FORMATURA

Instituto Tecnológico de Aeronáutica entrega mais 84 novos engenheiros para o País

Do total de 84 formados, 33 escolheram a carreira militar
Publicado: 17/12/2016 21:00
Imprimir
Fonte: ITA, por Tenente Raquel Piani
Edição: Agência Força Aérea, por Tenente Iris

O Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) formou, neste sábado (17/12), 84 novos engenheiros nas especialidades Aeronáutica, Eletrônica, Civil-Aeronáutica, Mecânica-Aeronáutica, Computação e Aeroespacial. A cerimônia contou com a presença do Ministro de Estado da Defesa, Raul Jungmann, e do Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, além de familiares e convidados dos formandos.

Em discurso, o Comandante da Aeronáutica destacou o futuro dos formandos. “Essa turma é composta por engenheiros capazes de enfrentar obstáculos e de obter grandes conquistas”, ressaltou o Brigadeiro Rossato.

Já o ministro Raul Jungmann destacou que a formatura representa a concretização de um sonho para os novos engenheiros. “Casimiro Montenegro, quando idealizou o ITA, disse que o instituto seria o futuro da indústria aeronáutica. Ele foi tachado de sonhador e, hoje, o ITA é uma grande realidade. Temos o domínio da tecnologia aeronáutica e a Embraer é um grande orgulho. Isso significa que sonhar é preciso. E a chegada de cada um aqui nasceu de um sonho", afirmou.

O paraninfo da turma foi o engenheiro Mário Araripe, formado em Engenharia Mecânica-Aeronáutica pelo ITA, com curso de extensão pela Harvard Business School. Mário é fundador da Casa do Ventos, uma das pioneiras e principais investidoras no mercado de energia eólica do Brasil.

Já como patrono, os formandos escolheram Irineu Evangelista de Souza, o Barão de Mauá, banqueiro, político e diplomata, nascido na cidade Arroio Grande, no Rio Grande do Sul. Sozinho, Irineu construiu, em 1846, a indústria náutica brasileira, instalada em Niterói, Rio de Janeiro. Em um ano, já possuía a maior indústria do país.

Curiosidades da Turma

Do total de 84 formandos, 33 foram incorporados à Força Aérea Brasileira no posto de primeiro-tenente. Os militares vão trabalhar em diversas unidades da FAB por todo o País.

O curso que mais formou alunos este ano foi o de Computação com 27 novos engenheiros, seguido pelos cursos de Mecânica-Aeronáutica, com 26 formandos; Aeronáutica, com 14; Aeroespacial, com nove; Eletrônica, com seis; e Civil-Aeronáutica, com três.