ESPORTE

Eixão Sul recebe cerca de 7 mil participantes na Corrida da Paz no DF

Evento reuniu civis e militares em prol da paz mundial
Publicado: 19/02/2017 12:07
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Evellyn Abelha

Evento reuniu cerca de 7 mil participantes no DFNeste domingo (19/02), foi dia da Corrida da Paz no Eixão Sul, em Brasília (DF). O evento reuniu cerca de 7 mil participantes, entre civis e militares, com o objetivo de promover a prática esportiva no âmbito das Forças Armadas e contribuir com a paz mundial por meio do lema "Amizade através do esporte". Os corredores percorreram o trajeto de cinco quilômetros do evento coordenado, este ano, pela Marinha do Brasil.

“Um evento como esse contribui com a paz justamente na aproximação das pessoas. O esporte é um fator de aproximação natural, todo mundo fica feliz quando está envolvido com o esporte e isso favorece muito a promoção da paz”, explicou o Diretor do Departamento de Desporto Militar, Vice-Almirante Paulo Zuccaro.

Soldado Tavares e a esposa NayanaA corrida é promovida pelo Conselho Internacional do Desporto Militar (CISM), está em sua 12ª edição e não tem fins lucrativos. Essa é a segunda vez que o Soldado da Força Aérea Brasileira, Willian Tavares de Souza, e a esposa, Nayana Borges Tavares, participam do evento. “Nós viemos pela causa defendida pela corrida, a paz, e também pela saúde promovida pelo esporte. E aqui a gente mostra também que as Forças Armadas estão em conjunto com a população”, destacou o militar.

Desde a primeira edição, em 2006, a corrida é realizada todos os anos no mês de fevereiro, em todo o mundo. O CISM Day Run, como é conhecida internacionalmente a Corrida da Paz, celebra também o aniversário do Conselho. Os amigos Rodrigo de Matos e Reinaldo Rodrigues, que fazem parte de um grupo de corrida, estiveram pela primeira vez no evento e aprovaram a iniciativa. “Nós estávamos muito animados com essa corrida. Ontem corremos uma prova de dez quilômetros, mas isso não tirou nosso entusiasmo de vir aqui. Achamos ótima a ideia de integrar civis e militares. Não tem motivo para haver separação”, comentou Rodrigo.

Flávia com o filho Guilherme e o esposo MárcioEvento para família – Flávia Cardoso foi acompanhar o marido na corrida e se surpreendeu com a estrutura do evento. “Meu marido já havia participado o ano passado. Esse ano eu quis vir para conhecer e gostei muito da organização. Ano que vem com certeza vou participar, só que dessa vez será correndo junto com os demais”, explicou Flávia, que também levou o filho Guilherme Cardoso de oito anos para a corrida.

Sargento Bernardo, atleta de alto rendimento da FABInspiração olímpica – Quem também compareceu ao evento e ajudou a difundir a mensagem de paz através do esporte foi o atleta de alto rendimento da FAB, da modalidade tiro com arco, Sargento Bernardo de Souza Oliveira. O militar, que participou dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, completou os cinco quilômetros da prova. “É sempre um prazer participar dos eventos promovidos pelas Forças Armadas e ter sido incorporado à FAB. O ambiente da Corrida da Paz é descontraído, tem muita família. É muito bom ver esse mar de gente de camiseta branca correndo e promovendo a paz”, enfatizou o atleta.

Suboficial Marcelo, da FAB, quinto colocado na provaO Suboficial Marcelo Branco foi o primeiro militar da FAB a cruzar a linha de chegada e o 5º corredor a completar a prova. O militar conta que a paixão pela corrida começou quando era aluno na Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) e de lá para cá nunca mais largou o esporte. “A Corrida da Paz é uma prova gostosa, é diferente de uma competição que vale pódio. Aqui você sabe que será só alegria, independente da colocação que você chegue. É só diversão”, destacou o suboficial.

Joseías, ex-participante do ProfespForças no Esporte – Crianças e adolescentes participantes do Programa Forças no Esporte (Profesp) também marcaram presença na Corrida da Paz em Brasília. Eles tiveram a oportunidade de presenciar um ex-participante do programa, Joseías Ferreira das Chagas, chegar em 2º lugar na corrida. “Eu posso dizer que o Profesp colaborou com tudo para que eu chegasse hoje a esse resultado. Se não fosse o programa, eu não estaria aqui hoje. A iniciativa me tirou das ruas e me apresentou esse esporte belíssimo que é o atletismo”, finalizou Joseías, de 18 anos.