenchimento de ficha de avaliação de voo, briefing e debriefing, avaliação, instrução em aeronaves de asas rotativas, psicologia aplicada à aviação, aerodinâmica e os erros mais comuns em acidentes de instrução.

Estatísticas do Cenipa registram que o julgamento de pilotagem, a instrução, a aplicação de comandos e a supervisão gerencial estão entre os fatores que mais contribuem para os acidentes na Aviação de Instrução. Tais dificuldades se repetem nas ocorrências aeronáuticas, conforme observado nas investigações do órgão regional.

Em sua 6ª edição, o Estágio de Padronização da Instrução Aérea (EPIA) se consolidou como atividade de prevenção voltada para aeroclubes, escolas de aviação e faculdade de ciências aeronáuticas. As edições anteriores foram realizadas nas capitais São Paulo, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre (três edições).

Repercussão - O 1º Tenente Aviador Matheos Brasil Paiva de Oliveira, instrutor das aeronaves C-95 e C-98, no Quinto Esquadrão de Transporte Aéreo (5º ETA), de Canoas (RS), avaliou o EPIA. “O evento contribuiu de maneira ímpar para a cultura aeronáutica. Além da elevação do padrão do instrutor de voo, ajudou a sedimentar o que é preconizado pela doutrina de instrução aérea no âmbito da minha organização”, argumentou.

O Instrutor de Voo do Aeroclube de Bagé (RS), piloto comercial José Antonio Jover Consentino, há 48 anos na atividade aérea, definiu o EPIA como um auxílio à cultura aeronáutica. “Os conhecimentos transmitidos levam à reflexão da comunidade da Aviação de Instrução, para o quanto somos vulneráveis aos conceitos e práticas da aviação. Eleva a cultura para preservar a vida”, destacou.

Para Elisangela Miotti, Coordenadora de Sistemas de Gerenciamento de Segurança Operacional da Infraero, do Aeroporto Internacional Salgado Filho, os conhecimentos transmitidos são riquíssimos em informações. “Aprendi muito e quero aplicar no meu trabalho em segurança operacional. Busquei esse evento para melhorar a minha realidade e o convívio com escolas de aviação sediadas no aeroporto”, declarou.

“Sou piloto comercial e me preparo para assumir o cargo de instrutor de voo do Aeroclube de Santa Cruz do Sul. O EPIA agregou ao meu currículo, em especial, as palestras sobre Preenchimento de Ficha de Avaliação Voo, briefing e debriefing. Os acidentes analisados nas palestras alertam para a responsabilidade do instrutor”, declarou o piloto Vinícius Jonas Wendler.

Próximas edições - De acordo com o Plano de Trabalho Anual, o Seripa V planeja realizar, ainda no segundo semestre de 2017, mais duas edições do EPIA, que deverão atender às comunidades aeronáuticas de Florianópolis (SC) e Curitiba (PR).