SOCIAL

Militares da Ala 2 recebem a capacitação para o combate ao mosquito Aedes Aegypti

O objetivo é reduzir o número de casos de doenças transmitidas pelo mosquito em Anápolis
Publicado: 28/01/2017 10:28
Imprimir
Fonte: ALA 2
Edição: Agência Força Aérea, por Ten Iris Vasconcellos

Cerca de 60 militares foram capacitados, na quinta-feira (19/01), pela Secretaria Municipal de Saúde de Anápolis para realizar visitas domiciliares em diversos bairros, na cidade de Anápolis (GO), e promover o combate ao mosquito Aedes Aegypti.

O objetivo é formar uma força tarefa para promover um trabalho de conscientização com a comunidade local e identificar os focos de proliferação do mosquito. A meta da Secretaria é visitar todo o município, principalmente, nos meses considerados mais críticos com os períodos chuvosos.

A Ala 2 também aderiu à campanha da Secretaria Municipal contra a dengue no ano de 2017. O objetivo da ação é reunir multiplicadores, tendo como aliados a sociedade civil organizada (igrejas, organização militares, entidades e ONGs) para auxiliar os agentes de saúde no trabalho de conscientização da população sobre os riscos da doença, além de eliminar de vez os focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, zika vírus e chikungunya.

Ao longo da semana, a Ala 2 disponibilizou mais de 30 militares para o combate nos bairros com o maior número de casos.

Segundo a gerente de Controle de Doenças Transmitidas por Vetores, Érica Dias, essas ações estão planejadas de janeiro a julho, período chuvoso. “Em janeiro, vamos trabalhar apenas por três dias. De fevereiro a julho serão sete dias sequenciais, para que nós consigamos fazer esta mobilização em 100% dos municípios de Anápolis”, destacou.

A gerente ressaltou, ainda, a importância da parceria com a FAB: “Além de reforçar o quadro de profissionais da Secretaria, a participação dos militares transmite segurança às pessoas e demonstra a seriedade e responsabilidade do trabalho”, completou.

Redução - Desde o início do ano, foram notificados 149 casos da doença em Anápolis. Em comparação ao mesmo período em 2016, houve uma queda de 80%. A perspectiva para 2017 é reduzir ainda mais o número de casos. A meta é que até o final de janeiro 69 mil imóveis sejam vistoriados.