LUTO

Aeronaves Hércules finalizam traslado de vítimas de acidente aéreo na Colômbia

Foram cerca de 24 horas, entre pousos e decolagens, até a entrega dos corpos em Chapecó (SC)
Publicado: 05/12/2016 18:00
Imprimir
Fonte: Agência Força Aérea, por Ten Evellyn Abelha

Três Hércules fizeram o traslado da Colômbia para ManausA Força Aérea Brasileira finalizou na noite de sábado (03/12) o transporte das vítimas do acidente com a aeronave que transportava a delegação da Chapecoense e profissionais de comunicação. No total, mais de 30 tripulantes da FAB participaram do traslado que durou cerca de 24 horas, entre pousos e decolagens, até Chapecó (SC). Após o velório coletivo na Arena Condá, 15 urnas ainda foram levadas, a bordo do C-130 Hércules, para o Rio de Janeiro de onde foram encaminhadas para sepultamento nas cidades de origem das vítimas.

Força tarefa

Desde a última quinta-feira (01/12), três aeronaves cargueiras C-130 Hércules da FAB foram disponibilizadas para realizar o traslado dos corpos para o Brasil. Os aviões ficaram de prontidão na Base Aérea de Manaus (BAMN) e foram acionados para decolarem rumo à Colômbia na sexta-feira (02/12), quando os corpos foram liberados pelas autoridades colombianas. “Pra mim foi uma satisfação enorme poder colocar em prática a operacionalidade que tanto treinamos para trazer um alento às famílias desses brasileiros que nos davam tanto orgulho. Em 2009, participei diretamente das buscas ao Air France 447 que caiu no Atlântico. Assim que eu soube do acidente na Colômbia, já me veio a consternação e a lembrança daquela tragédia”, disse o Sargento Leandro Francisco Cardoso, rádio navegador do C-130 Hércules.

 
Cerimônia na Base Aérea de Rionegro, na ColômbiaÀs 11 horas da manhã (horário local de Manaus) a primeira aeronave da FAB decolou com destino à Base Aérea de Rionegro, distante cerca de 50km de Medellín. As outras duas aeronaves decolaram logo em seguida, com intervalo de 15 minutos uma das outras. "Quando fomos acionados para realizar essa missão, todos se mostraram muito solidários em participar. Nossa pronta resposta foi muito grande, principalmente para levar conforto para os familiares que perderam seus entes queridos", destacou o Major Reinaldo Alves da Silva, um dos pilotos de C-130 que participou do transporte das urnas.

População de Manaus realizou uma acolhida ao prefeito de ChapecóApós o pouso em Rionegro, a Força Aérea Colombiana realizou uma cerimônia em homenagem às vítimas com cortejo, guarda de honra e benção aos corpos. As urnas foram carregadas e postas dentro das aeronaves por militares colombianos. Duas aeronaves levaram 17 corpos e a outra, 16. “Ao chegarmos no aeroporto e sermos recebido de uma forma acolhedora por todos e vermos a cerimônia preparada pelos colombianos para homenagear os brasileiros falecidos no acidente, pudemos perceber o quanto aquele povo estava envolvido emocionalmente”, ressaltou um dos pilotos que realizou o traslado dos corpos de Rionegro até Manaus, Capitão Douglas Lopes.

Os aviões seguiram viagem de volta para Manaus, onde foi realizado o desembaraço alfandegário para então prosseguirem até Chapecó. O prefeito da cidade catarinense, Luciano Buligon, acompanhou o traslado a bordo do Hércules desde a saída da Colômbia. Ao chegar em Manaus, ele foi recebido na base aérea com uma homenagem e acolhida de populares do local. "A missão era trazer o mais rápido possível os corpos para o Brasil. E nisso também nós tivemos sucesso porque as autoridades brasileiras, começando pela FAB, disponibilizaram os aviões. Nós estamos com três Hércules aqui e também teve o apoio do C-99 que transportou nossa equipe", detalhou.

Em Manaus, as urnas foram remanejadas e colocadas em dois aviões. As aeronaves partiram na madrugada de sábado, às 2 da manhã (horário de Manaus). O voo até Chapecó durou cerca de seis horas. O Tenente Roberto Mega Junior participou da equipe que organizou a missão na Base Aérea de Manaus. “Foi uma experiência única, pois foi minha primeira operação real. Apesar do trabalho extenuante, estava muito motivado em poder dar minha contribuição para as famílias que perderam seus entes queridos. Trabalhamos muitas horas, mas o espírito voluntário tomou conta de todos da equipe de coordenação da Operação Medellín. Nesses momentos de desespero, os militares atuam com excelência no cumprimento da missão independente da jornada de trabalho necessária”, explicou.

Acesse mais fotos no Flickr da FAB

Vejo no videoclipe abaixo os momentos mais marcantes desse transporte da Força Aérea Brasileira: