SOLENIDADE

Cerimônia militar aberta ao público foi realizada neste domingo (05/03)

Especialistas da FAB foram homenageados
Publicado: 05/03/2017 11:45
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Raquel Alves

Neste domingo (05/03), a Força Aérea Brasileira foi a anfitriã da solenidade de substituição da Bandeira Nacional em Brasília (DF). A cerimônia, realizada na Praça dos Três Poderes, sob responsabilidade do Comando da Aeronáutica e coordenação da Ala 1, foi presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, além de autoridades civis e militares.

Durante a solenidade, o hasteamento do Pavilhão Nacional foi realizado ao som do Hino Nacional, a salva de 21 tiros de canhão, e na sequência, o  desfile dos grupamentos militares, incluindo um composto por Especialistas da FAB, em alusão ao dia do Especialista, que será comemorado no dia 25 de março.


O comandante da Ala 1, Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita, destacou a importância da solenidade. “Essa é a primeira vez que a Ala 1 participa de um evento cívico. Estamos muito motivados em dar continuidade aos trabalhos de reestruturação da Força Aérea e nada melhor do que começar o ano com um evento de patriotismo”. Destaca o comandante.

A 100 metros do chão, pesando cerca de 90 kg e medindo 286 m² a Bandeira Nacional está permanentemente hasteada e fica presa a um mastro especial formado por 24 hastes metálicas, construído como símbolo de diálogo e de convergência de todas as unidades da Federação e dos três poderes da República.

Uma vez por mês, a bandeira na Praça dos Três Poderes é substituída em solenidade realizada pela Marinha, Exército ou pela Aeronáutica, além do governo do Distrito Federal (GDF), que se revezam na organização do
evento. O objetivo é despertar e incentivar na população o sentimento cívico e o culto aos símbolos nacionais. A substituição da bandeira ocorre no primeiro domingo de cada mês desde 1973.

Especialista da FAB
Em todas as cerimônias militares a figura do locutor é primordial para que o público e até mesmo os militares envolvidos na cerimônia saibam a cronologia da solenidade. A terceiro sargento Loren Gomides é quem faz essa função na maioria dos eventos. Desta vez, ela também foi homenageada. “É uma honra fazer parte do corpo de especialistas da FAB em uma solenidade cívico militar e ser homenageada, assim como outros militares. Nós, especialistas, fazemos parte da força motriz da FAB, atuando em todas as unidades da Força Aérea pelo país. Tenho muito orgulho de fazer parte desse time”. Ressalta a militar especialista preste a completar nove anos de serviços à FAB.

Bandeira do Brasil

O Pavilhão Nacional foi criado em 1889, quatro dias depois da Proclamação da República. Ele foi projetado por Raimundo Teixeira Mendes e Miguel Lemos. O desenho ficou a cargo de Décio Vilares, que se inspirou no símbolo do Império, com o círculo azul e a frase “Ordem e Progresso” no lugar da coroa.
Em 1992 ocorreu a única alteração, quando os novos estados brasileiros e o Distrito Federal foram representados por estrelas. De acordo com a Lei nº 8.421, toda vez que houver extinção ou acréscimo de estado, as estrelas devem ser reorganizadas.

Para saber mais sobre o Pavilhão Nacional acesse a página multimídia com conteúdo em vídeo, texto, fotos e saiba todos os detalhes.