ENSINO

Profissionais de várias áreas passam por estágio para se tornarem oficiais temporários

Estágios que formam oficiais do QOCON têm duração de doze meses e constam de três fases
Publicado: 27/02/2017 08:00
Imprimir
Fonte: DIRAP, Ala 1, Ala 3
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Emília Maria

Um total de 957 profissionais, de várias áreas, passam por treinamento para se tornarem oficiais temporários da FAB em organizações militares por todo o País. Foram selecionados para o Quadro de Oficiais Convocados (QOCON) candidatos da área de saúde, como médicos, farmacêuticos, dentistas e veterinários e candidatos de especialidades como Arquivologia, Ciências Contábeis, Direito, Jornalismo, Publicidade, Sistemas de Informação, entre outras.

Em Brasília (DF), 120 alunos recebem as instruções militares que abrangem legislações específicas, treinamento físico, prática de tiro, ordem unida e exercício de sobrevivência.

“A seleção que trouxe para a Força Aérea cada um desses profissionais foi muito criteriosa e é por isso que esperamos ansiosos pelo trabalho e colaboração que os novos Oficias oferecerão ao cumprimento de nossa missão”, disse o Comandante da Ala 1, Brigadeiro do Ar Ary Soares Mesquita, ao receber os candidatos.

Pâmela Teixeira Brasileiro, especialista em Análise de Projetos, está entre os 120 estagiários de Brasília. "Minha expectativa é que o curso exija muito do nosso esforço físico e psicológico, mas que ao final todos estejamos aptos a honrar com competência a farda da Aeronáutica", conta.

Na região da Ala 3, em Canoas (RS), 31 profissionais passam pelo estágio. A psicóloga Marília Reginato Gabriel também acredita que os aspectos físico e emocional serão importantes durante o período de formação. "Será uma experiência de superação física e emocional, uma busca por autoconhecimento e a vivência da força do espírito de corpo", afirma ela.

Formação
- Os estágios que formam oficiais do QOCON têm duração de doze meses e constam de três fases: a primeira, com duração prevista de sessenta dias corridos, destina-se a adaptar os incorporados à atividade militar por meio da instrução militar e treinamentos específicos concernentes ao uso de armamento militar e de emprego de tropa; a segunda visa a adaptar o incorporado à atividade funcional por intermédio do trabalho na respectiva área de atuação; e a terceira visa ao aprimoramento profissional.